COMUNICA

PORTAL DE NOTÍCIAS DA UNIJUÍ

Ensino

Pibid: formação de professores e o fortalecimento da rede pública de ensino

                                           

“A ponte entre universidade e escola foi importantíssima, tanto para meu crescimento pessoal quanto profissional, abrindo meus olhos para a realidade da escola pública, algo que a teoria não poderia mensurar por completo”. A afirmação de Vanessa Vieira Mombach, que, enquanto estudante do curso de Letras da Unijuí integrou o Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (Pibid), mostra a importância dele para a formação dos novos professores, além de possibilitar uma aproximação maior entre Universidade e rede pública de ensino. 

O Pibid é uma iniciativa para o aperfeiçoamento e a valorização da formação de professores para a educação básica. O programa concede bolsas a alunos de licenciatura participantes de projetos de iniciação à docência, desenvolvidos por Instituições de Educação Superior (IES) em parceria com escolas de educação básica da rede pública de ensino. O Pibid abre um espaço de atuação no campo profissional para além do estágio, garantindo o compartilhamento da docência. 

Os projetos promovem a inserção dos estudantes no contexto das escolas públicas desde o início da sua formação acadêmica para que desenvolvam atividades didático-pedagógicas sob orientação de um docente da licenciatura e de um professor da escola, o qual se coloca como co-formador ao compartilhar a docência. “O Programa, nesse contexto, abre portas para uma percepção mais apurada dos fatos, fazendo com que se possa pensar e repensar a educação, seja em sala de aula, seja na universidade, pois permite ampliar a conexão entre ambas, fornecendo aos estudantes de graduação uma oportunidade única de contribuir desde cedo para um fazer docente mais colaborativo, visando uma educação melhor”, complementa Vanessa. 

Com a experiência adquirida em sala de aula, os estudantes também têm a oportunidade de produzir conhecimento, com pesquisas e produções acadêmicas. É o caso de Tatiele Freitas, acadêmica do curso de Pedagogia, que pode participar de eventos relatando as experiências e extraiu disso o tema do Trabalho de Conclusão de Curso. “Uma vivência significativa, tema do meu TCC, está ligada ao Pibid, trata-se da Docência Compartilhada”, observa. 

Na Unijuí já passaram mais de 150 bolsistas pelo Pibid, sendo que, atualmente, 83 estão envolvidos com atividades do projeto, sendo 9 deles professoras da educação básica com bolsa. São quatro escolas parceiras desde 2014, quando o projeto iniciou na Unijui, com cerca de 879 alunos da educação básica participando das atividades formativas, além de vários professores não-bolsista, os quais atuam como co-formadores. 

“As ações propostas pelo Programa na Unijuí centram-se no desenvolvimento profissional do professor em formação inicial e continuada, diretamente nas escolas, articulando à produção de currículo escolar autoral e autônomo, com ênfase em experiências interdisciplinares, no Ensino Fundamental e no Ensino Médio de escolas públicas estaduais e municipais. Como diferencial do Programa da Unijuí, destaca-se a presença de bolsistas Pibid de todas as licenciaturas em cada uma das escolas parceiras, sendo orientados por supervisores Pibid e co-orientados por professores não bolsistas, os quais se integram no processo formativo desencadeado pelo Pibid de forma voluntária. Com isso, o Programa da Unijui trabalha de forma integrada e integradora, com foco interdisciplinar, tendo grande abrangência no contexto da escola, uma vez que contribui para a formação inicial e continuada, logo para a formação dos alunos da escola, pois se centra em proposições curriculares. Sem dúvida é um Programa que beneficia a todos os envolvidos e, principalmente, os futuros professores e os alunos da educação básica", observa a professora Taise Neves Possani (DHE).


Educação Física na EFA: Vivências de aventuras no campus da Unijuí

Para findar o ano de 2017, a turma B51 do Centro de Educação Básica Francisco de Assis - EFA, realizou diferentes práticas corporais na natureza, no Campus da UNIJUÍ, sob a orientação da professora Eduarda Burckardt da EFA e do professor Mauro Bertollo da UNIJUÍ.

As crianças tiveram a oportunidade de vivenciar as práticas do slackline, rapel, canoagem e esporte de orientação, para agregar aos estudos realizados sobre mais um campo de linguagem do movimento. As atividades foram organizadas e conduzidas em parceria com o Núcleo de Eventos do Curso de Educação Física da UNIJUÍ e estudantes voluntários.

Estas ações, entre EFA e UNIJUÍ, acontecem o ano todo fortalecendo os laços que a escola e a universidade possuem, aproximando os acadêmicos da realidade escolar, bem como, enfatizando a intenção de oportunizar aos alunos da escola novas possibilidades de movimento e interação com o meio. 

 

 


Estudantes da disciplina de Práticas Corporais na Natureza realizaram acampamento de estudos em Santa Catarina

Nos dias 16 a 19 de novembro de 2017, os estudantes da disciplina de Práticas Corporais na Natureza, do curso de Educação Física, ofertado nas habilitações Licenciatura e Bacharelado campi Ijuí e Santa Rosa, ministrada pelo professor Mauro Bertollo, realizaram uma viagem a Urubici, Santa Catarina. Neste ano, pela primeira vez, a disciplina contou com a participação de estudantes do curso de Pedagogia dos campi Ijuí e Santa Rosa.

O componente tem como objetivo propiciar a utilização dos conhecimentos teórico-práticos das diferentes práticas corporais na natureza, na perspectiva de propor, orientar e avaliar experiências corporais no campo da educação, da saúde e do empreendedorismo, dando ênfase às sensibilidades oriundas dos sentidos humanos e aos valores inerentes ao convívio coletivo. Após desenvolver conteúdos conceituais, procedimentais e atitudinais, culmina com a realização de um acampamento orientado na cidade da serra catarinense.

Reconhecido pelos estudantes do curso de Educação Física como um componente importante no processo de formação, para as estudantes de Pedagogia foi algo novo. De acordo com as estudantes, foi possível perceber a importância dessas práticas nas vivências, das escolas com a educação infantil e anos iniciais do ensino fundamental. Este componente, ensinou muito além de como inserir as atividades em meio à natureza nos planejamentos de aulas. Conscientizou sobre os cuidados com o meio ambiente e a importância do trabalho em grupo, bem como, oportunizou vivenciar valores como cooperação, solidariedade, autoconfiança, responsabilidade, amizade, respeito, superação de desafios e de limites, princípios inerentes à profissão de professor.

A acadêmica do curso de Educação Física, Juliane Martins do campus Ijuí, deixou o seguinte depoimento sobre a viagem:  “Porque Urubici? Tem que ser Urubici, sim. Só quem vai sabe o porquê. Eu torço, de todo coração, que meus colegas que ainda não fizeram a disciplina possam vivenciar o que vivenciei e sentir o que eu senti ou até mais do que senti.”

Clecio Szinvelski, aluno do curso de Educação Física do campus Santa Rosa, comenta que “não ocorreu apenas aprendizado, mas o desenvolvimento de inúmeros valores como cooperação, respeito e conscientização ambiental e é exatamente esse o diferencial da disciplina, tornando-a única em uma sociedade falida em valores, aprimorá-los sem dúvida alguma foi de uma grandiosidade inexplicável.”

O Professor Mauro comenta que utilizou as seguintes palavras para nortear o acampamento: harmonia, alegria, responsabilidade.

Segundo ele, “a colaboração de monitores experientes é indispensável para a realização do acampamento orientado, considerando o elevado número de participantes, bem como, pelo potencial de riscos inerentes aos locais visitados. Por outro lado, sempre é oportunizada a inserção de novos monitores, o que possibilita a continuidade e renovação de um grupo qualificado.”

Enquanto acadêmicas do Curso de Pedagogia ressaltam que tiveram diversas vivências de aventura na natureza com os colegas da Educação Física. Aprenderam como é viável e importante realizar atividades na área das práticas corporais na natureza com as crianças, além de vivenciarem momentos intensos, significativos, que proporcionaram grandes aprendizagens.

Desse modo, acreditam na importância da inserção de outras acadêmicas do curso no referido componente curricular, pois as atividades proporcionadas, entre elas o acampamento orientado, têm o condão de abrir o olhar pedagógico e a visão sobre como estas práticas podem acontecer no cotidiano escolar. Essa experiência fez as estudantes de Pedagogia crescerem enquanto futuras educadoras e fortaleceu a convicção no poder transformador da educação.

As estudantes do curso de Pedagogia Débora Ribeiro, Fernanda Kupske, Janaina Rigon, Lauren Goulart, Manuela Della Valli, Tayline Concli e Cristine Bolzan Contiere Wutzke, participaram da viagem.

Atividades desenvolvidas

No total, viajaram para Urubici 90 pessoas (acampantes). As turmas foram divididas em nove grupos. Para a turma de Ijuí foi destinada a parte organizacional, contando com os grupos da Saúde, Transporte, Finanças e Alimentação. Já os grupos de Santa Rosa ficaram imbuídos de organizar atividades recreativas que foram desenvolvidas nas noites do acampamento.

O acampamento da viagem aconteceu no Parque de Exposições Manoel Prá (parceria com a prefeitura há 8 anos).

Nas atividades diurnas os alunos foram desafiados a realizar longas caminhadas, algumas delas em trilhas em meio a mata atlântica, visitando alguns dos pontos turísticos de Urubici, como: Cascata do Avental, Morro do Campestre e Sitio Sete Quedas. Já nas noites, aconteceram práticas recreativas incluindo um luau, no qual foi possível apreciar os talentos musicais dos acampantes.


Estudantes de Agronomia e Medicina Veterinária realizam visita técnica

Os estudantes dos cursos de Agronomia e Medicina Veterinária da UNIJUI realizaram uma visita técnica ao laboratório de ovinocultura da UFSM, no sábado, dia 25 de novembro, acompanhados da professora Magda Metz.

O Laboratório possui 117 cabeças de ovinos cruzados das raças Texel X Il e de France em uma área de 9 hectares com pastejo e confinamento de sob a responsabilidade do professor. Dr. Sergio Carvalho.

Na oportunidade foi realizada a apresentação dos apriscos, piquetes, manejos e das atividades de pesquisa realizadas na instituição.

A viagem de estudos é importante, pois os estudantes colocam em prática os conhecimentos adquiridos em sala de aula e comprovam a teoria sobre o manejo, nutrição, sanidade e reprodução de ovinos, além de oportunizar o contato com a pesquisa de uma das instituições mais bem conceituadas do país.


Integrantes do Pibid realizaram viagem de estudos para reduções jesuíticas

Os bolsistas (estudantes, professoras coordenadoras e professoras supervisoras) do Programa Institucional de Iniciação à Docência – PIBID/UNIJUÍ-CAPES realizaram, no dia 18 de novembro de 2018, viagem de estudos para conhecer dois pontos das reduções jesuíticas, um em San Ingácio – San Ignácio Mini, na Argentina; e outro localizado em São Miguel das Missões – Ruinas de São Miguel das Missões, Rio Grande do Sul/ Brasil. Esta viagem de estudos faz parte do processo formativo docente proposto como atividade do projeto PIBID-Unijui, 2014-2018, financiado pela CAPES.

As reduções de San Ignácio Mini e São Miguel das Missões são integrantes do conjunto de 30 Reduções Jesuíticas situadas no Brasil, Argentina e Paraguai e reconhecidas como Patrimônio Mundial da Humanidade pela Unesco.

                    

Em San Ignácio, a visita contou com a orientação de um guia local, que relatou a história da construção e organização social do povo Guarani que ali viveu e se aculturou aos hábitos  implantados pelos jesuítas, onde a arte, a arquitetura e as formas de produção mesclavam a cultura guarani com a dos colonizadores de além-mar. A organização social na Redução foi marcada pela sustentabilidade, pois produziam tudo o que aquela comunidade necessitava.

Quanto ao estado de preservação das unidades visitadas, a igreja de San Ignacio Mini apresentava poucas paredes intactas em comparação com a igreja de São Miguel das Missões. No entanto, as outras instalações de San Ignácio estavam melhor preservadas que as de São Miguel das Missões. Nesta última observamos apenas os alicerces das casas.

O fechamento da viagem ocorreu em território brasileiro, nas Ruinas de São Miguel. Ali os bolsistas assistiram ao espetáculo denominado Som e Luz, que narra o relato histórico da vida dos guaranis e jesuítas, com a encenação da Guerra Guaranítica, em que o líder dos indígenas Sepé Tiarajú configura-se como símbolo de resistência do povo indígena à opressão dos colonizadores europeus. A narrativa é ilustrada com um jogo de luzes. Essa encenação encantou e emocionou a todos pela história narrada, ao provocar uma reação de pertencimento. De fato, a viagem proporcionada pelo Programa Pibid/Capes da UNIJUI marcou a formação histórico-cultural dos futuros professores e de professores já em atuação. 


Conferência com o tema “Todos podem aprender a ler e escrever” abre o 10º Seminário de Alfabetização

Com objetivo de debater as dimensões políticas e interdisciplinares da alfabetização, teve início, na noite desta segunda-feira, o 10º Seminário de Alfabetização, na Unijuí. O evento, promovido pelo curso de Pedagogia, foi realizado no Salão de Atos Argemiro Jacob Brum, e segue até a próxima quinta-feira, dia 23 de novembro.

A conferência de abertura teve como tema “Todos podem aprender a ler e a escrever”, com a Dra. Elvira de Souza Lima, São Paulo/Brasil. Na cerimônia de abertura, realizada pouco antes da Conferência, o Conjunto Instrumental do CEAP realizou uma apresentação ao público participante do Seminário.

             

Nesta terça-feira, dando sequência ao evento, a partir das 13h30min, ocorre, nos minis auditórios do Campus Ijuí, sessão com relatos de experiências pedagógicas e de pesquisas na área da educação escolar e não escolar. E, no turno da noite, Conferência com o tema “Políticas Nacionais para a Alfabetização”, com a Dra. Telma Ferraz Leal – UFPE – Pernambuco/Brasil.

A Conferência de abertura

A conferencista da noite de abertura, Dra. Elvira Souza Lima é pesquisadora em desenvolvimento humano, com formação em neurociências, psicologia, antropologia e música. Trabalha com pesquisa aplicada às áreas de educação, mídia e cultura.  Possui doutorado pela Sorbonne (Paris), com pós-doutorado na Stanford University (EUA), cursos no Collège de France e na École Pratique de Hautes Études (Paris). Foi professora visitante na Universidad de Salamanca (Espanha), University of California at Santa Bárbara (EUA), Georgetown University (EUA), entre outras. Foi pesquisadora no CRESAS (Paris), e da Northwestern University (EUA). É consultora em Educação e Desenvolvimento Humano em diversos programas e projetos de Educação Pública, Educação Indígena, Educação Continuada, Formação de Professores, Mídia para Criança e Adolescente, no Brasil e no exterior.

Em sua fala, entre outros aspectos, ela tratou sobre a memória e a relação com a educação. “A profissão do professor é a que mais exige do cérebro humano, pois ela envolve memória o tempo todo”, observou. Elvira também observou outros aspectos da profissão. “Eu não posso não considerar o professor como um ser de cultura”.

 A pesquisadora comentou, ainda, sobre pesquisas na área. “Não há genética na nossa espécie para ler e escrever, temos para falar. Ler e escrever são aprendizagens culturais”, complementou.

Abaixo, confira uma galeria de fotos da primeira noite de evento


Educação e cultura digital: “Auleiro” é quem entrega informação e isso o Google substitui facilmente”

Doutor em Educação, coordenador da área Educação e Cultura da Universidade LaSalle, com experiência acadêmica na Espanha, Augusto Niche Teixeira esteve na Unijuí durante o 28º Congresso Regional de Iniciação Científica e Tecnológica em Engenharia – CRICTE. Ele realizou a palestra de abertura, intitulada Educação em tempos de cultura digital, na noite da última quarta-feira e, na tarde desta quinta-feira, realizou uma formação para professores da Instituição, seguindo a mesma temática.

                     

Ele é o convidado do Encontro Casual, na Unijuí FM, neste sábado, dia 18 de novembro. Confira destaques da entrevista:

Sobre a palestra de abertura do CRICTE

“Minha fala se concentrou na importância de entendermos como a linguagem da cultura digital reflete na educação. A gente pensa sempre em tecnologias, novas ferramentas e aplicativos, mas a grande preocupação está na cultura digital, não na tecnologia e si, o que mudou na forma de nos relacionarmos? Estamos conectados na web, acreditamos estar conectados entre nós e não estamos, de fato. Na verdade, temos perfis conectados a nós, e essa pseudo conexão acaba nos desconectando. Temos hoje tecnologia, muito desenvolvimento tecnológico, no entanto, nunca houve um tempo em que se soube tão pouco sobre o homem, sobre a humanidade, e isso tem dificultado o trabalho do professor e aluno em sala de aula”.

Formação e escolha da área

“Na condição de jovem, tencionado pela escolha da profissão, tive algumas crises, não que eu não tinha clareza no que queria fazer. Eu sempre quis impactar as pessoas. E, a área que eu escolhi não foi previamente desenhada desde a infância. Acabei me apaixonado por antropologia, sociologia, as áreas que formam o professor, e fui me forjando professor. Isso tudo me levou a entender que meu trabalho poderia impactar pessoas, acredito que ser professor é desenvolver pessoas, não desistir delas. Acredito que todo professor precisa entender que, muitas vezes, os alunos vão ao encontro de, talvez, a única oportunidade de ver algo brilhante no dia”.

Sala de Aula

"Existe a diferença entre professor e “auleiro”. Professor é aquele que se responsabiliza pelo ato docente, em busca da garantia da aprendizagem. “Auleiro” é quem entrega informação e isso o Google substitui facilmente, mas jamais vai substituir um professor."

A entrevista completa você ouve neste sábado, às 10h, com reprise no domingo, às 23h. Confira na 106.9!

Currículo de Augusto Niche Teixeira: Doutor e Mestre em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da PUCRS. Consultor associado da BeFormless - Inovação Estratégica. Coordenador da Área de Educação & Cultura da Universidade LaSalle. Projetista de portfólio disruptivo do Senac-RS, Departamento Regional. Possui formação e experiência internacional Madrid e Barcelona (Espanha) certificação em Liderazgo del Siglo XXI: Capacitador-Líder Coach y En Red-Abierto (La Salle Business School Madrid) & Gestión de la Innovación y el Emprendimiento para la Competitividad Empresarial (Universitat Ramon Llull - La Salle Business School Barcelona). É pesquisador do Grupo de Estudos e Pesquisas do Mal e Bem-Estar na Docência, vinculado ao PPGEDU da PUCRS. Atuou como Coordenador de Pós-Graduação, Lato Sensu, no Senac-RS (mantenedora) - Criação dos Cursos. Trabalhou na Universidade LaSalle, como professor, vinculado à La Salle Business School & ao Pós-Graduação Lato Sensu. Atua na condição de professor nos Programas de Pós-Graduação Lato Sensu da La Salle Business School. Foi coordenador do Curso de Pedagogia da Universidade LaSalle. É Coordenador de Bolsa PIBID. É membro responsável pela formação continuada de docentes da Educação Superior da Universidade LaSalle. Coordenador dos Projetos da área de Educação & Cultura da Universidade LaSalle e Studio Pop Cult; LaSalle Didactiqué; LaSalle Magister. Coordenador da implementação do Projeto Google for Education na Universidade LaSalle. Coordenador do Projeto ENADE.


Cursos de Engenharia Civil e Elétrica participam de Workshop sobre Empreendedorismo, Inovação e Negócios

Estudantes do curso de Engenharia Civil e Elétrica participaram de workshop sobre Empreendedorismo, Inovação e Negócios na Criatec da UNIJUÍ Campus Santa Rosa. A atividade ocorreu na quinta-feira, dia 09, na disciplina de Administração Empreendedora, ministrada pelo professor Pedro Luís Büttenbender.

O Objetivo foi oportunizar o contato direto com o ambiente de empreendedorismo e inovação, mostrando aos acadêmicos a aplicação da teoria na prática, e estimulando a iniciativa ao empreendedorismo em diversas áreas.

Na oportunidade o Analista de Negócios da Criatec Santa Rosa, Lucas Escher, falou sobre a incubadora, sua atuação no empreendedorismo, sobre os processos para empreender e incubar, a trajetória da incubadora no campus, além das empresas incubadas, graduadas e os projetos futuros.

Após as empreendedoras da Empresa Simbiozy, Tanise Argilar e Patrícia Schorr contaram sobre a experiência de empreender, de como surgiu a ideia, a oportunidade de criar a empresa, e como a incubadora foi fundamental no surgimento de empreendimentos voltados a inovação e tecnologia, nas áreas de atuação da universidade.

Na sequência os alunos acompanhados do professor Pedro, visitaram as instalações da incubadora, tiveram a oportunidade de conhecer as outras empresas incubadas e trocar informações com os empreendedores.

 


Unijuí recebe programação do CRICTE

A Unijuí recebe no mês de novembro a programação do XXVIII Congresso Regional de Iniciação Científica e Tecnológica em Engenharia – CRICTE, COMUNGTEC, TECH DAY e da Feira de Protótipos. O evento acontece nos dias 15, 16 e 17 de novembro.

Pela terceira vez, o CRICTE será realizado em Ijuí. O evento que existe desde 1985 tem o objetivo de dar oportunidade aos estudantes do Sul do Brasil e países vizinhos e abrange todas as áreas da Inovação e Tecnologia da Engenharia dos Estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná.

As inscrições para o evento podem ser feitas no link do CRICTE no Portal da Unijuí. Em Santa Rosa o TechDay acontece dia 19 de novembro. Toda a programação faz parte da Semana Acadêmica do DCEEng. Outras informações pelo cricte2017@hotmail.com ou atendimento.dceeng@unijui.edu.br.

Confira a programação:


Unijuí vai realizar o 10º Seminário Internacional de Alfabetização



Durante quatro dias especialistas nacionais e internacionais vão abordar sobre o processo de alfabetização e os seus diferentes desafios no X Seminário Internacional da Alfabetização. O evento, promovido pelo Curso de Pedagogia, será realizado no Salão de Atos Argemiro Jacob Brum, entre os dias 20 e 23 de novembro.

O Seminário tem o objetivo de debater as dimensões políticas e interdisciplinar da alfabetização, na perspectiva de produzir propostas pautadas na lógica dos sujeitos e que contribuam na formação de cidadãos usuários e promotores de conhecimento.

Relacionado ao seminário, acontece o Evento Científico, que pretende publicitar trabalhos reflexivos de experiência pedagógica e de pesquisas na área da educação escolar e não escolar. As inscrições para o evento podem ser feitas até o dia 05 de novembro pelo Portal da Unijuí

Confira a Programação do evento