COMUNICA

PORTAL DE NOTÍCIAS DA UNIJUÍ

A Vice-Reitoria de Graduação da Unijuí realizou formação sobre Metodologias de Ensino

 
 

 

Na manhã do dia 14 de fevereiro, a Vice-Reitoria de Graduação da Unijuí promoveu uma sensibilização aos docentes da Instituição sobre o Uso de  Metodologias Ativas para o Ensino ministrada pelo professor e pesquisador Gustavo Hoffman do Grupo “A Educação”.

De acordo com o pesquisador, as Instituições de Ensino ainda têm um caminho para percorrer para a mudança efetiva do perfil de sala de aula contemporâneo. “Temos alunos do século 21 estudando em espaços do século 20, com metodologias de ensino do século 19. Mais do que uma mudança metodológica, é necessária uma mudança cultural. O ser humano tende a ser resistente, o novo pode ser algo que traga desconforto. O que falta é iniciativa”, pondera o professor Gustavo.

Segundo ele, “O modelo de ensino, a sala de aula tradicional, com aulas predominantemente expositivas, tende a não prevalecer mais. Existem métodos que funcionam melhor, como as metodologias ativas, onde o estudante é protagonista do processo de aprendizagem. Quando a gente traz algum problema para ser discutido em sala de aula, ou seja, o mundo real, a aprendizagem passa a ser mais significativa. A proposta é utilizar a sala de aula não para expor conteúdo apenas, mas também para a aplicação dessas metodologias ativas”, avalia Gustavo.

O cenário continua sendo a sala de aula. Porém, o professor, ao invés de expor o conteúdo, atua como um mediador e orientador na discussão de problemas relacionados ao conteúdo e a realidade. Esse perfil de sala de aula é um exemplo de como funcionam as metodologias ativas apontadas como tendência na educação contemporânea.

Hoffmann desenvolveu, em 2016 em Harvard, uma das maiores pesquisas da América Latina, comparando a sala de aula tradicional com este novo modelo, medindo três elementos: aprendizagem dos estudantes, satisfação dos estudantes e satisfação dos professores. “Comparando com o modelo tradicional, os estudantes submetidos a metodologias ativas aprendem, em média, 16% mais. Existem vários outros estudos que estão sendo desenvolvidos pelo mundo que apontam essa tendência. É a hora de a gente mudar”, observa.

A professora Cristina Pozzobon - Vice Reitora de Graduação aponta que este é um dos focos do Programa de Formação Continuada da Unijuí que busca A discussão do fazer docente utilizando metodologias ativas como meios de desenvolver as competências e habilidades do perfil do egresso da nossa Universidade.




Compartilhe!