COMUNICA

PORTAL DE NOTÍCIAS DA UNIJUÍ

Unijuí integra eventos sobre conservação de espécies de abelhas polinizadoras

A Unijuí, engajada na preservação ambiental, vai integrar a realização de atividades voltadas ao debate sobre o desenvolvimento de estratégias de valorização e conservação de espécies de abelhas polinizadoras nativas do RS.

No dia 26 de abril, o Salão de Atos Argemiro Jacob Brum, no Campus Ijuí, recebe a palestra “Abelhas e Polinização: Perda de Biodiversidade no RS”, às 19h30. O evento tem vagas limitadas e as inscrições podem ser feitas pelo endereço eletrônico: https://goo.gl/forms/aMbgvP4R63Sl0cl12

       

A atividade será ministrada pelo engenheiro agrônomo e pesquisador da Embrapa - Unidade Clima Temperado (Pelotas), Luis Fernando Wolff, Doutor em Recursos Naturais e Gestão Sustentável, com ênfase em Agroecologia pela UCO/Espanha, e Mestre em Fitotecnia, ênfase em Entomologia e Toxicologia de agrotóxicos, pela UFRGS.

A iniciativa é do Poder Executivo de Ijuí e Embrapa,  com copromoção da Associação de Apicultores de Ijuí, Associação dos Engenheiros Agrônomos de Ijuí – APAJU, Associação Ijuiense de Proteção ao Ambiente Natural – AIPAN, Colégio Estadual Modelo, Escritórios Municipal e Regional da EMATER, Fórum da Agenda 21 de Ijuí, Grupo Bandeirantes do Verde, Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Ijuí, Sindicato Rural de Ijuí, Unijuí, através dos cursos de: Agronomia, Ciências Biológicas e Medicina Veterinária.

Conta com o apoio da E.E. Guilherme Clemente Koehler, E.E.M. Casa Familiar Rural Três Vendas, Grupo de Escoteiros Ijuí, Grupo de Escoteiros Farrapos Carijó, Grupo de Trabalho Macrorregional sobre Agrotóxicos, Comitê Municipal sobre Agrotóxicos, Secretaria Municipal de Desenvolvimento Rural e Secretaria Municipal de Educação.

Importância das abelhas

O processo de polinização é um serviço ecossistêmico fundamental para a reprodução de diversas espécies vegetais e a polinização feita pelas abelhas tem relação direta com a produção de 75% dos sistemas de cultivos do mundo, responsáveis por produzir especialmente frutos e sementes que integram a alimentação humana. No entanto, estes serviços ambientais estão sendo comprometidos em função do desaparecimento de diversas colônias de abelhas em todo mundo, trazendo prejuízos não só para a natureza, como também meliponicultores, apicultores e agricultores, em função da redução significativa nos índices de produção de alimentos.

A região Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul também vem sofrendo a perda de colônias de abelhas da espécie Apis mellifera e também de espécies nativas do RS, de abelhas sem ferrão (Meliponíneos), conhecidas como Jataí, Mirim, Tubuna, entre outras.

A morte destes insetos tem sido objeto de pesquisas que indicam diversos fatores como causadores deste evento, como práticas agropecuárias inadequadas (agrotóxicos, desmatamento, etc.), uso e ocupação desordenada do espaço rural e urbano. Este conjunto de fatores está fragilizando, entre outros aspectos, a alimentação dos animais seja por intoxicação e/ou ausência de alimentos adequados, fato que vem comprometendo a qualidade da saúde dos animais, tornando-os mais suscetíveis a contaminações e doenças que vêm levando à morte de colmeias inteiras.

Fonte: com informações da Prefeitura de Ijuí.

Foto: Ilustrativa


Compartilhe!