Destaques do Comunic@

A 13ª edição do Pedalando, Patinando e Caminhando e o 10° Vencendo o Diabetes acontecem neste sábado, 26 de agosto, a partir das 14h30 em frente à Escola Estadual de Ensino Fundamental Rui Barbosa (Ruizinho). O tradicional evento consiste em um passeio pelas ruas do centro da cidade, percorrido a pé, de bicicleta, skate, patins, patinete ou qualquer outro meio não motorizado, tendo como objetivo estimular a prática saudável de atividades físicas, conscientizar a população sobre a prevenção e tratamento do diabetes, e também busca despertar atitudes solidárias.                       Durante o evento haverá apresentações artísticas com o Grupo de Dança Lustige Tiroler do Centro Cultural Austríaco de Ijuí e Dança Urbana com os bailarinos solistas do Studio Alessandra Azambuja. Haverá também venda de lanches, disponibilização de erva mate e água quente para chimarrão, além da verificação de índice glicêmico e orientações de saúde. O evento conta ainda com o sorteio de prêmios, dentre eles um Micro System doado pelo Ponto do Diabético, e uma bicicleta doada pelo JK Bicicletas e Fitness, que estará marcando presença no local com oficina de pequenos reparos para bicicletas. As inscrições podem ser realizadas no dia/local do evento até às 14h30, ou antecipadamente no Núcleo de Eventos do Curso de Educação Física e nas escolas credenciadas mediante a doação de um quilo de alimento não perecível que será destinado a instituições assistenciais do município. O evento é uma promoção do Curso de Educação Física da Unijuí, organizado e executado pelo seu Núcleo de Eventos, Escola de Ensino Fundamental Rui Barbosa (Ruizinho), Associação dos Diabéticos de Ijuí e Região (ADIR) e Ponto do Diabético tendo como apoiadores JK Bicicletas e Fitness, Sicredi, Parceiros Voluntários Ijuí, Ervateira Seiva Pura, Unimed e Prefeitura Municipal de Ijuí. Mais informações através do e-mail eventosedf@unijui.edu.br, fanpage Núcleo de Eventos EDF ou pelo telefone 3332-0210.


A 13ª edição do Pedalando, Patinando e Caminhando e o 10° Vencendo o Diabetes acontecem neste sábado, 26 de agosto, a partir das 14h30 em frente à Escola Estadual de Ensino Fundamental Rui Barbosa (Ruizinho). O tradicional evento consiste em um passeio pelas ruas do centro da cidade, percorrido a pé, de bicicleta, skate, patins, patinete ou qualquer outro meio não motorizado, tendo como objetivo estimular a prática saudável de atividades físicas, conscientizar a população sobre a prevenção e tratamento do diabetes, e também busca despertar atitudes solidárias.                       Durante o evento haverá apresentações artísticas com o Grupo de Dança Lustige Tiroler do Centro Cultural Austríaco de Ijuí e Dança Urbana com os bailarinos solistas do Studio Alessandra Azambuja. Haverá também venda de lanches, disponibilização de erva mate e água quente para chimarrão, além da verificação de índice glicêmico e orientações de saúde. O evento conta ainda com o sorteio de prêmios, dentre eles um Micro System doado pelo Ponto do Diabético, e uma bicicleta doada pelo JK Bicicletas e Fitness, que estará marcando presença no local com oficina de pequenos reparos para bicicletas. As inscrições podem ser realizadas no dia/local do evento até às 14h30, ou antecipadamente no Núcleo de Eventos do Curso de Educação Física e nas escolas credenciadas mediante a doação de um quilo de alimento não perecível que será destinado a instituições assistenciais do município. O evento é uma promoção do Curso de Educação Física da Unijuí, organizado e executado pelo seu Núcleo de Eventos, Escola de Ensino Fundamental Rui Barbosa (Ruizinho), Associação dos Diabéticos de Ijuí e Região (ADIR) e Ponto do Diabético tendo como apoiadores JK Bicicletas e Fitness, Sicredi, Parceiros Voluntários Ijuí, Ervateira Seiva Pura, Unimed e Prefeitura Municipal de Ijuí. Mais informações através do e-mail eventosedf@unijui.edu.br, fanpage Núcleo de Eventos EDF ou pelo telefone 3332-0210.


O Curso de Nutrição da Unijuí junto com a Secretaria Municipal de Educação de Santo Augusto inicia, nos próximos dias, a pesquisa “Avaliação do Estado Nutricional, Consumo Alimentar e Atividade Física de Escolares da rede municipal de ensino”. A pesquisa envolve os trabalhos de Conclusão do Curso de Nutrição das estudantes Bruna Bohn, Claires Koop e Taís Siqueira. A investigação pretende contribuir com a identificação do estado de saúde e detecção dos possíveis riscos nutricionais que se apresentam na população escolar. Serão avaliados aproximadamente 1550 estudantes, de ambos os sexos, que frequentam a educação infantil, pré-escola e ensino fundamental do meio urbano e rural do município. Participam ainda da equipe de pesquisa as professoras Ligia Beatriz Bento Franz e Maristela Borin Busnello, Nutricionistas e Orientadoras da Pesquisa e a Nutricionista responsável pela Alimentação Escolar do município de Santo Augusto Taize Andréia Rodrigues. A primeira reunião de trabalho ocorreu em 17 de agosto, quando as pesquisadoras estiveram reunidas na sala da Ana Paula da Rosa Reis, Secretária Municipal de Educação e Cultura, para as tratativas iniciais da pesquisa de campo.


Durante esta semana, os cursos de Jornalismo e Publicidade e Propaganda da Unijuí realizam Semana Acadêmica com o objetivo integrar os estudantes e professores dos cursos, promover a troca de experiências e conhecimento entre profissionais atuantes no mercado e estudantes de cada área da Comunicação. A primeira noite de evento, realizada na segunda-feira, dia 21, contou com a presença do egresso do curso de Publicidade e Propaganda da Unijuí, Rafael Meinecke, que falou sobre Planejamento e Gestão em Mídias Sociais. A palestra teve como mediadora a coordenadora dos cursos de Jornalismo e Publicidade e Propaganda Rúbia Schwanke.                           Segundo Rafael uma boa gestão de mídias sociais inicia com a migração da empresa para a mídia correta. No entanto, para que isso aconteça, é necessário que a empresa conheça seu público e onde ele está. “Construir relacionamentos fortes e significativos é um grande benefício oferecido pelas mídias sociais, mas isso só se dá a partir de uma gestão qualificada das mídias realizada pelo profissional (ou profissionais) de social media”, destaca. A programação teve continuidade na noite desta terça-feira, com a palestra sobre “Jornalismo e as novas narrativas: o caso Mídias Ninja”, realizada pela jornalista Eloisa Klein, também egressa da Universidade, atualmente professora na Unipampa, em São Borja. Já a terceira noite, na quarta-feira, 23 de agosto, será de oficinas com o “Workshop: Criação de marca e portfólios”, com Tiago Oliveira, designer e diretor de criação na empresa GH Branding e Gustavo Hansel, designer, empreendedor e CEO da Gh Branding e ainda “Mesa Redonda: Jornalismo Esportivo no Interior”, com a jornalista Maria Angélica Varaschini, o jornalista Thomás Silvestre e o radialista Alex Frantz. O dia 24 de agosto, quinta-feira, será uma noite comemorativa aos 20 anos da Agência Experimental Usina de Ideias, com apresentação do vídeo institucional produzido pelos alunos, bem como uma palestra sobre “Vinte anos de Usina de Ideias: desafio e importância do exercício da Comunicação Integrada”, com Anderson Zarth, publicitário na Unimed e “Mesa redonda com egressos e ex-estagiários da Agência Experimental Usina de Ideias”. E, encerrando a semana, na sexta-feira, 25 de agosto, acontece a premiação dos trabalhos vencedores do Festicom.


Instrumento de gestão prevê remuneração para quem cumpre além das normas exigidas por lei                 O Brasil vive hoje momentos de crise legislativa, institucional e ambiental apontando para o retrocesso de boa parte das leis ambientais, para o enfraquecimento das instituições estatais e para a falta de efetividade dos instrumentos de gestão ambiental. Frente a este cenário, a UNIJUÍ e Rádio UNIJUÍ FM promovem nesta quinta-feira, 24 de agosto, palestra que tem como tema o Pagamento por Serviços Ambientais, instrumento econômico de tutela ambiental que tem como objetivo induzir bons comportamentos. O promotor de Justiça do Estado do Rio Grande do Sul e coordenador do Centro de Apoio Operacional de Defesa do Meio Ambiente, Dr. Daniel Martini, explica que o Estado, enquanto Poder Público, realiza a proteção do meio ambiente através de instrumentos chamados de comando e controle, isto é, lei e pena. Porém, ao se tornar ineficaz no cumprimento das leis e na aplicação das penalidades, o Estado passa a trabalhar com os chamados instrumentos econômicos de tutela ambiental. “O Estado passa a premiar aqueles comportamentos que são socialmente benéficos e desejados em prol do meio ambiente”, explica o promotor, que é um dos palestrantes da noite. Na prática, se um proprietário rural opta por manter em pé uma floresta que podia suprimir para silvicultura ou plantio de soja, por exemplo, o que resulta na manutenção dos serviços ecossistêmicos, oxigênio, reprodução de animais, água de melhor qualidade, entre outros fatores, pode ser aplicado a ele o instrumento ambiental em questão, conforme explica Martini. “Ele pode vir a ser beneficiário de uma remuneração por esse serviço ambiental que ele presta a toda coletividade. Essa é a logica do instrumento econômico, do pagamento por serviços ambientais e são essas questões que quero provocar à comunidade para discutir”, convida. Além do Dr. Daniel Martini, também aborda a mesma temática a professora do DCVida/Unijuí e presidente da Aipan, Francesca Werner Ferreira. Na mesma noite serão realizados relatos de projetos com a temática ambiental em que participam a Unijuí, Unimed Noroeste RS, Medianeira Transporte e a ONG Bandeirantes do Verde. Será no Salão de Atos, a partir das 19h.  Ouça a entrevista na íntegra com o Dr. Daniel Martini sobre o tema: Relatos de projetos: 1) Unijuí: A coleta seletiva nos espaços institucionais. Com: João Lucas Pereira dos Santos, graduado em Ciências Contábeis, pós-graduado em Contabilidade Gerencial, com MBA em Gestão Financeira, Controladoria e


Na correria do dia a dia não prestamos atenção às diversidades a nossa volta. Vivemos no caos da rotina e poucas vezes paramos para pensar no que a nossa cidade nos proporciona, contribuindo para o nosso bem-estar. O projeto de Pesquisa “Direito à Cidade Sustentável”, coordenado pela professora Elenise Felzke Schonardie, tem como principal objetivo investigar as funções da cidade para a efetivação dos Direitos Humanos.  De acordo com a coordenadora, o projeto já está no final. A pesquisa é basicamente teórica e a coleta de dados se dá em fontes indiretas. Para chegar aos resultados, a pesquisa abordou, primeiramente, em materiais, os aspectos teóricos sobre a cidade: como se deu a sua formação, teorias a respeito e o que é o direito à cidade hoje, no contexto brasileiro. “A partir desses dados procuramos olhar o local, pensando de que maneira as pessoas podem perceber a cidade, não como algo cansativo e tumultuado, mas sim como um local onde desenvolvem suas vidas buscando nele uma melhor qualidade de vida sem pensar em uma mudança territorial”, destaca.                        O acesso à moradia é uma das funções da cidade. Então, em um segundo momento, a pesquisa focou neste ponto. “Escolhemos a faixa de financiamento do programa Nacional “Minha Casa, Minha Vida”, prevista para a população economicamente carente”.  Os pesquisadores procuraram informações junto à Secretaria Municipal de Habitação e também na Agência Financiadora Federal, para saber quantos projetos foram desenvolvidos para esse público e quantas pessoas puderam ser alocadas, ou estão em vias de alocação, dentro do território de Ijuí. “Acredito que podemos ter dados surpreendentes a respeito dessa questão. Se existir esse déficit habitacional na região, ele foi suprido ou não? Ainda falta moradia para a população de baixa renda? Precisamos ainda desenvolver infraestrutura urbana nos bairros da cidade?”, questiona a professora. Após finalização do texto conclusivo da pesquisa, será feita sua publicação, porém, segundo Elenise, algumas constatações parciais já podem ser apontadas. Existe uma quantidade muito grande de indivíduos no meio urbano, não só em grandes cidades, mas também nas cidades de porte médio, como Ijuí.  “Observamos uma acentuação nos últimos tempos da migração campo – cidade, e de municípios pequenos para cidades de porte médio ou regiões metropolitanas” frisa a professora. Conforme ela, acredita-se que essa busca pelo espaço urbano se dá, em um primeiro momento, pela falta de condições de sobrevivência no campo. Visto que, na


1

Baixe o aplicativo Unijuí FM

Fale conosco

Ícone Whatsapp 55 99131 5487
Ícone Skype radio@unijui.edu.br