COMUNICA

PORTAL DE NOTÍCIAS DA UNIJUÍ

Engenharia Mecânica (Bacharelado)

Engenharia Mecânica na Unijuí: formação prática e integrada na formação de profissionais inovadores

O curso de Engenharia Mecânica da Unijuí, presente nos campi de Panambi e Santa Rosa, está com um novo formato. Com o currículo proposto pela Graduação Mais, o acadêmico assume o protagonismo de seu aprendizado por meio do desenvolvimento de competências e habilidades específicas para o mercado profissional. Além disso, a presença de Projetos Integradores e disciplinas de Formação Pessoal e Profissional é mais uma ferramenta integradora entre o estudante, a teoria e a prática.

Os Projetos Integradores possibilitam ao estudante a inserção na realidade da comunidade regional, atendendo às necessidades apresentadas por ela. “A realização de Projetos Integradores desde o primeiro módulo permite ao estudante aplicar os conhecimentos adquiridos durante a formação, em propostas de soluções para os desafios apresentados pela comunidade”, explica a coordenadora do curso de Engenharia Mecânica nos dois campi, professora Patricia Carolina Pedrali. 

A formação em Engenharia Mecânica na Unijuí prepara profissionais para a atuação no setor industrial, público e privado, em setores de projetos, planejamento e de manufatura em indústrias do segmento metal mecânico e automobilístico, além de empresas de consultoria na área de engenharia. “O futuro engenheiro mecânico será capacitado para elaborar projetos de desenvolvimento de produtos, automação de sistemas, produção e manufaturas de produtos de indústrias mecânicas, realização de simulações numéricas e experimentação de protótipos, estudo de materiais, supervisão e administração dos processos de fabricação, montagem e manutenção e atuando em indústrias e no gerenciamento de sistemas de qualidade”, completa a coordenadora.

 Com um formato mais prático e integrado, o acadêmico tem a sua disposição diversos laboratórios para o desenvolvimento de habilidades. Além disso, devido a um núcleo integrado de componentes curriculares, o estudante passa por um processo de interdisciplinaridade. 

Para saber mais sobre o curso de Engenharia Mecânica acesso o link

Por Krislaine Baiotto, acadêmica do curso de Jornalismo da Unijuí


TCC analisa os efeitos da aplicação da Lean Manufacturing no setor de manutenção industrial

O Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) do acadêmico de Engenharia Mecânica da Unijuí, Tiago Ferreira Marques, foi escolhido a partir da sua identificação com a temática, já que atuou 13 anos na área de manutenção como técnico eletromecânico e com PCM  - Planejamento e Controle de Manutenção. A pesquisa, intitulada “Efeitos da Aplicação do Lean Manufacturing no setor de manutenção industrial”, foi orientada pelo professor Felipe Tusset. 

Segundo Tiago, atualmente há uma tendência em se demonstrar a importância estratégica deste setor dentro das indústrias, eliminando a visão de ser um ‘mal necessário’ e utilizado somente na quebra de equipamentos, passando a ser fundamental para garantir a maior confiabilidade de ativos, o que, consequentemente, garante maior disponibilidade dos equipamentos ao processo, garantindo assim maior valor agregado ao negócio. “Dentro desta temática, verifiquei que a Metodologia Lean, quando aplicada ao setor de manutenção, garante uma redução de desperdícios de recursos e mão de obra na aplicação da manutenção, o que garante maior eficiência e melhores resultados”, explica.

O principal objetivo do trabalho é demonstrar a importância de ser estabelecida uma posição de protagonismo do Setor de Manutenção Industrial para melhoria dos resultados de qualquer companhia, desmistificando a imagem da manutenção como necessária somente para “consertar quando estraga”. Para atingir este objetivo principal, foram definidas como principais metas do projeto a melhoria dos resultados de indicadores como Disponibilidade, MTTR (Mean Time To Repair), MTBF (Mean Time Between Failures) e Quantidade de Paradas de Máquinas, além da redução dos custos de Downtime na produção, agregando valor ao produto. Mas além dos ganhos, o projeto visou atingir uma mudança de cultura entre operadores e manutentores, de forma a melhorar a sintonia de trabalho com o início da implementação da manutenção autônoma, gerando melhores resultados através da maior sintonia entre os processos.

O ponto de maior destaque do meu trabalho é a inovação do tema, pois, de forma geral, é comum a aplicação da metodologia Lean Manufacturing em áreas de produção, logística, entre outras que possuem atividades baseadas em rotinas de trabalho. Porém, a aplicação em setores em que as atividades não são rotineiras, como a manutenção, ainda é um desafio. Dentro deste contexto, vejo que o trabalho apresentou uma riqueza de detalhes nas etapas de coleta de dados, elaboração do mapa de fluxo, desenvolvimento do Relatório A3 e desenvolvimento das ações, que possibilitaram evidenciar os ganhos obtidos na análise de resultados, demonstrando que realmente obteve-se resultado positivo com o projeto”, ressaltou.

A base de informações para este projeto partiu de pesquisas bibliográficas, tendo como destaque o livro Manutenção Lean, de João Paulo Pinto, que retrata os passos necessários para implementação da metodologia Lean no Setor de Manutenção Industrial. “Também foram realizadas pesquisas em sites de Empresas de Consultoria voltadas à área, onde foram observados cases de sucesso e também foram utilizadas informações de treinamentos que realizei como Lean Six Sigma Black Belt, WCM (World Class Maintenance), RCM (Reliability Centered Maintenance), entre outros”, disse.

Com a conclusão do curso, o acadêmico quer se especializar na área de Manutenção. “Buscarei uma pós em Engenharia de Manutenção, Engenharia de Confiabilidade ou Gestão de Manutenção Industrial, pois percebo que estas áreas apresentam um grande desenvolvimento e ainda necessitam de mais profissionais especializados, que possuam um conhecimento específico de conceitos de gestão de ativos e manutenção industrial. Aliado a isto, pretendo sempre buscar mais conhecimento em temas como Lean Manufacturing, Indústria 4.0 e metodologias de gestão de projetos”, finalizou.

Por Evelin Ramos, bolsista de Popularização da Ciência da Unijuí


Estudante projeta inovações ao setor automotivo

Acadêmico do curso de Engenharia Mecânica da Unijuí, Edmilton Stein decidiu se desafiar na produção do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) e optou por um tema aplicável à indústria automotiva, uma das mais desenvolvidas do País. Ele trabalhou no “Dimensionamento de um sistema de transmissão de potência para um veículo de competição Baja SAE”. Baja é um veículo off-road, projetado de acordo com as regras e especificações da Sociedade de Engenheiros de Mobilidade (SAE).

A ideia do projeto surgiu em virtude de eu ter feito parte da equipe Baja SAE durante um período da minha graduação. Foi quando identifiquei a necessidade de uma maior faixa de velocidades para o veículo”, explicou o jovem que, por meio da sua pesquisa, buscou dimensionar e projetar uma caixa de transmissão de múltiplas velocidades para um veículo off-road, adequada, segura e compatível com as normas vigentes da competição do programa universitário Baja SAE, visando seu melhor desempenho.

“A principal característica do projeto é que os componentes podem ser fabricados por métodos convencionais. Dessa forma, tornando possível sua manufatura dentro da própria universidade e empresas da região. Também é válido salientar que transmissões de potência por engrenagens apresentam uma alta eficiência e fácil manutenção”, explica Edmilton, reforçando que, como o dimensionamento foi realizado utilizando métodos convencionais e análise numérica, foi possível concluir que o projeto possui boa confiabilidade.

Para produção do TCC, o acadêmico procurou assistir a programas e ler materiais relacionados ao automobilismo, que pudessem estimular a sua criatividade.

Com o curso concluído, Edmilton quer continuar se aperfeiçoando na área de projetos de sistemas mecânicos, para que possa contribuir com o desenvolvimento de produtos mais eficientes e competitivos. “O que levará a um uso consciente da matéria-prima, alavancando a indústria e a economia regional e nacional”, completou.




Formação de Engenheiros 4.0 foi tema de palestra no Campus Panambi

                

Na noite desta quarta-feira, dia 11 de setembro, o Campus Panambi recebeu a palestra "Formação de Engenheiros 4.0 hoje: uma Visão Brasil-Alemanha" com Johannes Klingber, diretor-executivo da Associação de Engenheiros Brasil-Alemanha (VDI-Brasil).

Os estudantes do curso de Engenharia Mecânica, egressos e a comunidade externa presentes no evento, puderam compreender o significado e a importância do conceito de Industria 4.0 por meio do relato da experiência alemã, além das expectativas do país em relação à formação dos profissionais de engenharia neste contexto. O evento foi organizado pela SAUR e pelo curso de Engenharia Mecânica.

 

Sobre o curso de Engenharia Mecânica

Prepara o profissional para elaborar projetos de desenvolvimento de produtos, automação de sistemas, produção e manufatura de máquinas, equipamentos, instalações, veículos e outros produtos das indústrias mecânicas. Além disso, você é capacitado para realizar simulação numérica e experimentação de protótipos, estudo dos materiais empregados na construção de máquinas e equipamentos, supervisão e administração dos processos de fabricação, montagem e manutenção, atuação em indústrias e incubadoras de base tecnológica, administração da produção e gerenciamento de sistemas da qualidade.


Unijuí proporciona integração entre cursos de Engenharia Mecânica

“A integração entre os cursos mostra que a Engenharia é capaz de criar muito mais a partir dos conhecimentos multidisciplinares”, destaca coordenador das Engenharias do Campus Santa Rosa.

Hoje é comemorado o Dia do Engenheiro Mecânico, segundo o calendário de datas comemorativas do Sistema Confea - Conselho Federal de Engenharia e Agronomia. O dia 05 de junho refere-se ao nascimento do industrial Delmiro Gouveia (1863-1917), considerado um pioneiro da interiorização do desenvolvimento do País. Ele instalou a primeira fábrica de linhas de costura do Brasil e construiu a segunda hidrelétrica brasileira, a de Paulo Afonso, entre Alagoas e Bahia.

Para celebrar a data, os estudantes dos cursos de Engenharia Mecânica e de Produção da Unijuí Campus Santa Rosa realizaram uma integração com os acadêmicos do Campus Panambi. A atividade teve como finalidade realizar uma visita técnica ao Campus Panambi para integrar as equipes de Baja e os cursos dos campi. A visita foi acompanhada pela coordenadora da Engenharia Mecânica de Panambi, Patrícia Carolina Pedrali, e pelo laboratorista, Rafael Tavares.

De acordo com o coordenador dos cursos de Engenharias, professor Mauro Fonseca Rodrigues, o curso de Engenharia Mecânica de Santa Rosa trabalha com um projeto pedagógico diferenciado, focado na realização de projetos que interligam as áreas de conhecimento da formação em Engenharia. “Nesse caso, foi possível acompanhar o andamento do Baja em Panambi, o modelo a ser seguido por Santa Rosa. Além disso, vislumbrar as perspectivas do Curso. A integração entre os cursos mostra que a Engenharia é capaz de criar muito mais a partir dos conhecimentos multidisciplinares”, destaca Mauro.





Egressos de Engenharia Mecânica têm excelente classificação em programas de mestrado no país

                 

Os egressos do curso de Engenharia Mecânica da UNIJUÍ - Campus Panambi, Mônica Raquel Alves e Igor Andrei de Almeida Kirchner, obtiveram excelente classificação nos Programas de Pós-Graduação em Engenharia Mecânica da UFSC e da UFGRS, respectivamente, sendo selecionados com bolsa de dedicação exclusiva para o início de 2019. Ambos os programas de mestrado possuem nota 6 (excelência internacional) na CAPES/MEC.

Mônica Raquel Alves se formará em março/2019 e está classificada em 1° lugar na linha de pesquisa de Projeto de Sistemas Mecânicos do Mestrado em Engenharia Mecânica da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Mônica Raquel Alves foi bolsista de iniciação científica (PROBIC/FAPERGS) durante a graduação por três anos nos projetos “Pesquisa em Mecatrônica Orientada Aos Desafios da Sociedade” (2015-2016) e “Construção, Modelagem e Controle de Um Robô Acionado Pneumaticamente para Aplicação Industrial” (2016-2017, 2017-2018), ambos realizados no Núcleo de Inovação em Máquinas Automáticas e Servo Sistemas (NIMASS) da UNIJUÍ - Campus Panambi, sob a orientação do professor Dr. Antonio Carlos Valdiero.

Para Mônica, a dedicação aos estudos, bem como o desenvolvimento de projetos de iniciação científica durante três anos de graduação, participação em congressos e publicações de artigos científicos foram pontos importantes para a sua aprovação no mestrado. “Destaco, ainda, o meu reconhecimento ao curso de Engenharia Mecânica e a Universidade pelas oportunidades e infraestrutura disponibilizada para a realização de pesquisas que enriqueceram a minha formação, juntamente com os conhecimentos transmitidos pelos professores do curso e, principalmente, pela contribuição e ensinamentos repassados pelo meu orientador de graduação e pesquisa de iniciação científica”.

Igor Andrei de Almeida Kirchner é engenheiro mecânico, egresso da UNIJUÍ, formado na turma de 2018, e foi classificado em 4º. Lugar na área de concentração de Mecânica dos Sólidos, selecionado com bolsa de dedicação exclusiva, no Programa de Pós-Graduação em Engenharia Mecânica da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Ele realizou o Trabalho de Conclusão de Curso sob de título: Análise da aplicação de ferramentas do lean manufacturing em um terminal de distribuição de combustíveis, sob a orientação do professor mestre Felipe Tusset.