COMUNICA

PORTAL DE NOTÍCIAS DA UNIJUÍ

Serviço Social (Bacharelado)

Professora da UNIJUÍ participa de Conferência em Estocolmo

 

A professora do curso de Serviço Social da UNIJUÍ, Lislei Teresinha Preuss, participou e apresentou trabalho na Conferência Mundial de Serviço Social, em Estocolmo, na Suécia.

O trabalho apresentado deriva de um recorte da tese de doutoramento realizado na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul / PUCRS. A apresentação foi oral. O evento foi realizado no mês passado.

As plenárias e os simpósios abordaram temáticas atuais que perpassam o universo profissional: políticas sociais, terceiro setor, direitos humanos e igualdade/equidade social, transformação social global e ação social, o direito à saúde e igualdade/equidade social, perspectivas sobre crianças em risco, envelhecimento ativo, mudanças ambientais e desenvolvimento social sustentável. “Destaco a relevância das discussões voltadas à proteção social e ao projeto de Estado de Bem-Estar social na atualidade, o impacto da globalização, as características atuais do mercado laboral (flexibilização, informalidade, dificuldade de acesso e o desmantelamento da proteção social). Tais questões têm repercussões para o trabalhador social (assistente social). Discutiram-se as possibilidades e desafios à profissão neste cenário”, conta Lislei.

Participaram da conferência pesquisadores de diferentes países, compartilhando suas experiências, suas produções e estudos, possibilitando, uma maior aproximação e reflexões acerca do objeto de intervenção e o exercício profissional. Aproximadamente 2400 pessoas - profissionais/ trabalhadores sociais, pesquisadores e estudantes, oriundos de 110 países que discutiram sobre o desenvolvimento social, temática da Conferência. Do Brasil, participaram 190 pessoas. “Esta diversidade possibilitou uma convivência e interação entre diferentes culturas, o conhecimento acerca das manifestações da questão social, que é objeto de intervenção profissional, e o exercício profissional”, ressalta.

A professora contou com auxílio financeiro da CAPES para participação do evento, através do Programa de Apoio a Eventos no Exterior – PAEX.


Leia mais...

Viagem de estudos

 

Conhecer o trabalho do assistente social na prática foi o principal objetivo da viagem de estudos dos acadêmicos do curso de Serviço Social a Porto Alegre, no Instituto Federal de Ciência e Tecnologia do Estado.

Os estudantes também conheceram os programas e serviços da Secretaria de Assistência Estudantil (SAE) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

A coordenadora do curso de Serviço Social, Solange Silva, afirma que a intenção é de ampliar os conhecimentos sobre as oportunidades de inserção profissional. “Participaram da viagem alunos do 3º, 5º e 7º semestres do curso, como forma de conhecimento sobre as oportunidades de atuação profissional em diferentes áreas”.

O grupo também participou da programação do 6º Encontro Gaúcho de Assistentes Sociais, na Assembléia Legislativa, que teve como tema “Educação não é mercadoria”, com painéis sobre o contexto da educação brasileira e as implicações na formação profissional na graduação e pós-graduação. “O Encontro de Assistentes Sociais no Estado ocorre anualmente e é um espaço que sistematiza discussões que vem sendo pauta em âmbito Nacional. Considero indispensável a participação de professores, estudantes e profissionais para acompanhar as discussões e fortalecer o debate sobre o Serviço Social na Universidade e na região”, avalia Solange.


Leia mais...

Pesquisa

Pesquisa do Serviço Social investiga a Adoção Internacional

A adoção internacional como alternativa para inserção de crianças e adolescentes em família substituta e o papel do assistente social neste processo foi o tema escolhido pela acadêmica Natália Sebastiany, do Curso de Serviço Social da UNIJUÍ, para seu Trabalho de Conclusão de Curso.

Para a realização do trabalho, intitulado “Adoção Internacional e Serviço Social”, Natália fez um resgate histórico do instituto da adoção, assim como de seus procedimentos legais, trabalhando a dialética do perfil de preferência pelos adotantes brasileiros e a realidade encontrada nas instituições de acolhimento, assim como as mudanças advindas das novas diretrizes do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) referentes à adoção.

O trabalho de pesquisa também buscou compreender o trabalho desenvolvido pelo profissional Assistente Social, considerando seu papel, competências, instrumentos e desafios com relação à Adoção Internacional, vista como uma alternativa para a garantia do direito à convivência familiar e comunitária de crianças e adolescentes em situação de acolhimento institucional.

Durante sua pesquisa, Natália se deparou com a limitação de publicações na área, razão pela qual ela acredita que seu trabalho deverá contribuir para proporcionar o debate sobre o assunto. “Pretendo estimular a discussão sobre o tema, chamando a atenção dos profissionais da área para essa possibilidade de garantia de direitos e para expandir os horizontes da categoria para uma área de atuação que vai além das fronteiras brasileiras e requer capacitação profissional”, salienta.

Segundo Natália, o processo de adoção internacional é extremamente rigoroso, e exige uma grande interação do profissional da área de Serviço Social. “O assistente social se envolve em todo processo, elabora um estudo social que, somado aos documentos, constitui um dossiê”. As famílias aptas à adoção passam por um curso de qualificação e precisam vir ao Brasil e aqui permanecer por um mês, para convivência com a criança a ser adotada. Passado esse período, já é finalizado o processo de adoção com base nos pareceres dos técnicos do serviço social e psicologia.


Leia mais...