Ligas Acadêmicas oportunizam troca de conhecimentos e proximidade com a comunidade por meio de atividades de ensino, pesquisa e extensão - Unijuí

COMUNICA

PORTAL DE NOTÍCIAS DA UNIJUÍ

Ligas Acadêmicas oportunizam troca de conhecimentos e proximidade com a comunidade por meio de atividades de ensino, pesquisa e extensão

Integrantes da Lasfac em ação do março lilás, no Serviço de Atendimento Especializado de Ijuí (SAE)

As ligas acadêmicas são associações sem fins lucrativos que, como o próprio nome indica, são idealizadas e presididas por acadêmicos. O objetivo é proporcionar ao participante uma atividade extracurricular, que complementa sua formação e constitui-se como um diferencial em seu currículo, uma vez que propicia um aprofundamento teórico-prático de questões levantadas em sala de aula. Há também o incentivo à realização de atividades de Ensino, Pesquisa e Extensão, os três pilares nos quais a atuação das ligas se baseia.

Além dos estudantes que compõem essas entidades, elas contam com o apoio de professores e profissionais que atuam nas áreas abordadas. Diversos temas podem nortear o trabalho das ligas acadêmicas. A primeira delas, no Brasil, foi criada no ano de 1920: a Liga de Combate à Sífilis. As ligas acadêmicas de Medicina são especialmente conhecidas, mas elas podem surgir da iniciativa de qualquer curso de Graduação, como Psicologia, Ciências Biológicas e Engenharia, sendo possível, ainda, serem multidisciplinares e integrarem vários cursos.

Além de novos aprendizados, as atividades desenvolvidas possibilitam aos ligantes, como são chamados os discentes que participam das ligas, um maior contato com a comunidade local, bem como a oportunidade de promoverem o bem-estar da população e ampliarem seu senso crítico e raciocínio científico.

A Unijuí possui, atualmente, sete ligas acadêmicas em atividade, além de duas que estão em processo de implementação (de Urgência e Emergência e de Morfofisiologia). Apesar de serem planejadas desde 2020, as ações tiveram início, efetivamente, no primeiro semestre de 2022, devido a dificuldades causadas pela pandemia, questões burocráticas para implantação das ligas e processo seletivo dos ligantes, que geralmente ocorre anualmente, por meio de prova teórica e entrevista. 

Saiba mais sobre cada uma das Ligas Acadêmicas da Unijuí:

Liga Acadêmica de Saúde da Família e Comunidade (Lasfac)

Instagram: @lasfac.unijui | Número de integrantes: 28

“Nós temos ligantes do primeiro semestre, então, desde cedo, eles conseguem ter essa vivência do que de fato é a Saúde da Família, todo o funcionamento e importância do Sistema Único de Saúde e porque devemos valorizar esses profissionais. A comunidade se beneficia disso também porque, futuramente, terá profissionais mais preparados e entendedores do nosso SUS para fornecer atendimento para a população. Nós tivemos a modalidade de estágio de férias em julho, que foi uma parceria da nossa liga com a Residência Multiprofissional em Saúde da Família de Santa Rosa, juntamente com a Residência em Medicina da Família e Comunidade de Santa Rosa. Durante uma semana, os ligantes, independente do curso, puderam ir para Santa Rosa e vivenciar de fato o que é trabalhar na atenção primária, seja em uma ESF ou UBS, e entender a realidade desses profissionais e como é a dinâmica de atendimento. Além dessas atividades práticas de estágio e extensão, nós temos ações voltadas ao Ensino, como aulas e seminários. Na parte da pesquisa, estamos sempre incentivando e fornecendo oportunidades para nossos ligantes fazerem produções científicas. Por exemplo, em setembro vai ocorrer o sétimo Congresso Sul Brasileiro em Medicina da Família e Comunidade e nós estamos nos organizando para ir. Inscrevemos 13 resumos simples neste congresso”, Amanda da Rosa, presidente da Liga Acadêmica de Saúde da Família e Comunidade.

Liga Acadêmica de Ginecologia e Obstetrícia (Liago)

Instagram: @liago_unijui | Número de integrantes: 21

“As atividades da Liago são voltadas tanto para o ensino teórico-prático, quanto para a pesquisa. A exemplo disso, os ligantes participaram do março lilás, mês de prevenção ao câncer de colo de útero, que ocorreu no Centro Social Urbano de Ijuí, auxiliando a equipe envolvida na atenção às mulheres e na coleta do exame preventivo. Outra atividade prática que participamos ocorreu em parceria com o curso de Biomedicina, onde ligantes foram convidadas para compartilhar uma aula sobre aspectos semiológicos em ginecologia, com foco na coleta do exame preventivo, visto que, na prática, a coleta é feita por enfermeiros/médicos e a posterior análise é feita por biomédicos, sendo assim, integrar esses processos foi muito enriquecedor. Além disso, procuramos, por meio de encontros quinzenais, compartilhar de diferentes assuntos com profissionais da área. Na área da pesquisa, temos um artigo feito por ligantes, que avalia as alterações citopatológicas em exames preventivos na cidade de Ijuí e um relato de caso envolvendo a falha no seguimento de lesões precursoras do câncer de colo uterino em uma paciente. Na mesma proporção que aprendemos, conseguimos voltar esse ensino para a comunidade por meio da atenção não só em serviço, mas sim de contato, de assistir a mulher da maneira que ela merece, em enxergá-la como um todo e atuar de fato na promoção à saúde da mulher”, Maria Eugênia Tonetto, vice-presidente da Liga Acadêmica de Ginecologia e Obstetrícia.

Liga Acadêmica de Clínica Médica (Laclim)

Instagram: @laclim_unijui | Número de integrantes: 23

“Nós realizamos encontros quinzenais com temas variados relacionados a clínica médica, que são definidos com antecedência. Acontecem apresentações desses temas em forma de casos clínicos e questões também são realizadas sobre o tema que foi exposto. Às vezes, professores são convidados e realizam uma mini-aula expositiva. A liga é muito importante para os acadêmicos, pois compreende um momento de debate e aprofundamento dos temas mais vistos na clínica médica. É um momento não só de aprendizagem, mas também de revisão e aprimoramento do raciocínio clínico. Ocorre também uma troca de ideia entre ligantes e professores e isso é muito importante para a formação de médicos mais capacitados, que vão desenvolver o raciocínio clínico e otimizar o tratamento das pessoas. Acreditamos que esse seja o fator de benefício para comunidade, para os profissionais e até mesmo para os próprios acadêmicos durante sua formação”, Ana Paula Castilho, presidente da Liga Acadêmica de Clínica Médica.

Liga Acadêmica de Neurologia (Laneuro)

Instagram: @laneuro_unijui | Número de integrantes: 15

“A Liga procura trazer conhecimentos acerca da área neurológica aos participantes através de aulas quinzenais, ministradas tanto pelos alunos quanto por médicos e cirurgiões experientes na especialidade. Além das aulas, há o incentivo de publicações de relatos de casos e artigos em revistas e congressos. Há ainda a ideia de um projeto para que os ligantes acompanhem a rotina médica da neurologia em ambulatórios e cirurgias. Além dos aprendizados proporcionados aos estudantes, a liga procura atingir a comunidade em geral através de publicações em redes sociais sobre os temas discutidos”, Vanessa Bronzatti, presidente da Liga Acadêmica de Neurologia.

Liga Acadêmica de Cardiologia e Cirurgia Vascular (Laccvasc)

Instagram: @laccvasc | Número de integrantes: 16

“Desde que ingressamos no curso tínhamos em mente o projeto das ligas acadêmicas, uma vez que hoje em dia essas fazem parte da sociedade médica e são um meio muito determinante para os alunos se vincularem às áreas que mais lhe interessam. Dentro da liga, os estudantes têm a oportunidade de aprofundar seus conhecimentos na área, por meio de aulas ministradas pelos professores coordenadores ou pelos próprios alunos. Outro objetivo é a produção científica dentro da área, o que, além de ser valioso para a comunidade, é de grande valor para o currículo dos ligantes. Na Jornada de Urgência e Emergência ao Trauma, a Laccvasc submeteu dois relatos de casos, sendo um indicado como Trabalho Destaque do evento. Ficamos muito felizes em ver que estamos no caminho certo”, Héllen Engroff, presidente da Liga Acadêmica de Cardiologia e Cirurgia Vascular.

Liga Acadêmica de Psiquiatria e Saúde Mental (Lapsm)

Instagram: @lapsm.unijui | Número de integrantes: 14

“Nosso objetivo é propagar os conhecimentos da área de Psiquiatria dentro da comunidade acadêmica, a partir da divulgação científica, bem como para comunidade em geral, por meio de projetos sociais. No primeiro semestre de 2022, a Liga ministrou aulas de conteúdos voltados à psiquiatria e também desenvolveu trabalhos científicos dentro da área, além de conteúdos informativos em mídias sociais, com o intuito de alcançar diversos públicos. Planejamos para esse segundo semestre ter uma relevância maior dentro da comunidade, a partir de eventos abertos ao público que estão sendo organizados. A Liga é uma atividade extracurricular que tem grande relevância futura, em virtude de auxiliar na construção do currículo, mas, muito além disso, propicia experiências importantes para a trajetória acadêmica, sobretudo na área científica. Muitos de nós tivemos nosso primeiro contato com a construção de artigos a partir da Liga, com o auxílio dos nossos preceptores. Não só isso, as Ligas Acadêmicas podem desenvolver importante papel social, pois a demanda da comunidade para informações referentes à Saúde sempre é presente. Portanto, nossa área de atuação dentro da sociedade é necessária, quando trabalhada em conjunto com os profissionais de saúde pública”, Arthur Keller, presidente da Liga Acadêmica de Psiquiatria e Saúde Mental.

Liga Acadêmica de Radiologia e Diagnóstico por Imagem (Lardim)

Instagram: @lardimunijui | Número de integrantes: 30

“Buscamos estimular e aprofundar os conhecimentos nas temáticas abordadas, formar grupos de estudos, valorizar o método científico e estudar os conceitos fundamentais que relacionam a Radiologia e o Diagnóstico de Imagem, sempre pautados pela visão abrangente da Saúde, do estudo clínico, atuação ética, humanística e centrada na relação médico-paciente ou profissional de diferentes áreas e como este interage com o paciente. Como diferenciais, a Lardim estrutura cursos de capacitação e ministra-os junto de seus ligantes, para promover atualizações e inovações na área de diagnóstico por imagem e tratamento com radiações. O Sistema Único de Saúde, bem como todos os municípios da região e esferas de gestão pública, demandam cada vez mais de profissionais que compreendam a necessidade de potencializar os recursos finitos da Saúde e atuem com resolutividade para proporcionar à população atendimentos com qualidade e um cuidado otimizado, mesmo com eventuais limitações de infraestrutura que os profissionais possam encontrar. Assim, a Liga ajuda seus integrantes a entender o que são cada um dos exames disponíveis em nossa realidade regional, como raciocinar o diagnóstico clínico e complementar com equilíbrio o uso dos exames de imagem, sempre ajustando o pensamento conforme a realidade do SUS e da atenção primária pública”, Hebrom Aires, diretor de Secretaria da Liga Acadêmica de Radiologia e Diagnóstico por Imagem.


Compartilhe!