COMUNICA

PORTAL DE NOTÍCIAS DA UNIJUÍ

Alunos realizam intercâmbio de estudos na Argentina

Grupo de docentes e acadêmicos de Administração e Engenharia Mecânica estiveram na Universidade Tecnológica Nacional



Um grupo de 14 alunos e professores da UNIJUÍ esteve realizando viagem de intercâmbio com destino a San Rafael, Argentina, no período de 31 de janeiro a 11 de fevereiro. Esta foi a segunda edição deste intercâmbio em San Rafael, que teve como objetivo a realização de um período de visitas técnicas e estudos junto à Universidade Tecnológica Nacional (UTN), Campus de San Rafael, Província de Mendoza.

A viagem foi coordenada e acompanhada pelos professores Dieter Siedenberg e Marcos Griebeler, do Departamento de Estudos da Administração, e contou com a participação de estudantes dos Cursos de Administração e Engenharia Mecânica dos Campi Ijuí, Três Passos, Santa Rosa e Panambi, além de alunos matriculados na modalidade EAD.

As atividades desenvolvidas no contexto deste intercâmbio (palestras e visitas técnicas) configuram um módulo acadêmico reconhecido no currículo dos alunos da UNIJUÍ. Entre os diversos tópicos abordados por professores da UTN se destacam temas como: Produtividade em Pequenas e Médias Empresas, Situação Política e Econômica da Argentina, Inteligência Competitiva e Vigilância Tecnológica, Desenho de Produtos Inovadores, Competências Gerenciais, Produção Industrial de Conservas e Frutas Secas, Desenvolvimento Regional e Aproveitamento de Recursos Hídricos para Propósitos Múltiplos, entre outros. O grupo da UNIJUÍ também realizou visitas a indústrias de fabricação de azeite de oliva, espumantes e vinícolas, bem como ao complexo mineiro do Centro Nacional de Energia Atômica e a centrais hidroelétricas.

A programação também envolveu atividades extracurriculares como caminhadas, rafting, canoagem e tirolesa, além da possibilidade de aproveitamento da infraestrutura de lazer que o local oferece: acomodações confortáveis, piscina, sala de jogos, restaurante e acesso wireless.

Jeferson Steindorff, um dos intercambistas, natural de Panambi, confessa: “Confirmei minha participação nos últimos instantes possíveis. Até o momento do embarque estava tomado de dúvidas, pois não conhecia ninguém e deixei muitos compromissos pra trás. Porém, no retorno da viagem, ao chegar no aeroporto, senti um aperto que cortava o peito, pois foram dias realmente inesquecíveis”.

José Osvaldo Camargo, natural de Erechim e que já esteve em San Rafael em outro contexto e época, referiu-se ao intercâmbio realizado como uma “experiência maravilhosa e de aproveitamento extraordinário. O local é de uma beleza ímpar, estrutura espetacular, com atendimento dos melhores e uma atenção dedicada dos professores da UTN, todos merecedores do mais alto elogio. Os conteúdos apresentados a assuntos abordados são atuais, de ponta, como o uso múltiplo da água e as falas constantes sobre a tecnologia da inovação”.

Para o Professor Dieter Siedenberg, que acompanhou o grupo no intercâmbio, a experiência foi marcante. Na sua opinião, o intercâmbio com a Argentina “é muito interessante porque possibilita conhecer uma estrutura socioeconômcia atrelada e similar à situação brasileira e com isso é possível conhecer e discutir estratégias e políticas alternativas, os alunos não tem maiores dificuldades com o idioma e ainda tem vantagens relacionadas à proximidade geográfica e aos custos favoráveis, o que não é o caso quando se trata de intercâmbios com a Europa, por exemplo”. Dieter destaca ainda que também há a possibilidade de surgirem outras formas de intercâmbio (estágios, pós-graduação) e, inclusive, chances para empreender negócios.

“Uma experiência como essa é totalmente válida porque ajuda a derrubar preconceitos, construir novas visões de mundo e a consolidar nossa integração com os ‘hermanos’. Hoje o mercado de trabalho está cada vez mais exigente e globalizado, desafiando os estudantes e praticamente exigindo dos futuros profissionais esse tipo de vivências. Espero poder convencer outros alunos a sair da sua zona de conforto para tornar esse intercâmbio não apenas um programa institucional anual e regular, mas, sobretudo, numa experiência pessoal inédita, absolutamente significativa e marcante na carreira acadêmica dos alunos da UNIJUÍ”, finaliza o professor.




Compartilhe!