XADREZ!!!!! jogar e brincar as belezas de ser um eterno aprendiz

              Toda criança vive em um intenso processo de desenvolvimento corporal e mental, exigindo a cada instante uma nova função e a exploração de novas habilidades, sendo imprescindível que o brincar e os jogos por ser caráter lúdico e atrativo, façam parte desse processo. Para Piaget (1970), é por meio da atividade lúdica que a criança assimila ou interpreta a realidade de si própria. Segundo a professora de Educação Física Silvana Prattes, o jogo oferece grandes possibilidades pedagógicas para o desenvolvimento intelectual e social dos sujeitos e o educador poderá potencializar suas aulas ao incorporar o jogo em suas práticas educativas. Partindo desta perspectiva, e por entender que a Educação Física em suas práticas pedagógicas, no âmbito escolar, tematiza formas de atividades expressivas corporais como os jogos e brincadeiras, o esporte, a dança, as lutas e a ginástica, introduzimos o jogo do xadrez como uma prática escolar da Educação Infantil e Anos Iniciais do Ensino Fundamental.

Através do xadrez, observou-se desenvolvimento do raciocínio lógico, da imaginação, da atenção, da cooperação, da compreensão sobre regras e limites, do respeito ao adversário, e a atenção. Partimos da dramatização de uma história, em que a criança é desafiada a imaginar e identificar as peças do xadrez. Ao contarmos a história, as crianças passam a participar e a encenar passagens e episódios, “Certo dia estava passeando na floresta dos Freis Capuchinhos e encontrei um castelo, lá morava um casal, o Rei (verbaliza-se o nome de um (a) jogador (a)) e a Rainha (verbaliza-se o nome de outro (a) jogador (a)...” e, assim as crianças movimentavam as peças no tabuleiro, conhecendo as peças, seus movimentos, criando um castelo. Cada movimento, cada orientação referente ao tabuleiro, foi associada a encenação dos movimentos com as peças de xadrez, para que a crianças construíssem a lógica do jogo. A sala de aula torna-se um espaço de imaginação, criação e aprendizagem.