Destaques do Comunic@

                    O Ministério da Educação confirmou a primeira colocação da Unijuí para a implantação do curso de Medicina em Ijuí. Como previa o edital, o resultado final, após análise de recursos da primeira etapa, seria divulgado nesta terça-feira, dia 12 de dezembro. A homologação final será realizada no dia 31 de janeiro de 2018. A Reitora da Unijuí, professora Cátia Nehring, observa que este resultado materializa a caminhada da Universidade em busca do curso de Medicina e reforça o trabalho da Instituição, da comunidade e dos parceiros da Unijuí no Projeto. “A Unijuí agradece o apoio que teve de entidades, lideranças e da comunidade regional na busca do curso de Medicina. A Instituição, como em todos os 60 anos de história, trabalha arduamente pelo desenvolvimento regional, tendo formado mais de 40 mil profissionais em diversas áreas do conhecimento e agora divide esta grande conquista com toda a comunidade regional”. Próximos passos do Edital Após esta data, será agendada visita in loco por especialistas do Ministério à Unijuí e ao município de Ijuí, avaliando infraestrutura, corpo docente e proposta pedagógica do curso. Somente após esta visita é promulgada a Portaria de Autorização do Curso, sendo possível realização do processo seletivo – Vestibular.  A professora Cristina Pozzobon, vice-reitora de Graduação, destacou na coletiva que serão ofertadas 50 vagas anuais para o curso, cujo vestibular ainda não tem data definida, com 20% de vagas ofertadas pelo ProUni. "O perfil do nosso profissional será técnico, mas também ético, crítico e cidadão", destacou.  Como o projeto do curso já foi aprovado pelo Conselho Universitário da UNIJUÍ, a Universidade está se preparando para a oferta do curso, estando garantida já toda a estrutura necessária para os dois primeiros anos de andamento do curso, de um total de seis anos. A Universidade projeta um investimento de R$ 10 milhões em infraestrutura e laboratórios para as atividades a serem desenvolvidas no terceiro e quarto ano. Para os dois últimos anos do curso, os estudantes utilizarão a estrutura do Hospital de Caridade de Ijuí, Hospital Bom Pastor e Hospital de Caridade de Panambi, com quem a UNIJUÍ possui convênio firmado. Confira a trajetória de mobilização pelo curso de Medicina em Ijuí 


                    O Ministério da Educação confirmou a primeira colocação da Unijuí para a implantação do curso de Medicina em Ijuí. Como previa o edital, o resultado final, após análise de recursos da primeira etapa, seria divulgado nesta terça-feira, dia 12 de dezembro. A homologação final será realizada no dia 31 de janeiro de 2018. A Reitora da Unijuí, professora Cátia Nehring, observa que este resultado materializa a caminhada da Universidade em busca do curso de Medicina e reforça o trabalho da Instituição, da comunidade e dos parceiros da Unijuí no Projeto. “A Unijuí agradece o apoio que teve de entidades, lideranças e da comunidade regional na busca do curso de Medicina. A Instituição, como em todos os 60 anos de história, trabalha arduamente pelo desenvolvimento regional, tendo formado mais de 40 mil profissionais em diversas áreas do conhecimento e agora divide esta grande conquista com toda a comunidade regional”. Próximos passos do Edital Após esta data, será agendada visita in loco por especialistas do Ministério à Unijuí e ao município de Ijuí, avaliando infraestrutura, corpo docente e proposta pedagógica do curso. Somente após esta visita é promulgada a Portaria de Autorização do Curso, sendo possível realização do processo seletivo – Vestibular.  A professora Cristina Pozzobon, vice-reitora de Graduação, destacou na coletiva que serão ofertadas 50 vagas anuais para o curso, cujo vestibular ainda não tem data definida, com 20% de vagas ofertadas pelo ProUni. "O perfil do nosso profissional será técnico, mas também ético, crítico e cidadão", destacou.  Como o projeto do curso já foi aprovado pelo Conselho Universitário da UNIJUÍ, a Universidade está se preparando para a oferta do curso, estando garantida já toda a estrutura necessária para os dois primeiros anos de andamento do curso, de um total de seis anos. A Universidade projeta um investimento de R$ 10 milhões em infraestrutura e laboratórios para as atividades a serem desenvolvidas no terceiro e quarto ano. Para os dois últimos anos do curso, os estudantes utilizarão a estrutura do Hospital de Caridade de Ijuí, Hospital Bom Pastor e Hospital de Caridade de Panambi, com quem a UNIJUÍ possui convênio firmado. Confira a trajetória de mobilização pelo curso de Medicina em Ijuí 


Para marcar o Dia Mundial da Prematuridade (17 de novembro), o Projeto de Pesquisa Institucional: Acompanhamento do Crescimento e do Desenvolvimento Neuropsicomotor em Prematuros (Projeto Prematuros), realizou uma atividade cultural na Praça da República, em Ijuí, para toda a comunidade, no último sábado, dia 9 de dezembro.                O objetivo foi conscientizar a população a respeito da temática. No mundo, cerca de 10% dos bebês nascem prematuros (antes de 37 semanas de gestação). No Brasil cerca de 300 mil partos por ano acontecem de forma prematura. Em Ijuí, no ano de 2016, 8.9% dos bebês nasceram prematuros. Na programação, conscientização em um momento cultural para a comunidade na Praça da República com o apoio da Unimed e Secretaria Municipal de Saúde, representada pelo Comitê Materno Infantil. E das fotógrafas Simone e Simara, que realizaram uma exposição fotográfica.  Participaram da atividade o Departamento de Ciências da Vida com os cursos de Fisioterapia, representado pela professora Simone Zeni Strassburger, coordenadora do projeto, de Enfermagem com as professoras Joseila Sonego Gomes e Angélica Cembranel Lorenzoni e curso de Nutrição, com as professoras Pâmela Fantinel Ferreira e Aline Dutra Madalozzo, bolsistas e estudantes, pais e bebês que participam do projeto. Ao final do evento, foi realizada uma homenagem em forma de música aos pais e bebês participantes do projeto. O Projeto Prematuros existe desde 2016 com o objetivo principal de acompanhar o crescimento e o desenvolvimento neuropsicomotor de bebês prematuros após a alta da UTI neonatal até os 3 anos de vida. Atualmente, o projeto conta com a participação de 67 famílias, algumas somente em avaliação e outras com o trabalho da estimulação precoce que também faz parte do projeto em forma de extensão universitária. Tanto o projeto como o evento contam com o apoio da ONG prematuridade.com da Associação Brasileira de Pais de Bebês Prematuros.                     


Durante todo o ano diversos atletas levam o nome da Universidade ao pódio, em diferentes modalidades esportivas e em todos os cantos do Brasil. São atletas que se dedicam, conquistam e se superam todos os dias. O Especial UNIJUÍ no Esporte pretende contar essas histórias inspiradoras em uma série de reportagens com atletas apoiados pela UNIJUÍ. Nascido em 2013, a partir de excelente desempenho nos Jogos Gaúchos Universitários – JUGS, a equipe Unijuí Futsal Feminino tem se destacado nos últimos anos. As atletas mantiveram a regularidade nos campeonatos em que participaram e sempre estiveram entre as cinco melhores do estado no JUGS. O time recebe o apoio da Universidade para custear a participação em campeonatos e na disponibilidade de horários para treinos na quadra de esportes. A paixão pela modalidade faz com que as dificuldades sejam superadas. “Elas não dependem do futsal para manter as despesas de casa, por isso têm o esporte como um hobby, uma paixão e esse é o principal motivo que nos faz seguir em frente”, conta Taís Oronha Bidinha, atleta e responsável pelo time.  Taís também comenta sobre o preconceito no esporte. "A ideia da aproximação entre o futsal e a masculinização da mulher ainda é muito forte, o que acaba gerando preconceitos referentes à prática feminina. Não é pela questão de se ganhar um título importante, é para que o futebol feminino seja valorizado. Falta um olhar sem preconceito para se enxergar que o futebol também pode ser praticado pelas mulheres”, comenta. O Brasil não é o país do futebol, mas o país do futebol masculino. O Campeonato Brasileiro de Futebol celebra uma média de 15 mil ingressos vendidos para cada partida. Enquanto isso, na modalidade feminina, vendeu 450 ingressos para o primeiro jogo deste ano. Apesar do cenário ser desvantajoso e muito pouco prestigiado, alguns movimentos por parte de entidades esportivas pretendem mudar essa perspectiva. A partir de 2019, os clubes só poderão disputar a Copa Libertadores da América se possuírem time feminino. A exigência é da Conmebol. Os clubes que não cumprirem podem pagar multa ou, até mesmo, serem expulsos de competições.   Apoio também no Campo Ainda era madrugada quando as jogadoras do Esporte Clube Ijuí embarcaram em um ônibus rumo a Lajeado para dois jogos no mesmo dia pelo Campeonato Gaúcho de Futebol Feminino 2017. Mais de três horas de viagem, de concentração e também de descontração para amenizar o tempo e a distância. A oração antes de entrar em campo é um


                      Estão abertas as inscrições para o processo simplificado de seleção para novas vozes do Coral Unijuí. O edital foi divulgado pela Vice-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão da Unijuí, no Portal da Universidade. O processo seleciona vozes femininas e masculinas. O candidato precisa ter no mínimo 17 anos, ter disponibilidade para participar de ensaios sexta-feira à noite e sábados à tarde, e participar assiduamente das atividades previstas no plano de ensaio, estudo em casa e apresentações do Coral. As inscrições seguem até dia 05 de fevereiro de 2018 e podem ser feitas pelo e-mail coral@unijui.edu.br, mediante confirmação. Toda a comunidade pode participar. O resultado será divulgado até 15 dias após a realização de todas as entrevistas.


A Unijuí realizou, nesta quinta e sexta-feira, uma nova edição da Campanha de Descarte de Resíduos Eletrônicos, por meio do Núcleo de Gestão Ambiental e Biossegurança. A estimativa é que esta edição tenha recebido cerca de 2,5 toneladas de resíduos. No Depósito Temporário de Resíduos, localizado próximo do Prédio da Coordenadoria Patrimonial, no Campus Ijuí, foram recebidos aparelhos de dvd’s, computadores, televisores, modens, impressoras, scanners, telefones, fios, cabos, entre outros materiais.                    Segundo o coordenador do Núcleo de Gestão Ambiental e Biossegurança, João Pereira dos Santos, após a coleta, os equipamentos serão recolhidos por uma empresa de Horizontina, que faz o trabalho de descaracterização e separação desse material, além de reaproveitamento e destinação adequada para aquilo que não pode ser aproveitado.  A Campanha de Descarte de Resíduos Eletrônicos é realizada semestralmente pela Universidade e visa dar o descarte correto de vários tipos de resíduos eletrônicos. “Percebemos que há uma grande quantidade de material eletrônico a ser descartado pela população, então desenvolvemos essas atividades para ajudar a comunidade e também porque a nossa Instituição está sempre preocupada com as questões ambientais”, avalia João Lucas Pereira dos Santos, coordenador do Núcleo de Gestão Ambiental e Biossegurança.


1

Baixe o aplicativo Unijuí FM

Fale conosco

Ícone Whatsapp 55 99131 5487
Ícone Skype radio@unijui.edu.br