Destaques do Comunic@

No início do mês de junho, o presidente Jair Bolsonaro sancionou o Marco Legal das Startups e do Empreendedorismo Inovador. O texto apresenta medidas de estímulo à criação de novas empresas inovadoras e estabelece incentivos aos investimentos por meio do aprimoramento do ambiente de negócios no país. Mas o que muda, na prática, e qual a percepção de quem atua no setor? Para debater sobre o assunto, o Rizoma Temático desta quinta-feira, 24 de junho, trouxe como convidados o advogado que realiza assessoria à Incubadora de Empresas de Inovação Tecnológica (Criatec), Plínio Gomes; o diretor do Departamento de Gestão da Inovação na Secretaria de Inovação, Ciência e Tecnologia (SICT) do Rio Grande do Sul, André França; e o diretor de Novos Ambientes de Inovação na Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec), Carlos Eduardo de Souza Aranha. O advogado Plínio Gomes ressalta que o Marco Legal das Startups definiu pela primeira vez o conceito legal de startups no Brasil. “O benefício que essa lei traz é justamente a desburocratização para criação dessas empresas. Agora nós temos uma lei que viabiliza investimentos, sem que o investidor tenha uma insegurança jurídica. Isso o impedia, muitas vezes, de investir seu capital em uma startup”, explica Plínio, que considera, nesse sentido, o Marco Legal positivo tanto para investidores quanto para quem busca empreender.  O diretor do Departamento de Gestão da Inovação na SICT, André França, destaca a segurança que o Marco Legal também oferece a instituições governamentais. “O fato de hoje termos uma definição clara do que é uma startup dá segurança a todos, incluindo o setor público, sobre como vamos fazer para promover essas empresas. A partir desse momento, o governo do Estado, Município, enfim, todos os entes públicos podem promover ações e políticas”, afirma André. O diretor de Novos Ambientes de Inovação na Anprotec, Carlos Eduardo de Souza Aranha, também vê a criação dessa lei de forma positiva. “Com essas padronizações, conceitualizações e capítulos, da forma como o Marco Legal foi constituído, com certeza vai ajudar o ecossistema de inovação a ganhar força”, avalia Carlos. Por Amanda Thiel, acadêmica de Jornalismo Confira o Rizoma Temático na íntegra:


No início do mês de junho, o presidente Jair Bolsonaro sancionou o Marco Legal das Startups e do Empreendedorismo Inovador. O texto apresenta medidas de estímulo à criação de novas empresas inovadoras e estabelece incentivos aos investimentos por meio do aprimoramento do ambiente de negócios no país. Mas o que muda, na prática, e qual a percepção de quem atua no setor? Para debater sobre o assunto, o Rizoma Temático desta quinta-feira, 24 de junho, trouxe como convidados o advogado que realiza assessoria à Incubadora de Empresas de Inovação Tecnológica (Criatec), Plínio Gomes; o diretor do Departamento de Gestão da Inovação na Secretaria de Inovação, Ciência e Tecnologia (SICT) do Rio Grande do Sul, André França; e o diretor de Novos Ambientes de Inovação na Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec), Carlos Eduardo de Souza Aranha. O advogado Plínio Gomes ressalta que o Marco Legal das Startups definiu pela primeira vez o conceito legal de startups no Brasil. “O benefício que essa lei traz é justamente a desburocratização para criação dessas empresas. Agora nós temos uma lei que viabiliza investimentos, sem que o investidor tenha uma insegurança jurídica. Isso o impedia, muitas vezes, de investir seu capital em uma startup”, explica Plínio, que considera, nesse sentido, o Marco Legal positivo tanto para investidores quanto para quem busca empreender.  O diretor do Departamento de Gestão da Inovação na SICT, André França, destaca a segurança que o Marco Legal também oferece a instituições governamentais. “O fato de hoje termos uma definição clara do que é uma startup dá segurança a todos, incluindo o setor público, sobre como vamos fazer para promover essas empresas. A partir desse momento, o governo do Estado, Município, enfim, todos os entes públicos podem promover ações e políticas”, afirma André. O diretor de Novos Ambientes de Inovação na Anprotec, Carlos Eduardo de Souza Aranha, também vê a criação dessa lei de forma positiva. “Com essas padronizações, conceitualizações e capítulos, da forma como o Marco Legal foi constituído, com certeza vai ajudar o ecossistema de inovação a ganhar força”, avalia Carlos. Por Amanda Thiel, acadêmica de Jornalismo Confira o Rizoma Temático na íntegra:


Ainda dá tempo de ingressar no Ensino Superior neste ano. Até o dia 9 de agosto, a Unijuí está com inscrições abertas para o Vestibular de Inverno, que conta com vagas para praticamente todos os cursos de graduação presenciais, com exceção de Medicina. A novidade é que os aprovados no processo seletivo já ingressam na Graduação Mais, o novo modelo de cursos de graduação ofertado pela Unijuí. Por meio desta reinvenção, a Universidade propõe aos acadêmicos inovações que estão se consolidando no cenário da Educação Superior, a exemplo dos currículos por competências e módulos, disciplinas de Formação Pessoal e Profissional e Projetos Integradores. Este conjunto de novidades não só coloca o estudante diante dos desafios reais do mercado de trabalho, como também os aproxima da atuação junto à comunidade. No campus Ijuí, há vagas para os cursos de bacharelado em Administração, Agronomia, Arquitetura e Urbanismo, Biomedicina, Ciência da Computação, Ciências Biológicas, Ciências Contábeis, Comunicação Social: Publicidade e Propaganda, Design, Direito, Educação Física, Enfermagem, Engenharia Civil, Engenharia de Software, Engenharia Elétrica, Engenharia Química, Farmácia, Fisioterapia, Jornalismo, Medicina Veterinária, Nutrição e Psicologia; de licenciatura em Educação Física, Letras: Português e Inglês, Matemática e Pedagógica; e os cursos de tecnologia em Comunicação e Produção Digital, Gastronomia e Estética e Cosmética. Já no campus Santa Rosa, os candidatos podem optar pelos cursos de bacharelado em Administração, Ciências Contábeis, Ciência da Computação, Direito, Educação Física, Engenharia Civil, Engenharia da Produção, Engenharia de Software, Engenharia Elétrica, Engenharia Mecânica e Psicologia; ou de licenciatura em Educação Física ou Pedagogia. No campus Panambi, há oferta de vagas nos cursos de bacharelado em Administração, Ciências Contábeis, Engenharia da Produção e Engenharia Mecânica. E no Campus Três Passos, para o curso de Direito. Interessados podem acessar o endereço unijui.edu.br/vestibular-presencial para realizar a inscrição, que não terá cobrança de taxa.  O candidato pode optar por aproveitar a nota de redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), desde que realizado entre os anos de 2010 e 2020; ou aproveitar a nota de redação de um vestibular realizado na Unijuí, entre os anos de 2005 e 2021. Em ambas as situações, o candidato não pode ter zerado a nota da redação. Também é possível realizar a prova online do Vestibular de Inverno, que consiste em uma redação, cujo tema será divulgado no momento da realização. O candidato que desejar realizar a prova dentro da estrutura de um dos quatro campi da Unijuí – Ijuí, Três Passos, Santa Rosa ou


Diversos setores da Unijuí tiveram que se reinventar para dar sequência aos atendimentos durante a pandemia de covid-19. Foi o caso, por exemplo, do Balcão do Consumidor do Campus Santa Rosa. Conforme a coordenadora do Balcão e do curso de Direito no Campus Santa Rosa, professora Fernanda Serrer, no início, em razão da insegurança em relação à dinâmica da doença e ao fato de que todos acreditavam que logo seria possível voltar à normalidade, foi considerada a suspensão dos serviços. “No entanto, alguns dias depois do início da suspensão das aulas, o cenário passou a ser outro, de mais insegurança e prolongamento da condição de afastamento. A pandemia acabou acirrando alguns conflitos de consumo e sentimos, então, a necessidade de retomar as atividades, de uma outra forma”, explica. Os atendimentos passaram a acontecer via telefone, e-mail e WhatsApp, e alguns atendimentos presenciais – para pessoas com mais vulnerabilidade técnica, informacional e econômica, realizados sob agendamento e seguindo todos os protocolos de segurança. Nos campi de Ijuí e Três Passos, o atendimento acontece de segunda a sexta-feira, no turno da tarde. O regime de atendimentos é diferente, tendo em vista que Ijuí e Três Passos possuem convênio com o poder público municipal (Procons Municipais), enquanto que Santa Rosa possui convênio com o Procon do Estado. Assim, nas duas primeiras versões, o Balcão conta com estagiários Pibex, remunerados pela Unijuí, e estagiários remunerados diretamente pelos municípios. Já no Balcão do Consumidor de Santa Rosa, há um bolsista 20h. De acordo com a professora, neste período de pandemia, foi expressivo o número de atendimentos relacionados a abusos cometidos por fornecedores em relação a preços elevados de insumos necessários à prevenção e combate da covid-19. Também aumentaram os casos ligados à redução das jornadas de trabalho – com consequente redução de renda, e contratos de empréstimos consignados e de crédito pessoal, especialmente entre idosos, levando-os a situações de superendividamento. “Também permaneceram os atendimentos em relação a vícios de produtos e de serviços, acidentes de consumo, questionamentos em relação a presença de cláusulas contratuais abusivas, outras discussões em relação à prestação de serviços, em especial telefonia móvel e internet. A pandemia também aumentou o número de atendimentos relacionados a fraudes cometidas por meios digitais, como cobranças de consumidores que jamais assumiram qualquer encargo financeiro, mas tiveram seus dados utilizados indevidamente para contração de empréstimos e aquisição de outros serviços e produtos. Também foram muito recorrentes as demandas de


Em atenção às orientações e decretos dos Governos Federal, Estadual e dos municípios da região de abrangência da Fidene/Unijuí, que aplica as medidas sanitárias segmentadas referentes à vigência da chamada bandeira preta no Estado do RS, estabelecendo medidas restritivas e a manutenção dos protocolos de segurança, com o objetivo de definir ações de contenção da pandemia de coronavírus, o Comitê Institucional de Prevenção informa: Todas as aulas teóricas dos cursos de graduação presenciais permanecem na forma online até o final do primeiro semestre de 2021, inclusive as avaliações finais e extemporâneas. Todas as turmas dos cursos de graduação que retornaram à presencialidade (disciplinas de práticas, estágios e teórica/práticas) mantêm-se nesta condição, inclusive as avaliações finais e extemporâneas.  Aulas dos Cursos de Pós-Graduação Lato Sensu presenciais (especializações, MBAs) teóricas, mantêm-se na forma online até o final do primeiro semestre de 2021, mantendo a presencialidade para aquelas disciplinas práticas que já retomaram às atividades no decorrer do mês de maio.  Aulas dos Cursos de Pós-Graduação Stricto Sensu (mestrados e doutorados) teóricas, mantêm-se na forma online até o final do primeiro semestre de 2021, mantendo a presencialidade aquelas disciplinas práticas que já retomaram às atividades  no decorrer do mês de maio.   Atividades relacionadas à Pesquisa e Extensão permanecem com a organização dos professores orientadores prioritariamente na forma online até final do mês do primeiro semestre de 2021.  Sobre as aulas na EFA, orientações específicas nos canais oficiais de comunicação da escola, considerando o planejamento da mesma.  Reuniões e eventos institucionais permanecem na forma online até final do primeiro semestre de 2021.  As formaturas serão retomadas no formato presencial no decorrer dos meses de junho e de julho. As Comissões serão contatadas para alinhamentos necessários em relação aos protocolos de saúde que deverão ser cumpridos, sendo este ato restrito a quatro (04) convidados por formando. O uso dos espaços institucionais para a realização das fotos de formatura, está neste momento permitido, devendo as empresas e formandos, obrigatoriamente, seguir todos os protocolos de saúde. A Instituição se reserva ao direito de rever esta autorização caso o cenário externo venha a ser alterado.  O Museu Antropológico Diretor Pestana mantém-se fechado ao público seguindo com atendimento para pesquisa por meio dos canais: telefone (55) 3332-0257, e-mail: madp@unijui.edu.br.  Acessos rápidos:  Estudantes de Graduação: Campus Ijuí: atendimento@unijui.edu.br / 55 3332-0444 Campus Santa Rosa: cae.sr@unijui.edu.br / 55 3511-5200 Campus Três Passos: atendimentotp@unijui.edu.br / 55 3522-2122 Campus Panambi: central.panambi@unijui.edu.br / 55 3375-4466 Estudantes de Lato Sensu: educacaocontinuada@unijui.edu.br / 55 3332-0553 Estudantes


Na próxima segunda-feira, dia 28 de junho, a partir das 19h30, acontece o I Seminário sobre Cibercultura e Educação, com transmissão pelo canal da Unijuí no Youtube. O evento é promovido pelo curso de Letras da Unijuí, em parceria com o Grupo de Pesquisa “Mongaba: educação, linguagens e tecnologia” do Programa de Pós-Graduação em Educação nas Ciências. Sob mediação da professora doutora Fabiana Diniz Kurtz, serão realizadas duas palestras: a primeira será com a professora doutora Maria Cristina Pansera de Araújo, da Unijuí, sobre “As Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação (TDIC) antes e durante a pandemia: novos desafios e possibilidades”. A segunda será com o professor doutor Gláucio José Couri Machado, da Universidade Federal de Sergipe, sobre “A educação online na pandemia”. Para acompanhar o evento, acesse este link.


1

Baixe o aplicativo Unijuí FM

Fale conosco

Ícone Whatsapp 55 99131 5487
Ícone Skype radio@unijui.edu.br