Relatos de intercâmbio

"Experiências que jamais poderão ser apagadas"

                 

Por: Bethina Rafaela Burckardt - estudante de Direito

Realizar um intercambio é sair da zona de conforto. Mesmo isso não sendo novidade para ninguém, acredito que a gente não saiba o que isso realmente significa, até viver a experiência. Esses seis meses que morei em Portugal para estudar Criminologia na Universidade do Porto, me trouxeram muitos ensinamentos, experiências que jamais poderão ser apagadas.

Ao sair de Ijuí rumo a Porto Alegre para pegar o que seria o primeiro voo da minha vida, senti muito medo e expectativa. E, hoje, após o meu retorno, me vejo sentindo muita coragem e ainda mais expectativas do que a vida e o mundo têm para oferecer. O intercambio é a possibilidade de ver o quão grande o mundo é.

Desde a fase de inscrição, a incerteza é uma companheira e, ao chegar lá, ela continua ao nosso lado. Incerteza de que matérias está cursando, qual sala de aula, do conteúdo e dos métodos de ensino e avaliação, porém, ao frequentar as primeiras aulas, já soube que vinha com uma base muito boa no estudo da Criminologia da Unijuí. Com o passar do tempo comecei a valorizar mais ainda nossa instituição de ensino, que nada deixou a desejar para que eu pudesse acompanhar os demais colegas portugueses. Além de aprender a valorizar pequenas coisas, como o atendimento da Unijuí com os alunos e o nosso contato mais próximo com os professores.

Organizar-se em uma cidade nova, em um país novo, exige paciência. Além disso, poder contar com as dicas e informações dos outros brasileiros que estão lá há mais tempo é fundamental, ou até mesmo dos que chegaram junto com você. Acaba se formando uma grande família, uma base para esta aventura. Além do mais, o que ajuda, e muito, também é a própria estrutura da cidade, que é de uma cidade grande em um espaço territorial pequeno e ainda é muito segura, o que facilita e muito. Ademais, Porto é uma cidade linda, que nos beneficia com um pôr do sol incrível.

Estar em um país europeu também possibilita para conhecer novos lugares, tanto dentro do próprio país que está, quanto outros países, pois os valores de passagens são acessíveis se comparados a uma viagem dentro do próprio Brasil. Assim, em minha experiência, tive a oportunidade de conhecer mais cinco países e um pouco mais de Portugal.

Desse modo, a experiência de viajar, de estudar em outro país é enriquecedora profissionalmente, e muito mais pessoalmente. Conviver com outras culturas, com o diferente, me trouxe questionamentos, autoconhecimento, e uma busca infinita por evoluir. Porém, viajar também traz o aprendizado de valorizar suas origens, seu país, suas coisas boas e a busca por tornar ele um lugar melhor. Por isso, é bom viajar, ainda mais sabendo que temos um lugar para chamar de nosso (nosso país, nossa casa, nossa universidade), como diz o ditado popular: viajar é bom, mas voltar para casa é melhor ainda.


“Se eu pudesse repetiria tudo sem hesitar nem um segundo”

             

Confira o Relato de Intercâmbio do estudante Edmilton Stein, estudante de Engenharia Mecânica da Unijuí. 

Como descrever um período de intercâmbio na Universidade do Porto? Uma cidade incrível, bonita, segura, clima agradável, com pessoas muito hospitaleiras e amigáveis, e, claro, a oportunidade de estudar em uma das melhores universidades da Europa, tendo aulas com os melhores profissionais da área. Eu teria muito mais adjetivos para descrever como é fazer um intercâmbio em Porto, porém, a experiência vai muito além das coisas citadas anteriormente: é um sentimento indescritível, que engloba felicidade, saudade e alegrias em fazer novas amizades, e até tristeza. 

Em relação às matérias cursadas, a UPorto tem um sistema um pouco diferente do que estamos habituados na Unijuí, pois lá não existe uma barreira tão clara sobre os conhecimentos que devem ser aprendidos na disciplina. A Universidade contabiliza no currículo do aluno uma grande carga horária de estudo autônomo, em que devemos buscar o próprio conhecimento. 

Estudar em Portugal, além de proporcionar um grande crescimento acadêmico e intelectual, possibilita viajar dentro do país e pela Europa, para conhecer muitos lugares com histórias incríveis e muitas culturas diferentes. Além disso, conviver com alunos das mais diversas nacionalidades, que, apesar de todas as suas diferenças, compartilham algo em comum, aquele mesmo sentimento de estar longe de casa, enfrentando as mesmas dificuldades de sair da sua zona de conforto e a vontade de conhecer novas pessoas. Aliás, isso nos leva a criar grandes amizades, que nunca imaginaríamos, pessoas que colaboraram imensamente para determinar quem somos hoje, pessoas que estarão para sempre em nossas memórias, tanto aquelas que conhecemos por apenas poucos dias, quanto aquelas que compartilharam muitos momentos bons e alguns difíceis durante toda essa jornada em um país desconhecido. 

O intercâmbio é uma experiência incomparável e inconfundível. Nos últimos dias desperta um sentimento inexplicável: ao mesmo tempo em que ficamos felizes por reencontrar a família e amigos, também gera um sentimento de vazio e saudades do país que viera a se tornar uma segunda casa para nós, uma nova família, criada por todas aquelas pessoas que conhecemos durante os seis últimos meses. 

Se eu pudesse resumir o período em apenas uma palavra, só poderia ser “gratidão”: primeiro a Deus, depois à Unijuí e a todos que contribuíram de alguma forma para que eu pudesse realizar esse sonho de estudar na Europa, e apesar de ter deixado um grande sentimento de saudade, se eu pudesse repetiria tudo sem hesitar nem um segundo.


Portugal: "Foi uma experiência incrível e inesquecível"

       Confira o relato de Gabriela Stasiaki Leichtweis, primeira intercambista do curso de Estética e Cosmética.

                  

Portugal é um país incrível. Seguro, acolhedor, que transborda generosidade e alegria em praticamente tudo. É muito fácil se sentir em casa e acredito que esses foram alguns fatores que auxiliaram para que esse intercâmbio se tornasse tão especial.

Estudei no Instituto Politécnico de Leiria, em Portugal, durante 6 meses. Leiria é uma cidade surpreendente, histórica e cheia de vida. Para quem gosta de explorar a cidade, em cada cantinho dela possui uma surpresa, arte, muita história e comida típica. O custo de vida é considerado baixo, comparado as demais cidades importantes de Portugal e da Europa.

O sistema de ensino do IPLeiria é um pouco diferente em relação ao da Unijuí, as disciplinas possuem apenas uma avaliação, que lá é chamada de frequência e esta é dividida em 3 etapas: a primeira, que é o período de frequência normal; na segunda etapa, vem o período de exame, para aqueles que não atingiram a média no período normal; e ainda possui o período de recurso, que é o último.

As aulas possuem horários variados, geralmente são em torno de duas a quatro horas para cada disciplina. Além disso, o IPL possui uma ótima infraestrutura de salas de aulas, biblioteca, cantinas, etc. Os professores e demais funcionários do Instituto estão sempre dispostos a auxiliarem os alunos estrangeiros, tanto para a adaptação na cidade, como para as aulas e conteúdos. Nós, estudantes e intercambistas da Unijuí, somos recebidos junto com os estudantes do ERASMUS, que é um programa de apoio interuniversitário da União Europeia.

Foi uma experiência incrível e inesquecível. Ter a oportunidade de manter contato com diversas culturas e povos, a gastronomia, viajar a lugares que sempre sonhei conhecer e, também, estar diante de novos métodos de ensino e de aprendizagem. É uma renovação por completo, como estudante, futura profissional e principalmente como ser humano.

Agradeço à Unijuí por oferecer mais esta oportunidade de estudo! Ao Escritório de Relações Internacionais e também a minha coordenadora e à secretária do curso por todo o apoio, bem como a todos que de alguma forma ajudaram para que mais este sonho se tornasse realidade.


As primeiras impressões da Polônia

No início é difícil de acreditar. Os amigos perguntam “tá tudo certo para a tua viagem?” e os professores “ué, mas você ainda está no Brasil?”. As despedidas se tornam rotina para os últimos dias antes de sair de casa rumo a um semestre de estudos em outro hemisfério. Até que você está no aeroporto, no avião e, quase um dia depois, chega em um país cinza e branco. Tudo está coberto de neve. Aquelas vezes que brincamos de mímica na escola não foram em vão (agora são imensamente úteis na comunicação, hahaha). Então, com uma combinação de sorte, esforço e perseverança, chegamos no destino final. 

     

Por questões de praticidade, os intercambistas da UNIJUI recebidos na UMCS são acolhidos com os estudantes do ERASMUS, um programa de apoio interuniversitário da união europeia. Isso inclui o acompanhamento de um mentor, que normalmente é estudante e nativo da região. No dia seguinte à chegada na cidade, fizemos um tour para conhecer Lublin.

A agenda da primeira semana foi preenchida com eventos de orientação e apresentação da universidade: conhecemos mais sobre o funcionamento da UMCS, transporte público e demais informações pertinentes à permanência na cidade polonesa. No final de cada dia eram apresentadas diferentes propostas de integração para os intercambistas, como patinação no gelo, encontros em pubs, refeições tradicionais polonesas e visitas a museus. No último dia 7 de abril, ocorreu o evento ERASMUS Day, momento em que os intercambistas apresentaram suas universidades aos estudantes poloneses. 

         

Com relação à vida acadêmica, um aspecto que difere os estudos na UNIJUÍ e na UMCS é a forma como os alunos são orientados a respeito do desenvolvimento das aulas durante o semestre. Acostumados com planos de ensino, ementa e materiais disponíveis no portal do aluno, fomos surpreendidos com a necessidade de entrar em contato diretamente com cada professor a fim de discutir os planos de estudo. Talvez essa característica seja específica aos estudantes estrangeiros, uma vez que nem sempre estão em número suficiente para formar uma turma para ensino regular (que aqui é conhecido como “palestra”), sendo necessário que recebam orientação individual. Essa particularidade exige que o aluno exerça suas capacidades autodidatas, seja lendo a bibliografia sugerida ou pesquisando sobre o tema.

A experiência de fazer um intercâmbio tem sido muito enriquecedora, principalmente em seus aspectos culturais, acadêmicos e intelectuais. É uma oportunidade única de aprender um novo idioma, conhecer pessoas com costumes completamente diferentes e claro, estudar em um ambiente novo.


A oportunidade de intercâmbio em Portugal

 
 

Felipe Secchi conta sua experiência em Portugal.


Leia mais...

Notícias da Polônia: diversidade linguística e exigência nos estudos

 
 

Confira o Relato de Rodolfo Berlezi, que está fazendo um ano de intercâmbio na Polônia.


Leia mais...