Notícias

Prova do Vestibular Mais foi realizada neste domingo


Neste domingo a Unijuí realizou a prova do Vestibular Mais 2019. Com início às 8h30min, a seleção, em Ijuí, foi realizada na Sede Acadêmica. Também foi aplicada nos Campi Santa Rosa, Três Passos e Panambi.

Os candidatos responderam a 40 questões objetivas e mais uma prova de redação. Nesta edição o tema foi Desemprego. Os futuros estudantes da Unijuí receberam um texto base, com o título “Desalentados: o lado oculto do desemprego”, de Alan Rodrigues para a Revista Isto É, e a partir disso, produziram um texto dissertativo argumentativo expressando a opinião sobre o tema, levando em consideração o seu conhecimento e a sua experiência, podendo fazer uso de exemplos, fatos e dados.

Segundo a Vice-Reitora de Graduação da Unijuí, professora Cristina Pozzobon, o processo seletivo transcorreu normalmente, conforme o planejado neste novo espaço. “A estrutura preparada para a prova e o acolhimento de familiares atendeu a expectativa da Comissão organizadora do Vestibular”, avaliou.

O gabarito será divulgado na segunda-feira, dia 04, e o listão sai na terça-feira, dia 05. As matrículas iniciam na quarta-feira, dia 06. Todas as informações podem ser consultadas no site do Vestibular: www.unijui.edu.br/vestibular. “Para o ingresso em 2019, a Universidade oferece um conjunto de bolsas e benefícios aos futuros alunos, como o CrediUnijuí e o Plano de Flexibilização de Pagamento”, lembra a Vice-Reitora de Graduação da Unijuí, professora Cristina Pozzobon.

Fonte: Unijuí/Comunica


Projeto Rondon: UNIJUÍ realiza atividades em 95 comunidades do Piauí

Após 11 dias de atividades, os acadêmicos da UNIJUÍ que participam do Projeto Rondon 2019 Operação Parnaíba encerraram suas atividades no município de Cabeceiras, em que atuaram em 19 núcleos de ação, agregando atividades em mais de 95 povoados. Foram realizadas 64 oficinas contemplando as áreas de cultura, saúde, educação, direito, comunicação, produção e tecnologia, trabalho e geração de renda e meio ambiente, o que segundo a coordenadora adjunta da equipe da Universidade, professora Leonir Uhde, são ações que permitiram atender aos objetivos do projeto Rondon. "Somos imensamente gratos ao Ministério da Defesa pela coordenação do Projeto Rondon. À UNIJUÍ, pela disposição de participar do edital da operação Parnaíba e ser selecionada, dando todas as condições necessárias para a capacitação dos estudantes selecionados dos cursos de Jornalismo, Agronomia, Nutrição e Medicina Veterinária. E à toda população de Cabeceiras do Piauí, que nos acolheu com tanto amor e carinho", avaliou. 

Dá o play na playlist com o depoimento dos acadêmicos que estão participando do projeto Rondon 2019, com seus relatos de experiência: 


Juiz indefere pedido de liminar do CREMERS e Vestibular de Medicina segue com inscrições abertas

O Juiz da 4ª Vara Federal de Porto Alegre, Bruno Brum Ribas, indeferiu, nesta terça-feira, 29, o pedido de tutela provisória de urgência para a suspensão da criação do curso de Medicina, na Unijuí e em Ijuí, movido pelo Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio Grande do Sul – CREMERS. A Ação Civil Pública proposta pelo Conselho, contra a União e a Unijuí, questionava a necessidade de novos médicos em Ijuí e na região alegando excesso de profissionais e grave risco à saúde da comunidade.

A decisão foi encaminhada logo após a Unijuí e a Advocacia Geral da União apresentarem suas defesas no processo, que argumentaram sobre a falta de elementos que sustentavam a solicitação de suspensão do curso. Unijuí e União acreditam que os questionamentos feitos pelo CREMERS deveriam ter ocorridos no processo do primeiro edital, de 2013, o qual habilitou o município de Ijuí e outros municípios brasileiros e não no processo do edital de 2017, o qual habilitou a Unijuí. Mas para além disso, a tese principal é a não competência do CREMERS, considerando que o mesmo é um órgão de classe e não tem competência para autorização de curso de graduação, competência do Ministério da Educação - MEC.

No despacho, o Juiz entendeu como lícitos e legais os procedimentos ligados a homologação e implantação do Curso de Medicina, processo feito pelo MEC, órgão competente que autoriza, avalia e zela pelo padrão de qualidade adequado da educação no país. Reforçou, ainda, trechos do parecer dos avaliadores do MEC sobre a insfraestrutura da Unijuí, de Ijuí e sua rede de Saúde Pública, e dos hospitais que farão parte da formação acadêmica dos estudantes.

Em entrevista à Rádio Unijuí FM, a reitora da Unijuí, Cátia Maria Nehring, comemorou a primeira decisão favorável. “Temos grande confiança que podemos continuar com todos os processos necessário ao Vestibular e a abertura do curso, que o edital foi legítimo, cumpriu todos os prazos e, principalmente, que cumprimos toda a ritualidade dos dois editais, tanto aquele que habilitou o município de Ijuí como aquele que autorizou a Fidene/Unijuí a ofertar o curso de Medicina”.

Confira um trecho da decisão do Juiz Bruno Brum Ribas:

“Desse modo, pode-se afirmar, ao menos em sede de cognição sumária, inexistir prova do alegado risco de dano à saúde pública, sendo a criação da faculdade de medicina na UNIJUÍ - hoje uma Instituição Comunitária de Educação Superior, sem fins lucrativos - resultado de política pública que visa à melhoria do serviço prestado no Sistema Único de Saúde, tendo o seu processo de criação observado o procedimento próprio estabelecido pelo Ministério da Educação e Cultura para todos os municípios participantes, com amparo em legislação específica, não se verificando nele atuação desconforme com os preceitos legais ou constitucionais nem com os princípios da proporcionalidade ou razoabilidade.”

A partir de agora, o Juiz deverá julgar o mérito do processo, ou seja, analisar os documentos processuais e só assim dar a decisão final com o arquivamento do processo. O edita do Vestibular de Medicina da Unijuí segue com as inscrições abertas até o dia 17 de fevereiro no Portal da Unijuí, unijui.edu.br/vestibularmedicina.

Confira a entrevista na íntegra da Reitora da Unijuí, professora Cátia Maria Nehring, na Rádio Unijuí FM: 

Fonte: Comunica.


Desastre em Brumadinho é analisado por especialista na UNIJUÍ FM

O desastre ambiental envolvendo o rompimento de uma barragem em Brumadinho, Minas Gerais, foi analisado nesta segunda-feira pela professora do DCVida e presidente da Aipan, Francesca Ferreira, na UNIJUÍ FM. A Mina Córrego do Feijão faz parte do Complexo de Paraopeba, que possui no total 13 estruturas utilizadas para disposição de rejeitos, retenção de sedimentos, regulação de vazão e captação de água. A barragem com 12,7 milhões de metros cúbicos de rejeitos e 86m de altura (um prédio de 28 andares) acumulava metais pesados, resíduos de ferro e sílica, sedimentos tóxicos que causam graves danos humanos e ambientais.

Em entrevista, a professora Francesca Ferreira falou sobre o impacto ambiental e humano a partir do desastre ocorrido na última sexta-feira, o enorme distanciamento entre as informações que constam no projeto a ser aprovado e sua execução, a falta de fiscalização, as possíveis mudanças a partir de agora e sobre empreendimentos ambientais que sofrem risco em nível de Rio Grande do Sul.

Ouça a entrevista na íntegra:

 

O que se sabe até agora:

- Dos 65 mortos confirmados, 35 foram identificados;  

- Entre as 292 pessoas desaparecidas, há moradores locais e funcionários da Vale;

- 192 sobreviventes foram resgatados e outros 382 foram localizados;

- Barragem usava tecnologia de construção comum, mas era considerada opção menos segura por especialistas e mais propensa a riscos de acidentes;

- Mina que abriga barragem responde por 2% da produção da Vale;

- A Vale já teve quatro bloqueios de recursos, totalizando R$ 11,8 bilhões. Os bloqueios foram de R$ 800 milhões, R$ 1 bilhão, R$ 5 bilhões e R$ 5 bilhões (veja), além de multas no total de R$ 350 milhões;

- A Vale suspendeu bônus a executivos da empresa e pagamento de lucros a acionistas e criou 2 comitês para acompanhar a tragédia;

- As Polícias Federal e Civil abriram inquéritos sobre o rompimento;

- A ONU emitiu nota de pesar e ofereceu ajuda nos esforços de busca;

- O Instituto Inhotim, que fica em Brumadinho, ficará fechado até dia 31 (veja);

- As ações da Vale caíram mais de 20% nesta segunda e puxaram a queda da Bovespa. Com o recuo, a empresa perdeu mais de R$ 45 bilhões em valor de mercado.

Fonte: G1


Sub-categorias