Destaques do Comunic@

A Unijuí é uma das universidades integrantes do Consórcio das Universidades Comunitárias Gaúchas (Comung) e uma das parceiras do IX Fórum de Gestão e Inovação do Comung. O evento, realizado nos dias 25 e 26 de novembro, contou com programações presenciais realizadas na Universidade de Caxias do Sul (UCS) e diversas atividades online. O Fórum teve como temática central “A universidade comunitária inovadora: fortalecendo o DNA do Ensino Superior”. Na tarde desta sexta-feira, dia 26, a reitora da Unijuí, professora Cátia Maria Nehring, foi a mediadora do painel “Ambientes de inovação: desenvolvendo negócios e interagindo com a comunidade”. Participaram como painelistas: Artur Gibbon, presidente da Rede Gaúcha de Ambientes de Inovação (Reginp); Francisco Saboya, presidente da Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec); Giovani Feltes, deputado federal; e Pedro Valério - CEO do Instituto Caldeira. O painel foi transmitido na íntegra pelo canal do YouTube do Comung. Convidado pela mediadora a iniciar o debate, Artur Gibbon argumentou sobre a forte relação entre ambientes de inovação e de ensino. “O combustível da inovação é o conhecimento e o conhecimento, na sua grande maioria, advém das Universidades, dos nossos Trabalhos de Conclusão de Curso, dissertações de Mestrado, teses de Doutorado e também das pesquisas realizadas em laboratórios, em todas as áreas do conhecimento. É muito comum um ambiente de inovação, em especial uma incubadora ou um parque tecnológico, estar atrelado a uma Universidade”, destacou o presidente da Reginp. Reforçando diversos argumentos importantes colocados pelos painelistas, a professora Cátia apontou para a necessidade de ações para atração e retenção de talentos, além da formação, que é uma competência das universidades. “Dinâmicas e ambientes de inovação passam efetivamente por pessoas. Deve-se definir políticas de longo prazo, apontando e tendo como elementos centrais o capital humano, para desencadear um capital financeiro. Ambientes de inovação são necessários se quisermos entender o desenvolvimento das regiões. E como efetivamente promover? A partir de academia, sociedade, poder público e empresas”, colocou a reitora da Unijuí. A Unijuí, como uma universidade comunitária, também coloca à disposição da comunidade diversas ações e ambientes ligados à inovação, como a Agência de Inovação Tecnológica (AGIT) e a Criatec, incubadora de novos negócios e que apoia empreendedores.


A Unijuí é uma das universidades integrantes do Consórcio das Universidades Comunitárias Gaúchas (Comung) e uma das parceiras do IX Fórum de Gestão e Inovação do Comung. O evento, realizado nos dias 25 e 26 de novembro, contou com programações presenciais realizadas na Universidade de Caxias do Sul (UCS) e diversas atividades online. O Fórum teve como temática central “A universidade comunitária inovadora: fortalecendo o DNA do Ensino Superior”. Na tarde desta sexta-feira, dia 26, a reitora da Unijuí, professora Cátia Maria Nehring, foi a mediadora do painel “Ambientes de inovação: desenvolvendo negócios e interagindo com a comunidade”. Participaram como painelistas: Artur Gibbon, presidente da Rede Gaúcha de Ambientes de Inovação (Reginp); Francisco Saboya, presidente da Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec); Giovani Feltes, deputado federal; e Pedro Valério - CEO do Instituto Caldeira. O painel foi transmitido na íntegra pelo canal do YouTube do Comung. Convidado pela mediadora a iniciar o debate, Artur Gibbon argumentou sobre a forte relação entre ambientes de inovação e de ensino. “O combustível da inovação é o conhecimento e o conhecimento, na sua grande maioria, advém das Universidades, dos nossos Trabalhos de Conclusão de Curso, dissertações de Mestrado, teses de Doutorado e também das pesquisas realizadas em laboratórios, em todas as áreas do conhecimento. É muito comum um ambiente de inovação, em especial uma incubadora ou um parque tecnológico, estar atrelado a uma Universidade”, destacou o presidente da Reginp. Reforçando diversos argumentos importantes colocados pelos painelistas, a professora Cátia apontou para a necessidade de ações para atração e retenção de talentos, além da formação, que é uma competência das universidades. “Dinâmicas e ambientes de inovação passam efetivamente por pessoas. Deve-se definir políticas de longo prazo, apontando e tendo como elementos centrais o capital humano, para desencadear um capital financeiro. Ambientes de inovação são necessários se quisermos entender o desenvolvimento das regiões. E como efetivamente promover? A partir de academia, sociedade, poder público e empresas”, colocou a reitora da Unijuí. A Unijuí, como uma universidade comunitária, também coloca à disposição da comunidade diversas ações e ambientes ligados à inovação, como a Agência de Inovação Tecnológica (AGIT) e a Criatec, incubadora de novos negócios e que apoia empreendedores.


Uma das iniciativas desenvolvidas pela Unijuí foi apresentada nesta sexta-feira, 26 de novembro, durante a nona edição do Fórum de Gestão e Inovação do Consórcio das Universidades Comunitárias Gaúchas (Comung). Realizada de forma online, a feira Pitch Comung reuniu relatos de ações executadas pelas 14 instituições integrantes do Consórcio, que mostram como incluir o empreendedorismo no Ensino Superior. Coordenador do projeto Cidades Inteligentes, o professor Peterson Cleyton Avi apresentou a maratona realizada no primeiro semestre deste ano, a HackPower: transformando ideias em energia, destinada a estudantes, egressos, startups, empresas de base tecnológica e demais interessados. Realizada pela Unijuí por meio do Projeto Cidades Inteligentes, da Criatec e da Agência de Inovação Tecnológica (Agit); a iniciativa contou com a parceria do Sebrae, a partir do projeto Empreenda Mais; e do governo do Estado, através do Programa Inova RS - Noroeste e Missões. “O evento foi pensado a partir da crise energética, discutida desde o ano passado, mas que acabou se intensificando neste ano. Tivemos 158 pessoas ativas na plataforma, em 24 equipes, sendo que 16 chegaram à apresentação dos pitchs”, explicou o professor, lembrando que os participantes tiveram que pensar em soluções para o fomento e incentivo à cadeia do biogás; soluções para o pós-venda em relação à energia fotovoltaica; e gerenciamento de demandas das concessionárias: picos de cargas. Hoje, cinco equipes discutem a implementação das suas soluções, sendo que uma já está em processo de incubação. Para conferir todos os cases apresentados na feira virtual, clique aqui. 


Desde o início de 2021, a Unijuí conta com a Graduação Mais, um novo modelo de cursos de graduação que aproxima os acadêmicos de inovações que estão se consolidando no cenário da educação superior, a exemplo dos currículos por competências e módulos, Projetos Integradores e Formação Pessoal e Profissional. Desde o primeiro semestre, os estudantes são inseridos na realidade de seus municípios, aproximando-se da realidade do mercado de trabalho, por meio dos Projetos Integradores - componentes curriculares onde os estudantes recebem desafios reais, encaminhados pela comunidade, e trabalham em soluções ao longo do semestre.  Entre o primeiro e segundo semestre de 2021, 240 desafios foram cadastrados na plataforma unijui.edu.br/soumais, por empresas, instituições hospitalares, entidades e órgãos públicos de Ijuí e região. Somente no Módulo II, há 69 desafios com projetos, em plena execução, em áreas como saúde, terceira idade, educação, saúde animal, inclusão social, direito social e direito do consumidor. “Lembrando que também contamos com 188 mentores cadastrados na plataforma, 52 com atuação neste segundo semestre. Os mentores são profissionais com atuação no mercado de trabalho, que se candidatam voluntariamente para orientar os projetos, em parceria com os professores”, explica a vice-reitora de Graduação, professora Fabiana Fachinetto, lembrando que a Graduação Mais, para além dos Projetos Integradores, se destaca pela metodologia utilizada em sala de aula, onde as atitudes dos acadêmicos são trabalhadas em todos os componentes, e principalmente nas disciplinas de Formação Pessoal e Profissional.  “Ao trabalharmos por competências, pensamos no profissional que queremos formar para o mercado de trabalho. Construímos os currículos pensando que os estudantes precisam ser formados a partir de uma tríade: conhecimento, que é o saber científico; aplicabilidade, ou saber fazer aquilo que aprendeu teoricamente; e saber ser. Buscamos trabalhar as atitudes destes futuros profissionais, seja em termos de comunicação, de trabalho em grupo, gerenciamento de conflitos, de ética e responsabilidade, que são valores muito importantes”, explica a professora Fabiana. Como lembra a vice-reitora, pesquisas mostram que 90% das pessoas são contratadas pelas suas habilidades, pelo saber científico e pelo saber fazer, mas um grande número de desligamentos está associado ao não conseguir trabalhar em grupo e não conseguir ser proativo. “Nossa proposta é bastante robusta porque ela procura abarcar estas três facetas de competências que, com certeza, vão refletir na competência profissional dos nossos estudantes”, frisou a professora. Até segunda-feira, dia 29 de novembro, é possível se candidatar ao Vestibular de Verão da Unijuí, por meio do endereço unijui.edu.br/vestibular. Na


Em atenção às orientações e decretos dos Governos Federal, Estadual e dos municípios da região de abrangência da Fidene/Unijuí, em especial ao  Decreto Estadual nº 56.120, de 1º de Outubro de 2021 e ao Informe Técnico nº 16, do Centro Estadual de Vigilância em Saúde da Secretaria Estadual de Saúde, o Comitê Institucional de Prevenção Interna informa:   - Conforme determinado no Art. 8º-A do Decreto acima citado, passa a ser obrigatória a apresentação do  passaporte vacinal a partir do dia 18/10/201 para entrada nos espaços de Auditórios e Salão de Atos da Universidade.   O passaporte vacinal poderá ser obtido via carteira digital (App Conecte SUS) ou caderneta física, e deverá seguir o cronograma do quadro abaixo: Faixa etária Data para exigência da D1 ou DU Data para exigência do esquema vacinal completo - D1 +D2 ou DU 40 anos de idade ou mais A partir de 1º de outubro 30 a 39 anos de idade A partir 1º a 31 de outubro A partir de 1º de novembro 18 a 29 anos de idade A partir 1º outubro a 30 novembro A partir de 1º dezembro   - Para as formaturas agendadas  de forma presencial, passa a ser obrigatória a apresentação do Comprovante de Vacinação.  - As Comissões de Formatura continuam sendo comunicadas previamente de todos os protocolos de saúde que deverão ser cumpridos, considerando os Decretos governamentais. - Reiteramos que nos espaços institucionais, o uso de máscara permanece obrigatório, assim como o cumprimento de todos os demais protocolos de segurança. - Permanecem inalteradas as orientações exaradas pela NOTA OFICIAL FIDENE Nº 31 UNIJUÍ/RÁDIO UNIJUÍ FM/MUSEU/EFA  - Os casos positivos e suspeitos envolvendo pessoas da comunidade acadêmica estão sendo acompanhados pelo COE-Local e pela Vigilância Epidemiológica do Município, a partir de todos os protocolos definidos pelos órgãos oficiais.   Contamos com a colaboração da comunidade universitária para que de forma muito consciente e responsável  enfrentemos a situação de pandemia sem retrocessos. Por esta razão, reforçamos que cada um precisa fazer a sua parte para superar este momento.     Todas as atualizações serão publicadas APENAS pelos canais oficiais da FIDENE/Universidade/EFA/Museu/Rádio Unijuí FM.


Em todo o planeta, existem cerca de 3 mil herbários ativos. Entre eles está o Herbário Rogério Bueno, da Unijuí, que possui mais de 7 mil espécimes vegetais catalogadas e armazenadas. O acervo é utilizado como referência a pesquisas científicas, sobretudo por acadêmicos do curso de Ciências Biológicas da Universidade. Os materiais também são emprestados para estudos de pesquisadores de várias instituições do Brasil. A principal função de um herbário é abrigar amostras de espécies vegetais prensadas e secas (chamadas de exsicatas), que servem como um catálogo da biodiversidade vegetal. “Temos espécies não só locais, mas do Brasil todo e até estrangeiras, que formam uma base de estudos para comparação de morfologia, fisiologia e da própria ecologia”, destaca a estudante de Ciências Biológicas, Caroline Aygadoux. Fundado em 1985, o Herbário Rogério Bueno inicialmente recebeu o nome de Herbário da Universidade de Ijuí e o acrônimo HUI. Em 2000, o local foi renomeado, em homenagem ao seu falecido fundador, o botânico Rogério Bueno. No ano de 2018, após adequação de suas instalações, revisão e recadastramento do acervo, o Herbário foi cadastrado no Index Herbariorum, com o acrônimo HUIRB.  O Index Herbariorum é um índice internacional que permite a pesquisadores e cientistas acesso rápido a dados online dos cerca de 3 mil herbários existentes no mundo, que abrigam um total de 390 milhões de espécimes e possuem 12 mil funcionários associados. O Herbário Rogério Bueno integra ainda a Rede de Herbários do Rio Grande do Sul e a Rede Brasileira de Herbários. Para entrar em contato, basta enviar um e-mail para huirb@unijui.edu.br. Por Amanda Thiel, acadêmica de Jornalismo da Unijuí


1

Baixe o aplicativo Unijuí FM

Fale conosco

Ícone Whatsapp 55 99131 5487
Ícone Skype radio@unijui.edu.br