Unijuí FM - Unijuí
Destaques do Comunic@

A Unijuí inaugurou na noite desta quinta-feira, 23 de junho, mais um polo de Educação a Distância (EaD) no município de Tupanciretã. O evento que marcou a apresentação da Universidade e dos 15 cursos de graduação EaD ofertados aconteceu na Câmara Municipal, seguido de uma palestra sobre “O papel da liderança na vida das pessoas”. Ela foi ministrada pelo coordenador dos cursos EaD na Unijuí, professor Luciano Zamberlan. O evento contou com a presença da coordenadora do polo no município, Camila Côrtes, e do prefeito de Tupanciretã, Gustavo Terra, que aproveitou o momento para falar da satisfação em poder contar com uma instituição como a Unijuí na cidade. Ele destacou a importância da educação para a transformação da sociedade, do município e da própria região. Conforme destacou o professor Zamberlan, o projeto de expansão consolida a oferta de cursos na modalidade EaD. “Nós sempre consideramos importante a abertura de um novo polo, especialmente de forma presencial, porque podemos conversar com as pessoas e mostrar os diferenciais que oferecemos. Nossos cursos contam com o compromisso de uma formação superior de qualidade, onde os materiais, o planejamento e interação com professores e tutores são bem pensados. Tudo para que nossos estudantes possam desenvolver seu conhecimento, suas habilidades, atitudes e competências, estando aptos para colocar o talento à disposição da sociedade e das empresas”, reforçou o coordenador. De acordo com Zamberlan, novos polos EaD devem ser inaugurados até o final do ano, a partir de novas parcerias. Também é trabalhada a ampliação da oferta dos cursos de graduação e pós-graduação na modalidade.  Para a coordenadora do polo, Câmila Côrtes, as expectativas são as melhores com a inauguração. “É uma oportunidade incrível para as pessoas terem um ensino de qualidade, através de uma Universidade renomada, que proporcionará aos estudantes uma diversidade de cursos e experiências inovadoras. Estamos muito felizes com esta parceria no ensino, que trará ainda mais desenvolvimento da cultura e da educação em nosso município. Os estudantes terão um atendimento personalizado, com um ambiente estruturado, localização privilegiada, para melhor recebê-los e ajudá-los na realização dos seus sonhos”, afirmou.  O novo polo está localizado na Avenida Vaz Ferreira, nº 1.297, no centro de Tupanciretã.


A Unijuí inaugurou na noite desta quinta-feira, 23 de junho, mais um polo de Educação a Distância (EaD) no município de Tupanciretã. O evento que marcou a apresentação da Universidade e dos 15 cursos de graduação EaD ofertados aconteceu na Câmara Municipal, seguido de uma palestra sobre “O papel da liderança na vida das pessoas”. Ela foi ministrada pelo coordenador dos cursos EaD na Unijuí, professor Luciano Zamberlan. O evento contou com a presença da coordenadora do polo no município, Camila Côrtes, e do prefeito de Tupanciretã, Gustavo Terra, que aproveitou o momento para falar da satisfação em poder contar com uma instituição como a Unijuí na cidade. Ele destacou a importância da educação para a transformação da sociedade, do município e da própria região. Conforme destacou o professor Zamberlan, o projeto de expansão consolida a oferta de cursos na modalidade EaD. “Nós sempre consideramos importante a abertura de um novo polo, especialmente de forma presencial, porque podemos conversar com as pessoas e mostrar os diferenciais que oferecemos. Nossos cursos contam com o compromisso de uma formação superior de qualidade, onde os materiais, o planejamento e interação com professores e tutores são bem pensados. Tudo para que nossos estudantes possam desenvolver seu conhecimento, suas habilidades, atitudes e competências, estando aptos para colocar o talento à disposição da sociedade e das empresas”, reforçou o coordenador. De acordo com Zamberlan, novos polos EaD devem ser inaugurados até o final do ano, a partir de novas parcerias. Também é trabalhada a ampliação da oferta dos cursos de graduação e pós-graduação na modalidade.  Para a coordenadora do polo, Câmila Côrtes, as expectativas são as melhores com a inauguração. “É uma oportunidade incrível para as pessoas terem um ensino de qualidade, através de uma Universidade renomada, que proporcionará aos estudantes uma diversidade de cursos e experiências inovadoras. Estamos muito felizes com esta parceria no ensino, que trará ainda mais desenvolvimento da cultura e da educação em nosso município. Os estudantes terão um atendimento personalizado, com um ambiente estruturado, localização privilegiada, para melhor recebê-los e ajudá-los na realização dos seus sonhos”, afirmou.  O novo polo está localizado na Avenida Vaz Ferreira, nº 1.297, no centro de Tupanciretã.


O sistema educacional no Brasil está passando por um momento de mudanças, incertezas e desafios. E um dos obstáculos está relacionado à falta de professores, tanto agora quanto para o futuro.  Para debater esta problemática, o Rizoma desta sexta-feira, 24 de junho, abordou o tema “O apagão nas licenciaturas”. Os convidados do programa foram o coordenador pedagógico da Secretaria Municipal de Educação, José Augusto Fiorin; a coordenadora regional de Educação, Evelise Eberle; e a professora dos cursos de Letras e Pedagogia da Unijuí, Taíse Neves Possani.  Segundo a coordenadora Evelise, a realidade na região é, de certa forma, tranquila, pois possui professores em caso de necessidade. Apesar disso, em outras coordenadorias regionais, existem áreas do conhecimento que possuem lacunas. “Essa demora para realização de concursos também prejudica, pois muitos acadêmicos desistem pela falta de perspectiva de trabalho”, alegou.  O professor Fiorin observa que o fenômeno de esquecimento na hora das escolhas por parte dos vestibulandos não é oriundo do momento pandêmico. “Já estávamos sentindo que havia a possibilidade desse apagão ocorrer. Por vários fatores entendemos o porquê de a docência não ser mais uma profissão ou uma missão de vida tão atrativa aos nossos jovens”, salientou.  Dentre os fatores apontados pelo coordenador está o desmerecimento da profissão como um todo. “Quando se fala em valorização, temos que compreender que é uma valorização que não passa somente pela questão salarial, mas, sim, que perpassa pelas condições de trabalho'', acrescentou. Segundo a professora Taíse, essa é uma discussão que deve passar pela sociedade. “Nós precisamos assumir a pauta da educação com a seriedade que ela precisa ser tratada, porque é a construção de um mundo, a partir das crianças e jovens, no qual nós devemos nos responsabilizar”, comentou. Além dos participantes, o Rizoma contou com a participação da professora da rede estadual, Cristina Fiorin Calegaro, que afirmou que esse problema é existente há mais de 20 anos. “As turmas já eram pequenas durante a minha formação acadêmica. Também deve-se pensar que a falta de incentivo nos últimos anos, pelo governo, e a carga horária excessiva são fatores que influenciam nessa desmoralização”, relatou. Evelise finaliza contando que, como coordenadora regional de educação, não é a primeira vez que escuta professores descrevendo situações dessa natureza. “A narrativa da professora Cristina é uma realidade que escutamos e vivenciamos todos os dias”, completa. Gabriel R. Jaskulski, acadêmico de Jornalismo da Unijuí Confira o Rizoma na íntegra:      


      Slide 1 Lacinia neque maecenas integer imperdiet cras sociis torquent conubia. Slide 2 Curae cras mus nullam euismod magna in ligula hendrerit metus ante. Slide 3 Nisi nunc mus vehicula primis ridiculus nisl senectus, a praesent nascetur blandit proin. Na noite desta quinta-feira, 23 de junho, o curso de Letras - Português e Inglês da Unijuí promoveu uma Aula Aberta para discutir a sociedade e a literatura da Idade Média por meio de “Os contos da Cantuária”, de Geoffrey Chaucer. O evento foi realizado de forma híbrida, com debate presencial no Centro de Eventos e transmissão pelo canal da Unijuí no Youtube. De acordo com o professor Anderson Amaral de Oliveira, o objetivo da atividade foi proporcionar uma análise da Idade Média e da sociedade, a partir da literatura. A aula especial aconteceu a partir da disciplina de Literatura em Língua Inglesa, onde os estudantes trabalharam inicialmente obras contemporâneas, como 1984 de George Orwell, passando por William Shakespeare até chegar em Geoffrey Chaucer.  “Chaucer não só marca a literatura, mas a própria língua inglesa. Ler esta obra no inglês original é um desafio, uma vez que ela foi registrada em inglês médio, que se distancia da Língua Inglesa moderna”, explicou. Mediador da aula aberta, o professor de História, Josei Fernandes Pereira, lembrou que a obra sintetiza e ajuda a pensar muitas das estruturas da sociedade medieval. E para ajudar a esmiuçar o livro, foi convidado o professor Dinarte Belato, que é graduado em Filosofia e mestre em História.  Para conferir a Aula Aberta na íntegra, acesse:


A presença da Unijuí na Região Celeiro, por meio de estrutura organizacional descentralizada, teve início em 24 de junho de 1992, marcando a expansão da Universidade pela criação do Campus Universitário de Três Passos. No ano seguinte, 1993, se deu início às atividades na sede do campus em Padre Gonzales – Três Passos. Em dezembro daquele mesmo ano, o município de Três Passos, através do Poder Público Municipal com a participação da FIDENE, adquiriu parte ideal (70%) dos prédios de alvenaria do antigo Colégio das Irmãs, para acomodação, expansão e consolidação da Unijuí. E em 1994 houve a transferência da sede do Campus para a Rua Conde de Porto Alegre, 235, Praça Reneu  Geraldino Mertz. Desde então forma profissionais com competência técnica e com excelência acadêmica, especialmente na área do Direito, curso que até hoje se mantém no campus corroborando com a formação por excelência dos seus profissionais. Com esse espírito empreendedor e valorizando a busca do desenvolvimento regional por meio da educação, o campus Três Passos comemorou na manhã desta sexta-feira, 24 de junho, seus 30 anos de consolidação junto à comunidade. Para marcar esse momento, foi organizado um café da manhã com a imprensa e autoridades do município que relembraram a importância da implementação do campus. O professor Telmo Frantz, reitor à época, destacou que a Unijuí foi a primeira Universidade da nova república, após mais de 30 anos sem ter sido criada nenhuma nova universidade. “A regionalidade é algo presente desde a criação da Fidene, em 1968, mas a Unijuí, à época, era a Universidade de Ijuí. Apesar de fazer suas ações regionais, tínhamos o entendimento de que era necessário estarmos mais próximos dos jovens da comunidade regional, proporcionando a eles a oportunidade de se graduar em suas próprias cidades ou ainda, mais próximo delas. E foi assim, associada à parcerias, que começamos a expandir para a região, em especial para Três Passos”, contou o professor. Ele destacou ainda que a regionalização teve em seu cerne a ideia de levar as discussões para além da área das humanidades, buscando expandir a discussão acerca da ciência e da tecnologia que mais se apropriava das necessidades da região. A pró-reitora à época, Elvídia Zamin, contou alguns dos principais feitos históricos para que o campus Três Passos ganhasse vida e relembrou, sobretudo, um momento marcante em que ela e o professor Telmo se reuniram com as lideranças para explicar a importância da Universidade


Antecedendo a Aula Aberta, o curso de Letras: Português e Inglês da Unijuí realizou nesta quinta-feira, 23 de junho, um unboxing - expressão que significa “tirar da caixa” e uma ação que busca promover uma experiência diferenciada de abertura de produtos, para que os estudantes pudessem conhecer os livros adquiridos com apoio do Fulbright, um dos mais tradicionais programas de intercâmbio educacional do governo dos EUA e que desenvolve, em colaboração com a Unijuí, o programa English Teaching Assistant (ETA). “Todos os anos, o ETA traz duas professoras americanas para trabalhar conosco. E um dos recursos que eles nos proporcionaram foi para a aquisição de uma gama de livros de Língua Inglesa, que serão doados para a Universidade. São cerca de 60 livros, desde obras clássicas até contemporâneas”, explicou o professor Anderson Amaral de Oliveira. Os estudantes do curso de Letras serão os primeiros a ter acesso aos livros, por meio do Laboratório de Ensino de Línguas (Lelu). Depois, os exemplares estarão disponíveis na Biblioteca Mario Osorio Marques.  Desde o mês de maio, a comunidade acadêmica pode participar do English Conversation Club, que conta com as norte-americanas Krista Arellano e Nicole Bedoya, que se tornaram English Teaching Assistant (ETA) por meio do Programa Fulbright. Para o segundo semestre, a ideia é intensificar ainda mais essas atividades.  “É fantástico ter à disposição um grande programa, de uma instituição da envergadura da Fulbright, que vem nos apoiando e estimulando no desenvolvimento da língua estrangeira na Unijuí e também na região, já que muitos professores da rede básica vêm até a universidade para estudar, para praticar a língua inglesa”, reforçou o professor.


1

Baixe o aplicativo Unijuí FM

Fale conosco

Ícone Whatsapp 55 99131 5487
Ícone Skype radio@unijui.edu.br