Retrospectiva Fidene: Reinvenção num contexto pandêmico - Unijuí

Retrospectiva Fidene: Reinvenção num contexto pandêmico

O contexto pandêmico trouxe uma série de mudanças impactantes em diversas esferas sociais e em escala mundial. Os efeitos dessa transformação ainda estão sendo assimilados e em curso, trazendo à tona novas necessidades e destinos, especialmente para a área da educação, talvez uma das mais impactadas pela pandemia de Covid-19. 

Com base nesse cenário, o último Rizoma realizado em 2021 voltou seu olhar para dentro e trouxe à pauta o movimento de reinvenção institucional em meio a esse novo mundo. Participaram da discussão a presidente da Fidene e reitora da Unijuí, Cátia Maria Nehring; o diretor Executivo da Fidene e vice-reitor de Administração da Unijuí, Dieter Rugard Siedenberg; a vice-reitora de Graduação da Unijuí, Fabiana Fachinetto; e o vice-reitor de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão da Unijuí, Fernando Jaíme González.

Um universo de novas possibilidades

Onde os desafios postos pela pandemia escancaravam a necessidade urgente de mudança, a Unijuí viu um universo de novas possibilidades se colocando como um grande desafio de aprendizagem a partir de um processo inerente à reinvenção. “Saímos de 2020 com todo um processo de reinvenção planejado e pronto para entrar em prática. Há um ano, tínhamos a esperança de iniciar 2021 com o campus cheio, com a vida da universidade sendo preenchida pelo burburinho dos nossos estudantes. Mas aí nos deparamos um cenário ainda pior da pandemia. Precisamos reaprender a fazer todo o processo de reinvenção que continua como um aprendizado contínuo e adaptável às exigências dos desafios que se apresentam”, ressaltou a reitora, professora Cátia.

A presidente da Fidene ainda destacou que a pandemia trouxe à tona o valor da ciência e o valor da educação. “Se hoje estamos respirando sobre outros ares, com uma nova perspectiva e com grande esperança, isso se deve à ciência”, afirmou. Ela relatou ainda o processo de reinvenção vivido por cada uma das outras mantidas, como a Escola de Educação Básica EFA - em que teve um empenho absoluto dos professores e dos alunos no processo de aprendizagem em meio aos desafios impostos; do Madp - que por um ano e meio se reposicionou para as plataformas digitais e ao abrir suas portas novamente à comunidade no segundo semestre de 2021 passou a ser ainda mais valorizado pela comunidade; e da própria Rádio Unijuí FM - que agora além de ouvir os locutores e locutoras, também é possível assistir às entrevistas ao vivo por meio das transmissões feitas pelo Facebook da mesma. 

Prontos para o amanhã

Vindo de um processo de adaptação desde o ano de 2020, quando iniciaram as aulas online, o ensino na Unijuí sempre se demonstrou com um potencial de extrema destreza e impacto, capaz de se reinventar rapidamente para os desafios impostos pelos cenários que se apresentavam. “Esses processos de adaptação para o online nos mostraram que é possível potencializarmos e qualificarmos ainda mais os nossos processos. Além, é claro, dos eventos que migraram para o online, que ultrapassaram as barreiras regionais, popularizando a Universidade e as produções feitas a partir daqui para todo o mundo”, destacou a vice-reitora de Graduação, professora Fabiana Fachinetto.

A vice-reitora destacou ainda os processos vinculados ao ensino que precisaram migrar totalmente para o online, tais como os vestibulares e o processo de matrícula. “Todas essas adaptações com muitas pessoas em home office pelas questões de segurança e cuidado com a saúde. Todos esses são processos que demandaram muito esforço e que, apesar de não aparecerem tanto para o público externo, são essenciais para o êxito das atividades finais”, explicou.

Paralelo a todo esse processo, ainda houve o início da Graduação Mais com 30 novos projetos pedagógicos de cursos, buscando uma graduação mais acessível ao bolso dos estudantes e também interligada com a realidade e as necessidades do mercado de trabalho. “O ano ainda termina com uma excelente notícia, a avaliação com conceito 5 pelo MEC para o curso de Direito EaD. Um curso que exigiu extrema dedicação por parte dos professores no que se refere ao planejamento e que, apesar de ainda passar para uma nova fase de avaliação, já nos deixa extremamente felizes pelo reconhecimento com a nota de excelência para todo o empenho a ele”, frisa.

Reposicionamento a partir da crise

A crise para as Instituições de Ensino Superior precede a pandemia e, com a chegada do novo coronavírus e seus impactos em todos os setores da sociedade, inúmeras mudanças foram necessárias para que as IES se mantivessem ativas. “Em 2019 nós já tivemos um problema muito sério com o 9º ano, o que ocasionou uma queda significativa na entrada de estudantes no Ensino Superior. Aí, em 2020, a pandemia pega todos de susto e exige uma adaptação gigantesca em todos os setores. Nós, aqui, imaginamos que 2021 fosse um ano de retomada, mas logo chegamos a conclusão de que esses impactos seriam sentidos por muito mais tempo”, comenta o vice-reitor de Administração, professor Dieter Siedenberg. 

Conforme o vice-reitor e diretor executivo da Fidene, a torcida é de que 2022 seja diferente e positivo. “No entanto, preciso lembrar que o Brasil também saiu da maior recessão econômica já ocorrida no país. Esse período de 2018 e 2019 gerou valores negativos de evolução do PIB e que levaremos anos para nos recuperar dessas situações. Então, olhando para todo esse cenário é esperançoso podermos dizer que conseguimos sobreviver a tudo isso, relativamente bem”, declarou.

Um ano para novas oportunidades

No âmbito da Pesquisa, Extensão e Cultura, assim como nas ofertas de pós-graduação, a Universidade também sentiu os impactos ocasionados pelo cenário pandêmico. No entanto, se reposicionou significativamente e se demonstrou uma potência nas ofertas de eventos, cursos e qualificações online. 

“Do ponto de vista da pós-graduação stricto sensu, por exemplo, continuamos com nossas aulas online e, de forma geral, vimos uma possibilidade de expansão por meio de novas conexões e da possibilidade de participações nacionais e internacionais”, destacou o vice-reitor de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão da Unijuí, professor Fernando Jaíme González.

Ainda segundo Fernando, 2021 foi um período duro, ainda longe do ideal, mas também de muitos aprendizados e de potencialização das atividades que a Universidade já faz bem. Dentro desse contexto, importantes parcerias foram fechadas e novos ecossistemas de inovação entraram na agenda de planejamento da instituição, promovendo excelentes expectativas para o ano que está chegando.

Confira o programa na íntegra: