COMUNICA

PORTAL DE NOTÍCIAS DA UNIJUÍ

Extensão

Projeto de Mediação é realizado na Escola Timbaúva

 

No dia 07 de agosto foi realizada a oficina "Conversando a gente se entende", na Escola Estadual de Ensino Fundamental Timbaúva, localizada no Bairro Timbaúva, em Santa Rosa, com os alunos do 7º ano.

A atividade integra um conjunto de ações que serão realizadas com os alunos até o final do ano, foi desenvolvida pelas professoras do curso de Direito, Fernanda Serrer, Francieli Formentini e pela estudante e bolsista do projeto de extensão "Conflitos Sociais e Direitos Humanos: Alternativas Adequadas de Tratamento e Resolução", Juliana Hermann.

A proposta de trabalho tem como objetivo criar mecanismos para mostrar aos jovens que eles são capazes de exercer a sua cidadania, bem como realizar a gestão dos conflitos a partir do diálogo. Além disso, promover atividades visando o desenvolvimento de habilidades voltadas à uma comunicação ativa, capaz de fomentar a geração de ações, práticas e projetos voltados à concretização dos direitos.

A coordenadora do Curso de Direito, professora Francieli, destaca que o projeto de extensão tem como um dos seus objetivos realizar atividades capazes de despertar um novo olhar sobre a gestão dos conflitos, possibilitando que os jovens assumam uma postura reflexiva e exerçam seu direito de decisão na construção de soluções, tornando-se protagonistas.


Projeto busca alternativas para solucionar conflitos

Muitos conflitos ou desentendimentos entre as pessoas acabam parando na justiça. Na maioria das vezes a solução dada pelo Judiciário não satisfaz ambas as partes envolvidas. Você já pensou em um caminho diferente para resolver este tipo de problema?

O Projeto de Extensão “Conflitos Sociais e Direitos Humanos: alternativas adequadas de tratamento e resolução” busca meios alternativos para solucionar os conflitos de maneira mais rápida que o Poder Judiciário, construindo diálogo entre as partes para que saiam satisfeitas com o acordo.

Coordenado pela professora Fabiana Fachinetto, o projeto é desenvolvido nas cidades de Ijuí, Três Passos e Santa Rosa, e conta com a colaboração dos professores Tobias Damião Corrêa, Fernanda Serrer, Francieli Formentini e Eliete Vanessa Schneider.

Em Ijuí e Três Passos as atividades do projeto são desencadeadas no Balcão de Consumidor, onde são realizados atendimentos aos consumidores que possuem problemas com telefonia, saúde, vício de produto e serviços, endividamento, entre outros problemas. O Balcão surgiu de uma parceria entre Unijuí, Ministério Público Estadual e Poder Público, por meio de convênio.

                   

Segundo Fabiana, entre as soluções possíveis estão o estabelecimento de diálogo diretamente com o fornecedor envolvido na demanda, ao qual é dada a oportunidade de prestar os esclarecimentos necessários e a composição para solução do problema. “Os consumidores vêm até nós e nossos bolsistas, estudantes do curso de Direito da Unijuí, que realizam o atendimento. Imediatamente se faz o contato com o fornecedor por telefone, narrando o problema e buscando sua solução. Em 80% dos casos a gente consegue resolver”, relata.

Conforme a professora, para os casos que não conseguem ser solucionados desta forma, é marcada uma audiência de tentativa de conciliação. “Convidamos o lojista a comparecer, e muitas vezes o resultado é positivo. Entretanto, esgotadas essas possibilidades, é fornecido ao consumidor uma declaração com a descrição de todo o atendimento e providências tomadas na busca da solução do problema, e, com esse documento, ele tem a alternativa de buscar o Judiciário, como o Juizado Especial Cível, para tentar judicialmente a resolução”. 

                             

Para atendimento no Balcão não são observados critérios de renda, porém, é necessário que o consumidor titular do produto ou serviço objeto da reclamação faça pessoalmente, ou mediante procurador e apresente documentos pessoais, nota fiscal, faturas, contratos e demais documentos que demonstrem a relação de consumo, além de números de protocolo (em caso de telefonia) e a tentativa frustrada de resolução do problema diretamente com o fornecedor. 

“O projeto é muito importante para fazer da extensão uma forma de qualificar o ensino, porque os bolsistas estão envolvidos em situações em que podem praticar o que aprendem na teoria em sala de aula. Também temos o estágio obrigatório no Balcão do Consumidor, em que os estudantes prestam atendimento, ajuízam processos junto ao Poder Judiciário, enfim, fazem a prática real da advocacia”, complementa a coordenadora. 

   
                  

"Superendividamento" do consumidor também é preocupação do Projeto

Desde o ano passado está sendo desenvolvida uma atividade com o intuito do Balcão auxiliar os consumidores superendividados, seja devido à crise, desemprego, ou porque consomem além da sua própria receita. Em maio, foi realizada, na Praça da República, uma ação voltada à educação financeira: os integrantes do projeto distribuíram folders para a comunidade. “Depois disso, muitos consumidores vieram até nós”, enfatiza Fabiana. 

No Balcão, o atendimento para estes casos acontece por meio de audiências marcadas com todos os credores conjuntamente, para que entendam a situação do consumidor e compreendam que seu caso não é único. “Realizamos uma audiência muito boa relacionada a essa situação e resolvermos montar um trabalho para o Salão do Conhecimento sobre o fato”, frisa.

Já no campus de Três Passos, ocorreu, também no mês de maio, o I Seminário de Direito do Consumidor, que contou com a presença de palestrantes sobre a temática.

Em Santa Rosa, foco é nos conflitos familiares

Em Santa Rosa o projeto apresenta um viés diferente, com enfoque nos conflitos decorrentes das relações familiares, através de um convênio instituído com o Tribunal de Justiça e Defensoria Pública.  Os atendimentos acontecem no Escritório Modelo.

Segundo Fabiana, os casos são encaminhados pelo Judiciário ao projeto, sendo que, inicialmente, o bolsista realiza uma conversa com a pessoa envolvida para tomar conhecimento do tipo de conflito vivenciado por ele, e para explicar como funciona o método da mediação. Existindo interesse por parte do usuário, se dá prosseguimento ao procedimento contatando a outra parte envolvida no conflito (autor, réu e advogado). “A oportunidade da mediação ocorre quando o processo judicial já está instaurado, porém, é um meio alternativo para tentar resolver o problema sem o juiz dar uma sentença que provavelmente vai contentar um e o outro não”.

Caso não haja um acordo, o processo volta para o Fórum e é dado a ele o seguimento normal. “Estes processos são complexos porque são pessoas que estão em um momento de raiva, que lidam não só com dinheiro, mas também com o sentimento”, enfatiza.

Confira o número de atendimentos realizados em 2017, envolvendo conflitos entre famílias e vizinhos.

                        


Consultores do Programa Redes de Cooperação participam de formação em Ijuí

Durante esta semana, é realizado, em Ijuí, formação do Programa Redes de Cooperação. Com atividades até a próxima sexta-feira no Hotel Vera Cruz, a programação engloba diversos conteúdos e metodologias de trabalho para capacitar os consultores que vão atuar no Programa na região noroeste do Estado.

Alguns dos conteúdos que estão sendo trabalhados nas atividades giram em torno de modelos de associativismo, cooperação, formação de redes de cooperação, aspectos jurídicos, gestão e inovação, entre outros temas. A formação, em nível estadual, foi organizada pela Agência de Inovação e Tecnologia da Unijuí (AGIT), sendo que, a maioria dos conteúdos desta semana, ficam a cargo do gerente, Luís Juliani.

             

De acordo com Érbio Assis Webster Andretto, Coordenador do Projeto Extensão Produtiva e Inovação da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia do RS, presente na formação, o Programa vem para fortalecer a economia regional. “Hoje existe o concorrer. O que antes eram concorrentes no mesmo seguimento, hoje podem ser parceiros e buscar poder de barganha para negociações, para fortalecimento do seu setor, da busca de soluções em conjunto”, avalia.

Na tarde de segunda-feira, no primeiro dia de atividades, o gerente da Coordenadoria de Marketing da Unijuí, Giancarlo Dari Bottega, realizou uma apresentação da estrutura e atuação da Unijuí aos participantes do encontro.

Sobre o programa na Unijuí

O Programa Redes de Cooperação é uma iniciativa do Governo do Estado do Rio Grande do Sul, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia (SDECT/RS), que visa promover o fortalecimento de micro, pequenas e médias empresas, fomentando a cooperação entre empresas do mesmo segmento e características semelhantes, fornecendo suporte técnico para a formação, consolidação e desenvolvimento de Redes de Cooperação. O resultado imediato é a ampliação da capacidade competitiva das empresas e o fortalecimento do desenvolvimento local e regional.

Na Unijuí ele é executado por meio de convênio com a Fundação pela Agência de Inovação e Tecnologia da Universidade (AGIT), que executa o projeto contratando consultores, disponibilizando equipe técnica e contribuindo com contrapartida estrutural ao projeto. O novo convênio do Programa Redes de Cooperação entre SDECT/RS e a Fidene/Unijuí, assinado em 2016, para execução a partir de maio/2017, disponibilizou um montante de R$ 336.480,00 para o atendimento de empresas do Corede Noroeste Colonial.

O novo convênio definiu como meta, além da formação de três novas Redes, o acompanhamento de 15 em desenvolvimento; a adição de 20 empresas àquelas existentes, por meio do trabalho de expansão e execução de 200 horas de cursos específicos, bem como a realização de uma pesquisa de avaliação de resultados em até 15 Redes em desenvolvimento e/ou estruturadas. Durante a execução dos convênios do Programa Redes de Cooperação - desde a sua primeira edição em 2000 -, a Fidene/Unijuí constituiu mais de 70 Redes, envolvendo mais de 1,3 mil empresas, nas regiões Alto Jacuí, Fronteira Noroeste, Missões, Planalto Médio e Noroeste Colonial.


Grupo de Extensão Rural visita propriedade leiteira

A equipe de Extensão Rural da UNIJUÍ realizou visita técnica, na quinta-feira, dia 25 de maio, a uma propriedade rural do interior do município de Ijuí que pratica principalmente a atividade leiteira. A visita ocorreu pelo projeto “ O DEAg da Unijuí na Rede Leite”, e contou com o apoio da EMATER de Ijuí, através do Engenheiro Agrônomo Douglas Iske.

Os bolsistas também foram acompanhados pelas professoras Luciane R. Viana e Angélica de O. Henriques, e pelo Engenheiro Agrônomo da Extensão Rural do Departamento de Estudos Agrários da UNIJUÍ, Felipe E. Oliveski.


Projeto de Extensão Física para Todos desenvolve oficinas de robótica com Escolas

O Projeto de Extensão Física para Todos, há duas décadas, vem promovendo a popularização e difusão da ciência através de exposições interativas de experimentos de Física. Com o propósito de qualificar ainda mais as ações do projeto, a equipe promove, nos meses de Maio e Junho, a atividade “Oficina de Robótica”, no Laboratório de Física da Sede Acadêmica. Para a realização do projeto foi aprovado recurso via edital nacional do Programa de Extensão Universitária (Proext), do ano de 2015, do Ministério da Educação (MEC).

              

Estão participando da oficina cerca de 90 alunos e 7 professores da rede pública de ensino, das escolas E.E.E.M. Ruy Barbosa, I.E.E. Guilherme Clemente Köehler,  E.E.E.M Antônio Padilha, E.T.E 25 de Julho, E.E.E.M São Geraldo, E,E.E. Médio Otávio Caruso Brochado da Rocha, Instituto Municipal de Ensino Assis Brasil. Os alunos da EFA também integram as atividades.

A oficina foi estruturada com as etapas de Desafio/Problema, Investigação e Montagem. Conforme a equipe do projeto, é na etapa de Investigação que se verifica o que os alunos já sabem para a construção dos protótipos e assim poder adequar o nível de complexidade do diálogo entre os participantes e a equipe do projeto.

Para integrar o conjunto de materiais interativos da exposição estão sendo selecionados os melhores protótipos, conforme critérios que envolvem conhecimentos de áreas exatas como variação de ângulo, elevação vertical e horizontal de carga, simetria, entre outros conhecimentos que envolvem a mecânica, eletrônica e programação.


Projeto: o futuro e a escolha profissional

Projeto de Extensão da Unijuí Campus Santa Rosa sensibiliza jovens do Ensino Médio na escolha profissional

           

A escolha profissional é um importante momento, ligada ao presente e também ao futuro. E, nem sempre ela é fácil: jovens, ainda com pouco experiência, precisam decidir qual caminho trilhar. 

É neste momento que, em escolas de Santa Rosa e região, o projeto de Extensão do Curso de Psicologia da Unijuí, desenvolvido no Campus, intervêm. Coordenado pela professora Silvia Colombo, o projeto “Sensibilização para a Escolha Profissional na adolescência” busca perceber angústias e anseios dos adolescentes. O objetivo é sensibilizar os estudantes nesse processo de escolha profissional. 

Estudantes voluntários e uma bolsista discutem com esses alunos questões referentes a psicologia do trabalho e da adolescência com a orientação dos professores. Em seguida, já dentro da escola, com os alunos do terceiro ano do Ensino Médio, aplica-se a EMEP – Escala de Maturidade para a Escolha Profissional. Depois desta etapa ocorre uma entrevista, realizada de forma individual. Os estudantes respondem questões sobre seus desejos profissionais, sobre o conhecimento que possuem da área que pretendem escolher, entre outras.

O próximo passo é organizar oficinas. Nesse momento o projeto conversa com o grupo de estudantes. “Se em uma turma a escala revelou que o índice de responsabilidade ou de autoconhecimento é o que está mais em desvantagem, a gente organiza algumas oficinas que trabalham essa temática”, explica a professora Silvia. 

Mara Carine Cardoso Lima, bolsista do Projeto, revela que no início existem sempre muita indecisão. “Mesmo que a escolha não precisa necessariamente ser decisiva, é uma importante etapa da vida deles. Por isso precisam possuir informações para a tomada de decisão”, observa. 

                

No final desse processo, a escala e a entrevista são aplicadas novamente. O objetivo agora é saber as mudanças que aconteceram no decorrer do projeto, visto que este é o período de inscrições para vestibulares e ENEM. 

O projeto de extensão ainda oferece aos estudantes o Teste de Interesse Profissional. O resultado dirá qual a área do conhecimento que o estudante teria maior interesse e habilidades em desenvolver. 

Para Mara a experiência de contato com a comunidade foi tão produtiva que lhe trouxe certeza na sua escolha da profissão. “Poder trabalhar com esses adolescentes e poder contribuir com eles nesse momento tão importante é muito gratificante para minha vida pessoal e acadêmica”. 

              


Unijuí sedia o II Seminário de Rádio, Tecnologias e Empreendedorismo na Escola

Evento tem por objetivo contribuir para a formação de estudantes e docentes na área da Educomunicação

Ocorre, no dia 26 de abril de 2017, o II Seminário do Projeto de Extensão Rádio, Tecnologias e Empreendedorismo na Escola, no Salão Azul do Campus Ijuí, com certificação de formação docente de seis horas. O evento visa ao desenvolvimento de atividades em conjunto, para que seja oportunizada a socialização de experiências entre as escolas já contempladas com a iniciativa. O Projeto, presente na comunidade ijuiense e regional desde 2008, é executado por extensionistas dos cursos de Jornalismo, Publicidade e Propaganda, Ciência da Computação e Administração da Unijuí, com o apoio da 36ª Coordenadoria Regional de Educação (CRE) e da Secretaria Municipal de Educação de Ijuí (SMED).

Nesta segunda edição, a programação abrange a discussão de temas pertinentes para a Educomunicação, a retomada de conceitos e a interação entre os participantes por meio de oficinas. Segundo a coordenadora do Projeto, Rúbia Schwanke, há uma expectativa positiva por parte da equipe organizadora do evento. “São esperados cerca de 120 alunos e professores para dar continuidade ao trabalho que iniciamos com a primeira edição no final de 2015, fortalecendo a postura empreendedora através da aplicação das tecnologias de informação na rotina pedagógica”, explica.

O evento tem início às 8h30, com a solenidade de abertura. Às 9h, a professora Marta Borgmann aborda a “Inclusão de Pessoas com deficiência na Educação”, e, às 11h15, o professor Edson Luiz Padoin realiza explanação sobre “Tecnologias e Inclusão na Educação”, com pausa para o almoço às 11h30. Após cada palestra, será proporcionado um espaço de 15 minutos, destinado ao debate das temáticas apresentadas. À tarde, a partir das 13h30, haverá um rodízio de oficinas de Dicção e Oratória, Áudio e Vídeo, com encerramento às 16h30.

As inscrições podem ser realizadas de forma gratuita pelo e-mail radionaescola@unijui.edu.br, até o dia 24 de abril.

Por Daiana Dal Ros, acadêmica de Jornalismo da Unijuí – Agência de Notícias.


Balcão do Consumidor dá dicas sobre direitos e responsabilidades aos consumidores

O Balcão do Consumidor da Unijuí, responsável por 200 atendimentos mensais para solução de conflitos, reuniu dicas de comportamento para comemorar a Semana do Consumidor. Nesta quarta-feira, 15, é celebrado o Dia Mundial do Consumidor e tem o objetivo de lembrar a todos sobre os seus direitos e responsabilidades.

        

 

Tobias Damião Corrêa, professor do curso de Direito da Unijuí e coordenador do Balcão do Consumidor, considera o projeto de extensão da Universidade um espaço multidisciplinar “permite significativos ganhos não somente à comunidade ijuiense, mas especialmente aos acadêmicos do curso de graduação em Direito que desenvolvem atividades de extensão e ensino no âmbito do Balcão”.

O projeto de Extensão é destinado ao atendimento gratuito à comunidade para a oportunidade de buscar a resolução de conflitos nas relações de consumo sem a necessidade de adentrar à esfera judicial de imediato. O Balcão está localizado no Escritório Modelo na rua 20 de Setembro, 533, junto ao Procon. 


NEPI participa de Painel na Expodireto

O Núcleo de Extensão Produtiva e Inovação (NEPI) UNIJUÍ participou do "Painel: Fonte de Financiamentos para Empresas Gaúchas", realizado no auditório da produção da EXPODIRETO, em Não Me Toque, na última quarta-feira, dia 8.

     

 

O evento teve como painelistas: Adriano Boff, Diretor da sala do Investidor/RS e Alexander Nunes Leitzke, Gerente de Planejamento BRDE. Edson Lautharte coordenador do Projeto NEPI/UNIJUÍ destaca o trabalho que está sendo realizado pelo governo estadual junto com as universidades para que os empresários possam através de projetos com embasamento acessar linhas de crédito para o contínuo aperfeiçoamento da gestão produtiva em nosso estado.


Combate ao mosquito da dengue: engajamento da comunidade é fundamental

Para combater o mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, zyka vírus e febre chikungunya, o projeto de extensão “Ações Interdisciplinares de Educação e Saúde para Combate ao Aedes aegypti e doenças emergentes”, somou forças com a Campanha Não há Vagas, desenvolvido pela Coordenadoria de Marketing da Unijuí.

Após o lançamento oficial da Campanha, realizada neste mês de novembro, os coordenadores do projeto, representantes da 17ª Coordenadoria Regional de Saúde, Secretaria de Saúde Municipal,  Secretaria de Vigilância Ambiental, e Secretaria de Vigilância Sanitária se reuniram para discutir propostas para serem levadas ao poder público de Ijuí.

As propostas têm o objetivo de incentivar o engajamento da população na luta contra o mosquito Aedes aegypti. Uma delas, por exemplo, prevê o estudo da viabilidade de desconto no IPTU para as casas que possuírem controle da proliferação do mosquito.

O próximo passo, segundo o coordenador do projeto, professor Volnei Teixeira, é apresentar e discutir a viabilidade dessas propostas em reunião com a Prefeitura Municipal de Ijuí e seus órgãos competentes, na tentativa de ampliar as formas de controle de uma possível proliferação em massa do Aedes aegypti na cidade de Ijuí e no seu entorno durante os meses de verão mais intenso.

Confira as propostas:

IPTU Verde – Desconto no pagamento do IPTU para os moradores que controlam os criadouros em suas residências, já no ano de 2017. Esta proposta existe em outros municípios do RS e do Brasil, restando saber em reuniões futuras, junto ao órgão públicos competentes, a viabilidade econômica e operacional de sua implementação na cidade de Ijuí. O grupo entende que a sensibilização ou conscientização quando não ocorre naturalmente, pode vir pelo ganho, no caso do imposto reduzido, ou pela penalização quando este objetivo não é atingido.

Campanha em Escolas e empresas – o objetivo desta proposta é criar, dentro das escolas e empresas da cidade, grupos de trabalhos para o controle da proliferação do mosquito em suas dependências. Segundo o grupo, nas escolas várias inciativas já estão sendo realizada de forma isolada ou mesmo sistemática. Entretanto, nas empresas este trabalho ainda é incipiente, necessitando de uma maior conscientização, quer seja pela dotação de benefícios de incentivo, que poderia ser feita através da redução de tributos municipais compatíveis com a manutenção das condições orçamentárias do município.

Criação de grupo de trabalho entre vizinhos – Criar grupos de trabalho entre vizinhos para manter os bairros e casas sob constante vigilância no controle dos focos e criadouros dos mosquitos.

Capacitação de grupos de trabalho nas empresas – fornecer ou criar a possiblidade de treinamento para os colaboradores (funcionários) de cada empresa passaram por um processo de capacitação para identificar, e eliminar focos e criadouros do mosquito.

Fiscalização do descarte irregular de lixo urbano – estabelecer uma parceria com a iniciativa privada e população em geral, para criar formas de identificar, denunciar e levar aos órgãos competentes informações sobre os depósitos ilegais de lixo na cidade e no seu entorno. Fiscalizar os depósitos clandestinos indicando à Secretaria de Vigilância Ambiental e Sanitária do município a criação e origem destes depósitos de lixo irregulares, no município.