Acompanhamento Psicopedagógico em evidência na EFA

Em tempos de pandemia e de afastamento social, o trabalho ofertado pela a assessoria especial e psicopedagógica da EFA se mostra cada vez mais essencial para o desenvolvimento de nossos estudantes. 

Segundo a Psicopedagoga da EFA, Juliana Sfalcin, ao longo dos anos a escola vem apostando numa educação a qual considera que todos, a seu modo, têm condições de aprender. “Sabemos que os estudantes com necessidades especiais precisam de um olhar diferenciado, esta condição implica em orientar, acompanhar o desenvolvimento e avaliar com atenção”, finaliza.

Neste contexto atual em que vivemos, as atividades pedagógicas continuam sendo encaminhadas e orientadas de maneira adaptada e estruturadas às suas singularidades, de acordo com o currículo escolar, de forma interdisciplinar, visando a participação dos estudantes público alvo da educação especial,  fazendo assim um trabalho colaborativo entre psicopedagoga, professores e coordenação pedagógica,  de forma dinâmica acompanhando e apoiando as famílias para que os estudantes não percam o vínculo com a escola e o processo de ensino e aprendizagem.

Durante esse período de afastamento recebemos o retorno de algumas famílias sobre o acompanhamento das atividades. Para a avó do estudante Bernardo, o acompanhamento da psicopedagogia tem dado o apoio necessário que ele precisa em relação ao aprendizado. “As atividades têm sido confeccionadas com bastante cuidado e carinho, elaborando atividades dinâmicas, atrativas e temáticas”, conta a mãe do estudante Ricardo da turma A31. Para a família do estudante Lucas, do terceiro ano do Ensino Médio, o acompanhamento da Assessoria Especial tem proporcionado segurança e confiança, permitindo que o aluno consiga expor seus sentimentos de frustrações e conquistas.  Ana mãe do Rui, comenta que a Psicopedagoga da EFA, sempre  organiza atividades adaptadas referentes a Educação Infantil, acompanhando o desenvolvimento da criança e dialogando com os pais.

A Psicopedagoga Juliana finaliza, “a educação inclusiva é antes de qualquer outra denominação uma questão de direitos humanos, aprender a respeitar, a conhecer, conviver e interagir, a aprender com o outro, a ensinar, a compartilhar os conhecimentos, tudo isso no dia a dia”.