POR ONDE TUDO COMEÇA: A dimensão lúdica da aprendizagem complexa

Por Sônia Kinalski, professora do 4º ano do ensino fundamental

                     Uma sociedade é produto das interações entre as pessoas que a compõe. A cultura escolar imprime marcas nas crianças e jovens que se fazem no percurso diário das falas, dos exemplos, dos gestos, dos olhares, dos afetos. A EFA tem uma história muito rica de ensino e de aprendizagem. A professora dos anos iniciais, Sonia kinalski, acredita que a ludicidade é uma necessidade do ser humano em qualquer idade, têm importância fundamental para o desenvolvimento social, emocional e intelectual. É uma forma de aprender a problematizar e a religar saberes com outros olhos, permitindo transpor limites, aventurar-se e descobrir o próprio eu. Para ela:

 "A aprendizagem pelo lúdico faz crescer através da procura de soluções e de alternativas, contribuindo para a eficiência e o equilíbrio do indivíduo. Favorece a concentração, a atenção, o engajamento, a imaginação, o raciocínio lógico, a aceitação de regras e a socialização. Aprende-se a pensar. Uma aula inspirada no lúdico, não é necessariamente aquela que ensina conteúdos com jogos, mas aquela em que as características do brincar estão presentes com atividade livre, criativa, imprevisível, capaz de absorver a pessoa que brinca, influenciando no modo de ensinar e aprender, pois conforme o estudioso Vygotsky ¨As maiores aquisições de uma criança são conseguidas no brinquedo, aquisições que no futuro tornar-se-ão seu nível básico de ação real e moralidade".

            Ao se pensar na ludicidade logo vem a mente a aprendizagem da amorosidade, dos afetos, das emoções. Piegas? Não! Temos consciência, geramos cultura e se tem vontades de conhecer. Não há caminhos de certezas, afinal vivemos um tempo de incertezes e de conhecimentos provisórios, da necessária razão e sentido do bem viver, dos bons relacionamentos, das boas experiências.