Conexão Brasill Pôlonia

 

Conhecer novas culturas, trazendo na bagagem de volta mais conhecimento e aprendizado para a sua graduação, além de aperfeiçoar o idioma são algumas das vantagens de se estudar no exterior. O acadêmico de Letras - Inglês, da UNIJUÍ, Junior Kercher, contou suas vivências na cidade de Lublin, Pôlonia. Confere.

Onde tudo começou

O ano de 2013 foi responsável pelo meu primeiro e mais próximo contato com a Polônia, período este em que conheci Kasia, uma aluna intercambista polonesa na UNIJUÍ, que hoje é uma das minhas melhores amigas. Lembro-me claramente de quando nos despedimos e eu lhe disse em tom de brincadeira e sem nenhum plano em mente “Até mais amiga, nos vemos em breve!”. Eu não esperava que esse “breve” chegaria tão rápido assim.

 

A Pôlonia

Adoro o clima polonês, gosto de ver as pessoas ativas na rua caminhando, passeando com seus cachorros e admiro também o valor que eles dão para o seu dinheiro. Aqui quando se vai ao mercado e se compra algo que termine em 0.87 groszy ou 0.87 centavos poloneses, eles lhe darão exatamente os 0.13 groszy, sem exceção, pois esses 3 centavos são seus por direito, é muito normal carregar muitas moedas aqui, devido a essa grande valorização do dinheiro.

Nos supermercados você não vai encontrar empacotadores e nem sacolas disponíveis. Se quiseres, terás que trazer alguma sacola de casa, ou então comprar quando estiver no caixa e empacotar sozinho. Os poloneses são muito reservados em comparação a nós brasileiros, aqui não há abraços, nem beijinhos no rosto. Para que isso aconteça, é preciso um alto nível de intimidade com a pessoa.

 Em geral, o país é muito lindo e muito convidativo, amo as cidades antigas, são a minha parte favorita. Aqui se pode encontrar os campos de concentração e extermínio da época da Segunda Guerra Mundial. Eles possuem uma triste história, mesmo assim, são muito interessantes, vale a pena conhecer.

O país é repleto de muita cultura, museus, igrejas, monumentos, clubes, bares e festas. A Polônia é um mix de tudo o que há de bom no mundo, adoro morar aqui. A culinária aqui é maravilhosa, amo as sopas, os pierogies, todos os pratos típicos, mas infelizmente a carne de gado aqui é bastante cara e difícil de ser encontrada.

 

De casa Nova

Lublin é uma cidade universitária, muito charmosa, era início do outono quando cheguei, as árvores estavam repletas de folhas e todas amarelas. A visão era linda, um típico colírio para os olhos. Enquanto caminhava eu olhava para os prédios e observava como as suas arquiteturas são diferente das do Brasil, olhando para baixo, as calçadas e ruas sempre limpas.

Outro ponto são os transportes públicos, ônibus novos, sem cobradores. Compra-se o bilhete com o tempo de uso desejado, faz-se o registro na máquina e pode-se usufruir tranquilamente, isso não significa que podemos viajar de graça, se durante a viagem chegarem os fiscais, aqui chamados de “controllers” e eles nos pedirem o bilhete, precisamos apresentá-lo já registrado.  Caso contrário, uma multa é emitida. Há também aqui os ônibus elétricos, conhecidos como “Trolley buses”, são uma excelente ferramenta projetada para trabalhar a favor do meio ambiente. Quando estive na “Stare Miasto”, ou seja, na cidade velha de Lublin, pude me sentir realmente no exterior, um clima europeu, prédios antigos, castelo, monumentos, um ponto turístico que arranca suspiros, adoro viajar pela Polônia e conhecer a parte antiga de cada cidade, cada uma com seu diferencial e uma nova história para contar.

 

Curiosidades

Estudantes aqui ganham muitos descontos, desde bilhete de ônibus até roupas e eletrônicos, ou seja, é muito barato e fácil se vestir e viajar aqui. Tudo o que é preciso é o cartão de estudante, este que se faz logo nas primeiras semanas. Os descontos podem chegar até 51% como, por exemplo, nas passagens de trem.

O idioma polonês é difícil, mas tem muitos sons semelhantes ao português, ou seja, recebemos muitos elogios nas nossas tentativas de falar o idioma aqui.

 

Estudos

Há uma hierarquia muito grande, em todos os ambientes não somente na universidade, o aluno deve demonstrar muito respeito para com seus professores, sempre os chamando pelo seu título de formação. Seja Mestre ou Doutor seguido de seu sobrenome, jamais de “teacher”, mas é claro, devido à complexidade de alguns nomes, nós como intercambistas recebemos uma colher de chá de alguns dos nossos professores e podemos tomar essa liberdade sempre que possível.

O curso de inglês aqui é muitíssimo bom e super puxado ao mesmo tempo. Os alunos, antes de ingressar no curso, precisam fazer um teste de nivelamento para saber se estão realmente aptos a cursar o primeiro ano. Todos que ingressaram possuem vasta experiência, em minha opinião o curso daqui tem um nível muito avançado, até mesmo para mim, mas o esforço compensa, meu inglês está melhor a cada dia.

A UMCS - Uniwersytet Marii Curie-Skłodowskiej é bem grande, possui uma excelente estrutura e é super organizada, há muitos departamentos, e muitos funcionários qualificados, conta inclusive com os serviços de uma professora brasileira, a nossa querida amiga e mãe emprestada Natalia Klidzio. A professora Natalia nos deu muitas dicas antes de viajarmos e ainda aqui nos auxilia bastante, ela está sempre preocupada com o nosso bem-estar, nos liga semanalmente para saber das boas novas, e nos dá bons conselhos e dicas de viagem. Fomos muito bem recebidos pela Vice-Reitora, Doutora Barbara Hlibowicka-Weglarz, que nos deu todos os suportes necessários, e nos deixou bastante tranquilos quanto a nossa estadia aqui, estendendo a mão caso precisássemos de algo referente ao nosso intercâmbio, ou seja, estamos muito bem amparados e, agora, totalmente despreocupados.