Da Espanha: o relato de Luiza Scortegagna

 

A estudante do curso de Engenharia Civil da UNIJUÍ relata sua experiência na Universidade de Santiago de Compostela - Câmpus Lugo, na Espanha.

Realizar um intercâmbio, estar estudando um período no exterior sempre fez parte dos meus sonhos pessoais e objetivos acadêmicos. Com o surgimento do, vi que o então sonho poderia se tornar realidade.

Tendo em mente que o país escolhido seria Espanha, em maio de 2013 realizei o teste de proficiência em língua espanhola correspondente ao nível B1 no Instituto Cervantes, em Porto Alegre. Para minha surpresa em outubro de 2013 foram abertas as chamadas do programa para a Espanha. Já com todos os documentos em mãos, me inscrevi. Depois de quase seis meses de procedimentos relacionados à tramitação da bolsa de estudos, em fevereiro de 2014 recebi a feliz notícia de que eu havia sido pré-selecionada para o programa. Mal sabia que logo em maio do mesmo ano receberia a notícia de que finalmente havia sido selecionada para o programa. Seria a mais nova aluna de intercâmbio do curso de Engenharia Civil da Universidade de Santiago de Compostela - Campus Lugo (Espanha).

Iniciei os estudos na USC em setembro de 2014, quando começou o primeiro semestre acadêmico. Aqui na Espanha, o primeiro semestre corresponde o período dos meses de setembro a dezembro. O mês de janeiro é dedicado à realização de avaliações. Um novo semestre acadêmico se inicia no mês de fevereiro e se acaba no mês de maio, quando se realizam, outra vez, avaliações. Os alunos da universidade tem uma segunda oportunidade para aprovação caso reprovem algum componente curricular, a qual é realizada normalmente em julho.

Não é questão de estar "alguns meses no estrangeiro", no meu caso, é um ano. Longe de casa, da família, dos amigos, do teu país, teus hábitos, mas todos aqueles que optam por fazer um intercâmbio passam pelas mesmas mudanças, adaptações e sentimentos. Entre as vantagens que essa oportunidade oferece, estão os amigos e pessoas com os quais tens a oportunidade de conhecer e conviver, conhecer outros costumes e muitos lugares diferentes. Muitos pensam em comparar um país como o Brasil com os países ditos de primeiro mundo, como Espanha. Mas ambos os países possuem problemas/carências assim como suas qualidades. Cada lugar é único.

Participar de um programa de intercâmbio é maravilhoso, para mim não existem pontos negativos em uma experiência como esta. Aprendemos a ser mais tolerantes, mais independentes, a ver a vida, as pessoas e o mundo de uma forma completamente diferente.

Lugo, cidade onde vivo, está localizada na Galícia, uma das 17 Comunidades Autônomas da Espanha. Inicialmente chamada de Lucus Augusti, Lugo foi também um centro importante da época dos romanos. No ano 5 a.C. Paulo Fabio Máximo fundou em nome do imperador de Roma a cidade de Lucus Augusti. São testemunha dos seus primeiros anos de história os numerosos restos romanos, muitos deles conservados no museu da cidade, e, sobretudo a muralha romana, única no mundo que conserva todo o seu perímetro e declarada Patrimônio da Humanidade no ano 2000. Lugo é uma cidade encantadora, pequena, tranquila, segura e com mais de 2000 anos de história. A população da cidade em 2010 era de 97 635 habitantes. O clima em Lugo é de invernos frios e verões suaves. A temperatura média anual é de 12 ºC e as precipitações abundantes, com mais de 1000 litros por ano.

 

O idioma predominante na Espanha é o castelhano (também chamado e mais conhecido internacionalmente como espanhol), que é falado por quase toda a população do país. Outros idiomas têm importância maior em algumas regiões (comunidades autônomas): basco, catalão e por fim o galego. O galego é o idioma falado em toda Galícia, de forma que a grande maioria das pessoas em Lugo falam o galego, que tem muitas semelhanças com o português. Na universidade os professores escolhem se querem dar a aula em galego ou castelhano. De forma que, um dos componentes curriculares que tenho é dado em galego. Os colegas de aula, em sua maioria, também falam o galego.

Acredito que das maiores dificuldades que encontrei foram às diferenças entre o sistema educativo ao qual tive contato aqui e o que tenho contato no Brasil. Por exemplo: ter as aulas referentes à um componente curricular separadas em aulas práticas (exercícios e laboratório) e teóricas; componentes curriculares anuais, sistema de avaliação. Tive a oportunidade de realizar curso de espanhol dentro da própria universidade (Níveis B2 e C1) e também um curso online de formação continuada de excel avançado aplicado à Engenharia Civil.

Desta experiência, ainda que eu tenha alguns meses aqui, vão ficar os amigos e as maravilhosas pessoas que tive a oportunidade de conviver, as viagens realizadas e lugares conhecidos, as aulas, os novos temas relacionados à Engenharia Civil que tive a oportunidade de ter contato e, muitas outras aprendizagens para a futura vida profissional, mas principalmente para a vida pessoal. Um intercâmbio vai muito além do aprendizado acadêmico, te faz aprender, pensar e reflexionar sobre o verdadeiro sentido da vida, que cada pessoa trás consigo um história, sobre o valor de cada profissão, a riqueza de cada cultura. Levo a Espanha no coração como o país que me recebeu, mas amo muito mais o Brasil.