Relatos de intercâmbio

Cássio de Azambuja

Aluno de Administração (Alemanha)
Já estou pouco mais de um mês na Alemanha, e hoje posso dizer que a cada dia uma experiência nova é possível. Tudo o que eu pensava antes de vir e tudo o que está sendo agora, o que estou vivendo, mudou muito, as coisas são bem diferentes de como as imaginava. Às vezes é difícil tirar da cabeca os pré-conceitos de outras culturas, mas, a cada dia, percebo que é preciso estar aberto a esta nova cultura que se estou vivenciando. Realmente é uma cultura completamente diferente e, ao mesmo tempo, noto-a como tão semelhante, tão igual a nossa, dependendo do ponto de vista de cada um, claro. Nos primeiros dias não estava nada a vontade, pensava que todos eram muitos fechados e acreditava que iria ser impossivel fazer amizades. Com o tempo, com a convivência, percebi um grande detalhe, qual seja, que eles esperavam que o primeiro contato parta do outro, neste caso, de mim. Quando passei a perceber isto, mudei minha forma de me relacionar, tomei a iniciativa e, assim, a situação mudou completamente.

Eles são realmente "freundlich", como outros estudantes ja haviam me falado anteriormente aí no Brasil. Eles têm algumas restrições, que acredito que não sejam ruins. Entre estudantes, a formalidade não é tão marcada, mas, com professores e pessoas mais velhas, nota-se que é necessário ter um pouco mais de cuidado. Um diferencial é que Bocholt é uma cidade que já está acostumada e organizada para receber muitos estrangeiros. Considero que o fato de eu ser brasileiro também ajudou muito, pois eles parecem sempre estar interessados em saber algo do Brasil, como, por exemplo o futebol, o aspecto mais lembrado quando se referem ao nosso país. Ademais, o samba, o carnaval, a caipirinha e as mulheres também despertam curiosidades, são aspectos culturais do Brasil bastante cogitadas por aqui.

Um aspecto daqui, que marco como muito importante justamente por se diferenciar da sua manifestação no Brasil, são as regras: do transito, das universidades e de todo lugar. Uma realidade daqui, que me chamou muita atenção, foi o fato de que beber e dirigir não combinam mesmo. Nestas condições, o meio de transporte habitual para as festas são as bicicletas. Comportamento este tão comum aqui, é como ir de carro. O transito é organizado para isso, os motoristas respeitam sempre os ciclistas e pedestres.

Bocholt é uma cidade similar a Ijuí quanto a sua população. As possibilidades de lazer são diferenciadas, se na cidade não tem o que fazer é muito fácil procurar outra opção em cidades vizinhas.

Na universidade, as impressões que tenho dos alunos é também bem diferente das nossas. Os professores estimulam que o aluno busque mais informações, estão sempre buscando a prática profissional. O fator importante para isso é o fato da grande maioria dos estudantes não trabalhar, somente estudar. Mas mesmo os que trabalham estão sempre envolvidos com as atividades se seu curso – a experiência internacional para eles é muito comum, isto pela proximidade dos outros países. Saber outro idioma e algo habitual. A grande maioria dos estudantes fala inglês, são raros aqueles que não conseguem se comunicar neste idioma. Algo que me chamou atenção foi quando eles me perguntam se eu gostaria de aprender alemão e, quando disse que sim, eles acharam muito interessante este fato, de eu querer aprender. Uma dica que considero muito importante é que se deve saber o idioma de qualquer pais que se pense em ir, pois isso aproxima muito das pessoas, é mais facil de criar relações. Para mim, não digo que foi problema não falar alemão, mas agora, que já estou me comunicando melhor, estou percebendo diferenças em conseqüência desta possibilidade de interação a todo momento.

As coisas vem mudando a cada dia no início não tinha atividades para os fins de semana, agora como todo bom alemaö estou aprendendo a dizer não aos convites que recebo de estudantes para atividades de finais de semana. Para eles isso não é um problema, é melhor falar não ao em vez de dizer acho que sim, ja tinha ouvido falar disso, mas agora estou vendo como é importante e prático.

Leia mais...