COMUNICA

PORTAL DE NOTÍCIAS DA UNIJUÍ

Psicologia (Bacharelado)

Curso de Psicologia realiza estágio em Projeto Terapêutico no CAPS II

Acadêmicos do curso de Psicologia da Unijuí estão realizando estágio em Projeto Terapêutico Singular no Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) II – Novo Rumo, em Santa Rosa. O serviço possui uma equipe multiprofissional e realiza atendimentos psicossociais individuais e familiares, além de promover atividades em diversos grupos e oficinas terapêuticas.

Devido à pandemia de covid-19, as atividades em grupo tiveram que ser suspensas, intensificando-se o acompanhamento terapêutico, que já era uma atividade desenvolvida pelos profissionais. O CAPS II é responsável pelo atendimento de usuários com transtorno mental grave e/ ou persistente no âmbito do SUS. Experiência que pode ser vivenciada pela acadêmica do 9º semestre, Jaqueline Sirluei Zuk, que participa do projeto desde o mês de abril.

“A proposta, ao desenvolver meu estágio no CAPS II, era de realizar o acompanhamento terapêutico. Assim, participo do projeto juntamente com outros estagiários, onde somos supervisionados pela psicóloga Adriane Cristine Oss-Emer Soares Alpe. O acompanhamento terapêutico é uma prática voltada à autonomia do paciente e à (re)inserção social que desenvolve-se fora de locais tradicionais como consultórios, acontecendo assim nos locais do cotidiano daquele que é acompanhado. O profissional se desloca para encontrar o paciente, podendo ser na casa, entre outros ambientes, possibilitando o estar e fazer junto, o falar, o escutar e o compartilhamento de experiências”, destaca Jaqueline.

O acompanhamento terapêutico pode ter tarefas específicas, mas o profissional pode,  juntamente com o usuário, criá-las, possibilitando formas de se relacionar com espaço e outras pessoas, experimentando e expandindo além do seu cotidiano. Os atendimentos são realizados em conjunto com outros profissionais, de diferentes áreas que fazem parte da equipe multidisciplinar do CAPS ou da Rede Psicossocial (RAPS), criando assim uma rede de suporte para este usuário.

Para Jaqueline, a sua participação como bolsista neste projeto irá proporcionar o desenvolvimento ético.  “Vivenciando essas experiências durante a graduação, consigo adquirir uma visão crítica e politizada referente aos desafios que temos em uma clínica ampliada e também a reinserção psicossocial. O acompanhamento terapêutico revela e oferece caminhos para a saúde, que antes passavam despercebidos, construindo um recurso fundamental para a promoção de saúde. Essa prática abrirá caminhos para ser pensado o fazer clínico fora do tradicional, sendo vista a clínica com um outro entendimento, proporcionando um aprendizado rico que amplia horizontes e agrega, assim, à minha experiência e ao meu conhecimento”, finalizou a estagiária.  

Por Evelin Ramos, bolsista de Popularização da Ciência da Unijuí


Intervenção chama a atenção para violência contra a mulher

Uma escada, localizada no Campus de Ijuí, recebeu um projeto de intervenção que visa chamar a atenção para o crescente número de casos de violência contra as mulheres. O trabalho, finalizado na tarde desta terça-feira, dia 22 de dezembro, foi realizado pela professora Irís Campos e pela acadêmica do 10º semestre do curso de Psicologia, Joana Patias Goi, que atua como estagiária junto ao Estágio em Psicologia e Processos Sociais.

“A escada reproduz como a violência evolui dentro dos ambientes domésticos. Há uma escala, nomeada ‘violentômetro’, utilizada para a explicação dos casos que, a cada dia, se tornam mais graves”, explicou a acadêmica, lembrando que, junto à escada, foi fixado um cartaz com números da violência no Rio Grande do Sul, o ‘violentômetro’. Ele mostra que, em 2019, 37.381 mulheres foram ameaçadas; 20.989 sofreram lesão corporal; 359 sofreram tentativa de feminicídio e 97 acabaram perdendo a vida.

O objetivo da ação é chamar a atenção das pessoas que passam pelo local, fazendo-as refletir sobre o agravamento da violência dentro de casa e sobre a importância da denúncia. “A violência doméstica é naturalizada e, além disso, temos o fato de muitas mulheres se calarem”, destacou Joana.

Segundo a acadêmica, as ideias surgiram após contato com o material do projeto Sala de Espera, que realiza uma ação junto a agressores e vítimas de violência, antes das audiências referentes à Lei Maria da Penha, com exposição de material audiovisual, palestras e acolhimento com profissionais especializados.


Unijuí realiza pesquisa com professores e estudantes sobre experiências de ensino na pandemia de covid-19

                 

Um grupo de professoras e estudantes do curso de Psicologia da Unijuí, interessados em conhecer como está sendo a experiência docente durante a pandemia provocada pela covid-19 e como os professores estão se sentindo diante de mudanças na rotina e no fazer profissional, estão coletando dados para uma pesquisa sobre o tema. 

Este estudo será realizado de forma online e está dividido em duas etapas. Na primeira, o participante responderá um questionário com algumas perguntas sobre formação profissional, carga horária de trabalho e sobre as atividades nesse tempo de pandemia. Isso pode levar em torno de 10 minutos. Clique aqui para responder

Após responder esse questionário, caso seja do interesse, um integrante da equipe de pesquisa entrará em contato convidando para participar da segunda etapa do estudo, que é composta por uma conversa online sobre a experiência docente durante a pandemia, sobre como tem se sentido e como tem percebido os processos de ensino e aprendizagem e a relação com os alunos. A entrevista será realizada via Google Meet ou WhatsApp e será gravada e posteriormente transcrita. Pode ter duração entre 30 min e 1 hora, sendo agendada previamente em uma data e horário de sua preferência.

Para participar deste estudo é preciso ter mais de 18 anos. Também é importante que esteja em trabalho remoto e tenha realizado as atividades pedagógicas na modalidade online durante a pandemia, em pelo menos um dos diferentes níveis de ensino (Educação Infantil, Educação Básica, Ensino Fundamental, Ensino Superior). A participação neste estudo é voluntária, não terá nenhum custo e/ou despesa financeira e o profissional pode desistir a qualquer momento, retirando o seu consentimento, sem nenhum prejuízo. Os dados serão utilizados somente para fins de pesquisa e será mantido o sigilo e a confidencialidade de todas as informações compartilhadas.

A coordenação é das professoras Amanda Schöffel Sehn, Ana Maria de Souza Dias, Angela Maria Schneider Drügg,  Simoni Antunes Fernandes, Solange Castro Schorn, Sônia da Costa Fengler e Taís Cervi. 

Para obter mais informações, contate com a equipe pelo e-mail pesquisaeducacional.unijui@gmail.com ou pelo telefone (55) 33323021. É possível contatar o Comitê de Ética da Unijuí pelo telefone: (55) 3332-0301 ou no e-mail cep@unijui.edu.br.

 


Professoras e estudantes de Psicologia organizam grupo de estudo sobre envelhecimento no contexto da pandemia

             

Os relatórios da Organização Mundial de Saúde (OMS) e do Ministério da Saúde mostram grupos da população mais suscetíveis à Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus. Nesse conjunto de vulneráveis estão a população idosa e pessoas com doenças crônicas. No que se refere aos idosos, observa-se um impacto potencialmente arrasador e, portanto, devem permanecer em casa, em isolamento e distanciamento social, enquanto a disseminação não for controlada, são as recomendações das autoridades médicas. A pandemia do novo coronavírus transformou a realidade de todos em isolamento social. No caso dos idosos, considerando que a maioria não tem familiaridade com os instrumentos tecnológicos que permitem interação virtual, as restrições sociais e a falta de contato podem produzir quadros de depressão e sentimentos de solidão. O mal-estar que envolve a sociedade nesse contexto pode ressaltar o sentimento de desamparo e a angústia que acompanha o sujeito idoso.

Com essa compreensão, as professoras do Curso de Psicologia da Unijuí, Carolina Gross, Elisiane Schonardie, Kenia Freire e Solange Schorn, que compõem o Grupo Interdisciplinar de Apoio à Terceira Idade – GIATI, vêm em um estudo crescente com acadêmicas do Curso, refletindo sobre o envelhecimento no contexto da pandemia, considerando o fato de que as pessoas idosas são propensas a viverem perdas e a se deprimirem nesse período da vida. As professoras compreendem que “este é o momento em que as pessoas idosas precisam da escuta acolhedora do Outro, encontrando um lugar de endereçamento das questões subjetivas que perpassam a experiência de distanciamento social” diz a professora Solange Schorn. 

As discussões propostas no grupo de estudos, organizado pelas docentes do Curso de Psicologia, vão ao encontro das atividades realizadas pelo GIATI, que surge como uma proposta interdisciplinar com a área da saúde no contexto universitário, coordenado pela Vice-Reitoria de Pós-Graduação Pesquisa e Extensão, como uma tentativa de produzir um trabalho de apoio e acolhimento à população idosa, oferecendo-lhes suporte neste difícil período que todos se encontram. A atuação das acadêmicas do Curso de Psicologia que compõem o grupo, além do contato inicial para o acolhimento do idoso, “consiste no acompanhamento dos idosos que apresentam maior fragilidade emocional decorrente das privações produzidas pela pandemia”, afirma a coordenadora do Curso, professora Elisiane Schonardie. As professoras salientam que, além do contato com os idosos, este trabalho interdisciplinar constitui um momento importante no processo formativo de todos os acadêmicos envolvidos no projeto.


“Falas da Clínica”: evento debate temas e integra estudantes de Psicologia

                

Com o objetivo de integrar a primeira escuta clínica com a teoria e exposta aos graduandos em psicologia, dando ênfase ao sincronismo teórico-prático presente na futura profissão, aconteceu, na quarta-feira, 19, no Centro de Eventos do Campus Ijuí, o evento Falas da Clínica, reunindo estudantes e professores do Curso de Psicologia.

O evento iniciou-se às 14h com a discussão “A escuta do sujeito na clínica - Comissão de Pesquisa”, na sequência, “Resistência como mecanismo de defesa no tratamento clínico - Comissão de Registros”. A programação teve, ainda, o debate “O choro e suas possíveis interpretações - Comissão de Eventos”, seguido da temática “Pagamento na clínica psicanalítica: um estudo a partir das experiências na Clínica Escola - Comissão de Patrimônio”. O encerramento aconteceu no turno da noite, após a discussão “O corte como ato analítico - Comissão de Publicações”.

O evento não teve taxa de inscrição, apenas recolheu, daqueles que puderam colaborar, itens de higiene para doar a entidade de Lar Bom Abrigo, de Ijuí.


Curso de Psicologia participa de Programação do Outubro Rosa da Câmara de Vereadores

O mês de outubro tem um significado especial para as mulheres. Campanhas de conscientização são realizadas no Brasil e no mundo, com o objetivo de alertar as mulheres e a sociedade sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama e mais recentemente sobre o câncer de colo do útero.

A Unijuí participou da programação da Câmara Municipal de Vereadores de Santa Rosa, na quarta-feira, dia 23, por meio do curso de Psicologia. A palestra “Aspectos psicológicos envolvidos no adoecimento”, foi ministrada pela coordenadora do curso de Psicologia, Simoni Antunes Fernandes.

O encontro contou com a participação de mulheres da comunidade santa-rosense e entidades envolvidas com a campanha, que na oportunidade receberam informações referentes a saúde física e emocional na prevenção de doenças.

“É importante trabalharmos as questões subjetivas para enfrentarmos algumas doenças e até mesmo para elas não aparecerem”, destacou Simoni.

Confira a palestra no vídeo transmitido pela Câmara Municipal de Vereadores de Santa Rosa: