COMUNICA

PORTAL DE NOTÍCIAS DA UNIJUÍ

Ensino

“Memórias”: EFA realiza encontro de ex-diretoras

                

Na noite de quarta-feira, 03 de outubro, foi realizado, na AFFI, o evento “Memórias,” momento especial com o objetivo de homenagear diretoras, professores e funcionários da escola pelo caminho trilhado nos 50 anos da EFA. O reconhecimento aos que percorreram parte de seu caminho pela EFA e contribuíram na construção e aprimoramento do projeto pedagógico da escola.

Na oportunidade, receberam homenagens e falaram sobre seu tempo frente a direção da EFA as ex-diretoras Marisa Nunes Friso, Eronita Barcelos, Joice Nunes Tiellet, Gisela Kusiak e Lisiane Goettems. As ex-diretoras Rosane Nunes Becker e Iselda Feil não puderam comparecer, mas enviaram depoimentos que foram lidos pelas colegas.

A atual diretora da Escola, professora Maria do Carmo Pilissão, afirma que é um prazer enorme comemorar 50 anos valorizando as memórias e histórias que vem sustentando este projeto rico em amorosidade, criatividade, sensibilidade, promoção do conhecimento que sempre ensinou e continua com ousadia e criatividade. “O encontro de diferentes gerações que gestaram a escola foi um momento especial, grandioso, de muita sensibilidade e emoções”, observa. 

E complementa: “a EFA tem a certeza de que a contribuição de cada uma das pessoas que fez parte desta trajetória, foi essencial para tornar a escola uma referência em educação, finaliza a professora”.


Secretarias dos Programas de Pós-Graduação Stricto Sensu se reúnem para discutir demandas

                      

Aconteceu um encontro, na manhã de 02/10, das (o) Secretárias (o) dos Programas de Pós-Graduação Stricto Sensu da Unijuí, com o objetivo de integrar a equipe para a socialização das demandas de cada Programa. Cada um pode expor sobre as atividades do cotidiano de seu Programa e posteriormente esclareceram as dúvidas entre o grupo.

A ideia dos profissionais é realizar encontros periódicos, na medida do possível, para a qualificar cada vez mais as suas atividades, sobretudo, de elaborar propostas para institucionalizar as demandas que são comuns a todos os Programas, como os documentos relacionados às bancas, estágios dos alunos, acompanhamentos dos bolsistas, dentre outros.

Além disso, o grupo socializou os editais do processo seletivo 2019, que tem muitas novidades para o ano que vem, como o MINTER e DINTER, que será ofertado na Unibalsas /Balsas/Maranhão e a aprovação do novo Programa Stricto Sensu em Sistemas Ambientais e Sustentabilidade.

Assim, com o aumento dos Programas/Cursos stricto sensu é fundamental que as(o) secretárias(o) estejam em sinergia para dar conta de todas as demandas com muito êxito.

O encontro teve o objetivo, ainda, de confraternização pelo dia da(o) Secretária(o), comemorado no dia 30 de setembro.

 


EFA recebe autor de livro de contos gauchescos

As turmas do segundo e terceiro ano do ensino fundamental da EFA, receberam na última quarta feira, 26 de setembro, o autor santo-angelense, Jonatã Ferreira, para um bate papo com as crianças sobre a cultura gaúcha e em especial a sua obra, o livro Buenos Causos. Entre uma roda de chimarrão preparada pelos estudantes, o autor inicia sua fala comentando sobre a simbologia desse ato, que o mate representa a hospitalidade e é uma forma acolhedora de receber as visitas e ainda celebrar a vida.

O livro Buenos Causos, foi apresentado para as crianças pelo autor, pois anterior a este dia a turma havia explorado diversas lendas e mitos do folclore brasileiro, e neste momento o objetivo era conhecer os causos gaúchos, conta a professora da turma B21, Letícia da Silva. O autor apresentou sua trajetória, incentivando nas crianças o gosto pela leitura e escrita. Jonatã relatou que sua inspiração surgiu através de suas vivências com seu meio familiar, além do respeito pelas experiências vividas e histórias contadas pelos seus antepassados como bisavós e avós.

As crianças ainda questionaram a veracidade dos fatos relatados e o autor sinalizou que todo causo vem da mais pura verdade, mas que, quem escuta deve analisar se deve acreditar ou não. A perspectiva da educadora é seguir trabalhando os causos gaúchos do livro, pois as crianças adoram ouvir histórias, e isso incentiva elas a escreverem com o coração e serem bons leitores e escritores.

Esse trabalho das turmas ocorre concomitante aos estudos do mês de agosto que envolvia o Folclore Brasileiro, mitos, lendas e no mês de setembro a semana da pátria e semana farroupilha, que novamente se faz necessário o conto de história, lendas e costumes regionais, finaliza a professora.


Palestra e encontro de egressos deram início a Seminário Internacional de Ciências Agrárias

                
 

Em 2018 completam-se 30 anos do Curso de Agronomia e 10 anos do Curso de Medicina Veterinária da Unijuí. Com o objetivo de promover uma reflexão sobre a formação nas áreas e traçar cenários futuros, tendo em vista a conjuntura nacional e internacional, o Departamento de Estudos Agrários (DEAg) deu início, na noite desta segunda-feira, ao 3º Seminário Internacional sobre as Perspectivas do Ensino de Ciências Agrárias e Ambientais no Sul do Brasil. O evento segue até a próxima quinta-feira, dia 27, com atividades no Salão de Atos Argemiro Jacob Brum, no Campus Ijuí.

O Seminário vai realizar uma análise sobre a formação acadêmica diante dos problemas da agropecuária, dos problemas socioambientais, das demandas da sociedade e da consolidação da maturidade do perfil dos profissionais egressos dos cursos. Dessa forma, uma ampla programação foi organizada pelo Departamento e contará com 27 palestrantes de oito países diferentes.

Na abertura oficial do evento, o Coral Unijuí fez uma apresentação especial. Logo após, foi realizada a cerimônia de início das atividades do Seminário. Compuseram a mesa de trabalhos a Reitora Unijuí, professora Cátia Maria Nehring, o chefe do DEAg, professor Osório Antônio Lucchese, a professora  coordenadora  do Curso de Agronomia, Cleusa Menegassi Bianchi, o professor coordenador do Curso de Medicina Veterinária, Fernando Silvério Ferreira, o professor coordenador do Curso de Mestrado em Sistemas Ambientais e Sustentabilidade, José Antônio Gonzalez da Silva, o professor coordenador da Comissão Organizadora do III Seminário Internacional, Roberto Carbonera, o professor Nicolás Laguarda Miró, da Universidade Politécnica de Valência, Espanha, o estudante presidente do CAA, Diego Moraes e o estudante presidente do CAMEV, Abel Marchi da Silva.

Após o ato de início, foi realizada a palestra ‘O sentido da Universidade na atualidade’, ministrada pelo professor doutor Paulo Rudi Schneider. Na primeira noite de atividades a programação englobou, ainda, o Encontro de Egressos dos Cursos de Agronomia e Medicina Veterinária da Unijuí.

Confira a Programação completa na página do evento no Portal da Unijuí.

A História do Seminário

No ano de 1986, a Unijuí, já como Universidade reconhecida no ano anterior, organizou o I Seminário Internacional sobre as Perspectivas do Ensino de Ciências Agrárias no Sul do Brasil. Este seminário se constituiu em um momento de reflexão extremamente importante para a elaboração do projeto do curso de Agronomia. Com a criação do curso, em 1988, foi incorporada como uma de suas principais características a formação de um profissional voltado para o desenvolvimento. Este seminário também consolidou a cooperação do Departamento de Estudos Agrários da Unijuí com o Instituto Nacional Agronômico de Paris-Grignon (INA-PG), com o apoio da Direção Geral do Ensino Rural do Ministério da Agricultura da França.

No ano de 2008 o curso de Agronomia completou 20 anos e marcou também o início do curso de Medicina Veterinária. Levando-se em consideração estes aspectos, promoveu-se o II Seminário Internacional sobre as Perspectivas do Ensino de Ciências Agrárias no Sul do Brasil. Para tanto, este seminário se propôs a reunir profissionais do Brasil e do exterior, particularmente da França, para refletir sobre o ensino e as perspectivas da área de Ciências Agrárias para o desenvolvimento sustentável da agropecuária, tendo obtido pleno êxito em sua realização.

Nesses anos, a Agronomia formou 48 turmas e um total de 674 Engenheiros Agrônomos, sendo 575 homens e 99 mulheres. O curso de Medicina Veterinária, por sua vez, graduou 181 Médicos Veterinários em 11 turmas, sendo 85 homens e 96 mulheres. Os egressos dos cursos, para além de atuarem na região, estão exercendo suas profissões em diversos estados brasileiros e, alguns, no exterior.


Pós-Graduação na Alemanha: Programa concede bolsas na área de desenvolvimento sustentável

                 

Foto: DAAD/Michael Jordan

Por meio do Programa EPOS, o DAAD oferece bolsas de estudos para diversos cursos de pós-graduação na Alemanha em campos de estudos relacionados ao desenvolvimento sustentável. O programa foi criado com foco no aprofundamento de jovens profissionais e acadêmicos de países em desenvolvimento, que podem escolher entre 40 cursos de mestrado ou doutorado, ministrados em alemão ou inglês, em uma das seguintes áreas:

• Ciências Econômicas e Política Econômica
• Cooperação para o Desenvolvimento
• Engenharia e disciplinas afins
• Matemática
• Planejamento Urbano e Regional
• Agronomia e Silvicultura
• Ciências Naturais e Ciências do Meio Ambiente
• Medicina e Saúde Pública
• Ciências Sociais, Educação e Direito
• Estudos de Mídia

Todas as informações sobre os cursos e pré-requisitos estão disponíveis neste link, com conteúdo em inglês e alemão. A lista com os cursos que integram o Programa EPOS e os respectivos prazos de inscrição podem ser consultados nesta tabela. Cada instituição tem um prazo de inscrição próprio. As datas limite para envio de candidaturas variam entre 31.08.2018 e 31.05.2019.

Aviso importante: a inscrição precisa ser feita por meio do site da universidade alemã e não pelo DAAD.

A novidade do programa em 2018 é a inclusão do curso “Sustainable Development Management”, oferecido pela Hochschule Rhein-Waal, em inglês. Esse programa de Master tem duração de três semestres e reúne assuntos das disciplinas de Economia, Ciências Políticas e Metodologia de Gestão de Projetos.

Os candidatos ao EPOS devem ser atuantes no planejamento e execução de projetos voltados para políticas de desenvolvimento ou na cooperação para o desenvolvimento, seja em instituições/empresas públicas ou privadas. Além de excelente rendimento acadêmico, o pré-requisito básico para uma candidatura é ter o mínimo de dois anos de experiência profissional na área do curso pretendido após a conclusão da graduação. Essa conclusão não pode ter ocorrido há mais de seis anos no momento de início do curso escolhido pelo candidato. É preciso comprovar o nível de alemão ou inglês exigido por cada instituição.

A duração dos estudos varia entre um e três anos, dependendo do curso. Os contemplados recebem bolsa mensal, seguro-saúde, ajuda de custo para passagem aérea e curso preparatório de alemão.

Criado em 1987 para estimular a qualificação de profissionais e lideranças de países em desenvolvimento sob uma perspectiva sustentável, o programa já beneficiou mais de 7 mil estudantes. 


Roda de Conversa: Muito além do Jardim da Infância - Infância, mídia e consumo

Sob mediação da Psicopedagoga da EFA, Juliana Sfalcin, as turmas B41 e B51 receberam na última sexta feira, a mãe, professora e pesquisadora, Sirlei Rigodanzo, para uma conversa sobre o atravessamento da mídia no universo infantil, dialogando com o grupo sobre o enorme poder da imagem sobre os seres infantis e as consequências dos excessos.

Segundo Sirlei a conversa teve como objetivo de trazer a discussão de temas que hoje permeiam a escola, a família e a sociedade contemporânea. Tecer a teia, criar uma rede, entrelaçar os assuntos relacionados as tecnologias buscando problematizar as transformações que estão ocorrendo com nossas crianças mediadas pelos artefatos da mídia, pelo poder da imagem, pelos estímulos a criação de uma cultura focada no consumo infantil.

O atravessamento da mídia no universo escolar e as possíveis consequências desse processo foi pauta do bate, momento de proporcionar uma leitura do tema na atualidade e gerar a escuta, mediando dúvidas ou certezas que estes trazem para a escola, auxiliando a desvendar o universo do uso das tecnologias e o enorme poder da linguagem visual sobre os sujeitos.

A Psicopedagoga da EFA, Juliana, Sfalcin, conta que muitas vezes, o uso excessivo das novas tecnologias acabam sendo obstáculos nas relações sociais e familiares. Sendo assim, entende ser necessário promover momentos de reflexão sobre o uso consciente das mesmas. “É importante auxiliar as crianças a encontrar um ponto de equilíbrio entre o estilo de vida atual, cada vez mais marcado pelo uso destas tecnologias. Manter o diálogo, orientando-as para o uso da internet, evita, por exemplo, conversas em chats com desconhecidos e divulgação de dados pessoais”. Esclarecer dúvidas e explicar os motivos pelos quais é preciso usar com cautela as novas tecnologias, é uma das finalidades desse tipo de trabalho realizado pela escola, finaliza Juliana.

 


Seminário do Pibid reuniu estudantes de licenciatura na Unijuí

Neste sábado, 1º de setembro, o Centro de Eventos da Unijuí sediou o I Seminário do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência – Pibid/Unijuí. Tendo como tema norteador “A Constituição docente pela via do desenvolvimento do currículo escolar”, o evento reuniu estudantes de graduação de diferentes áreas da licenciatura, além de professores, com o objetivo de incentivar a formação de docentes em nível superior para a educação básica.

Estiveram presentes na abertura do evento, a Vice-Reitora de Graduação, professora Cristina Eliza Pozzobon, a representante da 36ª Coordenadoria Regional de Educação, Lizandra Daltrozo, o Secretário Municipal de Educação de Ijuí, Eleandro Lizot, e a Coordenadora do Pibid/Unijuí, professora Marli Dallagnol Frison. Em suas falas, todos destacaram a importância dos professores como agentes transformadores da realidade social, pois para além dos conteúdos trabalhados em sala de aula, a partir dos currículos escolares, os educadores também têm como missão formar cidadãos críticos e reflexivos.

O Seminário contou ainda com uma palestra do professor Paulo Evaldo Fensterseifer. O docente da Unijuí abordou o tema “Escola, conhecimento e democracia”, em que apresentou conceitos e desafios em relação ao processo de formação de sujeitos e o papel do professor a partir da escola, no contexto de uma república democrática. Além da palestra, o evento contou ainda com o painel “Diálogos com e entre Pibidianos”, mediado pela coordenadora do Pibid, Marli Dallagnol Frison.

Sobre o Pibid - O Pibid é uma iniciativa para o aperfeiçoamento e a valorização da formação de professores para a educação básica. O programa concede bolsas a alunos de licenciatura participantes de projetos de iniciação à docência, desenvolvidos por Instituições de Educação Superior (IES) em parceria com escolas de educação básica da rede pública de ensino.

Os projetos devem promover a inserção dos estudantes no contexto das escolas públicas desde o início da sua formação acadêmica para que desenvolvam atividades didático-pedagógicas sob orientação de um docente da licenciatura e de um professor da escola.

O Pibid tem como objetivos a valorização do magistério; elevar a qualidade da formação inicial de professores nos cursos de licenciatura, promovendo a integração entre educação superior e educação básica; inserir os licenciandos no cotidiano de escolas da rede pública de educação, proporcionando-lhes oportunidades de criação e participação em experiências metodológicas, tecnológicas e práticas docentes de caráter inovador e interdisciplinar, que busquem a superação de problemas identificados no processo de ensino-aprendizagem; incentivar escolas públicas de educação básica, mobilizando seus professores como coformadores dos futuros docentes e tornando-as protagonistas nos processos de formação inicial para o magistério; e contribuir para a articulação entre teoria e prática necessárias à formação dos docentes, elevando a qualidade das ações acadêmicas nos cursos de licenciatura.


Unijuí oferta Curso de Redação Científica com Gilson Volpato

Os resultados de pesquisas complexas são de grande relevância para toda a comunidade. Porém, no momento da redação, ainda são encontradas falhas, que refletem problemas conceituais e o momento para sanar as dúvidas é no Curso de Redação Científica ofertado pela Unijuí. No dia 17 de setembro, às 15h, será realizada uma palestra sobre o tema e nos 18 e 19 de setembro, às 20h, o Curso de Redação Científica com o renomado pesquisador Gilson Volpato. As inscrições estão abertas no Portal da Universidade.

O Curso tem carga horário de 20h e possui uma estrutura curricular diferenciada que contempla também uma palestra sobre ‘Redação Científica: por que erramos?. O investimento no curso é de R$ 140,00 no total, mas, possui flexibilidade: para assistir somente a palestra, o valor é de R$ 30,00; para assistir somente o curso, o valor é de R$ 130,00.

A programação tem o apoio de todos os Programas de Pós-Graduação Stricto Sensu da Unijuí: Atenção Integral à Saúde, Educação nas Ciências, Educação Física (Mestrado Profissional em Rede), Desenvolvimento, Direito e Modelagem Matemática.

Saiba mais sobre Gilson Volpato

Gilson Luiz Volpato é biólogo licenciado pela UNESP em 1978. Mestre, Doutor e Pós-Doutor em Israel. É Professor Livre-Docente aposentado do Departamento de Fisiologia, Instituto de Biociências de Botucatu, UNESP. Teve interação científica com pesquisadores de Israel, Inglaterra, Canadá e Estados Unidos.

Seus primeiros cursos foram em 1986 na graduação e em 1988 na pós-graduação. Até hoje, já ministrou mais de mil cursos no Brasil e no exterior. Nesse tema, publicou 12 livros e disponibilizou pela internet 31 artigos e 92 vídeos.

Em 2017 se tornou cofundador e presidente do IGVEC, Instituto Gilson Volpato de Educação Científica, que visa difundir a mentalidade científica para todo o sistema educacional, da pré-escola à universidade, com desdobramento para toda a população.

 

 

 


II Feira Regional de Matemática reúne centenas de estudantes da região em Panambi

             

Com o tema "A Matemática é para todos!”, foi realizada, nesta sexta-feira, dia 24 de agosto, a II Feira Regional de Matemática do Rio Grande do Sul. O evento ocorreu no Instituto Federal Farroupilha, em Panambi e reuniu centenas de estudantes de escolas da região.

Para esta segunda edição foram apresentados 97 trabalhos inscritos por escolas de oito municípios da região. Foram inscritos em oito categorias diferentes: Educação Especial (10); Educação Infantil (5); Ensino Fundamental – Anos Iniciais (21); Ensino Fundamental – Anos Finais (40); Ensino Médio e/ou Profissionalizante (15); Ensino Superior (4); Professor (1); Comunidade (1). Todos os trabalhos receberam premiação.

O número de inscrições aumentou significativamente da primeira Feira, que teve 81 trabalhos apresentados, o que, de acordo com os organizadores, é fruto da atuação do Projeto de Extensão da Unijuí, que está ajudando no processo de consolidação e expansão das Feiras de Matemática na região.

Segundo a Comissão Organizadora, os trabalhos apresentaram grande variedade nas temáticas, demonstrando a riqueza dos trabalhos desenvolvidos nos diferentes espaços educativos. A feira visa a sistematização dos projetos realizados por estudantes, professores e comunidade que envolvam conceitos matemáticos. “A Feira contribui muito para quebrar paradigmas em relação a matemática. Os alunos começam a criar uma outra relação com a matemática, não de barreira, e sim de proximidade. Esse é um dos grandes potenciais dela”, observa o professor Peterson Cleiton Avi, um dos coordenadores do evento.


Unijuí dá início ao Programa de Residência Pedagógica

              

Nesta semana a Unijuí realizou, nos Campi Ijuí e Santa Rosa, o I Encontro do Programa de Residência Pedagógica, com o tema “A constituição do ser professor articulada ao trabalho educativo”. Os eventos, realizados na segunda-feira, dia 20, e quarta-feira, dia 22, respectivamente contaram com a participação da Vice-Reitora de Graduação, professora Cristina Pozzobon e deram início ao Programa.

A programação dos encontros também contou com um Painel sobre a Formação Docente e também uma conversa sobre expectativas e encaminhamentos de Preceptores e Residentes. Participaram do encontro professores, docentes orientadores, coordenadores pedagógicos e de áreas, residentes, preceptores, Coordenador(a) da 17ª CRE e da 36ª CRE, Secretário(a) Municipal de Educação de Ijuí e demais interessados.

O Programa de Residência Pedagógica é uma das ações que integram a Política Nacional de Formação de Professores e tem por objetivo induzir o aperfeiçoamento do estágio curricular supervisionado nos cursos de licenciatura, promovendo a imersão do licenciando na escola de educação básica, a partir da segunda metade de seu curso. Os estudantes estarão envolvidos com regência de sala de aula e intervenção pedagógica, acompanhados por um professor da escola com experiência sua na área de ensino e orientados por um docente da Universidade.

O objetivo é contribuir na melhoria da formação inicial dos residentes e na formação continuada dos preceptores, reforçando a necessidade de diálogos constantes entre universidade e escolas para; fortalecer o campo da licenciatura como espaço imprescindível no cenário social brasileiro; refletir sobre os desafios contemporâneos da educação para construir entendimentos acerca das políticas públicas da educação básica, principalmente no que se refere às diretrizes curriculares nacionais, ao Plano Nacional de Educação (2014-2024) e a Base Nacional Curricular Comum visando transformações na organização escolar e curricular. Além disso, oportunizar um espaço privilegiado de socialização de conhecimentos e saberes, de interação e interlocução entre docentes orientadores, preceptores e residentes na perspectiva de uma práxis mais qualificadas do trabalho educativo para assegurar as funções e as relações apropriadas de trabalho didáticopedagógico favorecendo a aprendizagem dos alunos.

Como vai funcionar: 60 horas destinadas à ambientação na escola; 320 horas de imersão; 100 horas de regência (planejamento e execução de pelo menos uma intervenção pedagógica); 60 horas destinadas à elaboração do relatório final, avaliação e socialização das atividades para viabilizar a consolidação do Programa Residência Pedagógica com qualidade.