COMUNICA

PORTAL DE NOTÍCIAS DA UNIJUÍ

Ensino

Programas CAPES: Pibid e Residência Pedagógica recebem inscrições

             

Estão abertas as inscrições para a oferta de bolsas ao Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (Pibid) e também para a Residência Pedagógica, ambas vinculadas à Capes, para os campi Ijuí e Santa Rosa, até o dia 11 de julho. Os dois programas são desenvolvidos em parcerias com as redes públicas de ensino, municipais e estaduais. A Unijuí já possui uma trajetória consolidada na oferta destes dois Programas de Aperfeiçoamento junto à Capes, promovendo a imersão dos estudantes de Graduação nas escolas da região Noroeste.

O Pibid é um programa da Política Nacional de Formação de Professores do Ministério da Educação (MEC) que visa proporcionar aos discentes dos cursos de licenciatura sua inserção no cotidiano das escolas públicas de educação básica. Para o desenvolvimento dos projetos institucionais de iniciação à docência, o programa concede bolsas aos licenciandos, aos professores das escolas da rede pública de educação básica e aos professores das IES. Segundo o edital aprovado pela Capes, a Unijuí poderá ofertar 48 bolsas para estudantes da Licenciatura e seis bolsas para professores que atuam nas escolas básicas. A seleção ocorrerá por meio de edital, que será divulgado em breve. Neste programa poderá ingressar aquele aluno que tenha concluído menos de 60% da carga horária regimental de curso de Licenciatura que integra o projeto institucional de iniciação à docência.

Já o Programa Residência Pedagógica tem como objetivo desenvolver projetos inovadores, que estimulem a articulação entre teoria e prática nos cursos de Licenciatura, conduzidos em parceria com as redes públicas de educação básica. Neste Programa também serão ofertadas 48 bolsas para estudantes e seis para professores que atuam nas escolas. A seleção também será efetivada por edital. No Programa Residência Pedagógica poderá ingressar aquele estudante que tenha concluído mais de 50% da carga horária regimental de curso.

Para efetuar a inscrição

PIBID: 

I. Estar matriculado/a no curso de Licenciatura em Matemática ou Letras Português/Inglês ou História (Campus Ijuí) ou Pedagogia ou Educação Física (campus Ijuí ou Santa Rosa) que estejam com menos de 60% da carga horária regimental do curso de licenciatura que frequenta. 

II. Possuir pelo menos 8 (oito) horas semanais para dedicação às atividades do programa; 

III. Possuir currículo atualizado na Plataforma Capes de Educação Básica, disponível no endereço: http://eb.capes.gov.br

Documentos: 

a) Ficha de inscrição, devidamente preenchida, disponível na página da UNIJUÍ http://www.unijui.edu.br/pibid em Editais e Informes; 

b) Documento escrito, discorrendo sobre as motivações para ingressar no Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência – Pibid UNIJUÍ. (Anexo 1 deste Edital). 

c) Cópia do histórico acadêmico. 

Os documentos exigidos para a inscrição, referidos no item 1.3.2, devem ser encaminhados até o dia 11 de julho de 2020, pelo endereço eletrônico pibid@unijui.edu.br indicando a qual subprojeto e campus concorre. 

Residência Pedagógica:

I. Estar matriculado/a no curso de Licenciatura em Educação Física (campus Ijuí ou Santa Rosa), Matemá ca ou Letras Português/Inglês ou Pedagogia (Campus Ijuí) e ter cursado o mínimo de 50% do curso ou estar cursando a par r do 5o semestre; 

II. Possuir pelo menos 8 (oito) horas semanais para dedicação e desenvolvimento das a vidades do Programa de Residência Pedagógica; 

III. Firmar termo de compromisso com a Capes, cujo formulário será gerado no Sistema de controle de bolsas e auxílios (Scba); 

IV. Possuir currículo atualizado na Plataforma Capes de Educação Básica, disponível no endereço: https://eb.capes.gov.br  

Documentos:

a) Ficha de inscrição, devidamente preenchida, disponível na página da UNIJUÍ https://www.unijui.edu.br/pibid em Editais e Informes; 

b) Documento escrito apresentando as mo vações pelas quais entende que pode ser selecionado(a) para par cipar do Programa Residência Pedagógica UNIJUÍ. (Anexo 1 deste Edital). 

c) Cópia do histórico acadêmico. 

Os documentos exigidos para a inscrição, referidos no item 2.2.2, devem ser encaminhados até o dia 11 de julho de 2020, pelo endereço eletrônico prp@unijui.edu.br indicando a qual subprojeto e campus concorre.

Mais detalhes na página de Editais da Unijuí, neste link


Estudantes de Ensino Médio da EFA produzem HQs digitais

              

Com o surgimento das novas mídias digitais e a criação de ferramentas de produção de HQs (Histórias em Quadrinhos) nasceram as chamadas webcomics, cuja publicação é veiculada exclusivamente pela Internet, modificando as formas de produção, as possibilidades de operação das linguagens verbal e não verbal, bem como as relações entre o autor e o leitor. Essa facilidade fez com que os alunos da turma 211 da EFA, na disciplina de Português, produzissem seus quadrinhos, ainda que alguns deles não possuíssem habilidades ou experiência com esse gênero de texto. Segundo o professor Leandro Renner de Moura, ao produzir suas HQs em aplicativos, como o “Comic Strip It”, eles tiveram a oportunidade de mobilizar as suas capacidades linguísticas, pensar contextos, criar personagens e falas, com fotografias, imagens e efeitos, alcançando o objetivo estético e discursivo dessa modalidade textual.

O professor explica, ainda, que a técnica artística empregada nas HQs não é algo recente. Os homens primitivos já utilizavam a arte sequencial nas relações sociais arquitetadas pela linguagem. Pesquisadores descobriram que o ato de rabiscar as paredes das cavernas não era uma brincadeira, mas uma necessidade vital de relevância educativa e histórica: os mais experientes precisavam ensinar aos mais novos sobre a caça e sobre os perigos que a selva oferecia, por exemplo. Ainda que tenha sido realizada com o uso de instrumentos rústicos, esse tipo de arte cumpria seu propósito comunicativo, revelando-nos que o letramento visual é tão antigo quanto às necessidades enunciativas do homem. Com a popularização da internet e de outras tecnologias, essas histórias em blocos receberam novos recursos e muito mais espaço para serem publicadas. O conteúdo, agora digital, ganhou interação com o usuário, movimento, cores, contextos, e até sons – algo impossível nos modelos tradicionais, estes, ainda, preferidos de alguns alunos da turma, os quais optaram em construir os seus próprios desenhos.

Como usar os apps

Você pode fazer suas próprias histórias em quadrinhos usando apenas seu celular ou tablet. Conheça os aplicativos Comic Strip it! e Strip Designer, que permitem que você exercite sua criatividade e produza HQs (mesmo que nunca tenha feito uma na vida).

O tablet é ótimo para brincar com esses apps, já que a tela maior dá mais liberdade de criação, mas nada impede que você os use no celular.

Se o seu aparelho é um Android, a melhor opção é o Comic Strip It!, que tem uma versão gratuita e uma paga, que é mais profissional. A diferença é o maior número de efeitos que podem ser aplicados nas imagens na versão paga. Mesmo na versão gratuita, dá para se divertir bastante criando tirinhas ou storyboards com imagens do banco do app ou com fotos que você tira diretamente com o dispositivo móvel. É bem simples incluir os balõezinhos de diálogo, e tudo é facilmente compartilhado nas redes sociais.

Confira todas as produções no Facebook da EFA:

            


Horizontes da Educação: instituições de ensino debatem mudanças e caminhos em razão da pandemia

                 

A pandemia da covid-19 provocou grandes e profundas mudanças na sociedade, e a educação foi um dos setores profundamente afetados. Para que ela não interrompesse suas atividades pedagógicas e administrativas devidamente planejadas, universidades, centros universitários, faculdades e escolas se desdobraram e se adaptaram, migrando para uma rotina pedagógica de emergência, determinada pelo MEC, e para a segurança da saúde de todos: estudantes, professores, técnicos-administrativos, e suas famílias. O ensino e a aprendizagem mudaram, mas como será o “novo futuro” da educação pós-pandemia? esta foi a provocação e norte do Webinar Internacional “Enfrentamento à Covid-19: Horizontes da Educação”, realizado nesta semana.

Com a participação de conferencistas do Brasil e de outros países, o evento, realizado de forma totalmente online e gratuita, ocorreu de segunda (22) até esta quarta-feira (24), promovido por diversas entidades do setor educacional: Conselho de Reitores das Universidades Brasileiras (Crub), Associação Brasileira de Instituições Educacionais Evangélicas (Abiee), Associação Brasileira das Universidades Comunitárias (Abruc), Associação Brasileira dos Reitores das Universidades Estaduais e Municipais (Abruem), Associação Catarinense das Fundações Educacionais (Acafe), Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes), Associação Nacional de Educação Católica do Brasil (Anec), Associação Nacional das Universidades Particulares (Anup), Consórcio das Universidades Comunitárias Gaúchas (Comung) e o Fórum Nacional de Rádios Comunitárias (Forcom).

Na programação, foram debatidas importantes temáticas, compreendendo novas perspectivas, práticas e estudos mundiais mais recentes para que reitores, dirigentes de instituições de ensino, diretores de escola, coordenadores, professores e corpo jurídico possam fazer o possível para voltar à presencialidade com o menor nível de risco possível. A proposta de um Protocolo Educacional de retorno às Atividades Escolares e Acadêmicas, considerando que algumas instituições já começaram a implantar em suas unidades, antevendo possível retorno, também será compartilhado em nosso hotsite para inspirar quem ainda não as produziu. Foram abordados três dimensões que impactam diretamente na dinâmica da presencialidade – epidemiológica, pedagógica e jurídica. Ouviremos conferencistas nacionais e internacionais que atuam diretamente em cada uma dessas dimensões e que estão dedicados em trabalhos estratégicos e de pesquisa sobre a covid-19.

Confira os debates da íntegra:

           

           

            

 

 

           

Confira todos os detalhes no site oficial do evento, acessando este link. 


Meteorologia, Tecnologia e a Sociedade em estudo na EFA

               

A turma C61, recebeu na manhã do dia, 24 de junho, um convidado especial para a aula de Ciências: o meteorologista Dr. Daniel Caetano dos Santos, que atua como servidor da meteorologia da UFSM.

A convite da professora Mariana Trevisan, ele conversou com os estudantes sobre a importância do profissional da área, o que ele faz, os equipamentos que usa e como as informações obtidas por eles são importantes para o nosso dia a dia, bem como a previsão do tempo, alertas de tempestades, mudanças climáticas e desenvolvimento tecnológico.

Segundo a professora Mariana, esta fala vem ao encontro do estudo que a turma está realizando sobre o ar e a atmosfera, como ela influencia e permite a vida dos seres no nosso planeta. "Dentro desse assunto fazemos várias abordagens sobre o nosso dia a dia e como os fenômenos naturais podem facilitar ou dificultar alguns processos como: de que forma a altitude influencia em jogos de futebol? e como os pneus do carro sem a devida calibração podem gastar mais combustível?... Dessa maneira o aluno compreende que faz parte do ambiente e é de sua responsabilidade entender e cuidar para preservar", observa.

Segundo a orientadora pedagógica, Eduarda Burckardt, que acompanhou a atividade, a possibilidade de receber profissionais de outras instituições nas nossas aulas é  magnífico. É importante nesse nosso formato de aulas online potencializar a aprendizagem dos alunos de diferentes maneiras. A aula foi dinâmica e os alunos fizeram muitas relações com os conceitos já estudados!


Inscrições abertas para a Especialização em Formação Pedagógica e Docência na Educação Profissional

          

A Unijuí recebe inscrições, até o dia 06 de julho, ao curso de Especialização em Formação Pedagógica e Docência na Educação Profissional. A proposta trata da formação de professores para atuar na Educação Profissional Técnica de Nível Médio atendendo a oferta da tríade da Educação Básica: formação profissional, aprendizagem e desenvolvimento social. É uma proposta de formação pedagógica docente que possibilita a compreensão do processo de atuação profissional na escola e sala de aula com domínio dos saberes pedagógicos necessários para conduzir os sujeitos no processo da aprendizagem e das competências profissionais de forma criativa, desafiadora, contextualizada, através da mediação, interação e diálogo de conhecimentos de diferentes áreas de saberes e do mundo do trabalho.

Coordenada pelas professoras Julieta Ida Dallepiane (Mestre) e Marta Estela Borgmann (Doutor), o curso observa também que os conhecimentos da base científica e tecnológica da atividade profissional, cultivo dos saberes do mundo do trabalho e saberes pedagógicos são necessários para atuação do professor, assim, a formação deve incluir questões relativas à função social da educação profissional, pois a presença do técnico de nível médio em nossa sociedade torna-se cada vez mais necessária e relevante no mundo do trabalho, sobretudo em razão do crescente aumento das inovações tecnológicas e dos novos modos de organização da produção.

O curso é destinado a profissionais que possuem interesse em aperfeiçoar sua atuação na docência da formação profissional. Será realizado a Distância, em Ambiente Virtual de Aprendizagem, sendo que o estudante administra o seu tempo de estudo, respeitando o prazo mínimo de 6 meses e o máximo 24 meses, a contar do ingresso no curso. Para finalizar cada disciplina, o estudante realiza uma avaliação Online, em que será necessário concluir com aprovação todas as disciplinas do curso, para agendar agendar a sistematização presencial, que poderá acontecer em um dos Campus ou Polos da Unijuí.

Mais detalhes e inscrições diretamente na página do curso, no Portal da Unijuí. 

 


Alunos da EFA usam aplicativo para estudar as variações linguísticas brasileiras

             

A língua não é uma entidade imutável, homogênea, que paira por sobre os falantes. Pelo contrário, todas as línguas vivas mudam com o decorrer do tempo e o processo em si nunca para. Ou seja, a mudança linguística é universal, contínua e dinâmica, embora apresente certas regularidades. Segundo o professor Leandro Moura, essa é a concepção utilizada nas aulas de Português da turma C61 da EFA, que passa pelo estudo das Variações Linguísticas no Brasil. Este conteúdo, previsto para o 6º ano do Ensino Fundamental, traz consigo o desafio de compreender a língua materna a partir de suas variedades culturais, geográficas, históricas e estilísticas. 

Por meio do aplicativo localingual.com foi possível que os estudantes vivenciassem a forma como o português é falado nas diferentes regiões do país, através de um mapa interativo que fornece gravações feitas por falantes nativos. Para explorar clique em https://localingual.com/?ISO=BR&Region=BRA-612✅em seguida selecione a região/cidade e clique em Listen to voices from region.

Para a diretora da Escola, professora Maria do Carmo Pilissão, as aulas online tem gerado bons frutos até então. Segundo ela é gratificante ver novas ferramentas e metodologias serem usadas no dia a dia, facilitando a aprendizagem e tornando o conteúdo cada vez mais atrativo para os estudantes.

 


Unijuí oferta curso de Planejamento e Produção de Conteúdo para Mídias Sociais

           

Com o objetivo de proporcionar uma visão atual sobre a atuação das pequenas e médias empresas nas Redes Sociais, orientando sobre a necessidade de planejamento para a estruturação de uma presença digital adequada ao negócio. As inscrições podem ser realizadas até o dia 21 de junho, na página do curso, sendo que ele ocorrerá, de forma online, no próximo dia 24 de junho. 

Este curso  de Qualificação irá capacitar os empresários e profissionais sobre o tema, demonstrando que, por meio de planejamento, é possível criar uma boa reputação digital das empresas nas Redes Sociais, aproveitando as oportunidades para relacionar-se com os clientes, ampliar a visibilidade da marca e converter resultados em vendas. O conteúdo do curso compreende assunto como:

  • Redes Sociais: como, quando e por que usar no meu negócio?

  • O perfil do novo consumidor;

  • Gestão e produção de Conteúdo para Redes Sociais;

  • Planejamento para redes sociais;

  • Gerenciamento de Crises;

  • Noções básicas de Marketing Digital (Anúncios, Engajamento, Monitoramento, Análise de Resultados);

  • Relacionamento com clientes.  

Será ministrado por Aline de Mattos, mestra em Desenvolvimento Regional – UNIJUÍ; Especialista em Docência do Ensino Superior – UNICEN (Primavera do Leste, MT); graduada em Comunicação Social – Publicidade e Propaganda – UNIJUÍ. É docente em cursos de Pós-Graduação, Graduação, Técnicos e Treinamentos Corporativos nas áreas de Comunicação, Marketing e Mídias Sociais, Liderança, Vendas e Empreendedorismo. Também possui experiência de mais de 15 anos em instituições de ensino, empresas e cooperativas nas áreas de comunicação, marketing e vendas.

 


Aula Pet – Estudantes do sétimo ano da EFA debatem sobre a importância do cuidado aos animais!

           

A aula de Português da turma C71 da EFA, na segunda feira, 08/06, iniciou com a sala cheia de convidados especiais. Lá estavam: o Theo (Caetano), a Branca (Gabrielli Monteiro),  o Luke (João Lacorth), o Floquinho ( Bruno), o Toby (Gabriel), a Cacau (Júlia),  a Bombom (Arthur Hartmann), a Lilica ( Milena), o Max (João Feller), o Vince (Nícolas), a Capivara (Renan), a Luna (Ana), a Cacau (Gustavo), a Pou (Bianca), o Flocos (Rafaela), a Smile (Bernardo), o Thor (Joana), a Kuki (Pedro), a Chica (Cristiano Ronaldo), o Pingo (Arthur Copetti), o Luki (Eduardo), o Ted (Eduarda), a Cacau (Samantha), a Lua (Gabrieli Santana), Sandy (Luis Felipe)

Toda esta galera PET foi apresentada à turma, através de seus tutores. São bichinhos de estimação que fazem a vida dos meninos e das meninas do sétimo ano muito mais alegre, cheia de traquinagens, diversão e muito amor.

Há pelo menos quatro encontros, as aulas de Português têm trazido a discussão sobre o cuidado com a vida e, especialmente a vida animal. Leituras informativas, inseridas em notícias e reportagens, revelaram algumas tristes realidades de descuido para com animais de pequeno porte, nos conta a professora Rosana Barros, responsável por este projeto. Ela destaca que esta organização didática tomou uma proporção maior do que a esperada, pois os/as alunos/as se envolveram emocionalmente com o tema.

Os estudantes, bastante compenetrados, leem os materiais propostos e, a partir destes textos, realizam debates, em específico, sobre como conscientizar a população para não haver maus tratos a seres tão indefesos quanto gatos, cachorros, coelhos, tartarugas, calopsitas e vários outros. Impressiona, segundo Rosana, a maturidade com a qual demonstram sua indignação por quem é capaz de maltratar a vida, principalmente indefesa.  Todos têm muito evidente que este é um crime. Além disso, buscam conhecer o trabalho de ONGs e de como é possível colaborar para que a comunidade PET tenha acesso a um lar e cuidados com alimentação, carinho e todo o aporte veterinário.

A escolha por este tema veio porque, a cada aula online, sempre apareciam os bichanos na tela, causando um alvoroço bom, conta a professora. Bastava iniciar o meet que, a qualquer momento da aula desfilavam, entre as crianças, gatos, cachorros, até um coelho e uma calopsita, daí a ideia em trazê-los para a sala de aula efetivamente e inserir as aprendizagens específicas do componente curricular aos interesses comuns. Fiquei muito impressionada ao questionar sobre quantos teriam um animal de estimação em casa e obter cem por cento de resposta afirmativa, como poderia desperdiçar este dado?, informa a professora, revelando-se animada.

Nesta semana, ao apresentarem seus estimados amiguinhos, cada um/uma usou e extrapolou de adjetivos e advérbios que construíram descrições recheadas de caracterizações e que demonstraram a importância destas vidas às famílias dos alunos da turma C71 da EFA. Na sequência, haverá produção textual de gêneros variados, incluindo-se notícias amplas, reportagens, crônicas e narrativas. Além disso, os estudantes organizaram seu “MURALNIMAL”, onde serão expostas fotos registrando momentos do dia a dia entre os pré-adolescentes, seus amigos PET e sua convivência familiar, nas suas residências.

 


História com Games na EFA: Battlefield e a Primeira Guerra Mundial

             

A EFA segue com suas aulas online, no dia a dia os professores vem se reinventando e buscando diversos meios de ensinar no ambiente virtual. Nesta quinta feira, 28/05, aconteceu uma proposta diferenciada para as turmas dos Anos Finais: a aula de história foi de exploração do jogo Battlefield 1. O professor de História, Gian Ruschel, por meio de um stream ao vivo no Youtube, explorou a temática “histórias de guerra”, no modo campanha do jogo, com um recorte da Primeira Guerra Mundial para explicar alguns conceitos e elementos da história por meio do jogo.

Conforme o professor foi jogando, avançando no campo de guerra, ia explicando sobre as condições tecnológicas e históricas as quais estavam submetidos os participantes da guerra, bem como as estratégias usadas, as composições dos campos de batalha, as condições sanitárias muito precárias, com muita presença de ratos e doenças que assolaram a humanidade, entre outras situações. Curiosidades como a aparição do aviador Barão Vermelho, que foi um piloto de caça alemão considerado como o "ás dos ases", obtendo o maior número de vitórias (oitenta) de um único piloto durante a Primeira Guerra, pôde ser vista pelos estudantes, bem como as batalhas aéreas. Também foi explorada a questão da ganância e expansionismo do Império Otomano em sua busca pelo “ouro negro” e a guerra empreendida pelos povos rebeldes da arábia. Essa campanha mostra a lenda de Lawrence da Arábia e os povos beduínos do deserto.

Segundo o professor Gian, “a ideia é mostrar que os jogos podem ensinar, e, nesse caso, mostrar a guerra, frisando que a mesma traz à tona os piores aspectos da humanidade, a barbárie, os excessos e a morte". O professor ressalta que a guerra não é bonita e nem deve ser romantizada, porém, "essa vivência possibilita uma grande reflexão sobre estes acontecimentos históricos que marcam os sujeitos e geram efeitos que perduram por muito tempo na humanidade”.

A diretora Maria do Carmo Pilissão lembra que, neste período de aulas online, com a impossibilidade da presencialidade, estratégias de atividades como esta desenvolvida pelo professor de História são de grande importância pedagógica, geram aprendizagens significativas e conseguem por meio deste recurso virtual uma aproximação e envolvimento dos estudantes, pois estas práticas que fazem parte do cotidiano dos jovens, desenvolvem a curiosidade, tornando os conceitos envolventes e possibilitam novas conexões.  

Confira a aula na íntegra

       

 

 


Unijuí vai ofertar bolsas Pibid e de Residência Pedagógica para estudantes de Licenciatura

            

Os estudantes dos cursos de Licenciatura da Unijuí vão poder contar com duas novas oportunidades para complementar a formação na Universidade: o Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (Pibid) e a Residência Pedagógica, ambas vinculadas à Capes, para os campi Ijuí e Santa Rosa. Os dois programas são desenvolvidos em parcerias com as redes públicas de ensino, municipais e estaduais.

O Pibid é um programa da Política Nacional de Formação de Professores do Ministério da Educação (MEC) que visa proporcionar aos discentes dos cursos de licenciatura sua inserção no cotidiano das escolas públicas de educação básica. Para o desenvolvimento dos projetos institucionais de iniciação à docência, o programa concede bolsas aos licenciandos, aos professores das escolas da rede pública de educação básica e aos professores das IES. Segundo o edital aprovado pela Capes, a Unijuí poderá ofertar 48 bolsas para estudantes da Licenciatura e seis bolsas para professores que atuam nas escolas básicas. A seleção ocorrerá por meio de edital, que será divulgado em breve. Neste programa poderá ingressar aquele aluno que tenha concluído menos de 60% da carga horária regimental de curso de Licenciatura que integra o projeto institucional de iniciação à docência.

Já o Programa Residência Pedagógica tem como objetivo desenvolver projetos inovadores, que estimulem a articulação entre teoria e prática nos cursos de Licenciatura, conduzidos em parceria com as redes públicas de educação básica. Neste Programa também serão ofertadas 48 bolsas para estudantes e seis para professores que atuam nas escolas. A seleção também será efetivada por edital. No Programa Residência Pedagógica poderá ingressar aquele estudante que tenha concluído mais de 50% da carga horária regimental de curso.

A Unijuí já possui uma trajetória consolidada na oferta destes dois Programas de Aperfeiçoamento junto à Capes, promovendo a imersão dos estudantes de Graduação nas escolas da região Noroeste.