Extensão - Unijuí

COMUNICA

PORTAL DE NOTÍCIAS DA UNIJUÍ

Extensão

Coral Unijuí seleciona vozes masculinas, femininas e instrumentistas

A Vice-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão divulgou edital para seleção de vozes masculinas e femininas para o Coral Unijuí, bem como de cantores instrumentistas para teclado, bateria, violão, baixo e percussão. As inscrições podem ser realizadas até o dia 5 de março, por toda a comunidade interna e externa, através do preenchimento de formulário eletrônico disponível neste link.

Para estar apto para a seleção, o candidato deve ter no mínimo 17 anos e ter disponibilidade para participar dos ensaios na quarta-feira à noite e sábado à tarde. Também é necessário participar assiduamente das atividades previstas no plano de ensaio, estudo em casa e apresentações do Coral. As entrevistas com os inscritos serão realizadas no dia 8 de março, no turno da tarde ou noite, e no dia 11 de março, pela parte da tarde, conforme agendamento prévio via WhatsApp.

Para seleção das novas vozes, o inscrito deverá realizar exercícios de vocalização para saber qual é a sua classificação vocal e cantar uma canção de livre escolha. Os candidatos poderão cantar a cappella (sem a utilização de instrumento) ou ainda usar instrumentos musicais para acompanhar ou recurso de playback (será disponibilizado um notebook e instrumentos musicais do Coral).

Na seleção de cantores instrumentistas, o inscrito também deverá realizar exercícios de vocalização para saber qual é a sua classificação vocal. Além disso, o candidato precisará tocar duas canções de livre escolha no seu respectivo instrumento, podendo cantar e acompanhar com o instrumento ou apenas tocar o instrumento em caso de música somente instrumental. Poderá ser solicitado ao inscrito que toque ritmos, acordes ou notas de determinado repertório para observação de suas habilidades com o instrumento.

Para obter mais informações, acesse o edital completo em unijui.edu.br/extensao/editais, onde também será divulgado o resultado da seleção, em até sete dias após a realização de todas as entrevistas. Em caso de dúvidas, entre em contato pelo e-mail coral@unijui.edu.br ou WhatsApp (55) 99131-1715 (Anna Carolina Berton - bolsista do Coral Unijuí).


Projeto Física para Todos vai ofertar oficinas de introdução à eletrônica em 2023

Com objetivo de aproximar a comunidade regional do estudo da física e despertar a curiosidade para outras descobertas científicas, o Projeto Física para Todos da Unijuí vem, há mais de 20 anos, atuando na propagação da ciência por meio de mostras interativas por toda região. Neste ano de 2022 o Projeto participou da 1ª Mostra Científica, Tecnológica e de Inovação Educacional de Santo Augusto. Além desta, oficinas de formação para professores dos anos iniciais do Ensino Fundamental do componente curricular de Ciências também foram realizadas no decorrer do ano. 

As inserções junto à comunidade escolar costumam chamar muito atenção e são muito bem aceitas pelo público, como avalia o coordenador do Projeto, professor Nelson Toniazzo. “Nossas inserções são pontuais pela temática, mas bem aceitas pelo público, especialmente quando é feita a exposição interativa”, explica. 

O Projeto de Extensão Física para Todos, da Unijuí, quer despertar o interesse de escolas, estudantes e da comunidade, para a  fenomenologia, um lado da Física considerado por muitas pessoas mais atraente do que somente números e conceitos. Mesmo pessoas que nunca tiveram contato com a ciência, imaginam pontos negativos e é isso que, desde 1997, o Projeto da Unijuí quer mudar. 

A iniciativa já é reconhecida e, inclusive, já captou recursos externos, por meio de editais para qualificar ainda mais as atividades. As ações desenvolvidas têm como objetivo integrar em atividades interdisciplinares, áreas como a Matemática, a Informática, as Engenharias, o Design e a Arquitetura, com a Física. A busca pela difusão e popularização da Física é realizada junto à comunidade, com estudantes da Educação Básica e atividades direcionadas aos profissionais da educação.

Para 2023, conforme explica o professor Toniazzo, o foco continuará sendo nas exposições interativas e também nas oficinas de introdução à eletrônica.


Projeto Reurb, da Unijuí, realiza pesquisa social com moradores residentes próximo à malha ferroviária

O Projeto de Extensão Regularização Fundiária Urbana (Reurb): direito social à moradia digna, desenvolvido por acadêmicos e professores do curso de Direito da Unijuí, tem como propósitos estabelecer a integração entre a Universidade e a comunidade externa, fomentando a criação de espaços de informação e de resolução de conflitos fundiários urbanos existentes, e conter a ocupação desordenada dos espaços urbanos.

Em 2022, o projeto desenvolveu atividades a campo junto com bolsistas e professores orientadores no Bairro Alvorada, com o intuito de realizar uma pesquisa social com moradores próximos à malha ferroviária, em conjunto com a Secretaria de Habitação, a fim de realizar o cadastro social das famílias. “Também trabalhamos em conjunto com a Secretaria de Habitação para cadastro dos moradores e famílias de baixa renda, habilitados à regularização de suas moradias pelo Programa Casa Verde e Amarela”, destacou a coordenadora do projeto, professora Patrícia Borges de Moura.

Conforme a professora Patrícia, as ações desenvolvidas buscaram assegurar a interação da Universidade com a comunidade e o diálogo com as autoridades locais, em especial vinculadas ao Poder Executivo Municipal, no intuito de consolidar o direito social à moradia digna, por meio da regularização da propriedade aos moradores de núcleos urbanos informais em situação de vulnerabilidade econômica e social que vivem, atualmente, na clandestinidade/irregularidade. “Trata-se de um projeto de extensão que, inserido na comunidade local, proporciona a percepção de alguns dos mais complexos problemas sociais que é a falta de moradia digna a núcleos urbanos informais, em especial, por sua condição de vulnerabilidade socioeconômica, o que repercute, não só na ocupação desenfreada do solo urbano, mas também envolve questões delicadas no que tange à sustentabilidade do meio ambiente, sadio e equilibrado”, afirma.

Pensando especificamente na contribuição do projeto para a formação dos acadêmicos do curso de Direito, a professora avalia que as atividades desenvolvidas foram extremamente úteis, visto que diversos dados foram coletados, proporcionando um estudo social que contempla a complexidade das desigualdades sociais no Brasil. “Assim como o reflexo da situação enfrentada em bairros que apresentam situações semelhantes aos abrangidos pelas atividades do projeto, a fomentar nos acadêmicos um anseio pela transformação da realidade social por meio dos futuros operadores do Direito”, finaliza.


Projeto de extensão integra seis cursos de graduação em ações voltadas à pessoa com deficiência

Alinhado ao Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Atenção Integral à Saúde, o Projeto de Extensão Atenção à Pessoa com Deficiência, da Unijuí, trabalha com ações de atenção à saúde, voltadas à inclusão, à garantia do acesso aos serviços de referência e à busca pela qualificação dos serviços de saúde, bem como da rede de atenção, a fim de melhorar o processo de reabilitação da pessoa com deficiência. 

De acordo com a professora responsável pelo projeto, Karina Ribeiro Rios, entre as várias ações realizadas em 2022, destacam-se o lanche inclusivo realizado com alunos e professores da Apae; a atividade de educação alimentar e nutricional voltada aos estudantes com deficiência visual; e a atividade de yoga, atenção plena e conversa sobre inclusão. “Tivemos a Extensão trabalhando com os cursos de Nutrição e Gastronomia em atividades direcionadas aos estudantes de Roque Gonzáles; a participação na Expofest em Ijuí; e ainda uma ação de interação com alunos do 7º Ano do Ensino Fundamental da EFA”, destacou a professora. 

O projeto de extensão contou, neste ano, com a participação de seis cursos da Unijuí: Medicina, Biomedicina, Psicologia, Nutrição, Educação Física e Fisioterapia. As atividades propiciaram a inserção da Universidade na comunidade, ressignificando a atuação acadêmica. “Essa experiência aproxima o estudante da realidade - exatamente como ela é, possibilitando um olhar empático e acolhedor”, reforça Karina, lembrando que, em 2023, o projeto vai trabalhar no fortalecimento de novas parcerias.


Projeto de extensão estimula o empoderamento da comunidade com atividades de formação

O projeto de extensão Gestão Social e Cidadania (GSC), desenvolvido na Unijuí sob a coordenação da professora Sandra Regina Albarello, desenvolveu, ao longo do ano de 2022, uma série de atividades voltadas à comunidade. O GSC tem o propósito de estimular o debate de forma participativa, oportunizando que os diferentes atores decidam sobre políticas necessárias para o desenvolvimento local e regional. A iniciativa busca contribuir e estimular o empoderamento da sociedade, com atividades de formação, transferência, comunicação e socialização de conhecimentos. 

De acordo com a professora Sandra, entre as ações que tiveram destaque neste ano estão a participação no Grupo Gestor da Estação Cidadania, Cultura e Esporte do Parque da Pedreira; a realização de oficinas para o cuidado com o meio ambiente, higiene pessoal e formação cidadã; e a sistematização do diagnóstico parcial realizado com a comunidade do entorno do parque. “Participamos e promovemos ações no Dia da Cidadania, juntamente com os demais projetos de extensão e estudantes do Grupo Gestor, e desenvolvemos atividades de formação na área da culinária, que somadas às boas práticas, buscaram promover uma alimentação saudável entre as crianças da Estação”, explicou a professora.

O projeto de extensão se manteve integrado ao Grupo Interdisciplinar de Estudos em Gestão e Políticas Públicas (GPDeC) do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Desenvolvimento Regional, e participou da Red Latinoamericana de Gestión Social (RELAGS). Além disso, desenvolveu ações de diagnóstico e educação em saúde e cuidados pessoais. “O curso tem uma inserção positiva e importante junto à comunidade. Essa aproximação com a população, oportunizada por meio do projeto e dos cursos, gera aprendizados significativos para os envolvidos, principalmente para os acadêmicos que passam a conhecer realidades que nem sempre estão acostumados”, afirmou Sandra.

O projeto de extensão contou com bolsistas dos cursos de Arquitetura e Urbanismo, Nutrição, Direito e Psicologia, mas também contou com auxílio de professores e acadêmicos dos cursos de Enfermagem, Biomedicina, Estética e Cosmética. Para o próximo ano, o projeto quer intensificar as ações já desenvolvidas junto à comunidade do Parque da Pedreira  e ampliar as atividades para as escolas dos bairros Pindorama e Thomé de Souza, no município de Ijuí.


Programe seu Futuro: projeto trabalha aperfeiçoamento do raciocínio lógico por meio da tecnologia

Ligado aos cursos de Engenharia de Software, Engenharia Química e Ciência de Computação da Unijuí, o Projeto de Extensão Programe seu Futuro insere-se na comunidade por meio da interação de professores e bolsistas em oficinas que buscam fomentar o interesse pelas ciências exatas e o aperfeiçoamento do raciocínio lógico, que pode ser utilizado na rotina diária dos alunos da educação básica, bem como da rotina de suas famílias.

“Os bolsistas acabam levando para a sala de aula a experiência e o conhecimento adquirido ao longo das atividades e contagiando os demais estudantes. As oficinas conseguem fomentar nos alunos o interesse pelas ciências exatas e o aperfeiçoamento do raciocínio lógico, que pode ser utilizado no dia-a-dia, algo perceptível também pelas suas famílias, além disso, é um passo inicial para eles na possibilidade de entrar no mercado de trabalho”, relata o coordenador do Projeto, professor Marcos Cavalheiro. 

Em 2022 foram atendidos escolas de Chiapetta, Ijuí e Santa Rosa que já estavam no projeto. “No entanto, podemos destacar a interação feita com o grupo da terceira idade que ocorreu no Espaço + Inovação da Unijuí”, frisa o coordenador.

Para o próximo ano, o professor explica que pretende-se dar continuidade às oficinas nos municípios de Chiapetta, Ijuí e Santa Rosa. “Nestas oficinas serão desenvolvidas ações que fomentem o Pensamento Computacional,  palestras sobre Segurança Computacional e o mercado de trabalho para os próximos anos (Industria 4.0)”, finaliza.

Além das escolas, e Coordenadorias Regionais de Educação, o Projeto da Unijuí conta com a importante parceria do poder público, empresas privadas e outras atividades ligadas à Universidade.


Projeto trabalha práticas de Justiça Restaurativa em ambiente escolar

Com o objetivo de promover a educação, a cidadania e os direitos humanos, o Projeto de Extensão Cidadania Para Todos é desenvolvido por estudantes e professores dos cursos de Direito, Psicologia e Pedagogia da Unijuí. No ano de 2022, as ações foram direcionadas à implementação do Curso: Práticas de Justiça Restaurativa e Mediação de Conflitos: ações de formação e assessoramento para professores de Escolas Públicas de Ijuí/RS.

De acordo com a coordenadora do Projeto, professora Ester Heuser, as atividades são financiadas pelo Fundo Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente, por meio do Edital Feca. “As ações foram financiadas pelo Feca e, a partir disso, deu-se a formação de 24 professores de seis escolas públicas do município e o assessoramento das mesmas, para fins de implementação de projetos de JR e Mediação de Conflitos, a partir do ano de 2023. A formação foi realizada em parceria com os projetos conflitos sociais e Direitos Humanos e Diálogos: Tecendo vidas sem violência de gênero, ficando a equipe do projeto 

Cidadania responsável por 16 horas/aula referentes aos temas da Justiça Restaurativa e da Comunicação não Violenta, bem como o assessoramento da Escola Estadual Rui Barbosa e das Escolas Municipais Deolinda Barufaldi e Instituto Municipal Assis Brasil (Imeab)”, conta.

Ao longo do ano, os integrantes do projeto também participaram do 2º Seminário Regional de Justiça Restaurativa em parceria com a Secretaria Municipal de Educação de Ijuí e o Conselho de Gestão de Justiça Restaurativa do município. Junto à Associação de Artesãos do Município, foram realizadas práticas de gestão de conflitos e, junto às diferentes turmas de cursos de Graduação da Universidade, foram realizados círculos de construção e fortalecimento de vínculos. “Todas as atividades foram organizadas a partir de sólidas parcerias firmadas entre a Universidade, por meio do projeto Cidadania para Todos, e entidades externas, em especial a Secretaria Municipal de Educação de Ijuí, a 36ª CRE, o Conselho de Gestão de Justiça Restaurativa do Município e o Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente”, destaca a coordenadora.

Ao longo desses anos, o projeto de extensão também construiu sólidas parcerias com instituições do município, tais como a Secretaria Municipal de Educação de Ijuí, a 36ª CRE, o Conselho de Gestão de Justiça Restaurativa do Município e o Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente. “As parcerias firmadas e a inserção do projeto junto a referidas entidades evidencia a significativa contribuição no sentido da consolidação da política municipal de Justiça Restaurativa, visando a gestão de conflitos e a construção da cultura da paz nestes ambientes”, frisa Ester.

Para 2023, o objetivo é desenvolver novas oficinas e atividades de formação de professores, além de vivências com alunos da Escola Estadual Rui Barbosa de Ijuí envolvendo a temática dos Direitos Humanos, Comunicação não Violenta, Gestão de Conflitos, Questões de Gênero e Violência, além dos Círculos Restaurativos visando a implementação do Projeto de Justiça Restaurativa na Escola. “Além disso, temos ainda em nosso planejamento a formação de 40 professores e funcionários da Escola Municipal Deolinda Barufaldi sobre Práticas Restaurativas e Mediação de Conflitos, por meio de um curso de extensão de 40 horas/aula, além da produção de gravação de materiais audiovisuais para redes sociais com as temáticas abordadas no projeto”, finaliza.


Projeto AppGO planeja expandir funcionalidades em 2023

O ano de 2022 foi um ano extraordinário para o projeto AppGO. Tendo realizado ações junto ao Projeto de Pesquisa ProEdu-Fapergs, os integrantes dos projetos MathGO e PortGO, orientados por seus professores, participaram de oficinas on e offline, além de oficinas de gameficação e IA. “Ao longo do ano, os integrantes dos projetos participaram de exposições na Casa da Unijuí na ExpoFest. Com o princípio da integração ensino/extensão, foram realizadas atividades em disciplinas curriculares nos cursos de Letras, Design e Ciência da Computação. Um banco de dados com questões de língua portuguesa relacionada ao aplicativo PortGO nasceu disso e é constantemente atualizado e alimentado. Além disso, o projeto participou da Feira de Matemática realizada em agosto deste ano, demonstrando todas as suas funcionalidades aos participantes”, destacou a coordenadora do projeto de extensão, professora Bárbara Gündel. 

O AppGO é composto por estudantes e professores dos cursos de Ciência da Computação, Design, Letras e Matemática. O objetivo principal do projeto é o acesso democrático ao aplicativo para o aprendizado de Matemática e da Língua Portuguesa de maneira divertida. “Para acessar, basta o usuário - pode ser estudante ou não - ter acesso a um dispositivo (tablet, celular, computador) e à internet. Depois é só clicar e jogar. A partir de questões relacionadas à Matemática, do 6º ao 9º ano do ensino fundamental (MathGO) e à Matemática e Língua Portuguesa, do 1º ao 3º ano Ensino Médio (MatghGO e PortGO), o usuário pode testar os seus conhecimentos ou usar o jogo para estudar para provar ou mesmo se preparar para o Enem ou Vestibulares”, explica a coordenadora. 

A ideia para 2023, de acordo com a professora Bárbara, é expandir o app PortGo com um banco maior de questões e também inserir o módulo Ensino Fundamental e o módulo Estudar. “Queremos realizar também o 3º Desafio MathGO e o 1º Desafio PortGo. Ainda estamos definindo como serão as etapas, mas nosso objetivo é que o desafio seja híbrido, tendo as primeiras etapas de modo online, com as finais presencialmente”, finaliza.


Coral Unijuí apresentou o projeto Concertos de Natal para Ijuí e região

O Coral Unijuí realizou, durante todo o mês de dezembro, uma série de apresentações a partir do projeto Concertos de Natal. A agenda contou com as cidades de Panambi, Três Passos e Coronel Bicaco, além da cidade de Ijuí, que recebeu o coro no Natal Vida de Ijuí e no Natal na Unijuí. 

Os Concertos de Natal fazem parte dos projetos de extensão da Universidade e são uma importante ligação entre o coro e a comunidade, tendo como objetivo ampliar as formas de comunicação e interação social por meio da expressão musical. 

Durante o mês, o Coral Unijuí apresentou seu repertório com músicas populares de clássicos natalinos, em um concerto cheio de luz e ritmo. “Os concertos de Natal são momentos para celebrarmos a vida e confraternizarmos com a população”, destacou a regente,  Lizandra Rodrigues. “É tempo de traçar novas metas, de transformar desejos em ações e aproveitarmos novas oportunidades para nos tornarmos tudo aquilo que sonhamos”, completou. 


Coreme Unijuí elege nova coordenação

A Comissão de Residência Médica da Unijuí (Coreme) elegeu na noite de quinta-feira, 22 de dezembro, em reunião ordinária, a médica de família e comunidade Fernanda Ginjo dos Santos, para um mandato de 3 anos como coordenadora. A Dra. Fernanda é médica formada na UFPel e trabalha na Fumssar há 12 anos. Ela é egressa do Programa de Residência em Medicina de Família e Comunidade Unijuí/Fumssar, tendo concluído o programa em 2014 e desde então atua como preceptora. Desde o ano passado também exercia a coordenação de campo em Santa Rosa. 

Também foi eleito o médico Bernardo Machado Cadó como vice-coordenador, cargo que passa a existir a partir deste ano, seguindo orientações do Ministério da Educação. O Dr. Bernardo fez Medicina e a especialização em Medicina de Família e Comunidade em Santa Maria, na UFSM, e atua como preceptor no município de Ijuí. A coordenação da Coreme vinha sendo exercida desde a sua criação em 2005 pelo médico Dr. Luís Antônio Benvegnú através de sucessivas reeleições.

Ao comentar o desafio de assumir a coordenação da Coreme, a médica pontua que “não é uma tarefa fácil, mas temos uma boa equipe que trabalha unida”. A principal meta, segundo ela, é manter a formação dos médicos de família com qualidade, mas também atentar para possibilidades de criação de programas de residência em novas especialidades. O Dr. Benvegnú, que deixa o cargo, comemora a substituição: “é muito importante que se faça a renovação e fico feliz com a disposição da Dra. Fernanda que está muito bem preparada para realizar esta tarefa”.

A Coreme é uma instância auxiliar da Comissão Nacional de Residência Médica (CNRM). Trata-se de um órgão colegiado com representantes da Unijuí, da Fundação Municipal de Saúde de Santa Rosa – Fumssar e do município de Ijuí, as três Instituições que compõem a parceria para oferecer o Programa de Residência em Medicina de Família e Comunidade (MFC). 

A função da Coreme é coordenar o processo de especialização do médico, caracterizado por treinamento em serviço, acompanhar e supervisionar as atividades teórico-complementares nas instituições parceiras e orientar a supervisão realizada pelos médicos preceptores nos cenários de prática. Atualmente, conta apenas com o credenciamento do Programa de Medicina de Família e Comunidade, mas novos programas de especialização através de Residência Médica poderão ser criados, principalmente a partir das formaturas no Curso de Medicina, que iniciam no final de 2024.