COMUNICA

PORTAL DE NOTÍCIAS DA UNIJUÍ

Coronavirus

NOTA OFICIAL Fidene/10 Unijuí/Rádio Unijuí FM/Museu/EFA

Em atenção às orientações e Decretos do Governo Federal, Estadual e dos municípios da região de abrangência da Fidene/Unijuí nos últimos dias, com o objetivo de definir ações de contenção da pandemia de Coronavírus, o Comitê Institucional de Prevenção informa medidas a serem adotadas, fica definido o seguinte:

1 - As aulas dos cursos da modalidade Presencial na forma ONLINE na Unijuí estão prorrogadas até o dia 13/06/2020

2 - As aulas da EFA também permanecem de forma ONLINE até o dia 13/06/2020, seguindo as mesmas orientações. Após a normalização e retomada das atividades, um calendário de recuperação será divulgado pela direção da Escola. Orienta-se à comunidade escolar para ficar atenta aos canais oficiais da EFA para informações pontuais.

3. A carga horária das atividades relacionadas às práticas e aos estágios que exigem realização presencial permanecem suspensas, uma vez que estamos aguardando a definição do Governo do Estado do Rio Grande do Sul em relação as regras específicas para o setor da educação, a serem estabelecidas no modelo de Distanciamento Social Controlado. Caso venha a ser autorizada a realização dessas atividades presencialmente, a Unijuí, por suas instâncias competentes, analisará sobre a viabilidade ou não de retorno, levando sempre em consideração a segurança dos estudantes. Para as atividades práticas e estágios em que há adequação para sua realização na forma online, a Unijuí tem adotado essa possibilidade, conforme recomendado pelo Parecer nº 05 do CNE. 

4- A Instituição mantém o atendimento em regime de plantão, por e-mail, telefone, chat e whatsapp nas cidades de Ijuí, Panambi, Três Passos e Santa Rosa, em virtude da continuação das atividades acadêmicas na Modalidade Presencial de forma ONLINE e da manutenção, sem alteração, da Modalidade EaD. Isso significa que a Universidade mantém o funcionamento de suas atividades sem atendimento presencial ao público.

5 - Os estudantes que necessitarem de auxílio para a realização das atividades acadêmicas devem priorizar o contato por meio dos canais online de comunicação, especialmente os e-mails institucionais.

A Fidene/Unijuí entende que vivemos um momento que exige prevenção e cautela. A Instituição está atenta e seguindo todas as medidas de prevenção e orientações definidas pelos decretos federais, estaduais e municipais, visando enfrentar a situação de pandemia. No entanto, entende-se que o papel da Instituição de formar profissionais e educar precisa continuar, por isso a Fidene/Unijuí enxerga este momento também como sendo de aprendizado. Estamos potencializando o uso de plataformas de ensino online, utilizando novos recursos e descobrindo novas formas de ensinar e aprender, reforçando o nosso compromisso com a educação de excelência.

O Comitê Institucional de Prevenção, em caráter permanente, revisará as orientações conforme a evolução da pandemia. Todas as atualizações serão publicadas APENAS pelos canais oficiais da FIDENE/Universidade/EFA/Museu/Rádio UnijuíFM.

 Mais informações e/ou atualizações sobre a COVID-19 podem ser obtidas no link: https://www.saude.gov.br/saude-de-a-z/coronavirus


O QUE MARCAS E EMPRESAS PODEM FAZER EM MEIO À PANDEMIA?

Nilse M. Maldaner - Profa. Curso de Comunicação - Publicidade

A pandemia veio como uma avalanche que tirou a todos da rotina. Mexeu com as pessoas, empresas e marcas, enfim mexeu com a humanidade em todos lugares do planeta. É um momento de grande transformação, que está colocando em cheque muitas ideias e convicções, comportamentos e ações.

E aí somos provocados a pensar sobre o que realmente é relevante e sobre o que podemos fazer? O que as marcas e as empresas podem fazer? Em primeiro lugar, precisamos ter presente que empresas e marcas são feitas por pessoas para pessoas. Na prática, isso significa que temos que pensar em todos os envolvidos, em como podemos nos apoiar e agir colaborativamente. Isso exige mudança, pois estamos habituados a ser individualistas, a querer salvar o “nosso” emprego, a olhar os concorrentes como oponentes e o nosso público como consumidores apenas. Sabemos que Kotler, ao escrever sobre o marketing 3.0, afirmou que o marketing deveria colocar o ser humano no centro do seu fazer, um ser humano pleno, com mente, coração e espírito. Uma pergunta que ele já apontava, hoje é fundamental: Se sua empresa e/ou marca deixar de existir, que falta ela fará ao mundo?

Ao refletirmos sobre essa questão, estamos pensando no propósito da marca, por quê fazemos o que fazemos. Ao mesmo tempo, não podemos paralisar, é preciso agir. O que podemos fazer agora? O momento tem sido de grandes aprendizados, entre eles, muitos têm vindo das inúmeras lives que estão acontecendo com empreendedores que compartilham ações e ideias que estão sendo colocadas em prática. Uma delas que ouvi foi no programa da Startse, onde se falou da necessidade de se refundar o seu negócio, rever seu modelo, pois não voltaremos a ser os mesmos depois dessa pandemia. Assim, mais do nunca, marcas, negócios e comunicação devem estar alinhados.   

As marcas ainda precisam vender, porém não é possível querer vender como antes, comunicar como antes. Elas devem criar novas soluções, entregar valor e relevância. Um exemplo local, foi a Rádio Unijuí FM que abriu espaço gratuitamente para comunicar serviços de atendimento online e delivery de empresas. Uma empresa que entendeu bem esse momento, foi a Pizzaria Sabor da Serra, que além de entregar seu produto, também se oferece para buscar ou levar produtos para idosos e outras pessoas do grupo de risco. Sensibilidade e relevância, muitos pontos e admiração por essa marca e empresa.

O mercado está sofrendo, contudo esse momento vai passar e como em outras crises já vividas, muitas oportunidades surgirão. Esteja atento ao que as pessoas necessitam e valorizam, é hora de ouvir os outros, aprender e se reinventar. O que eu posso fazer através da minha pessoa, marca/comunicação e empresa por um mundo melhor?


Aplicação de testes rápidos da EPICOVID-19 chega ao fim e resultados serão conhecidos na quarta-feira

Os resultados oficiais serão divulgados pelo Governo do Estado e pela Universidade Federal de Pelotas. A Unijuí reforça que não comunica ou comenta casos específicos antes deste anúncio oficial.

              

No fim de semana que passou foi realizada a quarta e última etapa da Pesquisa que está mapeando o avanço do coronavírus no Rio Grande do Sul, denominado EPICOVID-19. Em Ijuí, novamente uma equipe de pesquisa, coordenada pela Unijuí, realizou 500 visitas em domicílios da cidade para a aplicação de testes rápidos e questionário de saúde. Ao todo, foram aplicados 2 mil testes em Ijuí, divididos em quatro rodadas do estudo.

Encomendado pelo Governo do Estado e coordenado pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel), o objetivo foi estimar o percentual de gaúchos infectados pela Covid-19; avaliar a velocidade de expansão da infecção; fornecer indicadores precisos para cálculos da letalidade e determinar o percentual de infecções assintomáticas ou subclínicas. Ele ocorreu em quatro etapas e testou 18 mil pessoas em todo o RS no total.

A estudante do curso de Biomedicina da Unijuí, Laura Portela, foi uma das voluntárias que aplicou os testes na população. “Foi um momento único, embora seja um tema delicado. Marcou muito cada um que foi a campo. Foi muito importante fazer este trabalho para a população. Acho que contribuiu muito para a minha formação na área da saúde também”, avalia.

Para o estudante Alexander Rodrigues de Souza, que cursa Enfermagem, também voluntário, “a pesquisa fez o levantamento de muitas informações importantes para tomar as medidas de combate ao Coronavírus. Foi uma experiência única e bem marcante, pois participar de uma pesquisa deste porte exige muito empenho. Este estudo mostrou a importância da pesquisa na saúde e dos profissionais das diversas áreas”, complementa.

Os professores envolvidos neste estudo pela Unijuí são: Evelise Berlezi, coordenadora, Matias Frizzo, Lígia Franz, Thiago Heck, vinculados ao Mestrado em Atenção Integral à Saúde e Carlos François, do curso de Medicina.

Saiba Mais

Além da UFPel, a pesquisa mobilizou uma rede de 12 universidades federais e privadas: Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA), Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos), Universidade de Santa Cruz do Sul (Unisc), Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (Unijuí), Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Universidade Federal do Pampa (Unipampa/Uruguaiana), Universidade de Caxias do Sul (UCS), Imed Passo Fundo, Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS/Passo Fundo), Universidade de Passo Fundo (UPF) e Universidade La Salle (Unilasalle-Canoas).

O estudo tem um custo estimado em R$ 1,5 milhão e tem o apoio da Unimed Porto Alegre, do Instituto Cultural Floresta, também da capital gaúcha, e do Instituto Serrapilheira, do Rio de Janeiro.

 


Teleatendimento Covid-19 de Santa Rosa passa a ser regionalizado

                

Foto: José Carlos Santos da Silva - Assessor de Comunicação da Fumssar

O serviço de Teleatendimento Covid-19, disponível para a comunidade de Santa Rosa desde o mês de abril, agora é ampliado para a região da Fronteira Noroeste, abrangendo 22 municípios da 14ª Coordenadoria Regional de Saúde. Nesta segunda-feira, 25 de maio, ocorreu o lançamento oficial deste atendimento para a região.

O serviço é uma parceria entre a Fundação Municipal de Saúde de Santa Rosa - Fumssar e a Unijuí. A iniciativa tem o objetivo de desafogar o sistema de saúde e evitar que pessoas com sintomas do novo Coronavírus precisem se deslocar para receber informações. A estrutura, que conta com profissionais da área da saúde vinculados à Fumssar e residentes do Programa de Residência Multiprofissional e Médica da Unijuí, está montada no Campus da Universidade, onde os profissionais têm acesso a todos os equipamentos necessários para fazer o atendimento via telefone. Desde que foi lançado, no dia 16 de abril, já foram realizados mais de 200 atendimentos.

A linha telefônica 55 3511 5222 conta com dez canais de atendimento, de segunda a sexta, das 8h30 às 11h30 e das 13h30 às 17h30. O primeiro contato com esses profissionais é para esclarecer dúvidas sobre a doença, sobre sintomas e sobre o comportamento dos pacientes. Caso os multiprofissionais avaliem que o paciente necessita de uma análise aprofundada, podem agendar um atendimento por videochamada com um médico especialista. 

Sobre o lançamento

Participaram do ato, transmitido ao vivo pelo Facebook, o Pró-Reitor do Campus Santa Rosa, Marcos Paulo Scherer, o prefeito de Santa Rosa, Alcides Vicini, o presidente da AmuFron, Vilmar Horbach, o presidente da Fumssar, Délcio Stefan, o gestor de Planejamento da Fumssar, Ademir Rosa, Alcelmo Loureiro, coordenador regional de saúde (14ªCRS).

Confira na íntegra:

            


Última etapa do estudo que está mapeando o avanço da covid-19 inicia nesta sexta-feira

          

Inicia hoje, em razão das chuvas, se estendendo ao fim de semana, a quarta e última etapa da Pesquisa que está mapeando o avanço do coronavírus no Rio Grande do Sul, denominado EPICOVID-19. Em Ijuí, novamente uma equipe de pesquisa, coordenada pela Unijuí, vai realizar visitas em domicílios da cidade para a aplicação de testes rápidos e questionário de saúde.

Nesta etapa deverão ser visitadas mais 500 residências em todas as áreas de Ijuí. “Pedimos, uma vez mais, a colaboração de toda a comunidade ijuiense para atender aos nossos voluntários e participar deste importante estudo”, observa a coordenadora na cidade, professora Evelise Berlezi. Além disso, todos os voluntários passaram por treinamento e foram testados, com os mesmos testes que serão aplicados na população, antes de irem a campo, atividade que ocorreu nesta sexta-feira, na Unijuí.

Em caso de dúvida, a comunidade poder entrar em contato com os órgãos de segurança do município para verificar a abordagem dos voluntários da pesquisa, pelo número: 3332-0150, que a Brigada Militar realiza esta verificação. Outros dois telefones foram disponibilizados: (55) 9 9182 6453 e (53) 9 8409 0884.

Encomendado pelo Governo do Estado e coordenado pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel). O objetivo é estimar o percentual de gaúchos infectados pela Covid-19; avaliar a velocidade de expansão da infecção; fornecer indicadores precisos para cálculos da letalidade e determinar o percentual de infecções assintomáticas ou subclínicas. Ele ocorre em quatro etapas (este fim de semana será a última) e vai entrevistar 18 mil pessoas em todo o RS até o final.

Os resultados oficiais serão divulgados ao longo da próxima semana pelo Governo do Estado e a Universidade Federal de Pelotas. A Unijuí reforça que não comunica ou comenta casos específicos antes deste anúncio oficial.

              

Como funciona o teste?  

O teste utilizado (WONDFO SARS-CoV-2 Antibody Test) avalia anticorpos produzidos pelo organismo após a infecção e não identifica o vírus ativo logo após o contágio, ou seja, não é um diagnóstico de que a pessoa está, naquele momento, com o vírus ativo em seu corpo, mas que ele já teve contato com este vírus e desenvolveu anticorpos. O teste empregado na pesquisa apresenta a possibilidade de 15,2% de resultados falsos negativos (pessoas que foram contaminadas com o vírus não detectadas pelo exame) de 1,0% de falsos positivos (pessoas com exame positivo que não foram contaminadas) – ainda assim, foi recentemente avaliado como uns dos melhores no mercado.

Saiba mais

Tire todas as suas dúvidas sobre este estudo nesta seção de Perguntas e Respostas elaborada pela Universidade. Clique neste link e confira.

 Também preparamos um vídeo mostrando o processo de pesquisa. Confira: