COMUNICA

PORTAL DE NOTÍCIAS DA UNIJUÍ

Pesquisa

Diretora de Avaliação da CAPES realiza palestra na Unijuí

               

Na tarde de sexta-feira, 17, a Unijuí recebeu Sônia Nair Báo, diretora de Avaliação da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). Ela realizou uma palestra aos coordenadores dos Programas de Pós-Graduação Stricto Sensu, professores envolvidos com pesquisa e técnicos-administrativos da Universidade, em atividade realizada no Centro de Eventos do Campus Ijuí. A promoção foi da Vice-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão da Unijuí e fez parte da programação do 6º Congresso Internacional em Saúde.

A palestrante fez um panorama da pesquisa brasileira e também falou sobre indicadores de avaliação. “A gente, de certa forma, está muito bem em números. Pecamos em termos de qualidade da nossa produção, pois falta muita valorização interna do que que a gente produz.  Então, a conversa com os professores e coordenadores dos programas tratou sobre a importância de buscarmos mais indicadores para aferir qualidade no desenvolvimento da pesquisa”, salientou.

Segundo Sônia, é importante medir qualidade para também mostrar à sociedade os desafios da pesquisa. “É importante mostrar para a sociedade o conhecimento produzido e como ele é apropriado pela própria sociedade para o desenvolvimento social. Demonstrar isto de uma forma clara é muito importante. Por exemplo: os alimentos que comemos têm muita melhoria feita através de pesquisas, tudo isso de certa forma usamos no dia a dia e não nos damos conta que tem um trabalho de pesquisador por trás”, complementou.

Segundo o Vice-Reitor de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão, Fernando Jaime González, foi um momento importante para a Unijuí. “Ouvimos sobre os desafios da pesquisa de uma das pessoas responsáveis por gerir e tomar decisões do funcionamento e avaliação dos Programas de Pós-Graduação nacionalmente. Um ponto a se destacar é sobre os planos para o futuro, pois há um movimento para a implementação de novos critérios de avaliação”, avalia o professor.

                      

Relação com a região

Natural de Bozano, cidade vizinha a Ijuí, Sônia relembrou, no encontro, momentos importantes da sua trajetória educacional e profissional, pois, foi através da atuação da FIDENE, ela frisou, conseguiu realizar grande parte do seu percurso formativo. Segundo ela, teve acesso da educação básica até a superior a partir das atividades e professores da Fundação. Para conseguir cursar a faculdade de Ciências, trabalhou como técnica de Laboratório na Universidade, preparando aulas de Química, Biologia e Física aos professores. “Devo isto a esta casa”, lembrou.


Projeto de Pesquisa “Meninas que engenham o Futuro” é apresentado na UFSM

O projeto de pesquisa vinculado ao Departamento de Ciências Exatas e Engenharias (DCEEng) da Unijuí, “Meninas que engenham o futuro”, das professoras Taciana Paula Enderle, Caroline Daiane Raduns, Fernanda Cunha Perreira e Joice Oliveira, foi apresentado na última quarta-feira (15), na Universidade Federal de Santa Maria (UFSM).

O projeto tem como objetivo desenvolver a relação entre Universidade e setor social, por meio da troca de saberes, e, ainda, aproximar os conceitos de Engenharia ao dia a dia das estudantes, com ênfase em sustentabilidade na área de energia elétrica e abastecimento de água.

O encontro contou com a presença da Dra. Adriana Tonini, Diretora de Engenharias, Ciências Exatas, Humanas e Sociais (DEHS) do CNPq, e demais pesquisadores do Rio Grande do Sul.

A coordenadora do projeto, professora Taciana Paula Enderle, destacou a importância da participação no evento. "O encontro realizado na UFSM permitiu que, além de apresentarmos o nosso projeto, pudéssemos conhecer os demais aprovados no estado do Rio Grande do Sul, bem como trocar experiências e entender a realidade das demais universidades e escolas envolvidas frente as meninas nas engenharias, ciências exatas e ciência da computação", relata a coordenadora.

Na oportunidade os pesquisadores apresentaram os projetos, bem como as atividades já realizadas a partir da assinatura do Termo de Aceitação de Apoio Financeiro do CNPq.

 


Inscrições abertas para a submissão de trabalhos no Salão do Conhecimento 2019

 

Estão abertas as inscrições para a submissão de trabalhos no Salão do Conhecimento 2019. Neste ano, o evento destinado à divulgação científica, que acontece de 21 a 24 de outubro, discute a bioeconomia: diversidade e riquezas para o desenvolvimento sustentável.

Os interessados em submeter trabalhos devem fazer pela página do evento até o dia 10 de julho. A taxa de inscrição é de R$ 60,00. Cada autor responsável pela inscrição poderá submeter até dois trabalhos. O valor da taxa é único, por inscrição.

As normas para submissão dos trabalhos estão disponíveis na página do evento. A primeira etapa de inscrição para participante, sem submissão de trabalhos, poderá ser feita de 03 de junho até 25 de agosto.


Unijuí encaminhou para a Capes pedido de revisão no recolhimento de bolsas

                  

Na semana passada, a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), ligada ao MEC, informou o “recolhimento de bolsas não utilizadas” de mestrado e doutorado nos programas de pós-graduação de todo o país. Embora não tenha informado, em um primeiro momento, quais áreas seriam afetadas, a ação tem gerado uma situação de insegurança para estudantes e instituições de ensino.

Assim, como todas as instituições com oferta de bolsa em nível federal – públicas ou privadas, a Unijuí também foi afetada pela medida e já teve bolsas para mestrado e doutorado recolhidas. Segundo a Vice-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão, foram recolhidas 4 bolsas das 92 destinadas à Universidade, sendo duas de doutorado e duas de mestrado. “Estamos tentando compreender em detalhe do que se trata esta ação do governo federal. Efetivamente, foram atingidos cinco programas de fomento da Capes, entre os quais o programa para as universidades comunitárias, o PROSUC, do qual proveem as bolsas de nossos cursos de pós-graduação Stricto Sensu”, salientou o Vice-Reitor de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão, Fernando Jaime González, em entrevista para a Unijuí FM.

Segundo o professor, foram recolhidas bolsas não ocupadas no mês de abril, nos critérios do Governo Federal. “É importante salientar que a Unijuí faz a gestão permanente e responsável destas bolsas. Elas não estavam ociosas na data referida, mas reservadas para estudantes participantes dos processos de seleção em andamento dos dois novos Cursos de Pós-Graduação. Existe um período entre um bolsista finalizar seus estudos e outro assumir a bolsa liberada, utilizando critérios especificados em editais, então, elas não estavam paradas, mas seguindo um planejamento”, complementa.

González salienta, ainda, que algumas situações são complexas e precisam de cuidado especial na gestão. “Temos uma situação, por exemplo, de bolsa para Doutorado em que a pessoa selecionada deveria se desvincular do seu emprego para assumir o benefício, sendo que o recolhimento aconteceu no meio desse processo. Diante deste quadro, a Universidade já entrou em contato com a Capes para rever esta situação, pois a Unijuí sempre teve uma gestão muito cuidadosa das bolsas e esperamos que esse fato seja reconhecido e leve ao órgão a reverter a decisão”, avalia.

Ainda segundo o Vice-Reitor, faz algum tempo que a comunidade acadêmica discute na Capes a necessidade de implementar um novo modelo de distribuição de bolsas da pós-graduação em todo Brasil. “Contudo, não se tratava de um movimento de corte, mas de melhoria na gestão. Corte em educação é, em princípio, sempre ruim. Esperamos que possamos entrar em um nível de discussão racional que permita a melhoria do sistema de Pós-Graduação no país, pois a pesquisa é um do elemento fundamental para o desenvolvimento das nações”, relata.


Congresso Internacional em Saúde: prazo de inscrições na modalidade tema livre é prorrogado

                  

A organização do 6º Congresso Internacional em Saúde da Unijuí prorrogou o prazo para a submissão de trabalhos na modalidade temas livres ao evento. O novo prazo encerra no dia 25 de março, segunda-feira. Além disso, o pagamento pode ser feito das seguintes formas: Boleto do Pagseguro, Cartão de Crédito em até 3 vezes e Boleto Interno Unijuí - pagamento em até 3 vezes diretamente nos Caixas da Unijuí.

O 6º Congresso Internacional em Saúde é um evento promovido pelo Departamento de Ciências da Vida (DCVida) da UNIJUÍ, com o apoio dos Programas de Pós-Graduação: Mestrado em Atenção Integral à Saúde (UNICRUZ/ UNIJUI), Mestrado e Doutorado em Educação nas Ciências (UNIJUI) e Mestrado em Direito (UNIJUI). O evento ocorrerá de 14 a 17 de maio de 2019, no Campus da Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (UNIJUI), em Ijuí, Rio Grande do Sul, Brasil.  Este evento é de fluxo contínuo, sendo que sua primeira edição ocorreu em 2011. Desde então o evento passou a acontecer a cada dois anos, sendo sua segunda, terceira e quarta edição respectivamente nos anos de 2013, 2015 e 2017. Em julho de 2018 ocorreu a 5º Edição do Evento na Universidade do Minho, em Portugal. Em 2019, o evento volta a ser realizado no Brasil e terá como tema: Vigilância em Saúde: Ações de Promoção, prevenção, diagnóstico e tratamento.  

Mais detalhes e inscrições no site do evento, no Portal da Unijuí.


Unijuí participa do Fórum de Pró-Reitores de Pesquisa do Estado

                  

A Unijuí participou da primeira reunião do ano do Fórum de Pró-Reitores de Pesquisa do Rio Grande do Sul – Foprop, na Universidade do Vale do Taquari, na última segunda-feira, 11. A Universidade foi representada pelo professor Fernando Jaime González, Vice-Reitor de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão.

O evento reuniu representantes de cerca de 20 instituições gaúchas. Na abertura, o vice-reitor da Univates, no exercício do cargo de reitor, Carlos Cândido da Silva Cyrne, deu as boas-vindas aos participantes. Em seguida, a diretora de Inovação e Sustentabilidade da Univates, Simone Stülp, que também é presidente do Conselho Superior da Fundação de Amparo à Pesquisa do Rio Grande do Sul (Fapergs), falou sobre um dos assuntos que foi discutido na reunião: a elaboração de um guia de boas práticas de pesquisa.

Já o diretor-presidente da Fapergs, doutor Odir Antônio Dellagostin, falou sobre a produção científica no Rio Grande do Sul, que representa 11% da produção nacional. Ele também ressaltou que Estado é o quinto a fazer pedidos de patente de inovação em 2017.

Dellagostin também apresentou as ações planejadas pela Fundação para o ano de 2019, como o lançamento de editais de fomento à pesquisa que são realizados permanentemente e outros que são novidade para este ano. “Ao todo são cerca de 20 ações que somam um investimento de mais de R$ 65 milhões, dos quais R$ 28 milhões são de recursos da Fapergs”, observou.

A reunião discutiu de assuntos gerais do Fórum e da minuta sobre o Código de Boas Práticas de Pesquisa.

Com informações da Univates


Professor da Espanha realiza palestras na Unijuí

                    

Com o objetivo de discutir o tema “Responsabilidade social, empresarial e a geração de valor para as empresas”, a Unijuí recebeu o professor Diego Vázquez Villamediana, da Universidade de Valladolid, na Espanha, na última semana.                         

A palestra foi realizada em dois momentos: na quinta-feira, dia 07, no Campus Santa Rosa, no Espaço CoWorking e na sexta-feira, dia 08 de março, na sede da sede da Incubadora de Empresas de Inovação Tecnológica da Unijuí (Criatec), em Ijuí. O evento foi desenvolvido por meio de uma parceria entre a Unijuí e a Unam (Universidade Nacional de Missiones) e conta com o apoio da Agência de Inovação Tecnológica da Unijuí (Agit), Criatec e European Region Action Scheme for the Mobility of University Students (Erasmus). 

O professor também participou de agenda com professores do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional, discutindo interações de pesquisa, além de realizar uma fala aos ingressantes deste Programa. Por fim, também esteve reunido com o Escritório de Relações Internacionais da Universidade, tratando sobre intercâmbios e possibilidades de parceria com a Unijuí.


Unijuí aprova a oferta do Doutorado em Direito

               

A Unijuí recebeu, nesta quinta-feira, a aprovação, pelo MEC, do Doutorado em Direito. Com esta aprovação, a Universidade passa a ofertar seu quarto curso de Doutorado, além dos seis cursos de Mestrado. Na área jurídica a Instituição possui, também, o Mestrado em Direitos Humanos.

“Já temos historicamente o curso de Graduação, desde 1985, com uma grande trajetória e formação de profissionais de toda a região. Uma trajetória muito importante, e que agora vai poder completar a verticalização do ensino na área jurídica, com formação da graduação ao Doutorado. Isso é um grande diferencial da Unijuí, é uma inovação para a área na região”, avalia o coordenador do Programa, professor Gilmar Bedin.

São objetivos do Programa, a geração e a consolidação da pesquisa e da produção científica, por meio da formação de pesquisadores, de docentes e de outros profissionais qualificados para atuação no Direito e em áreas afins, tendo como referência metodológica a interdisciplinaridade, e como temática fundamental, a questão do reconhecimento, institucionalização, crítica, proteção e efetivação dos direitos humanos na sociedade complexa.

Dessa forma, duas linhas de pesquisa são desenvolvidas pelo Programa:

Fundamentos e Concretização dos Direitos Humanos: problema da fundamentação dos direitos humanos. Historicidade e universalidade dos direitos humanos. Estado, cidadania e direitos fundamentais. Estado, políticas públicas e inclusão social no Brasil. Diversidade cultural, minorias e reconhecimento. Corpo, identidade e direitos humanos. Vulnerabilidade social, violência e cidadania. Biopolítica, biopoder e direitos humanos. História, memória e direitos humanos. Estado, políticas públicas e direito à saúde. Bioética e dignidade humana.

Democracia, Direitos Humanos e Desenvolvimento: estado de direito, direitos humanos e equidade. Sociedade da informação, direitos humanos e democracia. Meio Ambiente, sustentabilidade e desenvolvimento. Sociedade de consumo, proteção ambiental e cidadania. Espaços urbanos, direitos humanos e inclusão social. Direitos humanos, novas tecnologias e resiliências sociojurídicas. Educação em Direitos Humanos, democracia e cidadania. Novos direitos, novas ordens jurídicas e transnacionalização. Direitos humanos, paz e guerra

O Programa possui, ainda, ampla colaboração internacional com instituições de vários países, entre eles Alemanha, Itália, Chile, Argentina, Portugal, entre outros.

Em breve será publicado, no Portal da Unijuí, um edital para o processo seletivo de ingresso de ao curso.


Dia de Campo mostrou a produção de alimentos sem glúten a partir de grãos cultivados na região

                   

Nesta sexta-feira, dia 07, pesquisadores dos Departamentos de Ciências da Vida (DCVida) e de Estudos Agrários (Deag) da Unijuí apresentaram os resultados do projeto de pesquisa “Desenvolvimento de alimentos sem glúten a partir de grãos cultivados na região Noroeste do RS”. A atividade ocorreu durante o Seminário e Dia de Campo - Produção de Chia, Quinoa e Trigo Sarraceno, no IRDER/UNIJUÍ.

Segundo o professor José Antônio González (DEAG), um dos professores pesquisadores do projeto, o Dia de Campo mostrou as novas espécies de grande potencial para sistemas agrícolas da região. “Tratamos de duas grandes perspectivas no evento. A primeira, sobre a qualidade destes alimentos para a alimentação humana. No segundo momento, os processos agronômicos de produção, principalmente tratando sobre o viés da sustentabilidade, produção orgânica”, observa.

O projeto de pesquisa tem como objetivo estudar a substituição de farinhas convencionais por outras matérias-primas, como chia, quinoa e trigo sarraceno, na elaboração de alimentos sem glúten, como massas e snacks extrusados. De acordo com o Coordenador do Projeto, professor Raul Vicenzi, esses grãos, conhecidos como pseudocereais, podem ser utilizados na substituição da farinha de trigo na elaboração de alimentos glúten free, enriquecendo os mesmos com proteínas, gorduras insaturadas e compostos bioativos, os quais favorecem a saúde, contribuindo para o bom funcionamento do organismo e reduzindo o risco de determinadas doenças.

O projeto de pesquisa é apoiado pela Secretaria do Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia do Estado do Rio Grande do Sul (SDECT) e conta também com a participação da Sociedade Educacional Três de Maio (SETREM) e Instituto Federal Farroupilha – Campus Santo Augusto (IFF).

Alimentos glúten-free

Segundo os integrantes do Projeto, a produção de alimentos sem glúten vem ganhando importância nos últimos anos, em função do grande número de pessoas que sofrem da doença celíaca, alérgicos ao glúten, ou que por opção preferem se alimentar de dietas isentas de glúten.

Estima-se que, atualmente, cerca de 2% da população é celíaca, mais 3% de pessoas que optam por retirar o glúten da dieta e 15% da população que sofre de sensibilidade não celíaca.

O glúten é uma proteína que faz parte da composição química normal de certos cereais como trigo, cevada, centeio, triticale e possivelmente a aveia e sua substituição na elaboração de alimentos. É um grande desafio tecnológico para as indústrias de alimentos, devido ao papel que ele representa no processamento dos produtos, conferindo uma textura agradável, e assim é um ingrediente importante na elaboração de alimentos panificados como pães, bolos e massas.


Projeto de Pesquisa apresentará resultados de alimentos sem glúten

Pesquisadores dos Departamentos de Ciências da Vida (DCVida) e de Estudos Agrários (Deag) da Unijuí estarão apresentando os resultados do projeto de pesquisa “Desenvolvimento de alimentos sem glúten a partir de grãos cultivados na região Noroeste do RS”, no dia 07 de dezembro. A atividade acontecerá durante o Seminário e Dia de Campo - Produção de Chia, Quinoa e Trigo Sarraceno, no IRDER/UNIJUÍ, município de Augusto Pestana. O horário das atividades ocorrerá das 8h30 às 17h30.

O projeto de pesquisa tem como objetivo estudar a substituição de farinhas convencionais por outras matérias-primas, como chia, quinoa e trigo sarraceno, na elaboração de alimentos sem glúten, como massas e snacks extrusados.

De acordo com o Coordenador do Projeto, professor Raul Vicenzi, esses grãos, conhecidos como pseudocereais, podem ser utilizados na substituição da farinha de trigo na elaboração de alimentos glúten free, enriquecendo os mesmos com proteínas, gorduras insaturadas e compostos bioativos, os quais favorecem a saúde, contribuindo para o bom funcionamento do organismo e reduzindo o risco de determinadas doenças.

Os eventos serão gratuitos, com vagas limitadas e são destinados para agricultores e seus familiares, técnicos agrícolas, engenheiros agrônomos, colaboradores de agroindústrias e cooperativas. As atividades serão conduzidas pelos professores da Unijuí Raul Vicenzi e José Antônio Gonzalez da Silva.

O projeto de pesquisa é apoiado pela Secretaria do Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia do Estado do Rio Grande do Sul (SDECT) e conta também com a participação da Sociedade Educacional Três de Maio (SETREM) e Instituto Federal Farroupilha – Campus Santo Augusto (IFF).

Alimentos glúten-free

A produção de alimentos sem glúten vem ganhando importância nos últimos anos, em função do grande número de pessoas que sofrem da doença celíaca, alérgicos ao glúten, ou que por opção preferem se alimentar de dietas isentas de glúten.

Estima-se que, atualmente, cerca de 2% da população é celíaca, mais 3% de pessoas que optam por retirar o glúten da dieta e 15% da população que sofre de sensibilidade não celíaca.

O glúten é uma proteína que faz parte da composição química normal de certos cereais como trigo, cevada, centeio, triticale e possivelmente a aveia e sua substituição na elaboração de alimentos. É um grande desafio tecnológico para as indústrias de alimentos, devido ao papel que ele representa no processamento dos produtos, conferindo uma textura agradável, e assim é um ingrediente importante na elaboração de alimentos panificados como pães, bolos e massas.