COMUNICA

PORTAL DE NOTÍCIAS DA UNIJUÍ

Pesquisa

Unijuí e 3Tentos Agroindustrial discutem possibilidades de pesquisa e inovação

                 

Na manhã de quinta-feira, dia 21 de maio, aconteceu uma reunião entre a Unijuí e a empresa 3Tentos Agroindustrial. Realizado na Sala de Pesquisa do Mestrado em Sistemas Ambientais e Sustentabilidade da Universidade, esta reunião teve o objetivo de discutir problemáticas na área de inovação e possibilidades de interação da universidade com a empresa.

Pela 3Tentos participaram Alan Araldi, Carlos Linassi, Fernando Bavaresco, Eduardo Gruhn, Gabriele Casarotto e Glaucia L. K. Timmermann. E, pela Unijuí, o Vice-Reitor de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão, Fernando Jaime González, o professor Osório Lucchese, chefe do Departamento de Estudos Agrários (DEAg), professor José Antonio Gonzalez, coordenador do Programa de Mestrado em Sistemas Ambientais e Sustentabilidade, o professor Ivan Ricardo Carvalho, vinculado também ao DEAg e a seu programa de Pós-Graduação, o professor Gerson Battisti, vinculado ao Departamento de Ciências Exatas e Engenharias (DCEEng) e também o gerente da Agência de Inovação e Tecnologia da Universidade (Agit), Maiquel Kelm.

No encontro, a 3Tentos apresentou possibilidades de interação com a universidade, a partir das necessidades de inovação. Desta forma, também os professores da Unijuí mostraram as linhas de pesquisa do Mestrado em Sistemas Ambientais e Sustentabilidade, bem como possibilidade de interação com a empresa. O professor Gerson Battisti, que atua na área da Ciência da Computação, observou também possibilidades de interação nesta área específica. “Esta aproximação está alinhada com o nosso Planejamento Estratégico, pois temos entendimento de que, para participar do processo de desenvolvimento, é preciso estreitar vínculos com o setor produtivo e a 3Tentos é uma das grandes empresas da nossa região, abrindo possibilidades para muitas ações, principalmente na questão da pesquisa e inovação”, observa o Vice-Reitor de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão, Fernando Jaime González.

De acordo com o chefe do DEAg, professor Osório Lucchese, “a aproximação com a empresa apresenta-se como uma importante relação para que as atividades de pesquisa e de extensão produzidas pela Universidade possam ser acessadas pela comunidade. As demandas da empresa, com a expertise e a potencialidade inovativa que podemos gerar na universidade, é o caminho para a resolução de problemas e a prospecção de novas oportunidades. E isto deve gerar ganhos significativos para a comunidade regional, produzindo desenvolvimento com sustentabilidade socioambiental”, observa. 

O professor José Antonio Gonzalez, que coordena o Mestrado em Sistemas Ambientais e Sustentabilidade, complementa que uma futura parceria entre a universidade e a empresa no desenvolvimento de pesquisas e inovação, podem acarretar em avanços na agricultura. “Procuramos desenvolver pesquisa para auxiliar as empresas em suas ações, buscando promover produtividade, qualidade biológica, segurança alimentar cuidado com o ambiente, desenvolvendo tecnologias que possam melhorar os processos de produção”, observa.

Complementando a discussão, o professor Gerson Battisti, que participou do encontro representando o Grupo de Pesquisa em Computação Aplicada (GCA), onde atua na linha de pesquisa  de "Análise e Integração de Grandes Volumes de Dados", observa que, a partir desta conversa inicial, diversas possibilidades podem surgir. “O objetivo foi estabelecer um primeiro diálogo para identificar como, diante das necessidades da empresa, o grupo de pesquisa pode contribuir no desenvolvimento de soluções técnicas e científicas envolvendo as áreas de Data Warehouse, Data Mining (Mineração de Dados) e Big Data, com uso também de técnicas de Inteligência Artificial.  O grupo entende que são pesquisas que podem impactar diretamente na inteligência do negócio (Business Intelligence)”, salienta.

Sobre a 3Tentos

A Três Tentos Agroindustrial S/A iniciou as suas atividades comerciais no ano de 1995. Atuando no mercado com o propósito de ser uma empresa de soluções e suporte no agronegócio, possui 36 unidades distribuídas em 32 cidades gaúchas. Ainda, atua no Mato Grosso através da 4Ventos Agroindustrial S/A na produção de grãos e na exploração sustentável de madeira. Produzindo sementes, que é sua atividade pioneira, através de uma parceria constante com o produtor rural, a 3Tentos cresceu e conquistou seu espaço no mercado do agronegócio brasileiro, incorporando às suas soluções atividades que completam os ciclo produtivo e industrial. A 3Tentos recebe, comercializa e industrializa grãos, revende defensivos e fertilizantes, oferecendo assessoria técnica e comercial com profissionais qualificados. O resultado deste esforço se dá na exportação de soja, milho, trigo, farelo e óleo de soja para países da América Latina, Europa e Ásia, bem como o reconhecimento dos nossos clientes produtores rurais no Brasil.

 


Unijuí possui serviço de aviso para editais de fomento e premiações em andamento no país

Desde o mês de março, a Unijuí conta com um serviço para informar os professores e estudantes sobre os editais de fomento à pesquisa e inovação disponíveis no país. O Boletim de Editais da Agência de Inovação e Tecnologia (AGIT), por meio do Núcleo de Assessoramento de Projetos, é enviado por e-mail, bastando se cadastrar, neste link, para receber estas informações atualizadas todos os meses.  

Segundo a AGIT, o Boletim de Editais tem o objetivo de apresentar as principais oportunidades de fomento reembolsáveis e não reembolsáveis e incentivar a participação de professores, pesquisadores, estudantes de pós-graduação e empresas, com propostas para o desenvolvimento de projetos e produtos em parceria.

               

Nesta plataforma são divulgados editais da Fapergs, CNPq, Capes, Finep, entre outras agências e iniciativas de fomento, também são disponibilizados links de premiações nas mais diversas áreas do conhecimento.

Faça o cadastro no site da Universidade, acessando este link

Sobre o Núcleo de Assessoramento a Projetos

O Núcleo de Assessoramento de Projetos (NUAP), setor vinculado à Agência de Inovação e Tecnologia–AGIT, tem como objetivos institucionais apoiar as ações que visam captar recursos com o objetivo de financiar os programas e projetos institucionais, auxiliar na construção de estratégias que promovam parcerias e contribuir para a qualificação da pesquisa e extensão institucional. Gerencia, amplia e capta recursos junto a órgãos de fomento regionais, nacionais e internacionais. Assessora na elaboração de projetos dos professores/pesquisadores, servindo de suporte técnico, visando encaminhá-los aos órgãos de fomento. Acompanha a execução financeira do projeto até a prestação de contas junto aos órgãos competentes.


Unijuí e Ceriluz vão desenvolver sistema de leitura remota de medidores de energia

             

A Unijuí e a Ceriluz, em nova parceria, vão desenvolver um sistema de leitura remota de medidores de energia. O projeto prevê a criação de programas computacionais para realizar leitura remota dos dados dos medidores de energia de clientes do grupo A, englobando aproximadamente 300 medidores. 

O Projeto será desenvolvido pelo Grupo de Automação e Controle (GAIC), ligado ao Departamento de Ciências Exatas e Engenharias da Unijuí. Segundo o professor Paulo Sausen, um dos responsáveis deste Projeto, a automatização e unificação destas rotinas para qualquer modelo/fabricante de medidor, tanto em periodicidade quanto em tratamento dos dados adquiridos, irá aumentar a confiabilidade do sistema como um todo e reduzir significativamente o tempo necessário para realizar o faturamento, minimizando o tempo entre a leitura inicial e a emissão da fatura para pagamento por parte do consumidor. “Quando o sistema estiver finalizado, uma série de informações poderão ser utilizadas, de forma online, para análise de carga do sistema ou mesmo para constatar interrupções no fornecimento de energia, possibilitando a análise de forma rápida e segura da qualidade de energia fornecida aos seus consumidores. Também será possível detectar, em tempo real, o aumento ou redução de consumo de determinado cliente, ou conjunto de clientes de uma determinada região/alimentador”, complementa. Ainda de acordo com o professor, a automatização e manipulação automática dos dados dos medidores em tempo real possibilita ampliar a análise da qualidade do serviço prestado pela concessionária, gerando informações que podem ser utilizadas tanto pelo grupo técnico quanto administrativo.

De acordo com Bráulio Schussler, engenheiro eletricista responsável técnico pela área de distribuição de energia da Ceriluz, para a Cooperativa, uma vez o projeto conseguindo atender as especificações propostas, possibilitará a aquisição e tratamento dos dados de uma forma muito mais precisa, disponibilizando os resultados de estudos e análises de forma muito mais rápida e consistente. “Também será possível integrar este sistema, que será desenvolvido, aos sistemas hoje utilizados pela Ceriluz, além de possibilitar a automatização de alguns processos, o que poderá reduzir consideravelmente o tempo despendido por pessoas que hoje realizam esses processos. Outro aspecto relevante do projeto será a possibilidade de análise dos dados em tempo real. Este pode ser um ganho considerável para a área de engenharia no que trata de tomadas de decisões técnicas. A expectativa é que tenhamos sucesso nesta empreitada, principalmente se levarmos em conta o tempo e empenho disponibilizados por todos os profissionais envolvidos no referido projeto", observa. 

A parceria foi estabelecida no início do mês de abril entre as duas Instituições, tendo como elo a Agência de Inovação e Tecnologia da Universidade (Agit), que possui a responsabilidade de negociar tecnologias, dar subsídio aos pesquisadores na efetivação de projetos de parceria e fomentar a transferência de tecnologia da Unijuí com o setor produtivo. A Agit vem auxiliando pesquisadores sendo o elo institucional entre os parceiros interessados no conhecimento gerado na Universidade. 

 


Mulheres na Pesquisa: a trajetória e o trabalho de pesquisadoras da Unijuí

                  

A cada dia as mulheres batalham pela igualdade de gênero e consequentemente conquistam cada vez mais os seus espaços no mercado de trabalho. Na pesquisa não é diferente. Recentemente pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP) conseguiram sequenciar em tempo recorde o genoma do coronavírus (SARS-CoV-2), coordenadas por Ester Sabino. A equipe levou apenas 48 horas para sequenciar o genoma deste vírus no primeiro paciente brasileiro infectado, enquanto outros países levaram cerca de 15 dias para atingir o mesmo objetivo.

Estamos chegando ao final do mês março, marcado como o mês da mulher. Dessa forma, para homenagear as mulheres pesquisadoras da Unijuí, preparamos este material especial, lembrando que, na Unijuí, do total de pesquisadores, 44% são mulheres. Pesquisadoras que fazem a ciência avançar diariamente:

Maria Margarete Brizolla, vinculada ao Departamento de Ciências Administrativas, Contábeis, Econômicas e da Comunicação (DACEC) 

         

Trajetória profissional 

Concluiu a sua graduação em Ciências Contábeis na Unijuí, no ano de 1996. Além desta graduação, cursou Administração na Unijuí e em 2013 iniciou o Doutorado em Ciências Contábeis e Administração (FURB – BLUMENAU). Em 2018 realizou o Pós Doutorado em Contabilidade pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

Atuação como pesquisadora na Unijuí

- A Responsabilidade Social Frente Às Dimensões Econômica, Social e Ambiental: Este projeto tem como objetivo  estudar a formação do conceito de responsabilidade social corporativa perante as diversas teorias (institucional, contingência, agência, stakeholders, stockholders, sinalização entre outras adequadas ao tema) tendo como referência a construção e aplicação do conceito no setor empresarial a partir de um novo papel da sociedade civil, dos novos comportamentos e tecnologias e assim permitir uma análise mais complexa das ações de responsabilidade social. 

- Sustentabilidade da Produção Rural: Propostas Alternativas para Os Pequenos Produtores da Região Noroeste do RS: Este estudo tem como objetivo analisar como os instrumentos de gestão podem contribuir com a sustentabilidade da produção agropecuária dos pequenos produtores da região noroeste do Estado do RS.         

Airam Sausen, coordenadora do Programa de Mestrado e Doutorado em Modelagem Matemática do Núcleo de Pesquisa do Departamento de Ciências Exatas e Engenharias (DCEEng).

   

Trajetória profissional

Airam entrou para a graduação em Licenciatura em Matemática na Unijuí. Na sequência realizou Mestrado em Modelagem Matemática na Unijuí e Doutorado em Engenharia Elétrica na Universidade Federal de Campina Grande. Ao terminar o Doutorado prestou concurso para o Programa em Modelagem Matemática da Unijuí, onde é docente até hoje. Atualmente desenvolve pesquisas relacionadas a modelagem matemática do tempo de vida de baterias utilizadas em dispositivos móveis, e modelagem matemática em Smart Grids. Airam também exerce a função de Coordenadora desse Programa de Pós-Graduação, e é pesquisadora do Grupo de Automação Industrial e Controle.

Atuação como pesquisadora na Unijuí

- Aplicação de Modelos Matemáticos na Predição do Tempo de Vida das Baterias Que Alimentam Dispositivos Móveis: Este  projeto de pesquisa visa estudar, modelar e implementar diferentes modelos de descarga de bateria. A partir deste estudo pretende-se verificar qual modelo é mais indicado para simular e predizer o comportamento da bateria que alimenta os mais variados dispositivos móveis.                                                                

Joice Graciele Nielsson, vinculada Programa de Pós-Graduação em Direito - Mestrado e Doutorado em Direitos Humanos da Unijuí.

  

Trajetória profissional

Joice iniciou sua graduação em direito na Unijuí, foi bolsista de pesquisa e participou como voluntária no Projeto de Extensão Cidadania para Todos. Assim que finalizou a graduação, ingressou no Mestrado em Desenvolvimento da UNIJUI, e após finalizar o mesmo, iniciou o Doutorado em Direito na UNISINOS.

Neste meio tempo, iniciou a sua atividade como docente do Curso de Graduação em Direito, e posteriormente no PPGDireitos Humanos, além de coordenar uma Pós-Graduação em Justiça Restaurativa e Mediação.  

Em sua caminhada a pesquisa sempre esteve presente, especialmente nas temáticas de direitos humanos das mulheres. Atualmente, Joice integra o Grupo de Pesquisa Biopolítica e Direitos Humanos, coordena dois projetos de pesquisa e integra outros dois. É pesquisadora recém-doutora FAPERGS, com apoio para desenvolvimento de uma pesquisa comparada acerca de direitos humanos, sexuais e reprodutivos das mulheres na América Latina. Seus projetos de pesquisa focam a situação dos direitos das mulheres, no contexto latino-americano e no Brasil, analisando alguns contextos críticos, como violência de gênero, processos de precarização e feminização da pobreza, a relevância e o desdobramentos do movimento feminista e a construção da igualdade de gênero. Ainda Lidera um qualificado grupo de pesquisadoras, de alunas, bolsistas e voluntárias de graduação, mestrado e doutorado que tem atuado na mesma temática, e perpetuado nessa tarefa pela pesquisa científica em gênero.

Atuação como pesquisadora na Unijuí

- A Atuação do Sistema Interamericano de Direitos Humanos em Questões de Gênero e Sexualidade e a Produção das Vidas Nuas de Mulheres e Pessoas Lgbttis:  O projeto  pretende identificar os avanços e possibilidades, e paradoxalmente os limites e dificuldades no alcance do SIDH quanto a proteção aos direitos humanos de mulheres e de pessoas LGBTTIs quanto a questões de gênero e sexualidade em um contexto cultural latino-americano marcado profundamente por traços machistas, patriarcalistas e heterosexistas

- Controle Reprodutivo Sobre o Corpo Feminino em Uma Perspectiva Biopolítica: Análise Comparada Acerca de Legislações, Políticas Públicas e Controvérsias Judiciais Sobre Planejamento Familiar e Esterilização de Mulheres no Brasil, Peru e Bolívia: A pesquisa visa analisar as legislações, políticas públicas e debates jurisprudenciais relacionado ao planejamento familiar e esterilização de mulheres no Brasil, em comparação com o Peru e Bolívia, analisando aspectos relacionados à dignidade humana, direitos humanos e fundamentais e proteção dos direitos reprodutivos e sexuais de meninas e mulheres nestes locais.  

- Diálogos: Tecendo Vidas Sem Violência de Gênero:  O projeto busca contribuir para a construção e perpetuação de uma cultura de não violência, que supere o machismo estrutural e a histórica desigualdade de gênero de nossa sociedade. Sua atuação prioritária se dará junto à Rede de Proteção à Mulher de Ijuí e região.   

Marli Dallagnol Frison, vinculada ao Programa de Mestrado em Doutorado em Educação nas Ciências

   

Trajetória Profissional

Graduada em Ciências nos Centros Integrados de Ensino Superior de Ijuí, em 1983. Logo após, em 1986, Marli se especializou em Química na Unijuí, realizou o mestrado em Educação nas Ciências, no ano de 1999 na Unijuí. Em 2012 a pesquisadora efetivou o seu doutorado em Educação nas Ciências pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. E em 2019 Marli realizou o Pós-Doudorado em “O Conhecimento Científico Escolar”  na Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho.

Atuação como pesquisadora na Unijuí

- O conhecimento Científico-Escolar e sua relação com o desenvolvimento do psiquismo humano e com a formação da visão de mundo: Contribuições à luz da psicologia Histórico-Cultural: O projeto tem como principal objetivo ampliar e aprofundar conhecimentos na perspectiva da Psicologia Histórico-Cultural, no que se refere: à apropriação dos conceitos científico-escolares pelos estudantes; as implicações dessa apropriação para o desenvolvimento do psiquismo do estudante. 

Eliane Roseli Winkelmann, vinculada ao ao Departamento de Ciências da Vida (DCVida) e Mestrado em Atenção Integral à Saúde (UNIJUÍ/UNICRUZ)

   

Trajetória Profissional 

Graduada em Fisioterapia pela Universidade de Cruz Alta, Eliane fez mestrado em Ciencias biológicas, na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, em 2003. A pesquisadora ainda possui especialização em Acupuntura e Fisioterapia Cardio Respiratória e é doutora em Ciências Cardiovasculares, pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Atuação como pesquisadora na Unijuí

 - Acompanhamento de pacientes desde a lista de espera até após o transplante renal: O objetivo do projeto é realizar um acompanhamento de doentes renais crônicos submetidos a transplante renal desde o momento pré cirurgia até 10 anos após o procedimento realizado em um hospital de grande porte na região noroeste do Estado do Rio Grande do Sul.

- Uso da Varfina em nível ambulatorial- Uma coorte de pacientes do Sistema Público de Saúde: O projeto coordenado junto da professora Christiane de Fatima Colet, tem como objetivo  acompanhar pacientes do município de Ijuí/RS em uso de varfarina para identificar eventos adversos relacionados à terapia e conhecer o itinerário do usuário pelo sistema público de saúde para resolução dos problemas. Trata-se de uma coorte prospectiva para acompanhar usuários do sistema público de saúde de Ijuí/RS em uso de varfarina.

- Perfil da relação saúde/doença dos indivíduos submetidos à exame por imagem em um serviço hospitalar no interior do estado do Rio Grande do Sul: O objetivo do projeto é traçar um perfil da relação saúde/doença dos indivíduos submetidos a exames de imagem em um serviço hospitalar no interior do Estado do Rio Grande do Sul a partir dos dados do prontuário do paciente e interpretação dos exames de imagem. 

- Perfil dos indivíduos submetidos à cirurgia cardíaca e hemodinâmica em um hospital no interior do estado do Rio grande do Sul: O Objetivo do projeto é traçar um perfil dos indivíduos submetidos a cirurgia cardíaca e/ou procedimentos da hemodinâmica e/ou eletrofisiologia, analisando as características clínicas dos pacientes, fatores de risco e história pregressa, assim como mortalidade, tempo de internação e procedimento. Pretendendo também, investigar nos pacientes submetidos a cirurgia cardíaca as variáveis intra-operatório e pós-operatório e comparar o perfil dos pacientes submetidos a cirurgia cardíaca com os submetidos a procedimentos da hemodinâmica e/ou eletrofisiologia. Além disso,  realizar análise por sexo, faixa etária, por tipo de procedimento cardíaco, verificar os medicamentos utilizados pelos pacientes submetidos ao procedimento cardíaco/hemodinâmica/eletrofisiologia durante o procedimento e durante a internação hospitalar.

Denize Da Rosa Fraga, vinculada ao Departamento de Estudos Agrários (DEAg) e Mestrado em Sistemas Ambientais e Sustentabilidade.

   

Trajetória Profissional

Graduada em Medicina Veterinária em 2008, realizou seu mestrado em Medicina Veterinária em 2010 e o seu doutorado em zootecnia em 2017, todos pela Universidade Federal de Santa Maria.

Atuação como pesquisadora na Unijuí

- Efeito de uso de suplemento energético pós-parto em vacas leiteiras: Tem por objetivo avaliar o efeito da suplementação do produto Puro Milk Suplemento Energético sobre a produção e qualidade do leite e a ocorrência de doenças clínicas, reprodutivas e metabólicas em vacas leiteiras.

- Homeopatia Veterinária no Controle da Mastite Bovina: projeto tem por objetivo geral avaliar o efeito da utilização do tratamento homeopático preventivo na ocorrência de mastites em vacas leiteiras.

-  Produto + Leite e sua Influência na composição e produção de leite de vacas: O presente projeto tem por objetivo geral avaliar o efeito da utilização Produto + Leite e sua influência na composição e produção de leite de vacas.

- Qualidade do Banco de Colostro de Leite Bovino de Propriedades Rurais: O projeto tem por objetivo avaliar a qualidade do colostro de vacas armazenado em propriedades da região noroeste do Estado do Rio Grande do Sul por refratômetro de Brix e a composição em relação à gordura, proteína, sólidos não gordurosos, lactose, sais, ponto de congelamento e condutividade conforme a raça dos animais, o número de partos e a estação do ano.

                               

     


Comitê de Ética em Pesquisa da Unijuí recebe qualificação da Comissão Nacional da área

                  

Nesta quarta-feira, dia 04, foi realizada uma atividade de qualificação do Comitê de Ética em Pesquisa (CEP) da Unijuí. Na oportunidade, os integrantes receberam uma capacitação do Projeto de Qualificação dos Comitês de Ética em Pesquisa, vinculado à Comissão Nacional de Ética em Pesquisa – Conep/CNS. A atividade, realizada na sala de videoconferência do prédio da Biblioteca Mario Osorio Marques, no campus Ijuí, teve o intuito de valorizar o Comitê, padronizar o trabalho administrativo e fortalecer análises e discussões éticas realizadas na Instituição.

Dando início ao trabalho, no turno da manhã, foi realizada uma conversa sobre as atividades do Comitê na Unijuí, tendo a participação do coordenador, Aldemir Berwig, do vice-coordenador, Ivanildo Scheuer, da funcionária administrativa do CEP, Amália Iracema Pasche, representante de usuário, Ledir Kappke, e demais integrantes do Comitê. Logo após, ocorreu uma conversa com a Reitora, professora Cátia Maria Nehring. Em um terceiro momento, aconteceu uma roda de conversa com apresentações temáticas sobre questões relevantes ao Sistema CEP/Conep e fechamento da atividade com a construção de possíveis alternativas de melhoria no trabalho.

O comitê de ética em pesquisa da Unijuí é um colegiado multidisciplinar, de caráter consultivo, deliberativo e educativo, que tem como finalidades avaliar, acompanhar e controlar, em pesquisas que envolvem seres humanos, o cumprimento das exigências éticas e científicas fundamentais à defesa dos interesses, da integridade e da dignidade dos sujeitos da pesquisa, bem como contribuir para o desenvolvimento da pesquisa orientada por padrões éticos.

Sobre a Comissão Nacional de Ética em Pesquisa

A Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep) está diretamente ligada ao Conselho Nacional de Saúde (CNS). Uma das suas características é a composição multi e transdisciplinar, contando com representantes de diferentes áreas, tanto das Biomédicas, como das Ciências Humanas e Sociais. Sua atribuição principal é a avaliação dos aspectos éticos das pesquisas que envolvem seres humanos no Brasil. Em cumprimento à sua missão, a Comissão elabora e atualiza as diretrizes e normas para a proteção dos participantes de pesquisa e também coordena a rede de Comitês de Ética em Pesquisa (CEP) das instituições – Sistema CEP/Conep. Desta forma, cabe à Conep avaliar eticamente e acompanhar os protocolos de pesquisa em áreas temáticas especiais como genética e reprodução humana, novos equipamentos, dispositivos para a saúde, novos procedimentos, população indígena, projetos ligados à biossegurança, dentre outros.

Segundo a Comissão, para ser ética, a pesquisa precisa:

- Respeitar o participante da pesquisa em sua dignidade e autonomia, reconhecendo sua vulnerabilidade, assegurando sua vontade de contribuir e permanecer, ou não, na pesquisa, por intermédio da manifestação expressa, livre e esclarecida;

- Ponderar entre riscos e benefícios, tanto conhecidos como potenciais, individuais ou coletivos, comprometendo-se com o máximo de benefícios e o mínimo de danos e riscos;

- Garantir que danos previsíveis sejam evitados; e

- Ter relevância social, o que garante a igual consideração dos interesses envolvidos, não perdendo o sentido de sua destinação sócio humanitária.


Congresso Internacional em Saúde será realizado em Portugal nesta edição

                  

Em 2020, entre os dias 30 de junho a 03 de julho, será realizado o 7º Congresso Internacional em Saúde no Instituto de Educação da Universidade do Minho, Campus de Gualtar, em Braga, Portugal, com o tema: Contextos e Problemáticas Emergentes, sob a coordenação da professora Dra. Zelia Caçador Anastácio (CIEC-UMINHO, Portugal).

O evento é uma parceria da Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (UNIJUI) com o CIEC - Centro de Investigação em Estudos da Criança, da UMinho - Universidade do Minho, da cidade de Braga, Portugal.

Para participar do evento, é possível inscrever trabalhos até o dia 15 de março. Para os brasileiros a parceria permite a apresentação do trabalho científico online permitindo a inserção de brasileiros que não podem apresentar presencialmente durante o evento.

A professora Dra. Eliane Roseli Winkelmann, que foi uma das Coordenadoras do evento em edições anteriores, que atualmente faz parte do Comitê Internacional, salienta a importância desta parceria nas relações internacionais que a Unijuí vem promovendo. “É uma oportunidade para que professores, estudantes, profissionais da área de saúde e áreas afins possam ir a Portugal divulgar suas pesquisas, experiências, buscar atualização do conhecimento. O evento é ideal para oportunizar novas parcerias com profissionais e Instituições de diversos países”, salienta.

Mais informações:  http://eventos.ciec-uminho.org/7cis/

Histórico

A primeira edição do evento ocorreu em 2011, acontecendo a cada dois anos, sendo sua segunda, terceira, quarta e sexta edição respectivamente nos anos de 2013, 2015, 2017 e 2019 na Unijuí. No ano de 2018, ocorreu a 5ª Edição do Evento na Universidade do Minho em Portugal, desde então o evento é anual de forma alternada entre Brasil e Portugal.


Popularização da Ciência: da Universidade para a comunidade regional

            

A Vice-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão da Unijuí desenvolve, em parceria com a Coordenadoria de Marketing, o Projeto Popularização da Ciência, com o objetivo de divulgar a produção e ações dos professores e bolsistas de projetos de Pesquisa e Extensão da Universidade. Confira algumas matérias produzidas pela Bolsista do Projeto, Natália Langer. Em 2020, novas divulgações serão realizadas, acompanhe!

Ciência para Todos

Após cinco dias de exposições interativas, palestras, oficinas e atrações diferenciadas, a programação do projeto Ciência para Todos na Unijuí trouxe ao Campus Ijuí mais de 8 mil alunos e professores de escolas da região, bem como a comunidade em geral, no mês de outubro. Visando a promoção de ações de divulgação da ciência, tecnologia e inovação, o evento envolveu cinco projetos desenvolvidos na Universidade durante o ano: como a 5ª MoEduCiTec; o projeto Física para Todos; a 3ª Feira de Matemática; o Tech Day; e o Meninas Digitais. Saiba tudo sobre o evento no site oficial.

                    

Projeto analisa a efetividade de programas que visam diminuir a desigualdade social

Segundo dados da Organização das Nações Unidas (ONU) o Brasil está entre os cinco países mais desiguais do mundo, um fato preocupante. Tendo em perspectiva este cenário, é desenvolvido o Projeto de Pesquisa “Justiça Social: os Desafios das Políticas Sociais na Realização das Necessidades Humanas Fundamentais”, ligado ao Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Direitos Humanos da Unijuí, coordenado pela professora Anna Paula Zeifert, iniciado no primeiro semestre de 2018 e ainda em desenvolvimento, que integra e relaciona áreas em torno desta temática, como a cidadania, a justiça social e os direitos humanos. Confira!

Pesquisas de Modelagem Matemática buscam garantir qualidade de grãos no período de pós-colheita

O projeto “Secagem Artificial e Armazenamento de Grãos de Soja: Estudo Experimental e Simulação Numérica”, que surgiu na década de 90 com a chegada do professor Dr. Oleg Khatchatourian, da Rússia, é de grande importância. Atualmente conduzida nos cursos de mestrado e doutorado em Modelagem Matemática da Unijuí, sob coordenação do professor Manuel Binelo, busca desenvolver modelos matemáticos que permitam melhorar os processos de secagem, armazenagem e conservação de grãos em silos e armazéns. Para isso, são utilizados dados de armazéns de toda região sul do país, envolvendo a participação de inúmeros estudantes desde o início do projeto. Saiba mais!

               

Inclusão Social: acessibilidade na área urbana de Ijuí é objeto de pesquisa da Unijuí

Visa tratar de assuntos referentes à mobilidade e acessibilidade na cidade, procurando saber como isso reflete e se manifesta em relação à qualidade de vida, à cidadania e à inclusão social da população. Por meio dos dados coletados será possível levantar, analisar e cruzar informações, além de mapear a situação real dos espaços físicos. Esse processo teve início no segundo semestre de 2018 e conta com a ajuda de um grupo cerca de 17 estudantes de diferentes áreas. Primeiramente foram estudadas as leis e estatutos relacionadas à acessibilidade e mobilidade e depois foi realizado um levantamento da situação da Praça do Imigrante até a Praça da República. Os estudantes envolvidos no projeto foram pessoalmente verificar e analisar a área. Entenda!

                    

Bônus:

Sete Projetos da Unijuí são aprovados no Programa Pesquisador Gaúcho da FAPERGS - O Programa Pesquisador Gaúcho, promovido pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul (FAPERGS), selecionou recentemente projetos que pretendem contribuir significativamente com o desenvolvimento científico, tecnológico e de inovação no Estado, em qualquer área do conhecimento. A Unijuí teve sete projetos aprovados neste edital. O total de projetos aprovados pela faixa A (até R$30.000,00) foram 238, sendo quatro deles coordenados por professores da Unijuí. A faixa B, (até R$60.000,00) aprovou o total de 120 projetos, sendo três deles coordenados por professores da Unijuí. Confira a matéria.

Rizoma sobre Pesquisa

Na edição desta semana, o Rizoma trouxe para o debate a Pesquisa no Brasil, enfocando a visão de quem trabalha com pesquisa cotidianamente em uma Universidade, sendo ela um dos pilares de um ensino superior de qualidade e um compromisso com o desenvolvimento social e a inovação. Quem trouxe contribuições sobre esse tema foi o doutor em Educação e Pós-Doutor em Sociologia, professor Gregório Grisa, do Instituto Federal do Rio Grande do Sul, além do professor da casa, doutor em Agronomia, professor do Departamento dos Estudos Agrários e coordenador do Mestrado em Sistemas Ambientais e Sustentabilidade, José Antônio Gonzalez da Silva.


Projetos da Universidade contemplados com recursos da FAPERGS recebem treinamento

No dia 06 de dezembro de 2019, foi realizado no Espaço Coworking da Criatec Ijuí, reunião de execução e prestação de contas de projetos aprovados na FAPERGS. Participação do momento representantes da AGIT/NUAP, Núcleo de suprimentos, professores que aprovaram projetos nos editais da FAPERGS (Auxilio Recém Doutor - ARD e Programa Pesquisador Gaúcho - PqG) em 2019.

No total, foram aprovados no ARD 12 projetos e no PqG 7 projetos. Na oportunidade, foram discutidos com os professores os principais pontos que devem ser observados na execução e prestação de contas de projetos da FAPERGS e com isso evitar ou diminuir pendências/diligências na prestação de contas.

                


Projeto desenvolveu alimentos sem glúten para o mercado regional

A Vice-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão da Unijuí desenvolve, em parceria com a Coordenadoria de Marketing, o Projeto Popularização da Ciência, com o objetivo de divulgar a produção e ações dos professores e bolsistas de projetos de Pesquisa e Extensão da Universidade. Confira matéria da Bolsista do Projeto, estudante de Jornalismo, Natália Langer.

                

Estima-se que existem, no Brasil, pelo menos dois milhões de pessoas com intolerância ao glúten. Devido a esse grande número, o desenvolvimento de produtos sem esse composto de proteínas vem crescendo consideravelmente. Pensando nas pessoas intolerantes, celíacas e naquelas que aderem a uma dieta sem glúten, a Unijuí vem desenvolvendo, no projeto de pesquisa intitulado “Desenvolvimento de alimentos sem glúten a partir de grãos cultivados na região noroeste do estado do RS”, alimentos, em especial pães, massas e snacks sem glúten e de alta qualidade nutricional.

O projeto, desenvolvido por professores e estudantes dos cursos de Agronomia, Nutrição e Engenharia Química da Unijuí, busca desenvolver estes alimentos, considerado um grande desafio tecnológico, já que o glúten é um importante personagem na fabricação, justificando a falta de variedade desses alimentos nos comércios. A elaboração dos alimentos isentos de glúten nesse projeto cientifico se dá a partir de alguns tipos de grãos cultivados na região noroeste do Estado, por exemplo, chia, quinoa e trigo sarraceno.

A professora integrante do projeto, vinculada ao curso de Nutrição, Eilamaria Libardoni, destaca ser um projeto com proposta inovadora que gera produtos de alta qualidade nutricional “O projeto tem uma proposta inovadora, que é o desenvolvimento desses produtos a partir dos grãos cultivados nos campos experimentais do instituto da Setrem e do IRDeR (escola fazenda da Unijuí), especialmente para fomentar a produção orgânica de agricultores familiares. A partir disso, é necessário o desenvolvimento de tecnologias para aumentar a quantidade dos produtos sem glúten, com qualidade nutricional e sensorial no mercado da região”, salienta.

Segundo a professora Eilamaria, os alimentos sem glúten são incomuns, já que a fabricação destes é considerada uma tarefa complexa e que demanda vários processos, elevando o processo comercial desses produtos. “Contudo, a Unijuí procura, por meio deste projeto cientifico, trazer uma maior variedade de produtos sem glúten para o mercado da região, popularizando essas receitas e beneficiando aquelas pessoas que aderem por uma dieta de alimentos sem glúten”, salienta.

Sobre os resultados das produções, a professora complementa: “a partir dos resultados das tecnologias de produção e da tecnologia de desenvolvimento desses produtos, acarreta, também, a experiência para que os produtores locais produzam esses grãos (chia, quinoa e trigo sarraceno, os quais não são tão comuns de encontrar) para que essas pessoas possam utilizar na sua dieta ou no desenvolvimento desses produtos em nível comercial ou em nível residencial”.  

Além disso, foram elaboradas diferentes formulações de massas alimentícias, as quais foram testadas nos laboratórios de análise sensorial do curso de Nutrição da Unijuí, seguido disso, as formulações que tiveram bom índice de aceitabilidade foram transferidas para um receituário, por meio de uma apostila com a participação de pessoas de diferentes áreas, entre elas agricultores, merendeiras, proprietários de padarias e proprietários e funcionários de agroindústrias. Estes, puderam levar as tecnologias para os estabelecimentos comerciais, reproduzindo essas receitas para que mais pessoas possam adquiri-las no mercado.


Conceito de Biopolítica orienta pesquisas na área do Direito

A Vice-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão da Unijuí desenvolve, em parceria com a Coordenadoria de Marketing, o Projeto Popularização da Ciência, com o objetivo de divulgar a produção e ações dos professores e bolsistas de projetos de Pesquisa e Extensão da Universidade. Confira matéria da Bolsista do Projeto, estudante de Jornalismo, Natália Langer.

                   

Imagem: Reprodução da obra "A Ronda dos Prisioneiros", de Van Gogh.

O conceito de biopolítica assume o papel de ferramenta conceitual necessária para a compreensão e explicação de alguns fenômenos sociais contemporâneos. Dessa forma, o projeto de pesquisa intitulado “O conceito de biopolítica como canteiro arqueológico inacabado: de Michel Foucault a Giorgio Agamben”, busca entender a concepção de biopolítica baseado na filosofia e teorias de Michel Foucault, apresentando assim, a evolução do conceito em relação a temática da guerra e do racismo de Estado na atualidade, com foco no projeto filosófico (home sacer) de Giorgio Agamben.

Segundo Maiquel Wermuth, professor coordenador do Projeto, é importante ressaltar que Michel Foucault foi um filósofo, historiador de ideias, teórico social, filólogo e crítico literário. “O seu pensamento teve grande importância para grupos de pesquisadores e acadêmicos, pois possibilitou debates entre poder e conhecimento. Já o filósofo italiano Giorgio Agamben, possui obras que debatem temas relacionados a essa linha de pensamento. Um dos seus trabalhos mais conhecidos trata da investigação dos conceitos de estado de exceção e homo sacer (homo sacer é uma expressão em Latin que significa 'homem sagrado', ou, ‘homem a ser julgado pelos deuses’)”, observa.

O projeto, ainda em fase inicial, conta com uma vasta equipe de pesquisadores, composta por professores da Unijuí, professores de outros estados, mestrandos, doutorandos e bolsistas de iniciação cientifica. Os pesquisadores utilizam o marco teórico da biopolítica, na vertente destes dois autores, para analisar alguns temas da atualidade, como guerra e o racismo de Estado, discutindo essas temáticas paralelamente com os assuntos que são próprios da sociedade brasileira contemporânea, como atividades punitivas, violação de direitos humanos no âmbito carcerário, políticas migratórias e a violação de direitos humanos por meio das censuras biopolíticas que são estabelecidas pelas políticas migratórias contemporâneas.

O coordenador do projeto de pesquisa, professor Maiquel Wermuth, explica a importância desse estudo, destacando que existem inúmeros assuntos para debater dentro desse espaço. “Ao contrário de mecanismos disciplinares, a biopolítica não vai buscar a alteração do indivíduo, não se ocupa dos fenômenos individuais dos homens isoladamente considerados. A partir de previsões, estimativas, estatísticas, medições, a biopolítica vai priorizar as intervenções dos fenômenos em nível global, com finalidade de estabelecer mecanismos reguladores. Então, o foco da biopolítica deixa de ser o corpo individual e a consideração do indivíduo do detalhe como na disciplina. Esses mecanismos disciplinares são substituídos por mecanismos globais, que tem por objetivo estados globais de equilíbrio e de regularidade, então, na medida em que se normaliza a população, torna-se mais fácil controla-la e otimizar a sua produtividade”, acrescentou.

É neste sentido, que a biopolítica não se apropria da vida para extingui-la, segundo o professor, mas sim, para administrá-la em termos regulativos. A ideia é de que o projeto, que se encerra em 2022, forneça à sociedade artigos, livros, debates e discussões que acontecem nas reuniões, da perspectiva crítica desse marco teórico utilizado, propondo a análise desses temas na contemporaneidade. “Possibilitando que a comunidade envolvida se capacite a olhar para esses temas a partir de uma linha crítica de raciocínio”, complementa.