COMUNICA

PORTAL DE NOTÍCIAS DA UNIJUÍ

Seminário Internacional vai discutir as Perspectivas do Ensino de Ciências Agrárias e Ambientais no Sul

                 
     

Em 2018 completam-se 30 anos do Curso de Agronomia e 10 anos do Curso de Medicina Veterinária da Unijuí. Por isso, com o objetivo de promover uma reflexão sobre a formação nas áreas das Ciências Agrárias e Ambientais no Sul do país e traçar cenários futuros, tendo em vista a conjuntura nacional e internacional, o Departamento de Estudos Agrários (DEAg) vai realizar a 3ª edição do Seminário Internacional sobre as Perspectivas do Ensino de Ciências Agrárias e Ambientais no Sul do Brasil. O evento vai ocorrer de 24 a 27 de setembro, no Salão de Atos Argemiro Jacob Brum, no Campus Ijuí.

O Seminário também pretende realizar uma análise sobre a formação acadêmica diante dos problemas da agropecuária, dos problemas socioambientais, das demandas da sociedade e da consolidação da maturidade do perfil dos profissionais egressos dos cursos.

As inscrições estão abertas na página do evento, no Portal da Unijuí. Confira os valores:

- Valor da inscrição de 09/07 a 17/08

. Estudantes de Graduação e Pós-Graduação: R$ 100,00

. Professores e Profissionais: R$ 180,00

Também é possível o envio de trabalhos no período de 09/07 a 17/08. Consulte as normas e outros prazos de inscrição na página do evento.

                 

A História do Seminário

No ano de 1986, a Unijuí, já como Universidade reconhecida no ano anterior, organizou o I Seminário Internacional sobre as Perspectivas do Ensino de Ciências Agrárias no Sul do Brasil. Este seminário se constituiu em um momento de reflexão extremamente importante para a elaboração do projeto do curso de Agronomia. Com a criação do curso, em 1988, foi incorporada como uma de suas principais características a formação de um profissional voltado para o desenvolvimento. Este seminário também consolidou a cooperação do Departamento de Estudos Agrários da Unijuí com o Instituto Nacional Agronômico de Paris-Grignon (INA-PG), com o apoio da Direção Geral do Ensino Rural do Ministério da Agricultura da França.

No ano de 2008 o curso de Agronomia completou 20 anos e marcou também o início do curso de Medicina Veterinária. Levando-se em consideração estes aspectos, promoveu-se o II Seminário Internacional sobre as Perspectivas do Ensino de Ciências Agrárias no Sul do Brasil. Para tanto, este seminário se propôs a reunir profissionais do Brasil e do exterior, particularmente da França, para refletir sobre o ensino e as perspectivas da área de Ciências Agrárias para o desenvolvimento sustentável da agropecuária, tendo obtido pleno êxito em sua realização.

Nesses anos, a Agronomia formou 48 turmas e um total de 674 Engenheiros Agrônomos, sendo 575 homens e 99 mulheres. O curso de Medicina Veterinária, por sua vez, graduou 181 Médicos Veterinários em 11 turmas, sendo 85 homens e 96 mulheres. Os egressos dos cursos, para além de atuarem na região, estão exercendo suas profissões em diversos estados brasileiros e, alguns, no exterior.

A importância da Agricultura

Um tema que não vai ficar de fora dos debates é a própria agricultura, que foi fundamental para a ocupação do território gaúcho e o desenvolvimento do Estado do Rio Grande do Sul.  Sua evolução criou vários sistemas agrários, que ao seu tempo e forma contribuíram para a atual estrutura fundiária, econômica, social e ambiental do estado.  Atualmente este setor, incluindo as indústrias a ele relacionadas, responde por 40% do PIB, o que reforça a sua importância para o desenvolvimento atual e futuro do Rio Grande do Sul.

A evolução recente da agricultura regional registrou ganhos consideráveis em termos de produtividade dos cultivos e criações. Estes ganhos deveram-se a diversos fatores, que perpassam o manejo, fertilidade e uso dos solos, ao uso de sementes com maiores potencias de produtividade e a intensificação do uso de agrotóxicos. Este conjunto de fatores, entretanto, levaram ao ressurgimento de problemas recorrentes de erosão e degradação dos solos e água, contaminação ambiental e ao acentuado número de registros de doenças relacionadas ao manuseio de agroquímicos, principalmente, de casos de câncer registrados pelo Centro de Oncologia Avançada do Hospital Regional de Caridade de Ijuí, RS.

É neste contexto que a Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul atua. Uma instituição que tem uma história marcada por políticas e ações que expressam o seu compromisso com o desenvolvimento regional visando contribuir para a melhoria das condições de vida da população. Este compromisso tem orientado suas atividades de pesquisa e extensão acadêmica, bem como a criação de seus cursos superiores, especialmente os de Ciências Agrárias, tendo em vista essas características da economia regional.


Compartilhe!