COMUNICA

PORTAL DE NOTÍCIAS DA UNIJUÍ

Projeto de Pesquisa permite aproximar estudantes da realidade do campo

Confira o andamento do Projeto “Composição do leite de vacas de tanques de resfriamento em diferentes estações do ano”, desenvolvido pelo Departamento de Estudos Agrários da Unijuí.

            

 

Com o objetivo de avaliar a composição do leite de vacas obtido de tanques de resfriamento em diferentes estações do ano, a Unijuí desenvolve um projeto de pesquisa para estudar e caracterizar a composição do leite no Estado. O Projeto “Composição do leite de vacas de tanques de resfriamento em diferentes estações do ano”, desenvolvido pelo Departamento de Estudos Agrários (DEAg), da Unijuí, faz-se necessário, tendo em vista que a região Noroeste do Rio Grande do Sul destaca-se na produção leiteira.

Este projeto, que tem andamento previsto até o final de 2019, procura mostrar como a dieta ofertada aos animais em lactação, em diferentes estações do ano, pode afetar os resultados de gordura, sólidos não gordurosos, proteína, lactose, sais, crioscopia e condutividade do leite do tanque de resfriamento da propriedade.

Para isso, professores-pesquisadores, técnicos da área e estudantes bolsistas e voluntários, somam esforços nas atividades de Pesquisa. “O leite é um produto consumido mundialmente. Então, buscar o desenvolvimento da cadeia leiteira na região, com foco na qualidade, é um fator muito importante para que tenhamos um produto de qualidade para consumo”, enfatiza a bolsista do Projeto, Eduarda Pautes Damian.

Dessa forma, a pesquisa pretende contribuir para esclarecer a influência da dieta dos animais sobre a composição do leite na região noroeste do estado do Rio Grande do Sul, além de inovar na apresentação de dados que validem os parâmetros de cobrança pela legislação. “Isso permitirá a discussão de políticas públicas de incentivo ao aumento da produção e formas de orientar os produtores para equalizar déficits nutricionais na dieta dos animais. Sendo um projeto de pesquisa que permite aproximar nossos estudantes da realidade do campo, nos permite retornar, enquanto Universidade, à sociedade o apoio que recebemos em prol do desenvolvimento regional”, observa a coordenadora do Projeto, professora Denize da Rosa Fraga.


Compartilhe!