COMUNICA

PORTAL DE NOTÍCIAS DA UNIJUÍ

Tudo que você "sabe" pode ser mentira

 

Em um mundo onde a informação está na palma da mão e cabe dentro do bolso, notícias equivocadas e tendenciosas circulam rapidamente e são capazes de ditar o rumo de uma sociedade. Neste momento é necessário ter responsabilidade para saber identificar e não disseminar essas informações falsas. 

A professora do Departamento de Ciências Administrativas, Contábeis, Econômicas e da Comunicação da Unijuí, Gisele Noll, explica como é possível identificar uma notícia equivocada e o que fazer quando identificar. 

É possível identificar uma notícia falsa?

Gisele Noll: Sim, é possível identificar uma notícia falsa. Primeiro, precisamos estar alertas para toda informação que chega até nós, principalmente em sites de redes sociais como Facebook e Instagram, além do WhatsApp. 

Como identificar uma notícia falsa?

Gisele Noll: A primeira coisa a fazer é pensar sobre o que recebemos sem compartilhar de imediato. Ler a notícia toda, não só o seu título, além de verificar a fonte da informação para saber se vem de um veículo sério e não de páginas que só postam notícias falsas. Inserir o título da notícia no buscador do Google garante que mais informações sobre ela apareçam, e assim, é possível checar se outros meios de comunicação estão falando sobre o assunto. 

Se ficarmos em dúvida sobre um aspecto específico da notícia, é importante buscar por ele, pois, às vezes, há pequenos pontos de desinformação e distorções dentro da notícia. Em áudios e vídeos é possível fazer a mesma coisa, buscando por informações no Google ou outros buscadores confiáveis. O importante é ficarmos sempre alertas com tudo que chega até nós e ir atrás de mais informações sobre todas as notícias antes de passar para outra pessoa, cuidando se as informações são muito vagas, extremistas, alarmistas ou antigas. 

O que fazer quando identificar uma notícia falsa? 

Gisele Noll: Se for em sites de redes sociais, denunciar o post. Se for pelo WhatsApp, alertar a pessoa que enviou que aquela notícia traz desinformação. Além disso, é preciso sempre verificar a fonte da informação quando ela chega através de mensagens privadas, principalmente pelo WhatsApp. É muito importante falar com pais, mães, avós e pessoas próximas sobre a importância da verificação de fontes de informação, apresentando sites de notícias de confiança e agências de fact checking como a Agência Lupa, Estadão Verifica, Fato ou Fake, Uol Confere, entre outras. 

O que acontece com quem disseminar notícias falsas? 

Gisele Noll: Muitos países ao redor do mundo estão aprovando leis e resoluções para trabalhar com educação midiática. Assim como aprendemos a ler, escrever e refletir sobre distintas disciplinas na escola, deveríamos aprender sobre a mídia desde cedo e não apenas usar ferramentas de comunicação e informação sem problematização.

O que diz a lei?

No Brasil não existe uma lei específica que pune quem dissemina notícias falsas na internet. De acordo com a professora do Departamento de Ciências Jurídicas e Sociais da Unijuí, Joice Nielsson, mesmo que não tenha uma lei específica, a prática pode levar a condenações judiciais. 

“Divulgar fake News pode levar à uma condenação criminal quando praticados, por exemplo, crimes contra a honra  (calúnia, injúria e difamação) de outras pessoa. E na esfera cível isso pode gerar o pagante de uma indenização reparatória, por exemplo. Por sua vez, a Lei 12.965/2014 - Marco Civil da Internet - estabelece diretrizes, garantias, direitos e deveres para o uso da internet, e autoriza os provedores e locais de hospedagem a removerem conteúdos quando sejam comprovadamente falsos ou adulterados” comenta. 

Ainda segundo a professora, a única lei específica contra notícias falsas é a Lei 13.834/19, que torna crime a disseminação de fake news em período eleitoral. 

Confira algumas dicas de boas práticas nas redes sociais

  • Não repasse informação sem checar a fonte e sua veracidade.

  • Confie em informações científicas. 

  • Desminta uma notícia que traz desinformação. 

  • Sempre duvide de vídeos, áudios, fotos e notícias. Hoje, praticamente tudo pode ser manipulado. 

  • Acesse informações de fontes confiáveis e não use somente sites de redes sociais como fonte de notícia.

  •  Insira o título da notícia no buscador do Google para que mais informações sobre ela apareçam.

 

Para ajudar nesse processo, reunimos alguns endereços para ficar bem informado e compartilhar somente o que é verdade. Confira:

Sites

Ministério da saúde: Portal oficial de informações do governo federal https://saude.gov.br/ 

Secretaria da saúde: Portal oficial de informações do governo estadual https://saude.rs.gov.br/coronavirus 

ABRASCO: Associação Brasileira de Saúde Coletiva https://www.abrasco.org.br/site/ 

G1: Portal de notícias da Globo https://g1.globo.com/ 

El País: Últimas notícias do país e do mundo https://brasil.elpais.com/ 

 

Canais no Youtube 

Atila Iamarino
Pesquisador com bacharel em biologia e doutor em microbiologia. Fundador da maior rede de blogs de ciência em língua portuguesa, o ScienceBlogs Brasil. Atualmente faz comunicação de ciência no Nerdologia e no próprio canal no YouTube para mais de 2 milhões e meio de pessoas.


Drauzio Varella

Médico oncologista, cientista e escritor brasileiro. Drauzio é conhecido por popularizar a informação médica no Brasil, através programas de rádio, TV e pela Internet, com um site e canal no Youtube. 



BBC News Brasil

Atua como provedor mundial de notícias em língua portuguesa e agências de notícias, a BBC Brasil possui recursos como agências físicas instaladas em São Paulo e no Rio de Janeiro e equipe especialmente designada em Londres. 

 

Podcasts

Rizoma

Produzido pela Unijuí e Unijuí FM, o Rizoma traz convidados para debater temas importantes da atualidade, como por exemplo, informações sobre o Coronavírus e a participação de especialistas para retratar este assunto. 

 

NerdCast

É líder de audiência no Brasil, alcançando a marca histórica de 1 bilhão de downloads. Este podcast aborda temas como história, ciência, cinema, quadrinhos, literatura, tecnologia, games, empreendedorismo, educação.

Café da manhã

Mantido pelo jornal Folha de S.Paulo, trata de diversos assuntos, como política brasileira e internacional, cotidiano, economia, ciência, cultura, saúde e outros assuntos.

Novo Coronavírus: perguntas e respostas

Lançado pelo G1, esse podcast busca divulgar áudios de especialistas que respondem de um jeito simples e objetivo, as maiores dúvidas sobre o vírus, os riscos da doença, formas de prevenção, entre outras perguntas enviadas pelo público.

 


Compartilhe!