COMUNICA

PORTAL DE NOTÍCIAS DA UNIJUÍ

Agronomia (Bacharelado)

Engenheira Agrônoma conta como participação no Projeto Rondon contribuiu para sua formação

Participar de projetos e pesquisas promovidos pela Universidade possibilita aos acadêmicos a troca de conhecimentos, promove  interação com a comunidade e prepara o estudante para o ambiente de trabalho. A engenheira agrônoma Luana Pietczak, formada pela Unijuí, participou durante a sua graduação do Projeto Rondon - Operação João de Barro (2019/1), realizada no município de Novo Oriente do Piauí (Pi). Atualmente ela trabalha em uma unidade de produção da família. 

Para Luana, o Projeto Rondon foi uma  oportunidade de compartilhar conhecimentos. “Foi uma experiência única, onde consegui compartilhar as experiências adquiridas durante a graduação e também receber algumas. Trouxe para casa um sentimento lindo por ter doado o tempo ao próximo e compreendido tanto, transformando o jeito de pensar e agir. O projeto deixou sentimentos de gratidão e esperança no trabalho voluntário”, explica.

O objetivo da Operação João de Barro era o de promover transformações sociais e contribuir para o desenvolvimento da comunidade onde as ações foram realizadas. Participar dos projetos enquanto universitário é uma oportunidade único, e Luana não mediu esforços para fazer parte da equipe. “Eu sabia que se fosse selecionada o projeto mudaria a minha vida e com certeza mudou, principalmente a forma de pensar e agir. Voltei para casa com outros olhares e tenho muito orgulho de ter feito a diferença na vida de algumas pessoas. Foram grandes experiências, tanto profissional quanto pessoal”, ressalta.

As atividades desenvolvidas durante os projetos permitem experiências importantes para exercer após formados. Segundo  a  engenheira agrônoma, participar do projeto contribuiu para a sua formação. “Sempre foi  meu sonho fazer parte do Projeto Rondon. Vejo ele como uma forma de ajudar o próximo. Quando fui uma das  classificadas, fiquei emocionada. Sabia que nesta oportunidade iria compartilhar todo o  conhecimento adquirido durante minha trajetória acadêmica. Com certeza, foi muito importante para a minha formação a troca de ideias, experiências e a convivência”, finaliza.

Por Evelin Ramos, bolsista de Popularização da Ciência da Unijuí


Prática é diferencial no aprendizado da disciplina de Olericultura

Disciplinas que têm como característica a prática em campo tiveram que ser totalmente revistas no ano de 2020, como é o caso da Olericultura, do curso de Agronomia, segmento da horticultura que engloba a exploração e produção de legumes, vegetais e hortaliças. Conforme explicou o professor Osório Lucchese, no primeiro semestre, as aulas foram quase que totalmente virtuais. “Fazíamos filmagens, fotos, e postávamos durante algumas aulas. Foi um esforço muito grande, que fez com que percebêssemos a importância das aulas presenciais, práticas, para que os alunos consigam vivenciar, fazer observações e refletir sobre o sistema de cultivo de hortaliças”, explicou.

A disciplina está estruturada em três partes: a primeira é organizada geralmente no período de férias, onde os acadêmicos têm um conjunto de conteúdos básicos para produzir uma proposta de itinerário técnico – ou seja, uma proposta para produção de um sistema de cultivo de hortaliças. Os estudantes se dividem em duplas e são sorteadas culturas, como alface e cenoura, para que eles iniciem o trabalho. “A segunda parte envolve a instalação do sistema de cultivo. Os acadêmicos acompanham todas as etapas do sistema, até a colheita, e em cima disso, fazem a sua própria proposta de itinerário, que é apresentada em um seminário”, destacou o professor.

Na terceira etapa da disciplina, ocorre a sistematização das informações, com a produção de artigos, que são escritos nos moldes do Salão do Conhecimento da Unijuí. “Os estudantes estão sempre aprendendo na prática. A partir dos problemas que vão aparecendo, eles buscam soluções”, comenta Lucchese.

Toda essa parte prática é realizada na Horta Didática da Unijuí, sendo que a produção fica para o Instituto Regional de Desenvolvimento Rural (IRDeR). “O volume não é muito grande. Alguma coisa pode eventualmente ser doada e algumas produções os alunos levam para casa, para mostrar aos pais”, comenta o professor, lembrando que, por semestre, cerca de 10 culturas são estudadas – já que, cada dupla, trabalha uma específica. “Lembrando que toda essa horta que temos é de base agroecológica. Não usamos agrotóxicos. Todos os tratamentos ou controles que precisam ser feitos são realizados com produtos referenciados pela agricultura orgânica, como a utilização de produtos biológicos ou receitas alternativas”, reforça. 

 


Estudantes de Agronomia são desafiados a buscar soluções para o campo em concurso nacional

               

O desafio é: solucionar problemas reais do campo. E o chamado é para os estudantes de Agronomia da Unijuí, que tem uma oportunidade enorme de fazer a diferença no 2º Desafio Work&Play - Satis. Este desafio buscará estimular o pensamento crítico entre estudantes e proporcionar experiência no mercado de nutrição vegetal, podendo levar a uma vaga de estágio na empresa Satis, de Minas Gerais, que está entre as 65 maiores de nutrição vegetal no Brasil.

Trata-se de uma competição nacional, de caráter educacional, realizada pela Satis em parceria com as instituições educacionais participantes, com o objetivo de estimular atitudes empreendedoras entre estudantes universitários de graduação, de desenvolver competências e aprimorar habilidades a partir da criação de soluções reais do seu campo de estudo. Os 50 primeiros inscritos vão participar de um processo seletivo na empresa, já os dois primeiros colocados no Desafio ganham um estágio na Satis. Também serão premiados com: 1º Lugar - Notebook Dell e 2º Lugar - Iphone 11.

A organização do Desafio propõe a seguinte questão aos participantes: 

“Quais possíveis alternativas de tecnologias em nutrição vegetal para melhorar o efeito do ciclo do nitrogênio na cultura da soja?” 

 

A partir deste mote, os estudantes deverão desenvolver projetos com viabilidade de execução, com o objetivo de gerar alta produtividade ao produtor.  Acesse o link para saber mais informações, conferir o regulamento completo e fazer a inscrição: http://www.desafioworkandplaysatis.com.br/

Segundo Alécio Radons, suporte técnico da empresa no Rio Grande do Sul, egresso da Unijuí, o grande objetivo é proporcionar experiência na área de atuação da empresa, além do que já é trabalhado nas Universidades. “Todos saem ganhando com este Desafio, que é um estímulo importante na busca de soluções para o campo. Os estudantes terão uma oportunidade interessante de vivência prática, complementando os estudos, trabalhando com quem já está no ramo ”, observa.

A participação da Unijuí no Desafio foi construída a partir de um encontro com a empresa na Expodireto, em Não-me-Toque. "A aproximação com o meio empresarial é uma das missões da Agência de Inovação e Tecnologia da Unijuí. Desafios como este proposto pela Satis conectam a pesquisa da Universidade com os problemas do mercado", observa Maiquel Silva Kelm, gerente da AGIT.

              

Registro da Expodireto, evento realizado de 01 a 05 de março de 2020.


Unijuí recebeu Ciclo de Palestras para debater Olivicultura

               

Na noite desta quarta-feira, 13, o Salão de Atos Argemiro Jacob Brum, no Campus Ijuí, recebeu o Ciclo de Palestras técnico-científico sobre temas relacionados à Olivicultura. Com uma programação variada, o evento foi realizado pela Associação Rio-grandense de Olivicultores (ARGOS) em parceria com a Unijuí, por meio do Departamento de Estudos Agrários (DEAg).

Com o objetivo de agregar à agricultura da Região Noroeste e proporcionar mais conhecimento aos demais interessados no Brasil e na América Latina, a programação do Ciclo contou com as seguintes palestras: “Variedades de oliveira e suas exigências, novas variedades e multiplicação de plantas e temas relacionados”, ministrada por Diego Cabello Pozzo; “Mercado mundial e brasileiro de azeites e azeitonas de mesa” e “Azeite oliva: qualidades e classificações, painel de análise sensorial”, ministradas por Guajará J. Oliveira; e “Azeite de Oliva e a saúde humana”, ministrada por Olvania Basso Oliveira.

Participaram do evento lideranças, produtores rurais da região, professores e estudantes.

Saiba mais sobre os palestrantes

Diego Cabello Pozzo - Agrônomo, Pesquisador da equipe de Pesquisadores da Universidade de Córdoba –Espanha, Especialista em multiplicação e identificação de oliveiras. Especialista em Olivicultura pelo IFAPA –Andaluzia. Aluno do Doutorado em Olivicultura da Universidade de Córdoba.

Guajará J. Oliveira   - Especialista em Olivicultura e Elaiotecnia pelo IFAPA –Andaluzia -Espanha, Expert em Azeite de Oliva pela Universidade de Jaén- Espanha.  Chefe do 1º Panel de Analise Sensorial de Azeites do Brasil, Aluno do Doutorado em Azeite de Oliva e Saúde da Universidade de Jaén.

Olvania Basso Oliveira - Médica, Pesquisadora Especialista em Olivicultura e Elaiotecnia pelo IFAPA –Andaluzia -Espanha, Expert em Azeite de Oliva pela Universidade de Jaén-Espanha, membro do 1º Panel de Analise Sensorial de azeites do Brasil. Aluna do doutorado em Azeite de Oliva e Saúde da Universidade de Jaén.


Unijuí e Prefeitura de Santo Antônio das Missões firmam convênio

                

A Prefeitura de Santo Antônio das Missões firmou parceria com a Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (Unijuí), em seu curso de Agronomia, para o estágio “Diagnóstico de Sistemas Agrários”, entre os dias 03 e 07 de fevereiro de 2020.

O anúncio foi feito na tarde desta quarta-feira, 31, no gabinete municipal, com a presença do prefeito e presidente da Associação dos Municípios das Missões (AMM) Puranci Barcelos, do secretário de Agricultura Vagner da Silva, dos professores Nilvo Basso e Dagmar Camacho Garcia – ambos do Departamento de Estudos Agrários, do engenheiro agrônomo Felipe Oliveski (Unidade de Extensão Rural – DEAg), do técnico de Apoio Matheus Ferreira e da extensionista da Emater Mariele Bremm.

 Segundo a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Rural e Meio Ambiente (Agricultura), o objetivo para o município será fortalecer subsídios para elaborar o planejamento estratégico da agricultura e orientar a gestão do setor agropecuário, como proposições de políticas e projetos de desenvolvimento.

Objetivo acadêmico

Ensinar aos alunos do curso de Agronomia uma metodologia de análise e diagnóstico da agricultura (sistemas agrários), visando compreender a realidade e elaborar linhas estratégicas de desenvolvimento rural.

Fonte: Prefeitura de Santo Antônio das Missões