COMUNICA

PORTAL DE NOTÍCIAS DA UNIJUÍ

Nutrição (Bacharelado)

Professora da Unijuí participa do XXV Congresso Brasileiro de Nutrição

 



A Professora Doutora Ligia Beatriz Bento Franz, nutricionista, vinculada ao Curso de Graduação em Nutrição e ao Programa de Pós-Graduação Mestrado em Atenção Integral à Saúde do Departamento de Ciências da Vida, participou do XXV Congresso Brasileiro de Nutrição – CONBRAN 2018, XV Simpósio Ibero-Americano de Nutrição Esportiva, IV Simpósio Ibero-Americano de Nutrição em Produção de Refeições, IV Simpósio Ibero-Americano de Nutrição Clínica. Evento, realizado de 18 a 21 de abril no Centro de Convenções Ulysses Guimarães em Brasília, teve o tema “Comida: relações de afeto, tradições e direito”.

A professora participou de dois minicursos intitulados:"Novas Perspectivas em Hipertrofia e Sarcopenia" e "Perda de peso sustentável e sem modismos: nova proposta para o emagrecimento consciente, baseada nas fases da curva parabólica da perda de peso".  

Ela também apresentou dois trabalhos intitulados:"ESTADO NUTRICIONAL DE MULHERES NO PERÍODO DO CLIMATÉRIO: POR QUE MONITORAR?", de autoria de LIGIA BEATRIZ BENTO FRANZ e FRANCIÉLI ALINE CONTE; e"ESTADO NUTRICIONAL DE IDOSOS DE UM MUNICÍPIO GAÚCHO NO PERÍODO DE 2008 A 2016 – REGISTROS SISVAN-WEB E E-SUS AB", de autoria de LIGIA BEATRIZ BENTO FRANZ, FRANCIÉLI ALINE CONTE, EVELISE MORAES BERLEZI e MARISTELA BORIN BUSNELLO.

 


Curso de Nutrição orienta pais da EFA sobre lanches saudáveis

Com o objetivo de desenvolver nas famílias uma reeducação alimentar pensando na saúde das crianças, o curso de Nutrição da UNIJUÍ realizou uma atividade de orientação, conhecimento e experimentação com os pais do Centro de Educação Básica Francisco de Assis. A iniciativa foi da turma A11, da Educação Infantil, a partir da observação dos lanches enviados à sala de aula.

Segundo a professora da turma, Sônia Falcão, a escola é um espaço educativo e formador, por isso a preocupação de orientar e estimular vivências a partir da visita ao Laboratório de Nutrição e Dietética da UNIJUÍ. “Na sala de aula estamos trabalhando com empenho para desenvolver na criança hábitos e atitudes, e uma alimentação saudável, de valorização da vida e da saúde, que também é uma proposta da escola como um todo. O objetivo é oferecer para a criança mais alimentos in natura, que chegue no máximo à linha dos processados, e estimular no grupo de uma forma lúdica, encantadora e prazerosa o consumo desses alimentos”, explica.

Além de informações sobre o Guia Alimentar para a População Brasileira, que enfatiza sobre a importância de dar preferência aos alimentos in natura ou minimamente processados, os pais da turma puderam acompanhar de perto a escolha, produção e degustação de lanches mais saudáveis para pré-escolares e escolares. A professora que coordenou a atividade, junto aos acadêmicos de Nutrição do 5º semestre, Mariana Novack, a proposta da turma foi substituir alimentos ultra processados, que muitas vezes são mandados para a escola como lanche, por preparações mais saudáveis. “Devemos ter muito cuidado com relação ao tipo de lanches ofertados para essas crianças pois é na infância que os hábitos alimentares são desenvolvidos, então, procurar enviar para a escola alimentos mais saudáveis, nutritivos e evitar os alimentos ultra processados”, reforça. Entre as receitas elaboradas como sugestão, estão: bolo de couve, pão de queijo de beterraba, pães nutritivos kids, panqueca de banana, mini pizza e sanduíche integrais, cooks ricos em fibras e bolo salgado de legumes.

A partir desta aula compartilhada, já foi possível observar mudanças nos hábitos dos pais, o que reflete diretamente nas crianças, como observa a professora Sônia Falcão. “As crianças não têm muita ideia do ‘meu’ e do ‘teu’. Tudo é ‘delas’, mesmo que esteja no pote do colega, também, na sua visão, lhes pertence, pela característica egocêntrica da faixa etária dos dois anos. O que acontecia era que algumas crianças acabavam não comendo do seu lanche e comendo o lanche do colega que não era tão saudável. Pensamos que se as famílias tivessem uma reeducação alimentar, para que todos mandassem lanches mais nutritivos, que a turma inteira iria desenvolver hábitos alimentares mais nutritivos. A partir desse dia já se teve uma preocupação e já houveram mudanças”, avalia.

Ouça a entrevista na íntegra com a professora Sonia Falcão:



Ouça a entrevista na íntegra com a professora Mariana Novack:



Ouça os depoimentos dos acadêmicos do curso de Nutrição sobre o preparo dos lanches e o contato com os pais da EFA:

Saiba mais sobre a classificação dos alimentos:

- In natura: são aqueles obtidos diretamente de plantas ou de animais (como folhas e frutos ou ovos e leite) e adquiridos para consumo sem que tenham sofrido qualquer alteração após deixarem a natureza. Ex: ovos e frutas.

- Minimamente processados: são alimentos in natura que foram submetidos a alterações mínimas antes de sua aquisição, como processos de limpeza. Ex: cortes de carne congelados e leite pasteurizado.

- Alimentos processados: são fabricados pela indústria com adição de ingredientes como sal ou açúcar ou outra substância culinária em alimentos in natura para deixar sua duração maior e sabor mais agradável. Ex: frutas em calda, sardinha e atum enlatados, alguns pães.

- Alimentos ultra processados: são formulações industriais feitas totalmente ou em grande parte de substância extraídas de alimentos, derivadas de constituintes de alimentos, sintetizadas em laboratório, realçadores de sabor e aditivos. Ex: refrigerante, macarrão instantâneo, salsicha, bolachas recheadas, waffer, chips, achocolatados.


Projeto de Pesquisa realiza Minicurso sobre processamento de Hortaliças congeladas e desidratadas

A Unijuí promove dois Minicursos sobre ‘Processamento de Hortaliças Congeladas e Desidratadas’, com temas essenciais ao processamento de hortaliças por meio de métodos de congelamento e de desidratação. Os cursos acontecem nos dias 17 e 18 de abril das 08h às 17h, no Laboratório de Nutrição da Unijuí.

As atividades são de transferência tecnológica dos resultados do projeto de pesquisa “Agroindustrialização de hortaliças orgânicas cultivadas na região noroeste do RS”, que é desenvolvido pela Unijuí com apoio financeiro da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia do estado do Rio Grande do Sul (SDECT-RS) e tem o apoio da UNICOOPER de Santa Rosa.

Os cursos terão atividades teóricas e práticas em que serão apresentadas informações sobre processamento de alimentos, preparo da matérias-primas para o processamento, elaboração de hortaliças congeladas, elaboração de hortaliças desidratadas, qualidade nutricional, controle de qualidade e armazenamento dos produtos processados.

Participam das atividades aos produtores rurais e seus familiares, agroindústria, técnicos, estudantes e público em geral. As vagas são limitadas e podem ser feitas pelo telefone (55)99686-2945.

As atividades têm a organização e apoio da Agência de Inovação e Tecnologia (AGIT) e Grupo de Pesquisa Alimentos e Nutrição. Os cursos serão ministrados pelos professores Eilamaria Libardoni e Raul Vicenzi, do curso de Nutrição da Unijuí.


Saudável e saboroso: estudantes de Nutrição buscam produtos inovadores e nutritivos

Pensar um novo produto, desenvolver uma receita, testar e depois apresentar para avaliação. Esses foram alguns dos passos que estudantes do curso de Nutrição foram desafiados a completar na disciplina Tópicos Inovadores em Nutrição, orientados pela professora Eila Maria Libardoni Vieira.

Os estudantes tiveram que desenvolver novos produtos com aspectos inovadores. Divididos em grupos, na noite desta quarta-feira, eles apresentaram o resultado aos colegas e a convidados: a Vice-Reitora de Graduação da Universidade, Cristina Pozzobon, o professor de cursos de gastronomia André Sartori, sócio do restaurante Gasteiz Vitória, e para Aline Benso e Mirian Spohr, representantes da Agência de Inovação e Tecnologia da Unijuí.

   
Na foto acima, a defesa dos produtos para colegas da turma e convidados

Foram apresentadas as seguintes concepções de produtos: sorbet de pêssego, muffin de batata-doce roxa, biscoito de farinha de batata-doce distratada, granola utilizando semente de abobora e melancia, biscoito a base de legumes, pão de alho sem glúten, pirogui de butiá, brigadeiru's de maça e trufa de batata-doce.

Segundo a professora do componente curricular, Eila Maria Libardoni Vieira, o desafio foi desenvolver um produto inovador, com qualidade nutricional, que não tenha disponibilidade no mercado. “Os estudantes fizeram uma pesquisa de mercado para identificar a existência ou não do produto e o diferencial dele. Depois fizeram uma análise sensorial em laboratório, para testar a aceitabilidade e a intenção de compra. Baseados nisso, trouxeram uma proposta e fizeram a defesa do produto, englobando custo, preço de venda, qualidade nutricional e até a embalagem dele. Me senti realizada de ver o resultado do trabalho, os estudantes apresentaram produtos com qualidade, além de atender desafios que não são do nosso cotidiano, como o desenvolvimento de um rótulo”, avalia.

O desafio, na avaliação de estudantes que participaram da disciplina, foi muito gratificante. “No curso a gente vem, desde o início, trabalhando a alimentação saudável, somos estimulados a buscar fontes mais orgânicas e a levar esse tipo de alimentação para a população. Por isso me senti muito realizado, surgiu muita coisa bacana na atividade”, observa Jaderson Oliveira de Moura, estudante do 7º semestre.

“É possível fazer algo saboroso e atrativo. Trabalhar com diferentes públicos e suas peculiaridades foi bem desafiador. Sem contar que as características dos produtos levam em conta questões alimentares regionais, a gente quer valorizar o que é o nosso, justo pelo fato de tentar combater o grande consumo e as doenças relacionadas com a obesidade”, complementa a estudante Bruna Endl Bilibio, do 6º semestre de Nutrição. 

Confira, na galeria de fotos, um pouco do que foi a atividade


Receitas de Família: comida, lembranças, amor e técnicas dietéticas

Os estudantes da disciplina de Técnica Dietética II do Curso de Nutrição da Unijuí, realizaram trabalho de finalização da disciplina com o Tema ‘Receitas de Família’. Cada grupo pesquisou uma receita de família com os conhecimentos passados de geração em geração. A partir da definição das receitas pesquisaram a sua história e os ingredientes, as medidas caseiras, utensílios utilizados e técnicas de preparo.

Para a construção da atividade os conhecimentos construídos na disciplina foram utilizados para a construção de um artigo e da ficha técnica da preparação. Para a apresentação do trabalho foram utilizados vídeos e slides contanto a história da receita com muitos componentes agregados, incluindo a emoção.

Segundo as estudantes Danieli Simon, Estéfani Lauxen e Jaqueline Dahmer comer com a família era uma realidade muito presente. Até algum tempo atrás, as famílias faziam suas refeições sentadas à mesa, costume que foi se perdendo com o passar do tempo. 

A estudante Liriane da Chaga durante a apresentação do tortéi da Nona Inês conta que todo o sábado a nona faz essa receita, independente de quantos filhos e netos vão ir para comer “aliás casa humilde, comida de verdade, essa é a história da nona italiana, que deixará um legado enorme, quando aqui não estiver” comenta.

Releitura de receitas, utilizando ingredientes como farinha de trigo integral também foram apresentadas. A Lasanha californiana feita pela bisavó da estudante Liliane dos Santos, dona Laura ainda hoje é apresentada em festas no interior de Entre-Ijuís, na Esquina Rondinha.

Muitas histórias foram contadas, na Sopa de Milho da família Minetto, feita e servida ainda hoje na família durante a ceia do Ano Novo como desintoxicante, no “Xinxim de Galinha” da vó Aroni Nilva Fleck, avó da Pamela Fleck, receita vinda do Mato Grosso, na canjica de todos os sábados do pai da Arielle Lima, na Quirerinha e nas rosquinhas de polvilho e no doce da Gissel vindo do Paraguai com sua história. 

Para finalizar as apresentações foram apresentadas duas receitas da Família das estudantes Daniele Nunes da silva e Gisele Penteado Nunes que são da cidade de Garruchos. “Uma receita basta para sermos transportados ao gosto acolhedor da infância em um prato de sopa ou um petisco doce”.  O grupo apresentou um prato salgado chamado Preguiça de “Muié” (Sopa) assim chamado pela Alzira Nunes que aprendeu a receita com sua sogra de origem indígena, Brandina Nunes.

Alzira conta que antigamente não existiam muitos mercados e que as condições da família eram poucas, então a comida era plantada. Ela fazia a sopa para o marido e os 14 filhos, pois essa sopa sustentava e é fácil de fazer. O prato doce “Koeksister” (semelhante a um bolinho de chuva) é uma receita da avó de 100 anos de idade Alda Nunes de descendência africana que aprendeu quando morava na África. 

As estudantes apresentaram junto com a história uma música feita em homenagem ao avô, Chico Capincho. Após as apresentações os partos foram degustados pelos estudantes e junto uma história de várias famílias.

Os espaços foram decorados e utensílios de preparo e itens de decoração das famílias foram incluídos.O trabalho além de proporcionar conhecimentos na área da Técnica Dietética trouxeram um emaranhado de outros sentimentos como o amor da cozinha de vó, ou seja da família, as técnicas de preparo da cozinha doméstica (onde são iniciados os conhecimentos sobre comida de verdade), a importância de manter viva a chama de uma comida com ingredientes in natura, os conhecimentos sobre os alimentos (comida).

As lembranças tomaram conta da aula no laboratório de Nutrição e o encantamento pela Ciência da Nutrição encantou os estudantes em cada apresentação, discussão e na finalização com a degustação. Os objetivos delineados pelos estudantes e professora são que trabalhos sejam aprimorados e apresentados em eventos, artigos e jornais. 


Pesquisa do Curso de Nutrição vai avaliar riscos nutricionais de estudantes de Santo Augusto

O Curso de Nutrição da Unijuí junto com a Secretaria Municipal de Educação de Santo Augusto inicia, nos próximos dias, a pesquisa “Avaliação do Estado Nutricional, Consumo Alimentar e Atividade Física de Escolares da rede municipal de ensino”. A pesquisa envolve os trabalhos de Conclusão do Curso de Nutrição das estudantes Bruna Bohn, Claires Koop e Taís Siqueira.

A investigação pretende contribuir com a identificação do estado de saúde e detecção dos possíveis riscos nutricionais que se apresentam na população escolar. Serão avaliados aproximadamente 1550 estudantes, de ambos os sexos, que frequentam a educação infantil, pré-escola e ensino fundamental do meio urbano e rural do município.

Participam ainda da equipe de pesquisa as professoras Ligia Beatriz Bento Franz e Maristela Borin Busnello, Nutricionistas e Orientadoras da Pesquisa e a Nutricionista responsável pela Alimentação Escolar do município de Santo Augusto Taize Andréia Rodrigues.

A primeira reunião de trabalho ocorreu em 17 de agosto, quando as pesquisadoras estiveram reunidas na sala da Ana Paula da Rosa Reis, Secretária Municipal de Educação e Cultura, para as tratativas iniciais da pesquisa de campo.