COMUNICA

PORTAL DE NOTÍCIAS DA UNIJUÍ

Coronavirus

Universidades promovem o evento Enfrentamento à Covid-19: horizontes da Educação

Evento vai discutir os principais pontos de atenção nas áreas epidemiológica, pedagógica e jurídica

 

   

         

Nos últimos meses, escolas e instituições de ensino superior vêm se desdobrando para que a educação não pare durante a pandemia. E se a nova rotina mudou a forma de educar, é importante refletir sobre como será o novo futuro educacional. Pensando nisso, Crub, Abiee, Abruc, Abruem, Acafe, Andifes, Anec, Anup,  Comung e Forcom vão promover o Enfrentamento à Covid-19: horizontes da Educação.

Será uma série de webinars para levar informações atualizadas e novas perspectivas que vão ajudar reitores, dirigentes de instituições de ensino, diretores de escola, coordenadores, professores e corpo jurídico a se preparem para a volta à presencialidade. O evento ocorre de 22 a 24 de junho, com a participação de nomes nacionais e internacionais, e vai discutir os principais pontos de atenção nas áreas epidemiológica, pedagógica e jurídica.

As inscrições são gratuitas. Para mais informações e participar do evento, acesse o nosso site: https://bit.ly/Horizontes_Educacao


Unijuí publica resoluções acadêmicas em razão da pandemia de Coronavírus

          

Confira portarias que regulamentam atividades acadêmicas da FIDENE/UNIJUÍ enquanto durar a pandemia da covid-19:

Resolução AUTORIZA “ad referendum” da plenária do CONSU, em caráter excepcional, a substituição das aulas presenciais em andamento no primeiro semestre de2020, por aulas que utilizem meios e tecnologias digitais por um período de trinta dias, atendendo ao disposto da Portaria MEC nº 343 e também visando primar pelo cumprimento do calendário acadêmico sem prejuízos aos estudantes, professores e técnicos-administrativos e de apoio durante a pandemia do novo coronavírus - COVID-19 instalado no país. Leia o documento clicando aqui.

Outra resolução do o Consu autoriza, de forma extraordinária, enquanto perdurar a pandemia COVID-19, aplicar a sistematização para as disciplinas na modalidade presencial e a distância de modo online. Confira na íntegra a resolução

Além disso, a Vice-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão também regulamenta aulas, atividades, bancas e outras situações. Clique aqui para ler o despacho na íntegra.

 

 

 

 

 

 

 


Unijuí recebe equipamento do CISA para a realização de testes do Coronavírus

                     

O Consórcio Intermunicipal do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul - Cisa, efetuou a entrega à Fidene/Unijuí de equipamento para a realização de testes de covid-19. Trata-se de um Termociclador para teste PCR, importado dos Estados Unidos, para detectar a fase aguda da doença, ou seja, se a pessoa está com o vírus presente no corpo. O equipamento será utilizado no Laboratório de Análises Clínicas da Universidade (Unilab). A previsão é de que o trabalho seja iniciado na primeira semana de julho, após adequações no Laboratório e treinamento da equipe responsável. 

Segundo o Cisa, o investimento realizado por parte dos municípios associados foi de aproximadamente R$ 220 mil e, em contrapartida, a Unijuí está executando obras de adequação para a instalação desse equipamento em sua estrutura física, compra de equipamentos e ampliação da equipe técnica do laboratório. O processamento será inicialmente exclusivo para os exames do tipo PCR, atendendo aos 41 municípios associados. O equipamento possibilitará a realização de 30 análises por dia e cerca de 10 técnicos irão receber a capacitação para operacionalizar a máquina. Ainda de acordo com o Cisa, existe a possibilidade de ser adquirido um equipamento extrator de RNA, que poderá aumentar para até 100 testes diários. 

O ato de entrega, realizado na manhã de quarta-feira, dia 17 de junho, foi presidido pelo presidente da entidade, Celso José Dal Cero, prefeito de Vista Gaúcha/RS; e do vice-presidente, Eduardo Buzzatti, prefeito de Pejuçara/RS, contando com a presença da diretora executiva do Cisa, Elizabete Rolim, bem como representantes da Unijuí, o Vice-Reitor de Administração, professor Dieter Rugard Siedenberg; a professora Bruna Comparsi, coordenadora do Curso de Biomedicina; e o professor Matias Frizzo, coordenador do Unilab; além da presença do prefeito de Ijuí, Valdir Heck. Também participaram do ato de entrega as seguintes autoridades: Eder Both, prefeito de Chiapetta, Valmir Land, prefeito de Condor,  além do Departamento Jurídico do Consórcio, Drs. Gilberto Scapini e John Régis Gemelli dos Santos.

 


Museu fará exposição a partir de fotos feitas durante a pandemia

Comunidade é convidada a integrar a exposição, a partir de registros fotográficos realizados durante o período de isolamento social.

Buscando formas de engajar ainda mais a comunidade com as atividades do Museu Antropológico Diretor Pestana (MADP), foi lançado o projeto “Além da Janela”. A ideia é convidar as pessoas a compartilharem por fotografia a paisagem que visualizam, além das suas janelas, durante este período de distanciamento social. Futuramente esse material será preservado no acervo, como uma forma de registro histórico.

Quem quiser participar deve enviar seu material até o dia 30 de junho de 2020. Após a data, serão selecionadas as imagens para compor a galeria virtual. As fotos serão disponibilizadas, ao longo das semanas, nas redes sociais do Museu no Facebook (https://www.facebook.com/MADPUNIJUI/) e no Instagram (@museumadp)

Sobre os critérios de seleção: a fotografia enviada deverá estar no formato horizontal e ser de uma paisagem de Ijuí, sendo considerado como critério de seleção apenas a qualidade do documento produzido e a adequação à proposta. Para participar você deve enviar a sua fotografia para o e-mail madp@unijui.edu.br, descrevendo o conteúdo: título da imagem, local, data e autoria; bem como deverá ser preenchido e enviado no mesmo e-mail, um termo de cessão, disponibilizando o uso total para divulgação nas redes do Museu. O termo pode ser acessado no seguinte link: https://bit.ly/ExposiçãoMADP. Participe mostrando o que você visualiza além da sua janela, neste período de isolamento social.


A SELIC, OS BANCOS E A PANDEMIA

O Copom voltou a reduzir a taxa Selic, trazendo a mesma para 3% ao ano em sua última reunião. O objetivo aparente é reanimar a economia nacional nocauteada pela recessão de 2015/2016 e posta à lona pela pandemia da Covid-19 neste início de 2020. Entretanto, este objetivo não será atingido. O melhor que a redução da Selic fará é a redução dos juros da dívida pública. No restante, a mesma não chega na ponta empresarial e consumidora em geral, e eleva a fuga de dólares do país, ajudando a provocar esta brutal desvalorização do Real (em quatro meses o dólar se valorizou ao redor de 45% em relação a nossa moeda). Ora, se no curto prazo o Real fraco ajuda o setor exportador, acaba, sob olhar do conjunto da balança comercial, surtindo pouco efeito neste momento porque o mundo também está parado devido a pandemia e, portanto, comprando bem menos (algumas commodities, como a soja, têm sido exceção). Por outro lado, as importações se tornam muito mais caras, penalizando o setor produtivo nacional, pois aumenta custos. Por enquanto, como vivemos um período de inflação baixa, pois a economia está freada, este efeito geral ainda pouco se observa. Mas há um potencial inflacionário gestado aí caso nossa economia consiga se normalizar, em especial a partir de 2021. Por outro lado, na ponta final (empresários e consumidores) o juro real subiu, contrariando a lógica da Selic. E isso tem sido recorrente em nosso país. O risco de inadimplência aumentando, no seio da crise, permite aos bancos usarem este elemento como justificativa para manterem seus lucros em níveis elevados, não colaborando com as necessidades nacionais diante da crise excepcional em que vivemos. Afora isso, os bancos estão dificultando sobremaneira, através de exigências e burocracia, a chegada do dinheiro aos que mais precisam, particularmente as micro e pequenas empresas. Assim, se o isolamento social prejudica à economia, é a desestruturação de seu funcionamento, sem que o Estado consiga evitá-la, pois igualmente mal organizado, que aumenta o problema.