COMUNICA

PORTAL DE NOTÍCIAS DA UNIJUÍ

Ensino

Docente do DEJ lança livro sobre “Medo e Direito Penal”

O professor Maiquel Dezordi Wermuth, Mestre em Direito Público e docente do Departamento de Estudos Jurídicos da UNIJUÍ, publicou o livro “Medo e Direito Penal: reflexos da expansão punitiva na realidade brasileira”, resultado de seu Mestrado, defendido recentemente na Unisinos. Editado pela Livraria do Advogado, o livro já está disponível nas livrarias e será institucionalmente lançado no decorrer de março, em data a ser confirmada.

Conforme destaca o autor, na sinopse do livro, uma difusa e constante sensação de medo pode ser considerada enquanto principal característica da sociedade globalizada. Como conseqüência inafastável deste forte sentimento de insegurança, tem-se o aumento da preocupação com as novas formas de criminalidade que se apresentam nesta realidade, notadamente as relacionadas às organizações criminosas e ao terrorismo, que fazem com que o Direito Penal experimente um processo de expansão, visto que é eleito pelo legislador como instrumento privilegiado para responder eficazmente aos anseios por segurança da população.

Com isso, o medo é inserido no Direito Penal, ou seja, no sentido de dar a uma população cada vez mais atemorizada diante do medo generalizado da violência e das inseguranças da sociedade líquida pós-moderna, uma sensação de “tranquilidade”, restabelecendo a confiança no papel das instituições e na capacidade do Estado em combatê-los por meio do Direito Penal, ainda que permeado por um caráter meramente simbólico.

No entanto, a inserção do medo no do Direito Penal redunda, em especial no que diz respeito aos países de modernidade tardia como o Brasil, no medo do Direito Penal. Isso decorre do fato de que, aliado ao simbolismo penal, o processo de expansão punitiva também abarca uma dimensão extremamente punitivista voltada à persecução dos “medos tradicionais” da dimensão “não tecnológica” da sociedade de risco.

Com efeito, por meio da utilização de equiparações conceituais equivocadas bem como de estereótipos construídos pela intervenção principalmente dos meios de comunicação de massa, passa-se a dar maior ênfase à criminalidade “tradicional”, pugnando-se pelo recrudescimento punitivo e pela consequente flexibilização de garantias penais e processuais penais.

Dessa forma, o medo no e do Direito Penal presta-se à manutenção da violência estrutural inerente ao modelo de formação da sociedade brasileira, pautado no autoritarismo e na submissão dos desvalidos à vontade dos detentores do poder econômico, e, por outro, a garantir a imunização penal dos grupos sociais que ocupam, nesta estrutura, espaços privilegiados de poder. Ou seja, o medo serve como instrumento de reprodução da configuração de relações sociais excludentes e autoritárias que estão enraizadas na sociedade brasileira.

Curso de formação continuada na área de Matemática já tem mais de mil inscritos

O Curso de Formação Continuada de Professores de Matemática “Materiais Virtuais Interativos para o Ensino da matemática” na modalidade EAD, totalmente gratuito, com fluxo contínuo de entrada recebeu, desde o dia 18 de fevereiro, mais de mil inscrições. O curso é coordenado pela professora Tânia Michel Pereira, do Departamento de Física, Estatística e Matemática da UNIJUÍ.

O curso é uma das ações do projeto de extensão “O uso da informática no ensino da matemática na educação básica”. O projeto conta com o financiamento do Fundo Institucional de Extensão (FIE), com bolsa PIBEX – Programa Institucional de Bolsas de Extensão da UNIJUÍ e conta com a participação do NTE/36ª Coordenadoria Regional de Educação desde 2005, além da participação de voluntários.

O curso oferece, atualmente, 56 tópicos de atividades que totalizam 250 horas, sendo a maioria com carga horária de 4h cada. O cursista pode escolher os tópicos de sua preferência de modo a formar um curso individualizado com carga horária de 20 a 120 horas. O cursista pode aprender a utilizar e/ou produzir matérias virtuais interativos para o ensino da matemática na educação Básica. Os inscritos também podem optar em utilizar as apostilas do curso para estudos individuais, sem envio de tarefas para avaliação, ou para servir de subsídio na formação de professores, como é o caso dos inscritos que atuam como multiplicadores nos NTES em diversos estados do Brasil. O anúncio do curso pode ser acessado no endereço: http://www.projetos.unijui.edu.br/matematica/oferta4.html




EFA: da volta às aulas a construção do conhecimento



Na EFA, os professores voltam à escola antes dos alunos, por uma razão muito forte: ser eterno estudante. A equipe de professores e auxiliares pedagógicos foi recebida no Ciclo de Estudos de Verão por representantes dos pais, com depoimentos, música e poesias que reforçaram o quanto a EFA respeita a individualidade de seus filhos, o quanto trabalha com as diferenças, com o tempo e com o modo de cada um, potencializando a aprendizagem, a busca pelo conhecimento, desenvolvendo a argumentação a partir de “O mundo está aberto para quem pensa”. Assim, o estudante resolve, assume, cria e interage com um ensino contextualizado e forte.

Pedro Darci de Oliveira e Cleuza Noal Brutti, pais do Ensino Fundamental e Educação Infantil, foram os pais convidados para compor parte do momento de estudo dos professores. A mãe Cleuza, em seu depoimento, destacou que dentre muitas escolas visitadas para a sua filha estudar, desde o momento que chegou em Ijuí e na EFA foi bem acolhida e se sentiu segura. O que mais chamou sua atenção foi o grande valor que a escola dá à arte, à música e ao meio ambiente, além de que, estudando na EFA, sua filha consegue somar os valores de família com os valores ensinados pela escola.

Pedro Darci começou referendando o livro Pedagogia dos Caracóis, de Rubem Alves, como uma ótima leitura para pais e, imprescindível para professores efetuarem em algum tempo de suas vidas. Reforçou que o professor, antes de ensinar saberes, tem de provocar o amor, e a escola deve ser um espaço em que os alunos aprendam o prazer de ler, escrever e contemplar a natureza. Mencionou, também, que a leitura lhe provocou compreender ainda mais que o professor precisa ter coragem para concretizar a missão de educar. Pedro Darci comparou os filhos como jóias raras e os professores da EFA como joalheiros, pela devida valorização que dão a cada estudante e suas singularidades no ato de aprender.

Durante o Ciclo, o grupo de professores otimizou a organização ao retorno letivo, projetando como recepcionar cada nível escolar. Os estudantes dos Anos Finais e Ensino Médio tiveram o início do ano letivo na quinta-feira, 24, e foram recepcionados no Auditório da Sede Acadêmica EFA/UNIJUÍ, com atividades e estudos diferenciados. Já as crianças dos Anos Iniciais e Educação Infantil terão o início do ano letivo na segunda-feira, 28, à tarde e os estudantes da Educação Profissional, nesta mesma data, à noite.

Pais das crianças que frequentam o turno da tarde poderão agendar entrevista com a professora, nos dias 24 e 25, inscrevendo-se nos horários disponibilizados.

Texto e fotos: Assessoria de Comunicação / EFA

UNIJUÍ e Sindilojas organizam oficina básica de apoio para o trabalho com surdos

A UNIJUÍ será parceira do Sindilojas Ijuí na promoção da Oficina Básica de Apoio para o Trabalho com Surdos, que será desenvolvida de 31 de janeiro a 04 de fevereiro, tendo por local a Associação Comercial e Industrial de Ijuí. O intérprete internacional de Libras, Marco Antônio Arriens, estará em Ijuí ministrando a oficina.

A inclusão é um tema amplamente debatido na atualidade, o que motivou a realização da oficina, que pretende oportunizar a todos que tenham interesse em trabalhar na área um aperfeiçoamento. Poderão participar da oficina profissionais das áreas da fonoaudiologia, psicologia, psicoterapeutas, professores, assistentes sociais, intérpretes da Língua de Sinais que atuam em Ministérios com Surdos, familiares de surdos e demais interessados neste tema.

O profissional TILS – Tradutor/Intérprete da Libras (profissão agora regulamentada por Lei Federal nº 12.319/2010(1) ) está legalmente habilitado a exercer todas as funções nos mais diversos segmentos públicos e privados mencionados na Lei, em todos os níveis de aprendizagem e acessibilidade.

Marco Antônio Arriens é reconhecido internacionalmente pelos seus cursos e palestras como Intérprete de Libras, com formação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e Gallaudet University Washington DC, Mestrando Doutorando em Psicologia Social na área da surdez e atuação como assessor de profissionais de Educação Especial em diversos estados do Brasil e no exterior, há mais de 28 anos, já tendo formado mais de 8.500 alunos no mundo todo.

Reside em Curitiba, e desenvolve um audacioso projeto com surdos e intérpretes para surdos, através do Instituto Keiraihaguiai e apoio a Provílis (Produto de Vídeos e Literatura para Surdos).

A Oficina Básica para o Trabalho com Surdos inclui teoria e prática, carga horária de 40 horas, com encontros nos turnos da tarde e noite. As vagas são limitadas, e o custo é de R$ 85,00. Inscrições poderão ser realizadas com Daniela, no Sindilojas. Para informações os telefones são 55.9137.8808 e 55.3332.7455.

Detec/Unijuí comemora novas aprovações em mestrado

A coordenação dos Cursos de Ciência da Computação, Informática: Sistemas de Informação e Computação - Licenciatura, do Departamento de Tecnologia da UNIJUÍ, recebeu a confirmação da aprovação de acadêmicos na seleção do Mestrado em Computação da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM).

Os cinco acadêmicos são do curso de Informática: Sistemas de Informações, e foram selecionados para o Mestrado em Computação, nas seguintes ênfases: Computação Aplicada - Leonardo Minelli; Linguagens de Programação e Banco de Dados - Luis Fabio Faccin, Marta Breunig e Regis Rodolfo Schuch; e Processamento Paralelo e Distribuído - Camila Cerezer Possobom. 
 




PET Biologia retoma atividades recepcionando novos bolsistas

O Programa de Educação Tutorial (PET Biologia) retomou suas atividades, após feriado de final de ano, na quarta-feira, 05 de janeiro. O retorno foi marcado pela recepção aos novos bolsistas selecionados em dezembro último, que iniciaram suas atividades se integrando na redação do relatório de 2010 e organização do cronograma 2011. Após a organização das atividades, realizou-se confraternização juntamente com os professores colaboradores do Programa.

O PET Biologia conta hoje com um grupo de 12 bolsistas sendo eles: Anderson Fidêncio da Silva, Ana Claudia Escaio, Ana Paula Taborda, Caroline Hartmann, Eloisa Basso, Fabiane Batista, Geodeli Corrêa, Jeanine Neckel, Patrícia Madke, Roberta Marques, Sidiane Beuter, Taisson Kroth e a tutora Dra. Mara Lisiane Tissot-Squalli.

A primeira proposta de atividade do PET para 2011 consiste em viagem em de estudos a Cambará do Sul, de 21 a 23 der janeiro, aberta a toda comunidade acadêmica e externa. Mais informações podem ser obtidas pelo e-mail petbio@unijui.edu.br.