COMUNICA

PORTAL DE NOTÍCIAS DA UNIJUÍ

Institucional

Temática da ONU norteia debate no Dia Mundial da Água

Instituído pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 1992, o Dia Mundial da Água foi celebrado nesta segunda-feira, dia 22 de março, com um evento online na Unijuí. Com transmissão pelo canal do Youtube e aberto ao público, o debate aconteceu por meio da disciplina de Sustentabilidade Ambiental Aplicada, dos cursos de Medicina Veterinária e Engenharia Química, ministrada pela professora Joice Viviane de Oliveira. Corsan e Prefeitura Municipal apoiaram o evento.

Conforme Joice destacou na abertura do evento, neste ano, a ONU propôs o tema “Valorizando a água”, com o questionamento: o que a água significa para você?

“No mundo, temos 2,2 bilhões de pessoas vivendo sem acesso ao serviço de abastecimento de água e a expectativa é que, em 2050, sejam 5,7 bilhões de pessoas vivendo em áreas com escassez de água, pelo menos durante um mês”, destacou, lembrando que as mudanças climáticas se apresentam como um grande desafio, assim como o crescimento populacional.

“Enquanto a população avança, aumenta a demanda por água, por energia e por alimentos. A sociedade e os governos ainda não encontraram uma forma de garantir a água e o saneamento para todos, até 2030, conforme os próprios objetivos da Agenda de Desenvolvimento Sustentável, propostos pela ONU”, ressaltou. O debate foi mediado por Joice e por Fabiane Schwede (Química/Corsan).

O evento contou com palestra sobre “Usos da água e ações de planejamento de recursos hídricos e gestão da informação na Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA)”. À frente da palestra, esteve o superintendente adjunto de Planejamento de Recursos Hídricos da Agência e mestre em Recursos Hídricos e Saneamento Ambiental, Flávio Hadler Tröger.

Na sequência, aconteceu a palestra “Corsan, Soluções Ambientais”, com Rildo Goulart Peres, do Departamento de Resíduos Sólidos e Sustentabilidade da Companhia Rio-Grandense de Saneamento (Corsan), mestre em Educação em Ciências.

 


Itecsol firma parceria com entidades e dá sequência a projeto de produção de vassouras

A Incubadora de Economia Solidária, Desenvolvimento e Tecnologia Social (Itecsol), vinculada à Agência de Inovação e Tecnologia da Unijuí (Agit), conseguiu avançar no projeto que prevê a produção de vassouras com garrafas pet. A iniciativa, que começou a ganhar forma no ano de 2013, acabou encontrando entraves durante a sua execução.

“Na época, tínhamos pensando no projeto com a produção sendo realizada pela Acata, a Associação de Catadores de Materiais Recicláveis de Ijuí. No entanto, percebemos, no momento da execução, que tínhamos algumas limitações: a associação contava com grupo reduzido de trabalhadores, que se dedicava à triagem dos materiais a serem processados no galpão. Ou seja, para dar conta da produção das vassouras, os catadores precisavam parar a triagem ou dividir o grupo, e isso, a curto prazo, não era economicamente viável”, explicou a responsável técnica pela Itecsol, Elizandra Pinheiro da Silva.

O projeto parou, até ser retomado no ano passado, quando o servidor público, e agora vereador, Ubiratan Erthal, informou que outra entidade social estaria interessada na iniciativa: o Sítio de Acolhimento SOS Vida, que dá apoio a homens em situação de vulnerabilidade social.

Após uma série de reuniões, nesta terça-feira, dia 23 de março, foi realizada a assinatura do convênio de cooperação para cedência dos equipamentos ao Instituto SOS Vida, para produção das vassouras. “Para confecção das cerdas, vamos estar repassando 500 unidades de cepas e cabos, que já estão fabricados, sendo 100% com materiais recicláveis. A produção ficará a cargo dos internos do SOS Vida, mas as pets serão adquiridas da Acata. Ficamos felizes de conseguir avançar neste projeto que tem uma importância social, para as duas instituições, e ambiental, já que utiliza materiais recicláveis”, reforçou Elizandra, destacando que, por enquanto, as vassouras serão usadas internamente, no Instituto, e algumas unidades irão para a Acata. Posteriormente, a ideia é buscar parceiros e destinar unidades às escolas e ao Município. 

Ubiratan Erthal falou da importância de buscar soluções para a economia local, por meio de iniciativas que colaborem com o sustento de famílias e, principalmente, com a preservação ambiental. “A comunidade também será uma parceira deste projeto, adquirindo, posteriormente, o produto final, que são as vassouras”, lembrou.

Para a presidente da Acata, Ana Alice de Vargas, a parceria vai colaborar com as duas entidades e, ainda, permitirá o uso dos equipamentos que estavam parados.

Presidente do Instituto SOS Vida, Marcelo Meneghini ressaltou que a expectativa não é vender vassouras, mas o projeto, que tem a sua importância por envolver duas entidades e por trabalhar a preservação do meio ambiente.


Unilab e Cisa trabalham para adquirir novo equipamento para detecção da covid-19

O Laboratório de Análises Clínicas (Unilab) da Unijuí está, em parceria com o Consórcio Intermunicipal de Saúde (Cisa), buscando viabilizar a compra de um novo equipamento, um Termociclador QuantStudio 3, utilizado para análise de testes RT-PCR, para detecção da covid-19. O aparelho custa cerca de R$ 130 mil.

Conforme explica o coordenador técnico do Unilab, professor Matias Nunes Frizzo, um primeiro equipamento já foi adquirido por meio da parceria com o Cisa, que abrange 41 municípios da região. No entanto, diante do agravamento da pandemia, o Laboratório já não tem capacidade operacional para processar todas as amostras que chegam.

“Nós já estamos trabalhando para além da nossa capacidade. Nosso teto de processamento é de 150 testes por dia, mas já estamos trabalhando com a média de 200. Para atender à demanda, contratamos novas pessoas e aumentamos as jornadas de trabalho. Nós precisamos adquirir um novo equipamento para atender os municípios e, quem sabe, até dobrar a capacidade”, explicou o professor.

A ideia é sensibilizar os municípios, para que a compra aconteça de forma partilhada. “Estamos vivendo um momento em que os municípios, os serviços de saúde, estão precisando de muitos testes. Além disso, todo aparelho precisa de manutenção. Como o equipamento que temos está trabalhando com uma demanda alta, teríamos mais segurança se houvesse um segundo. Dessa forma, não seria necessário interromper o serviço, frente a qualquer problema”, explicou Matias.


Fidene e Bom Pastor assinam contrato que beneficia funcionários

A Fundação de Integração, Desenvolvimento e Educação do Noroeste do Estado (Fidene), mantenedora da Unijuí, Centro de Educação Básica Francisco de Assis (EFA), Museu Antropológico Diretor Pestana (Madp) e Rádio Unijuí FM, assinou um contrato com o Hospital Bom Pastor, para adesão ao Cartão Saúde.

O ato aconteceu nesta sexta-feira, dia 19 de março, e contou com a presença da presidente da Fidene e reitora da Unijuí, professora Cátia Maria Nehring; do diretor executivo da Fidene e vice-reitor de Administração da Unijuí, Dieter Siedenberg; do presidente do Hospital Bom Pastor, Martinho Kelm; do gerente da Coordenadoria de Gestão de Pessoas, José Luis Bressan; do consultor comercial Fersen Duarte; e do responsável pelo cadastro do Cartão Saúde, Adam Castro.

A assinatura do contrato permite que os funcionários realizem a adesão ao Cartão Saúde, que oferece uma série de benefícios para o titular e seus dependentes. O cartão oferece descontos em consultas com especialistas, internações clínicas e cirúrgicas, exames por imagem, exames de análises clínicas, fisioterapeutas, psicólogos, nutricionistas e dentistas.

Conforme destacou Fersen, o Cartão Saúde é um convênio firmado entre o hospital e os médicos que compõem o corpo clínico, laboratórios e clínicas. Conta com uma tabela própria e uma mensalidade acessível. De acordo com Martinho Kelm, os valores pagos pelos procedimentos ficam até 30% mais baixos que a tarifa social, sendo o Cartão Saúde ideal para quem ainda não tem um plano de saúde.

Para o gerente da Coordenadoria de Gestão de Pessoas, José Luis Bressan, a parceria é mais uma oportunidade de acesso a serviços de saúde de qualidade a professores e técnicos administrativos e de apoio. Ele explica que o serviço será divulgado ao quadro interno e que a adesão ocorrerá por meio do preenchimento de um formulário, na Central de Atendimento ao Funcionário (CAF).


Unijuí lança série que resgata um ano de pandemia

Há um ano, quando a pandemia de covid-19 começava a tomar conta do País, a Unijuí iniciava todas as suas atividades acadêmicas de forma online. A medida foi tomada após a publicação do Decreto Estadual, no dia 14 de março de 2020.

Em apenas três dias, a Universidade migrou todas as suas disciplinas para o ambiente online, visando dar continuidade às suas atividades e garantir a integralidade do semestre. A partir de então, uma série de medidas foi tomada: seja para o enfrentamento da doença, seja para garantir a qualidade das aulas aos estudantes da graduação e pós-graduação.

Para demonstrar um pouco desta trajetória, foi criada a série de reportagens ‘Um ano de pandemia: reinvenção para além das máscaras’. Composta por sete episódios, a série começa a ser divulgada nesta sexta-feira, dia 19 de março, no Youtube e redes sociais da Instituição. Toda sexta-feira, um episódio será lançado.

No primeiro, a presidente da Fidene e reitora da Unijuí, professora Cátia Maria Nehring, a vice-reitora de Graduação, Fabiana Fachinetto, e o vice-reitor de Administração, Dieter Siedenberg, falam sobre como foi o processo de reinvenção da Universidade.

Nos próximos episódios, será possível conferir as ações inovadoras realizadas por meio de projetos da Unijuí; serviços prestados para comunidade; o esforço de professores e estudantes para se adaptar às aulas remotas; e ações culturais que se mantiveram mesmo a distância.

Confira:


Espaço Mais Inovação Unijuí terá ambientes dinâmicos para uso da comunidade

Estruturação de cinco ambientes acontece no prédio do antigo Dceeng, na Sede Acadêmica

Projeto mostra como ficará a entrada do Espaço Mais Inovação

Um dos principais objetivos do Espaço Mais Inovação, da Unijuí, é acelerar o processo de consolidação de uma cultura inovadora e empreendedora, não só em Ijuí, mas também na região, por meio da implantação de ambientes dinâmicos e voltados às comunidades interna e externa.

Com a primeira das três fases do projeto em processo de implantação, a iniciativa tem como foco as smart cities - ou cidades inteligentes, e contará com cinco ambientes inovadores, todos instalados no prédio do antigo Departamento de Ciências Exatas e Engenharias (Dceeng), na Sede Acadêmica.

Em uma das salas, que já está sendo preparada, ficará o Laboratório de Desenvolvimento de Internet das Coisas (IoT), que será um espaço dedicado ao desenvolvimento de aplicações e realização de cursos de capacitação, onde empresas, estudantes, pesquisadores e desenvolvedores de diversos segmentos poderão experimentar, interagir, testar e entender as aplicações para IoT.

Já o Laboratório de Smart Grids é um ambiente maker, com acesso à tecnologia e ferramentas que potencializam a partilha de conhecimento e a criação de sinergias, com foco no uso da tecnologia da comunicação para fazer com que os sistemas elétricos sejam mais eficientes, confiáveis e sustentáveis”, explicou o coordenador do projeto, professor Peterson Cleiton Avi.

Num terceiro ambiente estará o Espaço de Ideação, uma área lúdica para atividades em grupo ou individual, voltada ao estímulo da criatividade e início de processos de inovação, com insumos de informática, softwares, processos e ferramentas criativas que auxiliarão no teste de ideias, criação de conceitos, desenvolvimento de protótipos e de modelos de negócios.

Haverá, ainda, o Espaço Coworking, equipado para uso compartilhado por empresas e profissionais de diferentes áreas que valorizem a inovação, a criatividade, a troca de experiências e uma rede de contatos forte e colaborativa. “E, por fim, ainda contaremos com uma Sala de Realidade Aumentada, que combinará elementos virtuais e reais, e proporcionará interação de forma simultânea”, reforçou o coordenador, lembrando que a aplicação da realidade aumentada estende-se para diversas áreas. Este será um espaço para desenvolvimento e testes de novas aplicações e soluções, realização de cursos de capacitação e de aprendizagem de uso de recursos de realidade aumentada.

Os espaços compartilhados somam-se aos já implantados no mesmo prédio, segundo o coordenador, potencializando as atividades e a interação com pessoas que já circulam pelos ambientes, como pesquisadores, estudantes de graduação e pós-graduação, além de alunos da Educação Básica – que participam de oficinas de robótica, programação, energias renováveis e matemática.

Esperamos que as soluções desenvolvidas possam ser utilizadas pela comunidade no contexto de uma smart city, que possibilitem melhorias urbanas, econômicas, sociais e de governança na cidade. Para que possamos, em breve, construir possibilidades e resultados para uma cidade inteligente, educadora, saudável e sustentável”, reforçou Peterson.

O projeto conta com recursos do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), por meio de emenda parlamentar do ex-deputado federal Darcísio Perondi. Dos R$ 6 milhões previstos para as três etapas, R$ 2 milhões já estão sendo aplicados na primeira fase e outros R$ 2 milhões já foram aprovados.

Mais informações podem ser obtidas pelo e-mail espacomaisinovacao@unijui.edu.br.

Elevador é instalado no prédio


Dia Mundial da Água terá palestras abertas à comunidade

O Dia Mundial da Água, celebrado na próxima segunda-feira, 22 de março, contará com uma atividade especial na Unijuí. Por meio da disciplina Sustentabilidade Ambiental Aplicada, dos cursos de Medicina Veterinária e Engenharia Química, ministrada pela professora Joice Viviane de Oliveira, será realizado um evento online, aberto ao público, com transmissão pelo canal do Youtube da Unijuí.

Com início às 19h20, a programação contará com palestra sobre “Usos da água e ações de planejamento de recursos hídricos e gestão da informação na Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA)”. À frente da palestra, estará o superintendente adjunto de Planejamento de Recursos Hídricos da Agência e mestre em Recursos Hídricos e Saneamento Ambiental, Flávio Hadler Tröger. O evento será mediado pela professora Joice e por Fabiane Schwede (Química/Corsan).

Na sequência, às 20h15, acontece a palestra “Corsan, Soluções Ambientais”, com Rildo Goulart Peres, do Departamento de Resíduos Sólidos e Sustentabilidade da Companhia Rio-Grandense de Saneamento (Corsan), mestre em Educação em Ciências. O espaço para perguntas será aberto a partir das 21h.


Corrida pela vacina contra a covid-19 é tema do Rizoma Temático

O País passa por uma das fases mais graves da pandemia de covid-19. Enquanto o número de casos aumenta, a demanda em hospitais e serviços de saúde chega ao limite. Os profissionais estão cansados, faltam insumos e leitos para casos graves. E enquanto isso, a aplicação da vacina caminha lentamente pelos estados.

Para debater “a corrida contra o tempo” em busca da vacina e todo o caos na saúde pública, o Rizoma Temático foi ar nesta quinta-feira, dia 18 de março, na Rádio Unijuí FM, com três profissionais: Matias Nunes Frizzo, doutor em Biologia Celular e Molecular e professor do curso de Biomedicina e do mestrado em Atenção Integral à Saúde da Unijuí; Franciele Kinalski Turela, enfermeira do Setor de Imunizações de Ijuí, que trabalha na vacinação contra a covid-19; e Christiane Colet, doutora em Ciências Farmacêuticas, coordenadora do curso de Farmácia da Unijuí e professora dos Programas de Mestrado em Atenção Integral à Saúde e Sistemas Ambientais e Sustentabilidade.

O programa contou com a participação especial da doutora em Química Analítica, Katia Christina Leandro, que atualmente trabalha no Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS) da Fiocruz, no Laboratório de Controle Físico-químico de Produtos, que avalia desde medicamentos até vacinas e alimentos. Ela é pesquisadora em Vigilância Sanitária e Saúde Coletiva e coordenadora de ensino do Instituto.

Katia destacou que a vacinação está lenta no País e que a equipe tem trabalhado 24h por dia para garantir a celeridade que  o momento exige. A convidada falou sobre a importância da transferência de tecnologia, não só neste momento, para produção das vacinas contra a covid-19, mas no futuro, contribuindo para outras soluções.

E se a vacinação está lenta no País, em Ijuí não é diferente. Segundo a enfermeira Franciele, o Município vacinou 6.823 pessoas com a primeira dose da vacina, entre idosos e profissionais de saúde. Número considerado baixo, como lembra, tendo em vista que a cidade possui mais de 80 mil habitantes. Para hoje, é aguardada mais uma remessa da Coronavac.

O professor Matias falou sobre a preocupação com a falta de insumos, que atinge não apenas a produção de vacinas, mas todos os setores da área da saúde. Faltam seringas, Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) aos profissionais, medicamentos, oxigênio e outros tantos materiais. “A alta demanda, que leva à elevação nos custos, gera escassez dos produtos e, principalmente, insegurança na área da saúde”, explicou.

Diante deste cenário, muitas pessoas acabam fazendo uso de medicamentos que sequer têm comprovação científica, seja para tratamento precoce ou possível prevenção à doença. Segundo a professora Christiane Colet, há uma divisão entre os profissionais da saúde, que defendem ou não o uso de remédios como ivermectina. Há estudos, inclusive, que já estimam as consequências do uso de determinadas substâncias.

Confira o debate completo no podcast abaixo:


Unijuí finaliza entrega de equipamentos do Ano 2 à rede de saúde de Ijuí

A Unijuí realizou nesta quinta-feira, dia 18 de março, uma nova entrega de equipamentos ao Município de Ijuí, que beneficiará diretamente a rede pública de saúde. Adquiridos em contrapartida à implantação do curso de Medicina, os equipamentos fecham o Ano 2, de 2020, do Plano de Contrapartida à Estrutura de Serviços, Ações e Programas de Saúde do Sistema Único de Saúde (SUS).

Os itens – um aparelho CardioMax e quatro réguas antropométricas de madeira – totalizam R$ 23.129,00 e completam a contrapartida, que chegou a R$ 411.116,00.

 “A entrega destes equipamentos é mais um demonstrativo de que a Unijuí, a partir do curso de Medicina, com todos os esforços, mantém o objetivo de qualificar, cada vez mais, a atenção à saúde”, explicou a reitora da Unijuí, professora Cátia Maria Nehring, lembrando que, no mês de abril, a Universidade e a Secretaria Municipal de Saúde voltam a conversar para avaliar novas demandas da rede pública.

Também no mês de abril, como ressaltou a reitora, a Unijuí, o Município, a Secretaria Municipal de Saúde e os hospitais receberão a visita de avaliadores, para monitoramento da implantação do curso de Medicina, que chega ao 5º semestre.

Durante a entrega, o prefeito, Andrei Cossetin, agradeceu a Universidade pela parceria e reforçou a importância dos equipamentos para qualificação da saúde pública. Fala compartilhada pelo secretário municipal de Saúde, Márcio Strassburger, que afirmou que os itens serão utilizados pelas unidades básicas de saúde, Unidade de Pronto Atendimento (UPA), Saúde da Mulher e Samu, que receberá o aparelho CardioMax.


Projetos ligados à cadeia produtiva do leite são apresentados em seminário

A Unijuí, em parceria com o Sebrae e o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), promoveu nesta quinta-feira, dia 18 de março, o Seminário da Cadeia Produtiva do Leite, de forma online. O evento teve o intuito de unir esforços e estabelecer conexões colaborativas entre instituições em prol de uma das cadeias que mais contribui para o desenvolvimento da região Noroeste do Estado.

“Tenho a convicção de que podemos construir parcerias sinérgicas para o desenvolvimento do setor do leite. Muitas vezes, mesmo trabalhando com interesses comuns, com ocupações comuns, não temos tempo de conversar com outras pessoas, com profissionais que estão próximos”, explicou o vice-reitor de Pós-graduação, Pesquisa e Extensão da Unijuí, professor Fernando González, ao destacar que o seminário teve exatamente o intuito de trocar experiências e estreitar ainda mais as relações entre os diferentes atores.

Para que o evento alcançasse seus objetivos, foram convidados professores, pesquisadores, empreendedores, mestrandos e doutorandos com trabalhos na área e vinculados à Unijuí, para que pudessem apresentar seus projetos, estudos, pesquisas e práticas que possam contribuir para as políticas e gestão do setor, criação e sanidade do rebanho, qualidade da pastagem, qualidade do leite, produtividade e inovações tecnológicas na área.