COMUNICA

PORTAL DE NOTÍCIAS DA UNIJUÍ

Institucional

Técnicos-Administrativos encerram semestre do curso de Inglês

Técnicos-administrativos dos Programas de Pós-graduação Stricto Sensu da Unijuí (PPGSS), e de demais setores, encerraram mais um semestre do curso de Inglês. Ofertado pela Instituição, o curso teve início no mês de abril, com o nível básico, passando para o Introdutório Nível 1, neste segundo semestre. Ele foi ministrado pelo professor Carlos Eduardo Echart Montano, do Laboratório de Línguas.

O curso aos colaboradores surgiu a partir do Seminário de Planejamento Estratégico dos PPGSS da Unijuí, que contou com a participação dos coordenadores e secretárias, e foi organizado pela Vice-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão, em outubro de 2019. Neste evento, veio à tona a necessidade do conhecimento na língua inglesa, sobretudo para fortalecer a internacionalização.

A Instituição atendeu à solicitação do grupo e abriu para os demais técnicos-administrativos de outros setores. Assim, deu início ao curso neste ano, que terá sequência em 2021. O encerramento aconteceu no dia 10 de dezembro, com apresentação de trabalhos e avaliação do curso.

Ao avaliar os participantes, o professor Carlos Montano destaca que houve um avanço significativo nas quatro habilidades que envolvem a língua inglesa: leitura, fala, escuta e escrita, a partir das atividades propostas durante todo o ano.


Empreendedorismo na pandemia: os desafios para a reinvenção

A taxa de desocupação no País chegou a 14,6%, conforme dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Essa é a maior alta da série histórica iniciada em 2012. Os principais Estados atingidos com a taxa foram Bahia (20,7%), Sergipe (20,3%), Alagoas (20,0%) e Rio de Janeiro (19,1%). O Rio Grande do Sul ficou entre os menos atingidos, com uma taxa de desocupação em 10,3%. 

No entanto, mesmo com o cenário de incertezas e tendências negativas e impactantes, o brasileiro tem acreditado na ideia de que toda crise gera oportunidade. Entre 7 de março e 4 de julho deste ano, o Portal do Empreendedor registrou 551.153 novos microempreendedores no País, 16.788 a mais do que no mesmo período de 2019.

Para o gestor de Inovação e Tecnologia, Cleber Eduardo Graef, inovar e empreender, no contexto atual, para além do âmbito empresarial, é fundamental. O professor de Administração da Unijuí, Daniel Baggio, complementa afirmando que após, ou mesmo durante a pandemia, os negócios devem ser analisados e repensados com base no que vem acontecendo nesse cenário. “Os negócios precisam ser revistos. Muitos não conseguirão superar esse período de pandemia e precisarão se reinventar, como já vem acontecendo. Mas a reinvenção é uma das etapas do empreendedorismo e o empreendedor precisa colocar isso em prática", explica. 

Baggio destaca, ainda, que após a pandemia será necessário rever o mercado, analisá-lo e propor alternativas para guiar os negócios. "E essas alternativas podem ser novos empreendimentos, analisando o global e o local, onde os meios digitais nos permitem vender com a internet para outras regiões. O empreendedorismo pode gerar renda para as pessoas, seja para o pequeno empreendedor ou para grandes empresas”, conclui. 

Programa Inova RS

Inovação e o empreendedorismo nunca foram tão necessários. Dentro desse contexto, o Programa Inova RS, desenvolvido pela Secretaria de Inovação, Ciência e Tecnologia (SICT) do Rio de Grande do Sul, vem executando atividades para transformar o Estado em referência global de inovação, com estratégia de desenvolvimento local. Na região Noroeste e Missões, a coordenação do Programa é da Unijuí, pelo professor Daniel Knebel Baggio e apoio técnico da Agência de Inovação e Tecnologia (Agit) e Incubadora de Empresas de Inovação Tecnológica (Criatec), vinculados à Vice-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão.

Dentre os objetivos do programa está conectar o Estado para que seja referência global em inovação como estratégia de desenvolvimento local; fomentar a nova economia e promover a inovação em setores tradicionais; criar um ambiente de negócios mais ágil no Rio Grande do Sul; impulsionar a articulação regional e a participação social nesse movimento, por meio de novas políticas públicas inovadoras; fortalecer o desenvolvimento regional alinhado às políticas públicas e atividades empreendedoras mais vocacionadas em cada região do Estado; aumentar a capacidade de investimento do Estado e qualificar o aprendizado para a nova economia.

Portanto, se você tem uma boa ideia para inovar e fomentar o desenvolvimento da região com seu trabalho, conheça mais sobre o programa em inova.rs.gov.br/programa-inovars. Entre em contato pelo e-mail inovars@unijui.edu.br.

Por Evelin Ramos da Rosa, bolsista de Popularização da Ciência da Unijuí.


Projeto de Extensão Energia Amiga anuncia destaques no 3º Concurso de Desenho e Redação

Uma live, realizada na tarde desta segunda-feira, dia 21 de dezembro, pelo canal do Youtube da Unijuí, marcou o encerramento de mais uma etapa do Projeto de Extensão Energia Amiga. Acompanhado por alunos, professores e familiares, o evento online contou com a sistematização do projeto e também com a divulgação dos alunos que se destacaram no 3º Concurso Energia Amiga de Desenho e Redação. Neste ano, os estudantes foram desafiados a colocar no papel a visão sobre o tema energia.

Conforme explicou a coordenadora do projeto, professora Caroline Raduns, 2020 foi desafiador para a equipe. Os integrantes pensavam que, assim como em 2019, estariam presentes nas escolas, trabalhando o uso consciente da energia. Mas, a pandemia de covid-19 impediu essa ação. “Mantivemos o projeto e a realização do concurso, porém, modificamos a nossa metodologia. Produzimos vídeos, transformamos os livros Descobrindo a Eletricidade em e-books, lançamos um site e trabalhamos a campanha em redes sociais”, afirmou a professora.

Neste ano, foram inscritos 67 desenhos por alunos do 1º ao 5º Ano do Ensino Fundamental, e 25 redações por estudantes do 6º ao 9º Ano. Foram 3.792 votos recebidos. Como o projeto foi trabalhado de forma online, também foi possível abrir o concurso para estudantes de outros municípios – até 2019, em razão da logística, participavam escolas de Ijuí e Santa Rosa. Até mesmo a demanda por materiais do projeto foi recebida de Portugal. “O projeto não finda aqui. Ele continua em 2021, com ações ampliadas. Estaremos em interação com Portugal, Espanha e com o estado do Maranhão”, reforçou a professora.

Parte do projeto de extensão nasceu entre os anos de 2006 e 2007, e acabou se efetivando em 2018 – ano em que ocorreu a primeira edição do Concurso. Naquele momento, os integrantes foram desafiados a pensar formas atrativas de trabalhar o tema energia com estudantes do Ensino Fundamental. Em 2019, o projeto passou para a sua segunda fase, sendo contemplado em um edital de extensão. Neste segundo momento, passou-se a trabalhar em três grandes linhas de atuação: eficiência energética, segurança em eletricidade e a logística reversa de equipamentos e sistemas eletrônicos.

Conheça os autores dos desenhos mais votados, por ordem alfabética:

- Allana Gabrielli dos Santos, da Escola Estadual de Ensino Fundamental Souza Lobo - 1º Ano;

- Ana Luisa Buratti Santos, da Escola Estadual de Ensino Fundamental Souza Lobo – 2º Ano;

- Artur Wielens Drefs, da EFA - 2º Ano;

- Enzo Luiz Lopes Boeno, da Escola Municipal Fundamental Soares de Barros – 4º Ano;

- Hagata Pillatt Ramos, da EFA – 4º Ano;

- Lorenzo de Oliveira Canci, da EFA – 2º Ano;

- Lucas Josué de Moraes Brizolla, da EFA – 2º Ano

- Maicon Dudar Correa,da Escola Estadual de Ensino Fundamental Pedro Maciel – 3º Ano;

- Theo Nicolas Bohn Sartori, da EFA – 5º Ano;

- Valentina Auzani da Rosa, da EFA – 2º Ano;

- Valentina Galvão Bandissera, da 4º Ano.

Desenho destaque:

- Enzo Luiz Lopes Boeno, da Escola Municipal Fundamental Soares de Barros – 4º Ano

Conheça os autores das redações mais votadas, por ordem alfabética:

- Guilherme Gheno, do Centro Educacional Primeiros Passos de Ajuricaba – 9º Ano. Tema: Energia do Bem;

- Gustavo Berving, da Escola Cívico-militar Coronel Raul Oliveira de Santa Rosa – 8º Ano. Tema: Importância da energia elétrica em nossas vidas;

- Isabella de Souza Miola, da Eeef Ijuí – 8º Ano. Tema: A importância da energia elétrica em nossas vidas;

- Luiz Fernando Marques Matias, da Eeef Ijuí – 8º Ano. Tema: Consumo Consciente;

- Mardjorie Caroline do Rosário, da Escola Cívico-militar Coronel Raul Oliveira de Santa Rosa - 8º Ano. Tema: Energia elétrica na sociedade;

- Maria Eduarda Foguesatto, do Centro Educacional Primeiros Passos de Ajuricaba – 9º Ano. Tema: Energia;

- Maria Eduarda de Braga,da Eeef Ijui – 8º Ano. Tema: A energia elétrica no cotidiano;

- Milena Ramos Ribeiro, da EMF Dr Ruy Ramos – 8º Ano. Tema: Energizando conselhos;

- Vanessa Montagner Dalcin, do Centro Educacional Primeiros Passos de Ajuricaba – 9º Ano. Tema: Energia que move vidas;

- Wesley Pascoal Fim,da EMF Dr Ruy Ramos – 9º Ano. Tema: Uso saudável da energia elétrica.


Unijuí assina convênio de cooperação com o Grupo Fricke

Na última sexta-feira, dia 18 de dezembro, a Unijuí assinou um convênio de cooperação técnica com a empresa Fricke Soldas Ltda -  indústria de soldadores Balmer, que faz parte do Grupo Fricke. Trata-se de um contrato de controle tecnológico referente a ensaios de tração e de elasticidade de aços, que passarão a ser realizados no Laboratório de Engenharia Civil da Universidade.

“O Grupo Fricke está num processo de certificação de qualidade e precisa passar por testes laboratoriais. A empresa nos procurou, para formar essa parceria, que também resultou na compra de um novo dispositivo para realizar este ensaio - algo que, até então, a Instituição não possuía. O equipamento, adquirido pela Universidade, tem um investimento aproximado de R$ 20 mil”, explicou Luiz Irineu Donato, responsável técnico pelo Laboratório de Engenharia Civil.

De acordo com Donato, o equipamento – que conta com peças importadas, mas com produção brasileira – deverá chegar à Universidade na segunda quinzena de janeiro. A ideia é que, até o fim de janeiro, os trabalhos tenham início.

“Esse convênio vem dar respaldo a todo um parque fabril. Estamos concluindo a importação deste parque e realizando a certificação do produto acabado. A ideia é atender todo o Sul do País, envolvendo os estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul”, explicou o diretor-executivo do Grupo Fricke, Martinho Kelm. Para cada volume de produção, como explica Martinho, é necessário um conjunto de análises, que será realizado em parceria com a Universidade.

Conforme destaca o vice-reitor de Administração, Dieter Siedenberg, a parceria permitirá que os alunos participem efetivamente de processos de análise e demandas reais, propostas por uma empresa que vem se destacando no mercado, em termos tecnológicos. “Também possibilitará a realização de pesquisas e elaboração de Trabalhos de Conclusão de Curso (TCCs) pelos acadêmicos, qualificando a formação profissional e consolidando a relação universidade/empresa”, completou.

O contrato prevê inicialmente 24 meses de trabalho. No entanto, a expectativa é que a parceria vá além deste período.



Debate sobre Inteligência Artificial marca o encerramento do Projeto de Extensão Programe o seu Futuro

Na noite da última sexta-feira, dia 18 de dezembro, foi realizada a palestra de encerramento do segundo ano do Projeto de Extensão Programe seu Futuro, com a temática “Caminhos para Inteligência Artificial (IA), Internet das Coisas (IoT) e Big Data”. A palestra foi comandada pela líder especialista em Inteligência Artificial do Banco do Brasil, Fabiana Lauxen. O evento teve como objetivo socializar as atividades desenvolvidas pelo projeto nos anos de 2019 e 2020, além de proporcionar um momento de interação e aprendizado a respeito das contribuições que a tecnologia tem para o desenvolvimento do futuro da população.

O projeto é coordenado pelo professor do curso de Ciência da Computação, Marcos Cavalheiro, e tem como objetivo despertar o interesse pelo uso da tecnologia - um trabalho conjunto entre a Universidade e as escolas, na perspectiva de gerar uma mudança de paradigma nos jovens estudantes, a partir da modificação do seu olhar a respeito da tecnologia. Por intermédio das ações do projeto, os alunos do Ensino Fundamental e Médio, das escolas públicas e privadas de Ijuí e Santa Rosa, passam a ser produtores e não apenas usuários das ferramentas de informática.

Segundo o vice-reitor de Pós-graduação, Pesquisa e Extensão, professor  Fernando González, a extensão  busca socializar conhecimento e fortalecer o vínculo com a comunidade e os diferentes segmentos da sociedade. "Entender o projeto [Programe o seu Futuro] representa apenas a ponta de uma lança, [este é] apenas um dos projetos fundamentais que temos. É importante saber o que a comunidade acadêmica está pensando, o que se pretende para o futuro, propondo trabalhos e iniciativas, como os projetos de extensão, que também atendam às necessidades da comunidade regional”, destacou.

A Inteligência Artificial é um ramo da Ciência da Computação dedicado à simulação em modelo computacional da cognição humana ou inteligência da natureza. Para a líder especialista em Inteligência Artificial do Banco do Brasil, Fabiana Lauxen, “a IA tira a dureza entre homem e máquina, habilitando, por exemplo, pessoas com dificuldades, como é o caso daquelas que possuem deficiência auditiva. A Inteligência Artificial tem uma ferramenta que coleta a voz e a transforma em texto. Ela acaba sendo uma habilitadora para o ser humano, potencializando as capacidades humanas”, disse.

Finalizando o evento, foram apresentados também os trabalhos desenvolvidos ao longo dos últimos dois anos pelos estudantes que fazem parte do projeto Programe seu Futuro.  

Por Evelin Ramos da Rosa, bolsista de Popularização da Ciência da Unijuí.


Unijuí e Fumssar abrem inscrições para o Programa de Residência em Medicina

A Unijuí, em parceria com a Fundação Municipal de Saúde de Santa Rosa (Fumssar), abriu as inscrições para o Programa de Residência em Medicina de Família e Comunidade, na modalidade pós-graduação Lato Sensu. Ao todo, são ofertadas 10 vagas, sendo que oito destinam-se ao município de Santa Rosa e duas a Ijuí.

Podem se inscrever ao programa, com duração de 24 meses, profissionais graduados em Medicina e registrados em seus respectivos conselhos profissionais. Também podem se inscrever candidatos em fase de conclusão do curso, desde que a colação de grau ocorra até o dia 28 de fevereiro de 2021 e que seja possível apresentar, no Núcleo Acadêmico da Unijuí – Campus Santa Rosa, até 15 dias após ter iniciado as atividades do curso de Residência, a inscrição profissional no conselho.

As inscrições devem ser realizadas até o dia 11 de fevereiro, exclusivamente pela internet, no endereço www.unijui.edu.br/educacao-continuada.

O processo seletivo envolve duas etapas: na primeira há a aplicação de uma prova escrita, com 20 questões, sendo quatro em cada uma das seguintes áreas: clínica médica, cirurgia geral, pediatria, ginecologia e obstetrícia e medicina preventiva. A segunda refere-se à análise de currículo.

Para além da bolsa do Ministério da Saúde, o município de Santa Rosa oferece bolsa-auxílio no valor de R$ 4 mil e o município de Ijuí oferece duas bolsas-auxílio no valor de R$ 3,5 mil.

Mais informações podem ser encontradas neste link.  


Laboratório de Análises Clínicas da Unijuí ultrapassa os 10 mil testes para detecção da covid-19

Demanda aumentou cerca de 100% desde o mês de novembro, segundo professor

Para auxiliar no enfrentamento à covid-19, o Laboratório de Análises Clínicas da Unijuí (Unilab) teve que se reinventar, e se desdobrar, para atender à demanda por testes para detecção do novo coronavírus. Por meio de uma parceria com o Consórcio Intermunicipal de Saúde (Cisa), são realizados, desde junho deste ano, testes pelo método RT-qPCR – atendendo não só a comunidade de Ijuí, mas também da região.

“Esse convênio foi assinado por volta de abril. A Unilab já estava trabalhando na detecção do novo coronavírus e o Cisa, por sua vez, estava preocupado em estabelecer ações nos municípios de abrangência. Desde então, viemos trabalhando na infraestrutura, em adequações internas do laboratório, para realizar os testes, a partir do mês de junho. A demanda, infelizmente, vem aumentando gradativamente. Começamos com uma faixa de 50 testes por dia e hoje chegamos a mais de 300”, destacou o chefe do Departamento de Ciências da Vida, professor Matias Nunes Frizzo, lembrando que, desde o mês de novembro, a demanda aumentou cerca de 100% - muito em razão da segunda onda da doença no País.

“Para se ter uma ideia, já passamos de 10 mil testes realizados. A ideia inicial, quando planejamos o serviço, era começar com dois mil testes e reavaliar. Em menos de um mês, vimos que esse número seria muito pequeno perto da demanda”, completou o professor, afirmando que 16 pessoas trabalham nesse processo atualmente. Sem contar, claro, toda a estrutura que foi criada nos municípios para coleta das amostras e transporte até a Unilab, para processamento. “Os municípios estão sendo muito sensíveis a este trabalho. Outro ponto positivo é que estamos conseguindo, apesar da demanda, entregar os resultados em 24 horas, embora tenhamos um prazo de até 48 horas”, comenta Matias.

A agilidade na entrega dos resultados possibilita que os profissionais de saúde iniciem o atendimento, de forma mais rápida, ao paciente. “Todo esse trabalho mostra o comprometimento da Unijuí e do Cisa com as comunidades local e regional. Sem falar da experiência formativa que os estudantes envolvidos têm, principalmente junto ao laboratório, acompanhando essa prestação de serviços.”

Um dos problemas ainda enfrentados é a falta de insumos. E neste ponto, Matias agradece a atuação do setor de compras da Universidade, que tem buscado agilizar este processo, não deixando a Unilab desabastecida.

O professor lembra que o Laboratório possui dois setores: um que trabalha no diagnóstico molecular do novo coronavírus, que é o setor de biologia molecular; e outro que atende pacientes ligados ao Sistema Único de Saúde (SUS), convênios particulares e empresariais, na prestação de exames laboratoriais. Neste segundo setor, a demanda também tem sido alta, o que levou a Universidade a investir na construção de um novo laboratório, mais amplo para atender a população e os próprios alunos.

Para ter mais informações sobre os serviços da Unilab, o contato é 3332-0554. O Laboratório seguirá atendendo no período de férias, com exceção dos dias 24 e 25 de dezembro, Natal, 31 de dezembro e 1º de janeiro, Ano Novo.


Unijuí recebe estrangeiros para Prova de Proficiência em Português

Pessoas de diferentes nacionalidades realizaram a prova na Instituição, na última semana

Pessoas de diferentes países – como Itália, Senegal e Rússia, realizaram na Unijuí, na última semana, as provas para obtenção do Certificado de Proficiência em Língua Portuguesa para Estrangeiros (Celpe-Bras). A Universidade é um Posto Aplicador do exame, produzido pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), com apoio do Ministério da Educação (MEC), em parceria com o Ministério das Relações Exteriores.

O exame é válido para que os estrangeiros possam regularizar a sua vida dentro do Brasil, seja por meio da busca da cidadania brasileira ou da revalidação do diploma”, explicou o professor do curso Letras - Português e Inglês, Anderson Amaral, lembrando que, na Unijuí, o exame é aplicado a partir da Unidade de Educação Continuada.

Geralmente, duas edições do exame são realizadas por ano. Em 2020, em razão da pandemia de covid-19, somente uma acabou acontecendo. “Ofertamos 50 vagas e tivemos a participação de pessoas de diferentes nacionalidades. Essa prova é aplicada em outros países também, no mesmo horário e no mesmo dia. Neste ano, acabamos recebendo muitas pessoas de locais distantes, como Brasília e Roraima, porque as universidades federais estavam fechadas e não aplicaram o exame. Elas atravessaram o Brasil para realizar a sua prova na Unijuí”, explicou o professor, lembrando que as duas provas, escrita e oral, foram aplicadas no dia 8 de dezembro. O resultado será divulgado até o dia 12 de fevereiro de 2021.


Criatec promove workshop sobre inovação e empreendedorismo tecnológico

Na tarde da última terça-feira, 15 de dezembro, a Incubadora de Empresas de Inovação Tecnológica (Criatec) da Unijuí promoveu o workshop Pesquisador e Empreendedor: Desafios e Oportunidades. O evento foi destinado a professores e estudantes. A palestra, realizada de forma online, foi conduzida pelo professor doutor Rochel Montero Lago, da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), que abordou o tema Inovação e Empreendedorismo Tecnológico. Também esteve presente o professor de Administração da Unijuí, Daniel Baggio, que atuou como mediador.

 Em sua fala, o professor Rochel Montero Lago reforçou que o empreendedorismo é um conhecimento tácito, que não se aprende apenas em livros. “A prática do empreender é fundamental e o conhecimento se adquire na experiência. É importante que nós, professores, busquemos formar profissionais para o Século 21. Precisamos sair da nossa zona de conforto e visualizar o agora e o futuro”, disse.

Durante o evento, o gestor de Projetos de Inovação no Sebrae RS, Gustavo Moreira, apresentou o edital Catalisa ICT - um projeto nacional, promovido pelo Sebrae em parceria com entidades do ecossistema nacional de inovação. Ele tem o objetivo de acelerar e fomentar negócios de bases tecnológicas com a criação de empresas de base tecnológica por mestres/mestrandos e doutores/ doutorando. Também busca transferir tecnologia de pesquisadores e universidades para empresas, além de garantir a inserção de mestres/mestrandos e doutores/doutorandos, capital humano qualificado em pequenos negócios. 

Por Evelin Ramos da Rosa, bolsista de Popularização da Ciência da Unijuí.


Programa de Doutorado Sanduíche abre inscrições

Tércio Inácio Jung conta como sua experiência na Alemanha contribuiu para produção da sua tese

A Vice-reitoria de Pós-graduação, Pesquisa e Extensão da Unijuí lançou quatro editais que dispõem sobre a inscrição e a seleção de estudantes de Doutorado ao Programa Institucional de Doutorado Sanduíche no Exterior (PDSE/Capes). As seleções são destinadas aos alunos de Doutorado em Direitos Humanos, Desenvolvimento Regional, Educação nas Ciências e Modelagem Matemática e Computacional. Este link dá acesso aos editais.

Para cada curso, serão destinadas duas bolsas de estudo, com duração de seis meses cada. Interessados têm até as 17h do dia 1º de março para se inscrever junto ao Escritório de Relações Internacionais da Unijuí, localizado na biblioteca do Campus Ijuí, ou por meio do e-mail eri@unijui.edu.br.

A experiência do Doutorado Sanduíche foi tão extraordinária que me interroguei, várias vezes, se foi realidade ou apenas um sonho”, declara o doutor em Educação nas Ciências pela Unijuí, Tércio Inácio Jung, que iniciou em 2016 o seu curso, sob orientação do professor José Pedro Boufleuer. Ele buscava aprofundar os estudos sobre a universidade pública brasileira e encontrou no educador uma referência em estudos sobre Habermas e a sua Teoria do Agir Comunicativo.

Em 2017, quando chegou o momento da apresentação do projeto de tese, Tércio retomou o diálogo com o professor Walter Frantz, que desde o início o desafiou a pensar numa imersão na Alemanha – algo que possibilitaria estudar a teoria de Habermas na língua original e entender melhor a estrutura e a história da universidade alemã. “Topei na hora, empolgado com a ideia, mas, no fundo, eu sabia que seria bem difícil passar de uma ideia. Felizmente, eu estava enganado”, conta o doutor.

Em agosto de 2018, Tércio partiu para o Doutorado Sanduíche na Universidade de Osnabrück, na Alemanha, onde desenvolveu diferentes atividades relacionadas à sua pesquisa, o que implicou na busca por mais aulas de alemã. “Dentre as atividades voltadas diretamente à pesquisa, destaco o estudo sistemático feito na Biblioteca da Universidade de Osnabrück, em outras bibliotecas da Alemanha e em casa, buscando publicações na língua alemã referentes ao meu tema de pesquisa. Além disso, mantive encontros com o professor Gyoergy Szell, co-orientador da tese”, conta o jovem, que também teve a oportunidade de participar de seminários e eventos ofertados pela universidade, cidade ou por outras instituições. Todas estas experiências contribuíram para a escrita da sua tese, cuja defesa aconteceu em abril de 2020.

Costumo dizer que a tese eu poderia ter escrito no Brasil. Mas produzi-la na Alemanha e ‘com a Alemanha’ teve e tem um valor e um sentimento imensuráveis”, afirma.

Estudantes selecionados recebem uma bolsa de estudos que conta com mensalidade, auxílio-deslocamento, auxílio-instalação e auxílio seguro-saúde. O aluno tem a possibilidade de escolher o País de destino, onde desenvolverá a sua pesquisa. É importante lembrar que o candidato precisa estar preparado em uma língua estrangeira, já que o programa exige prova de proficiência.

Mais informações podem ser obtidas no Escritório de Relações Internacionais, pelo telefone 3332.0329, pelo e-mail eri@unijui.edu.br ou pelo site do Programa de Doutorado Sanduíche no Exterior.