COMUNICA

PORTAL DE NOTÍCIAS DA UNIJUÍ

Institucional

Disciplina exercita a gratidão e trabalha a liderança com estudantes

Realizada nos cursos de Administração e Ciências Contábeis da Unijuí, a disciplina de Liderança e Coaching tem surpreendido não apenas o professor responsável, Luciano Zamberlan, mas também os estudantes.

O objetivo do componente, conforme explicou o educador, é instigar os alunos, que estão iniciando o curso e que acabaram de sair do Ensino Médio, a trabalhar competências ligadas à liderança. “Não trabalhamos a liderança como uma posição hierárquica, mas como a capacidade de mobilizar pessoas, equipes. E esse trabalho acontece durante todo o curso, não apenas em um semestre. Por meio da disciplina, trabalhamos competências com os estudantes e estimulamos que eles façam uso delas no mundo pessoal e no campo profissional”, explicou o professor.

Em uma das aulas, Zamberlan solicitou que a turma fizesse uma lista, elencando motivos para agradecer – especialmente neste momento de pandemia. O grande desafio, no entanto, foi colocar a gratidão em prática: cada aluno foi convidado a agradecer às pessoas especiais que fazem parte de sua vida. “Sou uma pessoa que ama demonstrar carinho e compaixão pelos outros, porque sei o quanto isso pode melhorar o dia de uma pessoa. Falei aos meus familiares, que se emocionaram e me abraçaram, dividiram pensamentos e sentimentos, e relembramos momentos do passado que já superamos e fortalecemos laços. Cada sorriso, cada abraço gerado trouxe mais amor em nossa família”, contou a estudante Isadora Capitâneo, de 19 anos, que cursa Administração no campus de Panambi. “Também levei o desafio até minha empresa. Passei em setores que não trabalhava mais, pude rever alguns colegas, abraçar, chorar e ver o quanto eles foram importantes para o meu crescimento pessoal. E foi possível fortalecer ainda mais nossos sentimentos de parceria, já que constantemente dependemos uns dos outros para nossas atividades do dia a dia”, completou a jovem.

De acordo com Isadora, desde a atividade, que instigou a ação de gratidão, as pessoas puderam reconhecer seu sentimento em relação a elas, o que levou ao fortalecimento das relações e, acima de tudo, ao compartilhamento de carinho e gratidão o dia inteiro. “Aquele dia mudou muito minha vida, minhas relações e meu modo de ver as situações e pessoas. Não há nada mais importante que termos pessoas que nos amam, nos apoiam e nos motivam dia a dia. A gratidão não transforma só o nosso dia e o dia do outro, ela transforma nossas vidas.”

A gratidão, o reconhecimento ao outro, é uma das principais habilidades de um líder, como destaca o professor. “Às vezes pensamos que presentear, que aumentar o salário, são as únicas ações para estimular um funcionário. Mas reconhecer o seu trabalho, a sua contribuição à empresa, produz resultados incríveis”, explicou. A disciplina, que acontece agora em Panambi, será posteriormente realizada no campus Ijuí.


Seminário promove discussão sobre o Novo Ensino Médio

Na última semana,  foi realizado o Seminário Diálogos sobre o Novo Ensino Médio (NEM), organizado pelos professores Isabel K. Battisti, Josei F. Pereira, Maristela R. Lang e Vidica Bianchi, como uma das atividades desenvolvidas pela disciplina Prática de Ensino Interárea: Ensino Médio, envolvendo acadêmicos de Educação Física, História e Letras, professores da disciplina e convidados: professor Airton da Silva, representando a 36ª Coordenadoria Regional de Educação (CRE); Cheila Souza, docente da Escola Estadual Antônio Padilha; e as professoras Salete Teresinha Bernardi Libardi e Claudia Coró Costa, da Escola Estadual José Lange .

O objetivo do seminário foi promover, por meio de diálogos, conhecimentos e reflexões sobre o Novo Ensino Médio, previsto pelos documentos legais e colocado em prática no Rio Grande do Sul por escolas-piloto, como é o caso das duas instituições anteriormente citadas.

Primeiramente, o professor Airton fez uma contextualização partindo dos aspectos legais do NEM e, na sequência, apresentou processos para a definição dos itinerários formativos, bem como encaminhamentos e perspectivas. 

As professoras Salete, Cláudia e Cheila relataram, problematizaram e trouxeram à reflexão a implementação do NEM nas escolas-piloto, considerando processos construídos e percorridos,  bem como os sujeitos envolvidos. Foi possível perceber possibilidades e limites para os diferentes contextos e cotidianos escolares, em função da realidade de cada escola. 

Os estudos e discussões já estabelecidas no decorrer da disciplina foram considerados pelos acadêmicos e viabilizaram diferentes intervenções e diálogos com os participantes, especialmente com os professores convidados.


UNIJUÍ FM completa 20 anos e lança campanha comemorativa

Na última semana, a Rádio Unijuí FM lançou a campanha que marca os 20 anos da emissora, comemorados em 20 de julho de 2021. Com o mote “Tocando histórias”, a campanha tem como objetivo, além de celebrar as duas décadas de atividade da Rádio, resgatar o papel e a importância desse meio de comunicação, trabalhar o relacionamento com os ouvintes, promover um resgate do passado e planejar ações para o futuro.

A campanha foi lançada nas redes sociais da Rádio Unijuí (FacebookInstagramTwitter e YouTube) e também na programação da 106.9 FM, por meio de chamadas e vinhetas comemorativas. Durante todo o ano, serão realizadas ações e programas especiais, como um show online e a produção de vídeos que relembram momentos marcantes da história da Rádio. 

Confira abaixo o texto e o vídeo com o manifesto de 20 anos da Rádio Unijuí:

Desde o primeiro play, lhe fazemos companhia. Você que acorda cedo e se liga no Expresso Sonoro, com as primeiras informações do dia. Ou que gosta dos debates que trazemos no Rizoma. Você que acompanha as tardes leves do Rádio Ideia e os hits do Rádio Tag. E também que encerra a sua noite com as notícias do Eclético, ou, simplesmente, gosta de música.

Para além do rádio, a Unijuí FM cumpre seu papel comunitário e se faz presente em diversos momentos marcantes. Já estivemos no Fórum Social Mundial, no Festival de Cinema de Gramado, nas eleições. Percorremos o Estado acompanhando os festivais nativistas, levamos a rádio para as escolas com o Ações Sustentáveis e o Hora do Recreio, descobrimos jovens escritores no Concurso Literário. Levamos alegria aos aprovados no Vestibular com a divulgação do Listão. E também noticiamos a tristeza da pandemia. 

Sempre comprometidos com você: nosso ouvinte! Procuramos ter uma programação diferenciada, seja jornalística, educativa ou musical. Trabalhamos temas fundamentais para o exercício da cidadania e o desenvolvimento regional, fazendo um jornalismo crítico e de relevância comunitária. Sempre, é claro, na companhia de boa música!

Em duas décadas nos reinventamos para acompanhar as mudanças do mundo e levar a informação até você. Somos sons, fatos e a sua voz.

Por Rádio Unijuí FM


Pós-Graduação em Auditoria e Planejamento Tributário realiza aula inaugural

Na última sexta-feira, dia 9 de abril, foi realizada a aula inaugural do curso de Pós-Graduação Lato Sensu em Auditoria e Planejamento Tributário da Unijuí. O evento teve como tema central a “Gestão de pessoas: uma visão da reorganização das relações interpessoais com foco nas gerações”. 

À frente da palestra esteve Alexandre Acosta, que é formado em Jornalismo, Administração e Marketing. Possui pós-graduação em Gestão Educacional e em Marketing, mestrado em Desenvolvimento e Sociedade. Alexandre também é doutor em Epistemologia e História da Ciência.

De acordo com a professora Roselaine Filipin, a aula foi bastante positiva e reuniu mais de 40 participantes, incluindo auditores da Receita Federal e da Receita Estadual.


Criatec participa de reunião com Incubadora da Letônia

Na última quarta-feira, dia 7 de abril, a Incubadora de Empresas de Inovação Tecnológica (Criatec) da Unijuí e a Incubadora de Negócios de Liepaja – Letônia (Kurzemes) estiveram reunidas para troca de informações e discussão de ações de cooperação conjuntas. A Unijuí firmou no mês de março um acordo de cooperação com a Universidade de Liepaja, a qual está ligada à Incubadora Kurzemes, tendo parte se seus estudantes como membros empreendedores.

Participaram da reunião online, por parte da Letônia, Aigars Strauss, organizador do encontro; Salvis Roga, diretor da Kurzemes; e Edijs Brauners, coordenador de projetos da incubadora. Pela Criatec, que é coordenada por Maria Odete dos Santos Palharini, participaram representantes e empreendedores, cuja apresentação ficou a cargo do empreendedor Cesar Augusto Fensterseifer. Também participaram o professor Peterson Cleyton Avi, a assessora de relações internacionais, Vanderléia de Andrade Haiski, e demais interessados.

Na ocasião, além da apresentação das incubadoras de ambos os países, foram discutidas áreas de comum interesse, como economia ecológica, desenvolvimento digital, tecnologias ecológicas/limpas (green tecnologies), cidades inteligentes, energias renováveis, políticas de desenvolvimento para cidades, inteligência artificial e cooperação entre as empresas existentes.

Há interesse das empresas incubadas na Kurzemes em expandir seus negócios para o Brasil, através da cooperação com a Criatec. Eles também se mostraram abertos para receber e promover as empresas incubadas brasileiras na Letônia.

A Criatec é o primeiro contato dos empreendedores da Letônia no Brasil e os diretores de ambas as incubadoras veem como uma boa oportunidade de cooperação. Um ponto de destaque na reunião foi a possibilidade de criação de uma incubadora virtual para ambos os países, onde vai ser possível a realização de atividades conjuntas para os empreendedores de ambas instituições.

Um novo encontro entre a Criatec e a Kurzemes ficou agendado para o mês de maio.


Unijuí recebe primeiros celulares para restauração a alunos da rede pública

Projeto Alquimia II envolve a Unijuí e o Ministério Público do Estado

A Unijuí recebeu nesta quinta-feira, dia 8 de abril, os primeiros celulares encaminhados pelo Ministério Público do Estado (MP-RS), que foram apreendidos em casas prisionais e, agora, serão recondicionados para uso de estudantes da rede pública de Ijuí e região.

A entrega foi realizada pela promotora de Justiça da Comarca de Ijuí, Rosélia Brusamarelo, ao professor coordenador do projeto na Unijuí, Edson Luiz Padoin, e ao técnico Cleomar Lizot.

A parceria entre o Ministério Público e a Universidade - por meio do Escritório de Relações Universidade – Comunidade, vinculado à Agência de Inovação e Tecnologia (Agit), ligada à Vice-reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão, para realização do projeto Alquimia II, aconteceu no final do mês de março, com a assinatura simbólica do termo de cooperação.

De acordo com o professor Edson Padoin, um estudante bolsista do curso de Ciência da Computação e um técnico já passam a trabalhar nos 21 celulares que chegaram, de forma que eles sejam restaurados e fiquem com suas configurações de fábrica. Segundo ele, é difícil precisar o tempo que levará para que estes aparelhos estejam aptos para entrega aos alunos, já que o trabalho depende do estado em que os celulares estão e do modelo de cada um.

A iniciativa vai ajudar os estudantes que, neste momento de pandemia, estão com aulas remotas e com dificuldades de acesso.


Epicovid19-RS: Treinamento prepara voluntários para pesquisa que acontece neste fim de semana

Nesta sexta-feira, dia 9 de abril, terá início em Ijuí a 10ª rodada do estudo de Evolução da Prevalência de Infecção por Covid-19 no Rio Grande do Sul (Epicovid19-RS). A pesquisa, coordenada pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel) em parceria com o governo do Estado, conta com o apoio da Unijuí e será realizada até o domingo, dia 11.

Conforme explica a coordenadora da pesquisa pela Unijuí, professora Evelise Berlezi, 34 voluntários irão a campo já na tarde desta sexta-feira, após participarem de treinamento no Centro de Eventos da Universidade. Todos os entrevistadores foram testados. Os voluntários também participaram de um encontro online de preparação para uso dos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs).

Assim como nas rodadas anteriores, a meta é visitar 500 domicílios, definidos por sorteio, e realizar a aplicação de um questionário e de um teste para detecção de anticorpos contra a covid-19. “A novidade, nesta rodada, é que não vamos utilizar o teste rápido. Somente será utilizado o teste Elisa, já aplicado na fase anterior. Trata-se de um teste de maior sensibilidade e especificidade”, explicou a professora. Para o exame, o entrevistador coletará uma amostra de sangue (gotas) do dedo do participante.

A Epicovid19-RS é uma pesquisa populacional em série que levanta o número de casos de coronavírus na população gaúcha, incluindo pessoas sem sintomas. A série de coleta de dado teve início em abril de 2020, menos de 20 dias após o registro da primeira morte pela doença em solo gaúcho. Com isso, o estudo se torna o único no mundo a realizar 10 etapas de acompanhamento da prevalência de coronavírus na população das mesmas cidades, proporcionando um registro histórico com base em evidências científicas desde o início da pandemia no Estado. 

Ao todo, 4,5 mil pessoas serão entrevistadas e testadas em Ijuí, Pelotas, Uruguaiana, Santa Maria, Porto Alegre, Canoas, Caxias do Sul, Passo Fundo e Santa Cruz do Sul.

Os dados mais recentes, divulgados no final de fevereiro, estimam que mais de 1,13 milhão de pessoas já tenham sido infectadas – o que equivale a um a cada dez habitantes do Rio Grande do Sul.


Comissão debate projeto para revitalização da Trilha do Rio Potiribu

A Unijuí, por meio da Vice-reitoria de Pós-graduação, Pesquisa e Extensão, é uma das parceiras da Secretaria Municipal de Cultura, Esporte e Turismo na revitalização da Trilha do Rio Potiribu. A comissão, encarregada de pensar, planejar e desenvolver as ações no local, esteve reunida na última semana, em um encontro que aconteceu de forma online.

Localizada no Parque de Exposições Wanderley Burmann, a Trilha do Rio Potiribu foi criada no ano 2000, a partir de uma iniciativa do ecologista Delmar Amorim que, na época, era administrador do Parque. Com 1.800 metros, a trilha é a mais longa da cidade, oferece um trajeto estruturado, com pelo menos 10 pontos de interesse, mas, devido à ausência de manutenção, acabou deteriorada.

A partir da mobilização entre as Secretarias Municipais de Cultura, Esporte e Turismo (SMCET) e Meio Ambiente (SMMA), com o Grupo de Escoteiros Farrapos Carijós, iniciou-se uma articulação junto a outros possíveis interessados em revitalizar a trilha. O principal objetivo é transformar o espaço em uma trilha ecológica ativa e acessível para as comunidades de Ijuí e região. A ideia é que ela ofereça a possibilidade de visitação de forma guiada e autoguiada, seja pelo público caminhante, ciclistas ou pessoas com deficiências.

O projeto prevê, para além de ações de diagnóstico, planejamento e execução de intervenções estruturais, atividades que possam sensibilizar a comunidade para criação de vínculo, cuidado e pertencimento com o local. 

O trabalho seguirá um cronograma de ações pensadas de forma conjunta, que acontecerá de acordo com as condições do momento da pandemia. A dedicação do grupo está voltada para que as atividades propostas resultem em um trabalho com efeitos duradouros.

Para além das pastas citadas, estão engajadas na iniciativa as Secretarias Municipais de Educação e Desenvolvimento Econômico, a Associação Ijuiense de Proteção ao Ambiente Natural (Aipan) e a Associação de Ciclismo Las Monaretas. Na Unijuí, também fazem parte do trabalho os Programas de Educação Tutorial (PET) de Ciências Biológicas e Engenharia Civil.


Rizoma Temático orienta e esclarece dúvidas sobre animais peçonhentos

Pouco se fala em acidentes com animais peçonhentos, mas eles existem, em significativo número, e preocupam quando acontecem. Afinal, o que devemos fazer quando somos vítimas ou quando acompanhamos um caso?

Para esclarecer estas dúvidas, o Rizoma Temático desta quinta-feira, dia 8 de abril, abordou o tema “Animais Peçonhentos: como agir e prevenir acidentes”. À frente do bate-papo, estiveram a professora Juliana Maria Fachinetto,  tutora do Programa de Educação Tutorial (PET) do curso de Ciências Biológicas da Unijuí; a estudante e bolsista PET, Caroline Thérese Aygadoux Martins; e a ambientalista e professora no curso de Ciências Biológicas, Francesca Werner Ferreira.

“O primeiro ponto que devemos destacar é que os animais peçonhentos não são do ‘mal’. São mais do bem do que do mal, na verdade. Outro ponto a ser destacado é que há uma diferença entre os animais venenosos, que produzem veneno, e os animais peçonhentos, que produzem substâncias que são tóxicas para outros animais - e eventualmente essa toxicidade também afeta os seres humanos, e possuem a capacidade de inocular o veneno. Essa inoculação acontece através de picadas, por exemplo, caso de abelhas, aranhas, escorpiões e parte das serpentes”, explicou a professora Francesca, lembrando que os seres humanos não são presas destes animais. O ataque é uma reação de defesa.

De acordo com a professora Juliana Maria Fachinetto, conforme registros, são mais comuns acidentes com serpentes, em áreas rurais, e com aranhas e escorpiões, em áreas urbanas. Os dados constam no Sistema Nacional de Informações Toxicológicas (Renaciat).

Segundo a acadêmica Caroline Martins, bolsista PET, os estudantes do curso de Ciências Biológicas têm contato com os animais peçonhentos dentro da disciplina de Zoologia e, junto ao Programa, ocorre um estudo mais aprofundado sobre o tema. “Inclusive trabalhamos em um guia, que será disponibilizado nos canais da Unijuí, onde mostramos a distribuição destes animais pelo Rio Grande do Sul, quais as espécies mais comuns, onde estão localizadas e qual o tipo de veneno que possuem. Também falamos sobre como evitar acidentes e a forma correta de prestar os primeiros socorros. Há diversos mitos, como sugar o veneno da cobra, colocar açúcar ou pó de café, que acabam por agravar o estado da vítima”, destacou a estudante.

Confira o Rizoma Temático na íntegra:


Tese analisa dificuldades na disponibilização de dados abertos municipais

Se nos tempos pré-históricos os suportes eram as paredes das cavernas, hoje emprega-se toda tecnologia de equipamentos eletrônicos para garantir a qualidade e exatidão dos registros.  Pensadores da área de Tecnologia da Informação e Comunicação (TICs), como López e Sagol, em sua obra "Dados, colaboração e participação em ambientes virtuais", publicada em 2012, já evidenciavam que os recursos tecnológicos para captura, armazenamento, processamento e disseminação de informações são cada vez mais necessários em função do crescimento acelerado do compartilhamento de informações. 

A preocupação com essa coleta de dados abertos, servindo como geração para transparência, foi o que motivou a tese de doutorado do pesquisador do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional da Unijuí, Reneo Pedro Prediger. Intitulada “Dados abertos como indutores da transparência em municípios brasileiros: um estudo a partir de municípios gaúchos”, a tese aborda dados governamentais abertos em nível municipal, tema associado à transparência pública, à participação e à colaboração dos cidadãos, e um dos eixos fundamentais nos denominados Governos Abertos. 

Segundo Reneo, a disponibilização de dados governamentais em formatos abertos pode contribuir para uma abordagem diferente sobre os dados públicos, podendo resultar em visões que acrescentam qualidade e efetividade aos processos de transparência. “A construção destas visões pressupõe tanto a participação quanto a colaboração da sociedade, visto que são os próprios cidadãos, individualmente ou em associações, que as elaboram. Esta colaboração dos cidadãos ocorre, normalmente, pelo desenvolvimento de aplicativos computacionais, para smartphones, computadores pessoais ou para a própria web” ,  explica. 

O movimento de dados abertos tem obtido adeptos, principalmente em nível de governos nacionais. No entanto, existem poucas evidências mostrando a associação de municípios, principalmente no Brasil, a esta atividade. A tese do pesquisador, deste modo, procurou identificar e analisar os fatores políticos, burocráticos e tecnológicos que dificultam ou impedem a disponibilização de dados abertos municipais. A investigação empregou metodologia qualitativa de análise, especificamente a Hermenêutica de Profundidade, de Thompson, permeada por instrumentos quantitativos que contribuíram para a caracterização estrutural, e espacial, dos municípios gaúchos, os quais constituíram o locus deste estudo. 

Durante a pesquisa foram observados, por um lado, o tratamento dispensado pelos 497 municípios à transparência pública, por meio de seus sites institucionais e portais da transparência e, por outro, a percepção de atores sociais, governamentais e empresariais em relação ao tema da transparência pública, participação e colaboração dos cidadãos, governos e dados abertos. “As dificuldades dos municípios estão localizadas nas limitações de suas estruturas administrativas e na ausência, em praticamente todos os municípios, de qualquer organização da área responsável pelo tratamento da informação. Os motivos principais, entretanto, estão relacionados à ausência de legislação específica e ao desconhecimento do assunto”, esclarece o pesquisador. 

A tese foi apresentada por Reneo Pedro Prediger ao Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional, na linha de pesquisa Políticas Públicas e Gestão Social, da Unijuí, e teve orientação do professor doutor Sérgio Luís Allebrandt. A banca examinadora foi composta pelos professores doutores Airton Adelar Mueller (PPGDR/UNIJUÍ),  Romualdo Kohler (PPGDR/UNIJUÍ), Airton Cardoso Cançado (PPGDR/UFT) e Ângela Cristina Trevisan Felippi (PGDRA/UNIOESTE). 

Confira o trabalho na íntegra: https://www.unijui.edu.br/estude/mestrado-e-doutorado/desenvolvimento 

Por Evelin Ramos, bolsista de Popularização da Ciência da Unijuí