COMUNICA

PORTAL DE NOTÍCIAS DA UNIJUÍ

Institucional

FIDENE/UNIJUÍ e Prefeitura Municipal de Santa Rosa renovam parceria

               

A FIDENE/UNIJUÍ e a Prefeitura Municipal de Santa Rosa realizaram a assinatura da renovação do Termo de Parceria, na manhã dessa terça-feira, dia 18, no Gabinete do Prefeito Municipal.

Na oportunidade o Prefeito Municipal de Santa Rosa, Alcides Vicini, e o Vice-Reitor de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão da UNIJUÍ, Fernando Jaime González, assinaram a renovação do Termo de Parceria que a FIDENE/UNIJUÍ possui com o município de Santa Rosa. Neste acordo, estão previstas ações de interesse público e a manutenção de apoio destinado à pesquisa e à extensão da FIDENE/UNIJUÍ.

Participaram também do encontro, pela UNIJUÍ, o Gerente da Agência de Inovação e Tecnologia, Maiquel Silva Kelm; a responsável pelo Escritório de Relações com a Comunidade – ERUC, Aline Benso; e o Assessor Jurídico, Alex Reichert. Pela Prefeitura, o Superintendente Geral de Governança e Vice-Prefeito, Luís Antônio Benvegnú; o Procurador-Geral do Município, Andre Stürmer; Procurador Jurídico, Evandro Mantagner Becker; e o Diretor de Gabinete do Vice-Prefeito, Maicon Zamboni.

Fotos: Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Santa Rosa.


Projeto da Criatec proporciona espaços inovadores, qualificação empreendedora e desenvolvimento de protótipos

 

A CRIATEC da UNIJUÍ Campus Santa Rosa foi contemplada nesse ano com o valor de R$ 273.946,12, através do projeto da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia (SDECT), dentro do programa de Apoio aos Pólos Tecnológicos, RS Incubadoras e Programa Gaúcho de Parques Científicos e Tecnológicos. E a UNIJUÍ em contrapartida disponibilizou o valor de R$ 72.537,16.

Por meio desse valor, foram implantados três novos ambientes dentro da Universidade. O espaço Coworking, um ambiente compartilhado por empreendedores e profissionais liberais de várias empresas ao mesmo tempo, criando assim uma oportunidade de ampliar o networking (rede de contatos) e aumentar a produtividade. O segundo espaço é um auditório, que compreende um projetor de alta definição, voltado para palestras, treinamentos, seminários e workshops. E o terceiro, um Laboratório de prototipagem e testes, que está sendo utilizado pelos incubados e os futuros empreendedores por meio de prototipagens e testes de seus produtos, com equipamentos de alta definição tecnológica.

A coordenação do projeto foi da Professora de Engenharia Elétrica, Taciana Paula Enderle e contou com o apoio de uma equipe multidisciplinar de técnicos e professores alocados ao Campus Santa Rosa. A CRIATEC é um projeto gerenciado pela Agência de Inovação e Tecnologia (AGIT).

Confira os workshops desenvolvidos no último trimestre, nos espaços inovadores:

 


Ranking do MEC coloca a Unijuí como a melhor Universidade privada do interior do RS

                 

O Índice Geral de Cursos (IGC), um dos principais indicadores de qualidade de ensino do Ministério da Educação, divulgado no início desta semana, aponta a Unijuí entre as 10 melhores Universidades privadas do Rio Grande do Sul, em sexto lugar. Considerando as instituições da região Noroeste, figura na melhor posição.

No Índice Geral de Cursos (IGC), que considera a média ponderada das notas dos cursos de graduação e de pós-graduação de cada instituição, a Unijuí ficou com a nota 4, numa escala de 1 a 5, o que é considerado muito bom. “Encerramos o ano com a sensação de missão cumprida. A Unijuí possui, historicamente, uma excelente qualidade no ensino, que vem se confirmando a cada avaliação realizada pelo MEC ou por instituições privadas. Nosso foco na excelência acadêmica tem sido reconhecido externamente, seja pelas avaliações externas pelas quais passamos anualmente ou pelo mercado de trabalho, que reconhece e valoriza o diploma Unijuí. Certamente este resultado é a materialização de todo nosso esforço coletivo”, avalia a Vice-Reitora de Graduação, professora Cristina Pozzobon.

Confira as primeiras colocações do rankig:

1.       Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS)

2.       Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos)

3.       Universidade la Salle

4.       Univates

5.       Universidade Feevale

6.       Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (Unijuí)


Relatório de avaliação realizado pelo MEC dá parecer positivo à implantação do curso de Medicina na Unijuí

A Universidade aguarda agora a publicação, no Diário Oficial da União, da Portaria de Autorização para a oferta do Curso.

Nos dias 10 e 11 deste mês de dezembro, a Unijuí recebeu a visita de avaliadores do Ministério da Educação (MEC), que fizeram o monitoramento in loco, com o objetivo de verificar as condições para funcionamento do curso de graduação em Medicina na Universidade. Esse é mais um passo referente ao Edital nº 01/2017, do qual a Unijuí participa e pelo qual foi selecionada para ofertar o Curso em Ijuí. O resultado dessa avaliação foi recebido pela Unijuí nesta terça-feira, dia 18, e, de acordo com o documento, a Universidade atende satisfatoriamente aos requisitos e está apta a ofertar o curso de Medicina.

O parecer recebido pela Unijuí envolve seis itens avaliados especificamente em relação à Instituição: o Projeto Pedagógico do Curso; o Plano de Formação e Desenvolvimento da Docência em Saúde; a infraestrutura da Instituição; o processo dos Programas de Residência que o Curso precisa oferecer; o Plano de Contrapartida da estrutura de serviços e ações e programas de saúde, vinculadas ao Sistema Único de Saúde (SUS); e a oferta de bolsas aos alunos. Esses seis itens avaliados possuem diferentes quesitos, que também são analisados, e a partir disso, foi constituído esse parecer. O parecer pode ter três processos de avaliação: “não atende”, “atende parcialmente” e “atende satisfatoriamente”. Nos seis itens avaliados, a Unijuí teve como resultado “atende satisfatoriamente”. Nesse sentido, o parecer atribuiu à Universidade a condição de oferta do curso de graduação em Medicina, por possuir todas as condições para sua implantação, pois os eixos dos projetos atendem satisfatoriamente, o que permite efetivamente, a partir desse parecer, aguardar somente o último item que está faltando para ser iniciado o processo seletivo, ou seja, a homologação da Portaria de Autorização do Curso.

Segundo a Reitora da Unijuí, professora Cátia Maria Nehring, a publicação da Portaria é aguardada para os próximos dias. “Entendemos que mesmo com a mudança de governo, considerando que este processo envolve o Edital que se iniciou em 2013, estamos bastante confiantes que terminamos este ciclo ainda no ano de 2018. Com a Portaria publicada, como a Instituição já está se preparando no mínimo há três anos para o processo de Vestibular, estamos já trabalhando com a equipe interna no sentido de materializar o edital, com lançamento da campanha, inscrições e período para iniciar efetivamente as atividades do Curso”, destaca a Reitora.

Após esses dois dias de visita, que envolveu não só a Universidade, mas também a avaliação do Sistema Único de Saúde a partir do município de Ijuí, dos hospitais que serão campos de prática e de estágios, como o Hospital de Caridade de Ijuí, Hospital Bom Pastor e Hospital de Panambi, foram demonstradas de fato todas as condições que o município de Ijuí e região tem para a oferta do curso de Medicina. “Então todo esse movimento que foi feito intensamente nesses dois dias, e com a Instituição materializando tudo o que já havia postado em termos de documentos, esse parecer vem para colaborar e ratificar todas as impressões que os avaliadores tiveram, e isso é resultado de um trabalho conjunto. O parecer coroa efetivamente todo o trabalho já realizado e coloca a Instituição, o município e os hospitais numa outra pauta de discussão, que é como efetivamente o Curso impacta no processo de formação e na saúde pública do nosso município, então começamos a pensar nas aulas, nos campos de estágios e de interação e nas relações que a Instituição terá que fazer com esses parceiros”, afirma a professora Cátia Nehring.


GT sobre Agrotóxicos apresenta resultados de ações

             

Em sua última reunião do ano, as entidades participantes do GT Macrorregional sobre Agrotóxicos se reuniu, na sede do Cerest, para uma apresentação dos trabalhos realizados durante o ano de 2018 e a apresentação do calendário de ações 2019. Foram realizadas 10 reuniões mensais, sendo duas de preparação para o 4º Encontro Macrorregional sobre os Impactos dos Agrotóxicos, que aconteceu no distrito de Buriti, em Santo Ângelo.

Ainda, dentre as principais atividades realizadas durante o ano pelo Grupo de Trabalho, estiveram o encaminhamento de quatro denúncias de uso indevido de agrotóxicos nas cidades de Bozano, Chiapeta e no distrito de Chorão, em Ijuí. Em todas as ocasiões as denúncias foram encaminhadas à Patran e à Promotoria para que fossem tomadas as devidas precauções legais. O GT Macrorregional ainda teve representação em eventos importantes da área como a Toxiplan, em Porto Alegre, a Federação dos Apicultores, em Panambi, e a Roda de Alimentação Saudável.

Foi apresentada ainda a agenda de atividades de 2019, onde estão previstas, para abril, a realização de um Seminário sobre Legislação acerca da temática dos agrotóxicos, evento preparativo para o Congresso Internacional de Saúde, que acontece em maio, na Unijuí. Para o segundo semestre, estão previstos dois eventos, sendo o primeiro um Dia de Campo com oficinas de conscientização junto à Escola Imeab, o qual será estruturado juntamente à direção da escola. O segundo, é um evento voltado ao debate sobre agroecologia e suas possibilidades, que deve acontecer dentro da programação da ExpoIjuí Fenadi.

O GT Macrorregional entra em recesso e retorna suas atividades no mês de fevereiro. As reuniões são realizadas nas segundas sextas-feiras de cada mês, no Cerest, em Ijuí.


GT sobre Agrotóxicos cobra fiscalização sobre pulverização indevida em proximidade de escola

                             


O GT Macrorregional sobre Agrotóxicos recebeu, em agosto deste ano, uma denúncia sobre a realização de pulverização indevida de agrotóxicos ao lado da Escola Estadual 24 de Fevereiro, no distrito de Chorão, em Ijuí. A denúncia, contendo fotos e relatos de moradores sobre o ato, ainda trazia a informação de que a área é periurbana, onde há um poço artesiano que abastece centenas de famílias, bem como muitas residências próximos ao local.

Conforme o advogado e integrante do GT Macrorregional, Leonardo Ferreira Pillon, diante dos fatos apresentados e dos relatos de que a prática é recorrente na região, acontecendo, inclusive, em horário escolar, “o Grupo de Trabalho em ação conjunta com o Fórum Gaúcho de Combate aos Impactos dos Agrotóxicos, levou o fato ao conhecimento do Ministério Público Estadual e à Defensoria Pública Estadual para que, dentro de suas competências, os órgãos determinassem a reabertura do inquérito anterior sobre a situação recorrente, impedindo-se a pulverização de agrotóxicos no entorno da escola e comunidade em quaisquer horários e que fosse realizada perícia químico-ambiental na área da escola para se avaliar a deriva dos agrotóxicos e quais princípios ativos de biocidas estão eventualmente presentes no local cujo território é de circulação de crianças, professoras, mães e pais de estudantes”.

Um estudo do Centro Universitário de Várzea Grande, Instituto de Saúde Coletiva e da Universidade Federal do Mato Grosso sugere que populações intensamente expostas aos agrotóxicos apresentam maior risco de malformação fetal, reforçando a importância do monitoramento da utilização dos agrotóxicos e contaminação humana e ambiental nesses municípios. Por isso, a partir da denúncia feita pelo GT, em 3 de dezembro, o Ministério Público ouviu a diretoria da Escola 24 de Fevereiro, a Secretaria Municipal do Meio Ambiente e a Associação de Pais e Mestres. Ao contrário da determinação anterior em que a área da escola foi considerada dentro do perímetro urbano, a ata da audiência trata que somente a área frontal da escola estaria dentro da área urbana e conclui que apenas dentro do perímetro urbano haveria vedação legal de pulverização de agrotóxicos.

“Na avaliação do GT, a determinação é muito branda com possíveis exposições aos agrotóxicos: o ambiente escolar deve ser um lugar seguro contra quaisquer efeitos nocivos decorrentes de uso desses produtos químicos”, conclui Francesca Ferreira, representante da coordenação do GT.


Unijuí alcança excelentes resultados em Indicadores de Qualidade do MEC

               
   

 O Ministério da Educação divulgou o Índice Geral de Cursos (IGC) 2017 da Unijuí e os Conceitos Preliminares de Curso (CPC), dois importantes indicadores de qualidade de ensino das Instituições de Ensino Superior. Novamente a Unijuí atingiu excelentes resultados nestas avaliações.

 No Índice Geral de Cursos (IGC), que considera a média ponderada das notas dos cursos de graduação e de pós-graduação de cada instituição, a Unijuí ficou com a nota 4, numa escala de 1 a 5, o que é considerado muito bom.

 Já nos Conceitos Preliminares de Curso (CPC), nota que leva em conta o desempenho dos estudantes no Enade e, também, no valor agregado pelo processo formativo e em insumos referentes às condições de oferta – corpo docente, infraestrutura e recursos didático-pedagógicos, dos cursos da Unijuí avaliados, sete atingiram a nota 4 e dois deles – Letras Inglês e Português e Matemática – ficaram com a nota máxima, o conceito 5. Confira todas as notas a seguir. As avaliações são referentes ao ano de 2017 e complementam a informação divulgada pelo MEC em 8 de outubro, quando foram publicados os conceitos do ENADE e do IDD.

Segundo a Vice-Reitora de Graduação da Unijuí, professora Cristina Pozzobon, estes resultados indicam que são cumpridas as mais exigentes normas de ensino. Estamos com a sensação de missão cumprida, pois a qualidade que possuímos e já é historicamente reconhecida pelas pessoas e comunidades da nossa região, mais uma vez foi confirmada através de um procedimento avaliatório oficial do MEC. A nota reflete o nosso foco na excelência acadêmica, o resultado de uma dedicação conjunta, e nos fortalece enquanto Instituição que tem como propósito participar do desenvolvimento da nossa região com muita qualidade.

 

Notas CPC

 

CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO

Ijuí / RS

CPC: 4

 

CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO

Santa Rosa / RS

CPC: 4

 

CIÊNCIAS BIOLÓGICAS

Ijuí / RS

CPC: 4

 

CIÊNCIAS BIOLÓGICAS

Ijuí / RS

CPC: 4

 

EDUCAÇÃO FÍSICA

Ijuí / RS

CPC: 4

 

EDUCAÇÃO FÍSICA

Ijuí / RS

CPC: 3

 

EDUCAÇÃO FÍSICA - SR

Santa Rosa / RS

CPC: 3

 

ENGENHARIA CIVIL

Santa Rosa / RS

CPC: 3

 

ENGENHARIA CIVIL

Ijuí / RS

CPC: 3

 

ENGENHARIA ELÉTRICA

Ijuí / RS

CPC: 3

 

ENGENHARIA ELÉTRICA

Santa Rosa / RS

CPC: 3  

 

ENGENHARIA MECÂNICA

Panambi / RS

CPC: 3

 

HISTÓRIA - EAD

Ijuí / RS

CPC: 4

 

LETRAS - INGLÊS

Ijuí / RS

CPC: 5

 

MATEMÁTICA

Ijuí / RS

CPC: 5

 

PEDAGOGIA

Ijuí / RS

CPC: 4

 

PEDAGOGIA - SR COM HABILITAÇÃO EM PEDAGOGIA - SR

Santa Rosa / RS

CPC: 4

 

Unijuí FM disponibiliza Cheirinho de Bebê para audição em podcast

                

Durante os meses de novembro e dezembro, a UNIJUÍ FM veiculou o Cheirinho de Bebê no Ar, projeto que chega a sua terceira edição com produção em parceria com o DCVida e DHE da UNIJUÍ. Profissionais das áreas da Enfermagem, Nutrição, Psicologia e Pedagogia elegeram a infância como tema de trabalho, abordando aspectos do desenvolvimento, descobertas do corpo, a importância dos cuidados, a função do brincar livremente e das brincadeiras dirigidas, a participação dos adultos, a criança interior que ainda existe dentro de nós, as brincadeiras preferidas em cada fase da vida, o papel da escola e a questão dos limites e das tecnologias nesta fase da vida.

Participam do programa a Enfermeira Obstetra e Sanitarista, Mestre em Enfermagem, professora do DCVida/UNIJUÍ, Arlete Regina Roman; a Nutricionista, Mestre em Alimentos e Nutrição, professora do DCVida/UNIJUÍ, Karina Ribeiro Rios; a Psicóloga Clínica, Mestre em Educação nas Ciências, Doutora em Educação e professora do DHE/UNIJUÍ, Ângela Maria Schneider Drügg; e a Doutora em Educação, professora do curso de Pedagogia/DHE, Marta Borgmann. 

Agora, os programas estão disponíveis para audição em podcast. Dá o play:


Unijuí abre inscrições para a Unicasa

A Universidade abriu processo seletivo de novos moradores para a Casa do Estudante da Unijuí (Unicasa). Estão disponíveis 16 vagas, que serão concedidas a estudantes matriculados em cursos de graduação do campus Ijuí, que atendam aos requisitos do edital publicado na página de “Editais e Informes” da Universidade.

Os interessados em ocupar uma vaga na Unicasa devem fazer a inscrição até o dia 25 de janeiro de 2019, diretamente na Central de Atendimento ao Aluno do campus Ijuí. O processo de seleção e classificação dos candidatos será realizado pelo Conselho Administrativo da Unicasa. O critério de classificação é de acordo com o índice de carência econômico-financeira do candidato. O resultado final da seleção será publicado no dia 30 de janeiro de 2019.

O principal objetivo da Unicasa é proporcionar melhores condições de estudos a universitários, por meio de moradia, espaço de convivência acadêmica e desenvolvimento do espírito cooperativo e de interação entre seus moradores.

O edital com todas as informações sobre o processo seletivo pode ser conferido no link: unijui.edu.br/editais-e-informes  ou pelo telefone 055 3332 0444.


ExtraVestibular: novas formas de ingresso na Unijuí

              

Se você está pensando em ingressar, retornar à universidade ou trocar de instituição, a Unijuí oferece diversas oportunidades. O ExtraVestibular, que está com inscrições abertas até o mês de março, proporciona alternativas de ingresso. Confira:

Diplomados em curso superior: Estudantes diplomados em curso de Nível Superior.

Reingresso: Estudantes que interromperam seus estudos na UNIJUÍ e pretendem retornar para o mesmo curso, campus e modalidade.

Reingresso com transferência de curso: Estudantes que interromperam seus estudos na UNIJUÍ e pretendem retornar para outro curso, campus ou modalidade.

Transferência Externa: Estudantes de outras instituições de ensino superior que desejam se transferir para a UNIJUÍ.

Transferência Interna: Estudantes regularmente matriculados na UNIJUÍ que desejam transferência interna de curso, de modalidade ou de campus.

Ingresso Especial: Interessados em realizar uma ou mais disciplinas para antecipar estudos a serem aproveitados logo após a realização do concurso vestibular, para estudantes que já concluíram o Ensino Médio. Ou, ainda, para fins culturais ou de atualização profissional.

Confira todos os detalhes na página do ExtraVestibular.


Inovação na área da reciclagem é apresentada na Incubadora da Unijui

                

Na última sexta-feira, aconteceu, na sala de reuniões da Criatec, a apresentação do Sistema Torre Verde Coleta inteligente de Resíduos Sólidos Urbanos e também do trabalho desenvolvido pela Quimea Gestão Ambiental. Na oportunidade empresa Quimea apresentou o trabalho que estão desenvolvendo na região a partir da incubação na Criatec de Santa Rosa. Na sequência dos trabalhos, foi apresentado experiência Torre Verde.

O evento contou com a participação do gerente da Agit, Maiquel Silva Kelm, chefe do Núcleo de empreendedorismo, Maria Odete Palharini, analista de planejamento da Itecsol, Elizandra Pinheiro da Silva, Dirnei Ferri, diretor e criador do Sistema Torre Verde, de São José, Florianópolis, Dirnei Ferri Filho, Yuri Lucian Pilissão, da empresa Marsol – Efeciência Energética e Soluções Sustentáveis, de Frederico Westphalen, Milena Pacheco e Anderson Deckerl da empresa Químeal incubada na Criatec - Santa Rosa, Gerente do Núcleo Patrimonial de serviços da Unijui e vereador Municipal, Jeferson Dalla Rosa, Joice de Oliveira, do Departamento Municipal de Águas e Saneamento de Ijuí (Demasi) e a vice presidente da Associação de Catadores de Materiais Recicláveis de Ijuí, Maria Sonilda Sattes.

A Torre Verde é um Carda - Coletor Automatizado de Resíduos com Descarga Aérea. Sua tecnologia é 100% nacional, criada pelo inventor Dirnei Ferri e patenteada no Brasil e no Exterior pela NGV BRASIL. É o primeiro sistema de coleta de resíduos do mundo em formato de torre e com descarga aérea automatizada. Serve para coleta qualquer tipo de resíduo sólido, em especial o lixo domiciliar e materiais recicláveis.  É, ao mesmo tempo uma lixeira, um PEV – Ponto de Entrega Voluntário e uma micro estação de transbordo de resíduos. Permite armazenar em seu depósito e descarregar no caminhão de coleta mais de 5m³ de resíduos em menos de 1 minuto. Evita a exposição do lixo em calçadas, evitando seu contato com animais, insetos, pessoas, chuvas e catadores. Evita acidentes de trabalho nas operações de coleta de lixo e coleta seletiva. Permite uma maior participação da população nas atividades de limpeza urbana, gerando educação e conscientização ambiental de longo prazo. Reduz custos operacionais e de aterro sanitário para prefeituras e empresas.

O objetivo da reunião foi conhecer essa nova tecnologia com a finalidade de buscar alternativas viáveis para propor ações eficientes no segmento da reciclagem. Visto que inúmeros problemas têm surgido em virtude da não organização dos processos de descarte e coleta. Com a proposta de continuar a discussão sobre o tema foi organizado um grupo de trabalho com os representantes das entidades presentes, também ficou definido uma visita ao Município de Inbituba que fará a instalação do sistema no início de 2019 cujo objetivo é ver a tecnologia implantada para posterior proposição ao Município de Ijui e região.