COMUNICA

PORTAL DE NOTÍCIAS DA UNIJUÍ

Institucional

EaD Unijuí: inscrições abertas para o curso superior de tecnologia em Gestão da Qualidade

Pensado para aumentar a competitividade das empresas, o curso superior de tecnologia em Gestão da Qualidade da Unijuí prepara o profissional para atuar na gestão da qualidade dos processos, produtos e rotinas de diferentes organizações, que resultem numa maior efetividade das atividades de produção e comercialização de bens e serviços. Ofertado na modalidade Ensino a Distância (EaD), o curso tem duração de dois anos e meio e conta com a marca de uma Universidade com mais de 40 anos de formação superior nas áreas de gestão e negócios.

O curso de Gestão da Qualidade pode ser incorporado por um grande número de organizações, dos mais diferentes tipos, embora tenha uma característica mais focada em empresas industriais, que trabalham com manufatura, com a produção de produtos em série ou empresas que operam com serviços. Elas precisam ter padrões de qualidade para vender seus produtos em determinados mercados”, explicou o coordenador dos cursos EaD na Unijuí, professor Luciano Zamberlan.

De acordo com o docente, o curso conta com disciplinas bastante específicas, que contemplam desde sistemas de gestão de qualidade, análise de mercadorias, ergonomia, até o gerenciamento de projetos. “O curso dá ênfase à melhoria do processo de qualidade dos produtos, permitindo que a empresa tenha condições de ampliar a escala de seus produtos e serviços”, reforçou o professor.

Para quem tem interesse em conhecer mais sobre o curso, acesse unijui.edu.br.

A Unijuí também oferta outras opções na modalidade Ensino a Distância: bacharelado em Administração, Ciências Contábeis e Educação Física; licenciatura em Educação Física, História, Letras: Português e Pedagogia; e de tecnologia em Gestão Comercial, Gestão de Micro e Pequenas Empresas, Gestão de Recursos Humanos, Gestão Financeira, Logística, Marketing e Processos Gerenciais.


Apreendidos em presídios, primeiros celulares são recondicionados e entregues a escolas

O projeto Alquimia II, realizado a partir de um termo de cooperação entre a Unijuí e o Ministério Público do Rio Grande do Sul (MP-RS), começa a apresentar resultados: os primeiros cinco celulares, apreendidos de penitenciárias, foram recondicionados pela Universidade e entregues nesta terça-feira, dia 11 de maio, a dois educandários da rede estadual: a Escola de Ensino Fundamental Luiz Fogliatto e a Escola de Ensino Fundamental Centenário. A entrega, que simbolizou o pontapé do projeto, foi realizada na sede do Ministério Público.

Conforme explicou a promotora de Justiça da Comarca de Ijuí, Rosélia Brusamarelo, diante da pandemia de covid-19, percebeu-se que muitos alunos não tinham um celular para fazer o acompanhamento das aulas em casa. Enquanto isso, muitos aparelhos apreendidos em presídios eram descartados. Foi então que, em Osório, nasceu o projeto Alquimia II, a partir de uma reformulação do Alquimia I, implantado em 2010, em que máquinas caça-níqueis apreendidas eram utilizadas para montagem de computadores, que beneficiavam alunos e salas de cursos de apenados.

Todos nós gostaríamos muito que os alunos estivessem frequentando presencialmente as aulas. Mas isso muitas vezes não pode acontecer e muitos estudantes não têm condições de adquirir um aparelho. Por isso a importância do projeto se torna imensurável: oportuniza que os alunos acompanhem as aulas e que possamos reduzir os índices de evasão”, explicou a promotora Rosélia Brusamarelo, lembrando que o projeto acontece de forma regional, com cinco comarcas. A ideia, num segundo momento, é mobilizar a comunidade, para que também faça a doação de smartphones.

Essa iniciativa é de extrema importância porque, por vezes, encontramos famílias super vulneráveis, com quatro filhos e com um único, ou sem nenhum aparelho celular para assistir às aulas”, destacou a promotora de Justiça da Infância e Juventude, Marlise Bortoluzzi.

Coordenador do projeto na Unijuí, o professor Edson Luiz Padoin destacou que é uma alegria contribuir com esta iniciativa e poder dar mais essa devolutiva para a comunidade. “Hoje, realizamos a entrega de cinco aparelhos, prontos para que os estudantes possam instalar os aplicativos indicados pela 36ª Coordenadoria Regional de Educação (CRE). Alguns, dos 25 celulares recebidos, estavam estragados ou não são smartphones. Mas, seguimos trabalhando em outros. A expectativa é que, em breve, cerca de 100 aparelhos sejam enviados à Instituição”, explicou o docente, lembrando que um bolsista trabalha no projeto, junto com técnicos e professores.

O projeto é de fundamental importância para a rede estadual, que possui muitos alunos carentes, que não têm condições de adquirir um smartphone para realização das atividades escolares. Optamos pelas duas escolas, Luiz Fogliatto e Centenário, inicialmente, por terem famílias com grandes necessidades. Mas estamos na expectativa de que novos aparelhos sejam encaminhados para serem recondicionados”, reforçou a assessora pedagógica da 36ª CRE e representante na Rede de Proteção à Criança e ao Adolescente, Ângela Linck.

O ato também contou com a presença da vice-diretora da Escola Estadual Centenário, Márcia Regina Sloczinski, e da diretora da Escola Estadual Luiz Fogliatto, Elise Severo.


Central Analítica mantém certificado de reconhecimento da qualidade

Central também conta com mais um serviço reconhecido de amostragem

Anualmente, a Central Analítica da Unijuí recebe a visita de auditores da Rede Metrológica – RS, que realizam a avaliação do sistema de gestão da qualidade e do processo analítico. Esse processo, realizado neste ano entre os dias 8 e 12 de fevereiro, permite que a Central Analítica integre o grupo de laboratórios reconhecidos pela Rede Metrológica, conquistando para Ijuí e região a certificação do reconhecimento de um laboratório que atende aos padrões internacionais de qualidade em seus serviços.

A Central Analítica da Unijuí é o único laboratório de prestação de serviços na área de análises ambientais da região Noroeste do Estado que possui reconhecimento junto à Rede Metrológica do Rio Grande do Sul em conformidade com os critérios estabelecidos na norma ABNT NBR ISO/IEC 17025:2017 – requisitos gerais para a competência de laboratórios de ensaio e calibração, o que possibilita o cadastro junto à FEPAM – Fundação Estadual de Proteção Ambiental Henrique Luís Roessler e obtenção do alvará sanitário da Vigilância Sanitária. Esse reconhecimento viabiliza a prestação de serviços para empresas, prefeituras e a comunidade regional que necessitam avaliar parâmetros físico-químicos e microbiológicos em águas e efluentes líquidos. A Central também realiza a análise de combustíveis para emissão de boletim de conformidade, exclusivamente para distribuidoras de petróleo.

Na mesma auditoria, realizada neste ano, o laboratório solicitou a ampliação do escopo de serviços, buscando o reconhecimento para a atividade de amostragem, tendo em vista o aumento nas exigências dos órgãos fiscalizadores para que o laboratório realize coletas de águas e/ou efluentes nas empresas. A demanda foi atendida.

O coordenador da Central Analítica e professor da Unijuí, Alessandro Hermann, ressalta o trabalho em equipe desenvolvido pelos profissionais que atuam no laboratório para a manutenção desse reconhecimento, bem como a importância para a região Noroeste de haver um laboratório atendendo com padrões internacionais de qualidade em análises de águas e efluentes e agora, também, de amostragem, mantendo assim o compromisso da Universidade com a qualidade de seus serviços.

“Além disso, o laboratório proporciona estágios para os acadêmicos dos cursos de Ciências Biológicas, Engenharia Química e Farmácia da Unijuí”, reforçou o docente.

O contato com a Central Analítica pode ser realizado pelo telefone 3332-0442 ou pelo e-mail centralanalitica@unijui.edu.br


Complexos de Saúde da Unijuí qualificam formação e prestação de serviços à comunidade

Universidade conta, atualmente, com três Complexos localizados no Campus Ijuí

Salas de Simulação Realística fazem parte do Complexo 2

Na busca por uma formação de excelência aos seus acadêmicos, a Unijuí vem se modernizando ao longo dos anos, qualificando a sua infraestrutura e adquirindo dezenas de equipamentos. Isso acontece nas mais diversas áreas, a exemplo da Saúde, que hoje conta com três Complexos, todos localizados no campus da Universidade em Ijuí.

“Desde 2018, trabalhamos com a ideia central de reorganizar os espaços da área da saúde, a partir da integração entre os cursos, para que os estudantes tenham diferentes experiências na área interna da instituição. Estruturamos, então, três Complexos, que atendem aos diferentes cursos e ao Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Atenção Integral à Saúde. Estes espaços foram pensados a partir da complexidade da estrutura do currículo dos cursos, começando pelo momento de aprendizado do estudante nas áreas básicas, passando por simulações de práticas e finalizando com experiências profissionais”, explicou a reitora da Unijuí, professora Cátia Maria Nehring.

No início dos cursos, os acadêmicos têm contato com o Complexo 1, que centraliza laboratórios da área básica, como, por exemplo, Fisiologia, Anatomia, Microscopia, Bioquímica, além do Laboratório de Análises Clínicas, o Unilab. Este complexo se caracteriza pela entrada do estudante na área da saúde, com experiências na área básica dos cursos. À medida que os currículos avançam com uma complexidade nas disciplinas, os estudantes passam a ter atividades no Complexo 2, onde são realizadas simulações e simulações realísticas. “Esse complexo surgiu a partir de uma reorganização, de um laboratório que já existia no Complexo 1, a partir do curso de Enfermagem e de novas necessidades, com o curso de Medicina”, reforça a reitora, lembrando que o Complexo 2 fica localizado no prédio recentemente construído na saída do campus, próximo ao Hospital Veterinário. É lá que os estudantes da Enfermagem, Nutrição, Fisioterapia e Medicina realizam as suas simulações, a partir de equipamentos modernos e com alta tecnologia.

Já no Complexo 3 está localizada a Unijuí Saúde, que envolve a Clínica Escola de Fisioterapia, o Consultório de Nutrição e a Unidade de Reabilitação Física (Unir), habilitada para ser um Centro Especializado em Reabilitação (CER III). Nestes espaços, os estudantes realizam o atendimento a pacientes sob supervisão de professores. “Este é o espaço da prática profissional. É o momento que o estudante vivencia as experiências da profissão e pode discutir, aprender a partir da interação com outros profissionais e com seu professor. Além disso, o diferencial é que o espaço é multiprofissional, o que possibilita a interação entre as áreas e uma visão global do paciente”, completou a reitora, lembrando que a Universidade ainda conta com a Clínica de Psicologia e o Laboratório de Atividade Física, localizados na Sede Acadêmica em Ijuí e também no campus Santa Rosa, que também integram a área da saúde.

Contar com diferentes espaços durante a formação é um ganho para os estudantes da área da saúde. Benefícios também visíveis à comunidade, que usufrui do atendimento e do conhecimento de professores e acadêmicos. “Para a Unijuí, estes três Complexos têm uma importância fundamental no sentido de qualificar e aprimorar a área da Saúde como um todo. Temos espaços de práticas formativas e também de pesquisa, envolvendo acadêmicos e mestrandos do curso de Mestrado em Atenção Integral à Saúde. Este movimento institucional reforça nosso caráter comunitário ao prestar um atendimento de qualidade à comunidade e possibilitar uma formação de excelência aos estudantes”, finalizou a reitora.


Lançamento de livro é resultado de parceria entre a Editora Unijuí e Instituto do Chile

Aconteceu na última sexta-feira, dia 7 de maio, o lançamento do livro “Relações e Tensões entre América Latina e Estados Unidos no Âmbito da Evolução da Geopolítica Ambiental Global”. A obra é resultado de uma parceria entre a Editora Unijuí e o Instituto de Estudos Avançados da Universidade de Santiago do Chile.

O livro visa abordar assuntos relacionados à geopolítica ambiental e características determinantes da geopolítica do século 21, que serão os problemas decorrentes da crise ambiental global. A este respeito, assinalou-se que as mudanças climáticas, a perda de biodiversidade, a escassez de recursos naturais, a crescente carência de água doce, entre outras questões, associadas aos problemas sociais que delas decorrem, como os refugiados do clima, os conflitos de guerra por recursos escassos e outros semelhantes, estão a elevar o conflito geopolítico a um nível qualitativamente diferente e com possibilidade de ser muito mais grave no século 21.

É essencial a busca por soluções acordadas internacionalmente e, caso elas não funcionem a tempo ou simplesmente falhem, a História nos alerta que soluções de poder diretas e brutais podem entrar em jogo.

O livro foi desenvolvido, baseado nessas questões, por especialistas latino-americanos que refletem sobre o assunto. A obra foi organizada pelo doutor em Estudos Americanos, Fernando Estenssoro, e pelos autores: mestra em Ciências Sociais, Anabella Busso; doutora em Relações Internacionais, Ana Mirka Seitz; doutor em Ciências Humanas, Jerônimo Siqueira Tybusch; mestranda do Programa da Pós-Graduação em Direito da Universidade Federal de Santa Maria, Francieli Iung Izolani; doutor em Relações Internacionais, Cristian Lorenzo; doutor em Meio Ambiente e Desenvolvimento, Daniel Rubens Cenci; mestre em Integração Latino-Americana, Vinícius Garcia Vieira; doutor em Direito, Luiz Ernani Bonesso de Araújo e doutorando do Programa de Pós-Graduação em Direito da Universidade de Caxias do Sul, Thiago Luiz Rigon de Araujo.

O evento foi transmitido no canal do Youtube da Unijuí, com horários diferenciados para cada país: Brasil e Argentina às 17h e Chile às 16h. Para conferir, acesse este link.

Por Susan Pereira, acadêmica do curso de Jornalismo


Encaixando o EaD à rotina agitada e qualificando a carreira profissional

Residente em Santo Cristo, Janete Klering, de 41 anos, tem uma rotina bastante agitada: casada com Roberto e mãe de Danielle, de 14 anos, é também a filha mais próxima de seus pais e presta cuidado a eles. A atenção à família, como conta, precisa ser conciliada com a vida profissional.

Graduada pela Unijuí em Informática – Sistema de Informações, em 2008, Janete atualmente está à frente da administração de dois postos de combustíveis e de uma transportadora, onde conta com a ajuda de 26 colaboradores. “Por estar na gerência, vi a necessidade de aperfeiçoar meus conhecimentos na área. Minha graduação, em Informática, ficava um pouco distante do ramo que optei seguir e foi então que decidi ingressar no curso de Administração a distância da Unijuí”, contou a profissional, que conseguiu, por meio da modalidade Ensino a Distância (EaD), adaptar a sua rotina aos estudos.

O EaD me dá a liberdade de organizar os estudos nos horários disponíveis, durante o dia, noite e aos finais de semana. E como já havia concluído uma graduação na Unijuí, consegui aproveitar várias matérias no curso EaD, o que ajudará no tempo para conclusão do curso”, completou.

Janete destaca que as disciplinas passadas pelos professores são de fácil compreensão e aplicáveis ao dia a dia das empresas. “Temos acesso a vários canais de comunicação com os professores e colegas, o que é muito importante para tirar dúvidas e realizar trabalhos”, comenta, afirmando, ainda, que os assuntos abordados nas aulas conectam ao que há de mais atual nos campos da gestão e da administração de negócios e empresas. “A aplicabilidade dos temas nos permite uma conexão da teoria com a prática do dia a dia.”

Para quem deseja, assim como Janete, qualificar-se por meio de um curso de graduação a distância, a Unijuí oferece 15 opções: bacharelado em Administração, Ciências Contábeis e Educação Física; licenciatura em Educação Física, História, Letras: Português e Pedagogia; e de tecnologia em Gestão Comercial, Gestão da Qualidade, Gestão de Micro e Pequenas Empresas, Gestão de Recursos Humanos, Gestão Financeira, Logística, Marketing e Processos Gerenciais.

O candidato pode optar por realizar a prova de vestibular online; utilizar a nota de redação de outros vestibulares da Unijuí, a partir de 2005; ou optar por realizar a nota de redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Neste último caso, os classificados ganharão 50% de desconto no primeiro módulo do curso.

Mais informações em unijui.edu.br/ead.


Criatec realiza MeetUp sobre desafios da trajetória empreendedora

A Incubadora de Empresas de Inovação Tecnológica (Criatec) da Unijuí promoverá na próxima quinta-feira, dia 13 de maio, um MeetUp com o tema “Da ideação ao investimento: os desafios da trajetória empreendedora”, a partir das 19h15. Inscrições podem ser realizadas até o dia, pelo endereço criatecunijui.com.br/eventos.

Para debater a temática, foi convidado Anderson Diehl, mentor e líder alumni região sul do InovAtiva Brasil, maior programa gratuito de aceleração de startups da América Latina. O convidado é membro da Anjos do Brasil, aceleradoras Wow, Grow Plus, Ventuir e da Bossa Nova Investimentos, maior micro venture capital da América Latina. Anderson foi um dos 10 finalistas na categoria investidor-anjo no Startups Awards 2018, 2019 e 2020 da ABStartups.

O evento será transmitido pelo canal da Criatec no Youtube.


Pós-Graduação Unijuí: cursos geram oportunidades imediatas

Rodrigo Silveira dos Santos vinha realizando algumas atividades básicas do mercado financeiro quando decidiu que ingressaria no MBA em Finanças e Mercado de Capitais da Unijuí, com um objetivo bastante específico.

“A ideia era que as experiências e conhecimentos adquiridos no curso retornassem, que eu pudesse de fato aplicar o que aprendi e que os ganhos de capitais fossem utilizados para pagar o curso”, explicou o jovem, que teve sucesso na sua trajetória.

“Antes mesmo de terminar o curso, eu consegui todo investimento de volta. Foi o conhecimento da Unijuí que pagou o próprio curso”, afirmou, destacando que não tem dúvidas de que o conhecimento adquirido na Universidade é completamente relevante para as suas atividades. “A especialização dá confiança para a atuação profissional. Você conquista conhecimentos que são aplicáveis a todo momento, em qualquer empresa.”

Finanças e Mercado de Capitais é apenas uma das opções de cursos ofertados pela Unijuí. No Campus Ijuí, são ofertados os cursos de Pós-Graduação Lato Sensu em Saúde Mental, Fisioterapia Neurofuncional, Fisioterapia em Terapia Intensiva, Controladoria e Gestão Empresarial, Hematologia Laboratorial e Psicologia Clínica: Práticas Clínicas nas Instituições. Já no Campus Três Passos são ofertadas as especializações em Coaching e Gerenciamento de Pessoas e Direito do Trabalho, Processo do Trabalho e Previdenciário.

Para quem prefere a modalidade Ensino a Distância (EaD), há os cursos de Marketing, Gestão Bancária e Negócios e Engenharia de Avaliações e Perícias.

Mais informações em unijui.edu.br/pos, pelo telefone 3332-0553 ou pelo e-mail educacaocontinuada@unijui.edu.br.


Impactos da cultura do cancelamento são discutidos no Rizoma Temático

Nunca se ouviu falar tanto em cultura do cancelamento quanto agora. Nesse movimento, que acontece principalmente nas redes sociais, há um incentivo para que as pessoas deixem de apoiar determinadas personalidades ou empresas, em razão de um erro ou conduta. Mas até que ponto essas críticas massivas são aceitáveis? Quais as consequências desta ação?

Para debater o assunto, o Rizoma Temático da Unijuí FM convidou a coordenadora da Clínica Escola de Psicologia no Campus Santa Rosa, Taís Cervi; a coordenadora dos cursos de Jornalismo e Publicidade e Propaganda da Unijuí, professora Nilse Maldaner; e a jornalista e digital influencer Ana Louíse Diel, egressa dos cursos de graduação e pós-graduação da Unijuí. O programa foi ao ar nesta quinta-feira, dia 6 de maio.

Conforme explicou a professora Nilse Maldaner, esse ‘cancelamento’ já acontecia anteriormente, mas foi potencializado pelas mídias sociais e por este período de pandemia, em razão de as pessoas estarem mais conectadas.

Na cultura do cancelamento, se uma pessoa não gosta da atitude, da ideia de alguém ou de alguma marca, ela se desliga e passa a realizar um movimento para que haja consequências ao autor. É um tema complexo. Não só as pessoas, mas as empresas passam a ser impactadas por certos posicionamentos, e acabam tendo consequências se os influenciadores que divulgam seus produtos têm uma atitude considerada errada”, explicou a docente.

Atuando como digital influencer, a jornalista Ana Louíse destacou que todos têm medo do cancelamento hoje. Mas observou que atitudes e opiniões, emitidas por pessoas públicas ou empresas, por vezes são interpretadas de uma forma errada. “Nunca fui ‘cancelada’, mas, sim, tenho medo. Tanto que busco não ser radical em meus posicionamentos. Tenho meu estilo de vida, posição política, religiosa, time e orientação sexual. E como há pessoas de diferentes estilos que me acompanham, busco respeitar e não me expor. Sei que existem divergências”, reforçou a profissional.

Segundo a coordenadora da Clínica Escola de Psicologia no Campus Santa Rosa, Taís Cervi, a cultura do cancelamento causa diferentes impactos, especialmente às pessoas. “Profissionais, a exemplo do digital influencer, têm um medo permanente de que sua imagem se dissolva no ar. Medo da suspensão, de não aparecer, de não ter engajamento. Entre os problemas que a cultura do cancelamento causa é a exclusão social e a redução de debates, do diálogo. Afinal, eu não concordo com a opinião do outro, ele é cancelado e tirado de cena. Uma ação que preocupa, que traz consequências perigosas”, disse.

Confira o Rizoma Temático na íntegra:


Em execução, projeto “Artesanato Étnico em Ijuí” conta com a parceria da Unijuí

A Unijuí é uma das parceiras no desenvolvimento do projeto “Artesanato Étnico em Ijuí – Terra das Culturas Diversificadas”, trabalhado para atender a uma demanda antiga dos grupos étnicos e culturais de Ijuí, além dos artesãos. A iniciativa parte da Secretaria Municipal de Cultura, Esporte e Turismo (SMCET), em parceria com representantes dos movimentos étnicos; representantes da Associação dos Artesãos de Ijuí (Adai), Associação dos Artesãos do Brique da Praça (Abriq) e Feira de Economia Solidária em Ijuí (Feconsol); e entidades interessadas, como a Unijuí, Emater/Ascar, FGTAS e União das Etnias de Ijuí (Ueti).

Um dos principais objetivos do projeto é viabilizar a oferta de produtos que representem a diversidade de grupos étnicos e culturais do Município, a partir dos saberes e fazeres expressos pelo artesanato e culinária, como forma de contribuir com o fortalecimento da identidade de Ijuí como Terra das Culturas Diversificadas – ou, até mesmo, como Capital Nacional das Etnias. A iniciativa busca, ainda, proporcionar incremento de renda aos artesãos e agroindústrias engajadas.

Por meio do projeto, também está prevista a criação de um “selo de identidade” aos produtos artesanais e de culinária típica, desde que a qualidade e procedência sejam testadas, além do caráter original, típico e único de cada produto.

Com previsão de execução em seis etapas, o projeto global foi, em parte, inscrito no Edital da Fundação Marcopolo, tendo recursos financiados pela Lei Federal Aldir Blanc – Lei nº 14.017/2020, que prevê o auxílio emergencial a todo setor cultural.

O valor total, de R$ 50 mil, será destinado à execução das três primeiras etapas – já em andamento, que consistem no levantamento de informações sobre o artesanato e a culinária típicos de cada uma das 12 etnias vinculadas à Ueti, além da Etnia Kaingang e da própria cultura Gaúcha; a construção da marca do projeto e a elaboração de um catálogo destinado aos agentes envolvidos.

Após um processo de sensibilização e de capacitação dos artesãos consorciados e agroindústrias locais, será concedida uma etiqueta com a marca do projeto, para que esses itens possam ser divulgados e comercializados tanto em espaços físicos quanto virtuais.