Encerra-se o Seminário Internacional alusivo aos 25 anos do Grupo de Pesquisa EMGEOCS

Ocorreu nesta quarta-feira, 24 de novembro, a última conferência do Seminário Internacional em comemoração aos 25 anos do Grupo de Pesquisa Ensino e Metodologias em Geografia e Ciências Sociais (EMGEOCS). O evento teve início no primeiro semestre de 2021, de forma online, com transmissão pelo canal da Unijuí no Youtube. 

Os debates tiveram como objetivo compartilhar a trajetória percorrida através dos anos, considerando temas relativos ao ensino e pesquisas na sua dimensão teórica e metodológica e os temas de Geografia, Ciências Sociais, Educação e Cidadania, Formação de Professores, Cidade e Patrimônio e Redes de Investigação. O evento contou com a participação de pesquisadores brasileiros e estrangeiros, pesquisadores e ex-orientados, que estiveram debatendo sobre suas práticas docentes e pesquisas, na perspectiva de diferentes olhares na Pesquisa em Educação.

Para finalizar o evento, nesta quarta-feira foi realizada a conferência “Epistemologia da ciência e métodos para estudos da natureza”, tendo como palestrante a professora Dirce Maria Antunes Suertegaray, que debateu sobre as Metodologias da Pesquisa em Geografia Física.

Conforme a professora, é preciso superar a geografia física e adotar um conceito de natureza constituinte da análise geográfica, sendo este um campo de conhecimento amplo e de muitas especializações. “Ao longo do movimento de produção de conhecimento, fomos desenvolvendo mudanças na concepção e nas formas de análise da natureza e penso que isso seja fundamental para os geógrafos, uma vez que nós temos formação para trabalhar com essa dimensão da natureza”, afirma a pesquisadora, destacando que uma mudança analítica significativa se expressa na análise e tratamento da natureza.  Trata-se da substituição, das análises objetivando a explicação da origem e transformação da paisagem ou relevo, pela explicação da funcionalidade, pela análise da interação dos processos, ou seja, da transformação das formas naturais por processos curtos.

Marcando o encerramento do seminário, o professor Walter Frantz ressaltou que acredita que discussões como esta são grandes contribuições para uma sociedade que precisa pensar com mais inteligência o mundo em que vivemos. 

“Entendo a leitura e a escrita como método de ensino e aprendizagem, como uma estratégia de estar e ser no mundo. Penso que esse é o desafio colocado especialmente a grupos de pesquisa: ler e dialogar para pensar com mais inteligência e escrever a partir das questões herdadas das pesquisas. A escrita é o produto de uma equação, que se completa pela publicação e, assim, recoloca os fatores da equação através de novas leituras, novos debates, novas escritas, e foi isso que o Grupo de Pesquisa EMGEOCS fez”, finaliza.  

Por Susan Pereira, estagiária da Assessoria de Marketing da Unijuí


Compartilhe!