Doutorado em Direitos Humanos tem sua primeira banca de defesa de tese

Nesta quinta-feira, dia 13 de maio, o curso de Doutorado do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Direitos Humanos da Unijuí teve a sua primeira banca de defesa de tese. O doutorando Norberto Milton Paiva Knebel apresentou os resultados da tese "Cidades Inteligentes e Participação: crítica da economia política do espaço urbano contemporâneo”, orientada pelo professor doutor Mateus de Oliveira Fornasier.

A apresentação contou com a presença do professor Fernando Jaime González, vice-reitor de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão, que parabenizou o curso. “Cada TCC, dissertação e tese são acontecimentos importantes para todos os envolvidos e para a Instituição. Sem dúvidas, o curso faz história", ressaltou.  

Segundo Norberto, fazer parte deste momento é um mérito por ter acreditado no curso. “Todos nós, da primeira turma, somos parte da primeira banca e estamos preparados para defender nossas teses. Acredito que o mérito de ter acreditado no projeto do PPGDH seja de todo este grupo - colegas e corpo docente, que sempre estiveram à disposição para enfrentar dúvidas e contornar incertezas”, explica. 

A tese faz uma abordagem sobre as cidades inteligentes, que são os projetos ou propostas que se utilizam de ferramentas tecnológicas para a gestão urbana, problematizando um aspecto sócio-político importante no planejamento urbano destas cidades, que é o da participação da sociedade,  algo legalmente previsto no Brasil, mas que as cidades inteligentes prometem ampliar ou melhorar, justamente pela ascensão de formas digitais de participação como a internet.

Para o doutorando, por meio da pesquisa bibliográfica a sua tese contribui para os estudos da temática. “Acredito que o destaque do meu projeto seja tanto a atualidade do tema, as cidades inteligentes, como a abordagem, ligada à crítica à economia política, podendo servir de base e contemplando pesquisas sobre o mesmo tema, que adotem problemas mais específicos ou localizados”, explica. 

A pesquisa traz uma visão crítica acerca das cidades inteligentes, identificando um caráter ideológico e mercantilizado nas ofertas de cidades inteligentes que buscam se associar às administrações públicas, buscando oferecer uma chave teórica acerca do papel importante da participação social no planejamento urbano. 

Norberto explica que escolheu fazer seu doutorado na Unijuí devido às ótimas referências do corpo docente e dos trabalhos realizados em nível de mestrado. “Fiz a minha graduação e mestrado em Porto Alegre, apesar de ser natural de Ijuí. Todavia, a notícia da abertura do curso de Doutorado no PPG em Direitos Humanos da Unijuí soou como uma boa oportunidade, por conhecer e ter ótimas referências do corpo docente, mas principalmente a confiança que já tinha em meu orientador. O Programa de Pós-Graduação da Unijuí se caracteriza por um regime de alta contribuição teórica/ intelectual de seus docentes e discentes, principalmente no que se refere ao campo das publicações, algo que vislumbrei como chance de aprender essa forma de trabalho, tornando minhas pesquisas públicas e úteis para a sociedade”, explica o doutorando.

A tese foi aprovada  pela banca composta pelo professores doutores Mateus de Oliveira Fornasier (presidente) - Unijuí, Luciano Vaz Ferreira (membro) - Furg,  Wilson Engelmann (membro) - Unisinos, Elenise Felzke Schonardie (membro) – Unijuí e Gilmar Antonio Bedin (membro) - Unijuí.

Por Evelin Ramos, bolsista de Popularização da Ciência da Unijuí


Compartilhe!