Destaques do Mestrado e Doutorado - Unijuí

Desenvolvimento

Desenvolvimento Regional encerra inscrições para o Mestrado e Doutorado na segunda-feira

O Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Desenvolvimento Regional da Unijuí (PPGDR) encerra na próxima segunda-feira, dia 7 de fevereiro, o período de inscrições para os cursos de Mestrado e Doutorado. O programa completa 20 anos em 2022 e, nesse período, formou mais de 380 pesquisadores, certificados em cursos credenciados pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

As ciências sociais aplicadas visam integrar eixos do conhecimento para compreender as necessidades sociais, as implicações de se viver em grupo e as relações humanas no geral. O PPGDR tem por objetivo a geração de conhecimento, produção científica e aprimoramento de docentes.

O programa tem como público-alvo profissionais de Administração, Economia, Ciências Contábeis, Gestão Pública, Sociologia, Direito, Psicologia, Jornalismo, Publicidade e Propaganda, Sistemas de Informação, Arquitetura e Urbanismo, Design, História, Geografia, Agronomia, Nutrição e áreas que implicam no desenvolvimento de sociedades. 

Organizado a partir da área de concentração de Planejamento e Gestão, o PPG engloba duas linhas de pesquisa: Políticas Públicas, Planejamento Urbano e Gestão do Território; e Gestão de Organizações e Dinâmicas de Mercado. Para este ano, estão sendo ofertadas 18 vagas no curso de Mestrado e cinco vagas no curso de Doutorado.

Os documentos exigidos para inscrição e outras informações podem ser buscados junto à Secretaria do Programa, pelo e-mail ppgdr@unijui.edu.br, pelo telefone 55 3332-0200 - Ramal 3102 ou ainda pela página do curso, através deste link, onde é possível verificar o edital completo.

Gabriel R. Jaskulski, acadêmico de Jornalismo da Unijuí


Mestrado e Doutorado em Desenvolvimento Regional avança na formação de lideranças públicas

Prefeito de Ijuí é aprovado em mestrado de Desenvolvimento Regional

Num país com grandes desigualdades regionais e socioculturais como o Brasil, a formação de agentes que atuem em diferentes áreas do conhecimento e que tenham como preocupação central o desenvolvimento de suas regiões é de fundamental importância. Desde 2002, a Unijuí desenvolve o Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Desenvolvimento Regional, formando servidores que ocupam cargos de relevância em inúmeras áreas de atuação do Poder Público. 

Segundo o coordenador do programa, professor doutor Sérgio Luís Allebrandt, o número de estudantes que cursam o Mestrado e Doutorado, provenientes de órgãos públicos, tem aumentado significativamente, especialmente nos últimos anos. “Neste sentido, o Programa, pelo seu caráter interdisciplinar, redefiniu recentemente sua área de concentração como Planejamento e Gestão, organizando duas Linhas de Pesquisa: uma mais voltada para a área pública, denominada Políticas Públicas, Planejamento Urbano e Gestão do Território e a outra, mais voltada ao setor privado, denominada Gestão de Organizações e Dinâmicas de Mercado”, explicou. 

O prefeito de Ijuí, Andrei Cossetin, é o mais novo gestor público a concluir o Mestrado em Desenvolvimento Regional da Unijuí. Cossetin apresentou, no dia 21 de dezembro de 2021, sua dissertação intitulada “O Setor de Saúde como propulsor da Dinâmica Socioeconômica Municipal: o caso de Ijuí/RS”, com a orientação do professor dr. Sérgio Luís Allebrandt (PPGDR/Unijuí) e coorientação do professor dr. Daniel Claudy da Silveira (PPGGEO/URI). A banca foi composta ainda pelos professores doutores Nelson José Thesing - Examinador Interno (PPGDR/Unijuí) e Marcos Paulo Dhein Griebeler – Examinador Externo (PPGDR/Faccat).

“A busca pelo mestrado veio pelo conhecimento, não tanto pelo título. Numa das primeiras aulas os professores me usaram de exemplo por causa disso. Escolhi seguir a minha formação na Unijuí, pois além da proximidade da cidade, eu queria trazer um pouco da Universidade para dentro do Poder Público, ter esta relação entre a academia, executivo e sociedade”, contou o agora mestre em Desenvolvimento Regional. 

Para Cossetin, a presença da Universidade qualifica o serviço público. “Ter uma Universidade do porte da Unijuí aqui na região, transmitindo conhecimento para os nossos servidores, possibilita que, através do conhecimento, possamos planejar o desenvolvimento”, frisa.

O coordenador do Programa, destacou ainda que é muito importante avançar na formação de lideranças políticas. Para isto, a Unijuí está buscando desenvolver parceria com prefeituras de toda região. “O PPGDR/Unijuí está buscando desenvolver uma proposta de parceria com administrações municipais da região, em que se define uma problemática de pesquisa de interesse dos municípios. Em torno desta problemática elaboram-se projetos de pesquisa vinculados às dissertações de mestrado ou teses de doutorado, desenvolvidas por estudantes integrantes do quadro de funcionários de carreira das administrações municipais, contribuindo para a qualificação do serviço público e do processo de planejamento e execução das políticas públicas”, finaliza.


Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional tem inscrições prorrogadas

O Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional - Mestrado e Doutorado da Unijuí segue com suas inscrições abertas. Os interessados em ingressar no Programa têm até o dia 7 de fevereiro para acessar o site unijui.edu.br/ppgdr, conferir o edital e realizar sua inscrição.

Recomendado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), o PPGDR está completando 20 anos de existência em 2022. Nessas duas décadas, o Programa  orientou seus acadêmicos a participarem de forma crítica e reflexiva no desenvolvimento regional, valorizando o exercício da cidadania, a promoção do bem-comum e da qualidade de vida, com respeito à diversidade sociocultural dos territórios.

O Programa é fundamentado em duas linhas de pesquisa, uma delas é Políticas Públicas, Planejamento Urbano e Gestão do Território; pautada em um conjunto de temas relacionados a concepções, processos e arranjos influentes no planejamento e na gestão dos territórios e das políticas públicas que agem nesse espaço. 

A outra área de concentração é Gestão de Organizações e Dinâmicas de Mercado; que tem como objetivo abordar estudos sobre possibilidades do desenvolvimento a partir do território, com ênfase na gestão das organizações e dinâmicas de mercado, dessa forma oportunizando a criação de valor para as instituições e regiões.

Para a primeira turma de 2022, estão sendo ofertadas 18 vagas para o curso de Mestrado. Já o curso de Doutorado está ofertando cinco vagas, três na linha de pesquisa Gestão de Organizações e Dinâmicas de Mercado; e duas na linha pesquisa Políticas Públicas, Planejamento Urbano e Gestão do Território. 

Mais informações podem ser obtidas pelo e-mail ppgdr@unijui.edu.br, junto à secretaria do PPGDR ou pelos telefones (55) 3332-0200 - Ramal 3102 ou (55) 3332-0598.


Ampliado o prazo para inscrições no PPG em Desenvolvimento Regional

Foi ampliado o prazo para inscrições no Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Desenvolvimento Regional da Unijuí. Agora, interessados têm até o dia 12 de dezembro para se inscrever pela página unijui.edu.br/PPGDR.

O Programa conta com a oferta de 20 vagas para o Mestrado e 10 vagas para o Doutorado. Conforme conta no Aditivo ao Edital nº 17/2021, a homologação das inscrições será publicada na página do Programa, até o dia 13 de dezembro. As entrevistas serão realizadas por meio do Google Meet, nos dias 15, 16 e 17 de dezembro, em horário a ser definido para cada candidato. O resultado final será divulgado até o dia 20 de dezembro.

O PPG em Desenvolvimento Regional tem por objetivo a geração de conhecimento e de produção científica a partir da pesquisa, visando a formação e o aprimoramento de professores e outros profissionais para o exercício de atividades de pesquisa, extensão, ensino, assessoria e consultoria, com qualificação para atuação em organizações privadas, públicas e da sociedade civil. O público-alvo são graduados e mestres formados em áreas como Administração, Cooperativismo, Economia, Ciências Contábeis, Gestão Pública, Arquitetura e Urbanismo, Design, História, Geografia, Ciências Políticas, Sociologia, Direito, Psicologia, Jornalismo, Publicidade e Propaganda, Sistemas de Informação, Serviço Social, Agronomia, Nutrição, Fisioterapia e Enfermagem.

O Programa está organizado na área de concentração de Planejamento e Gestão e atua em duas Linhas de Pesquisa: Políticas Públicas, Planejamento Urbano e Gestão do Território; e Gestão de Organizações e Dinâmicas de Mercado. Além disso, seus cursos são credenciados pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

Para saber mais, entre em contato pelo e-mail ppgdr@unijui.edu.br, pelo telefone 55 3332-0200 - Ramal 3102 ou pela página do Programa, onde é possível verificar o edital completo.

 


Influência dos setores na economia local é tema de tese de doutorado

A doutoranda Karine Matuchevski Balzan apresentou recentemente sua tese intitulada “Relações dos setores da economia e administração pública com a produção total dos municípios gaúchos no período de 2002 a 2018”. A apresentação ocorreu no dia 27 de outubro, de forma online, finalizando o doutoramento no Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Desenvolvimento Regional. 

A banca foi composta pelos professores doutores Nelson José Thesing, Sérgio Luís Allebrandt e Argemiro Luís Brum, da Unijuí. Participaram também a professora doutora Claudia Tirelli, da Unisc, e o professor doutor Augusto Jaeger Júnior, da UFRGS, como avaliadores externos. 

Para formular sua tese, Karine coletou dados no sistema Sidra IBGE e junto à Fundação de Economia e Estatística (FEE). Foram realizados cálculos de correlação e regressão linear nos 497 municípios do Estado, entre os setores da economia e administração pública em relação à produção total, em um período de 16 anos.

Segundo a doutoranda, a partir da tese “percebe-se a importância de todos os setores da economia”. “Devemos destacar o setor terciário, que apresentou os maiores resultados, tanto nos cálculos de correlação quanto nos de regressão linear. Além de tudo, em alguns municípios há forte dependência do Valor Adicionado Bruto (Vab) da administração pública”, comenta Karine.

Dessa forma, foi possível verificar a importância de cada setor da economia em sua devida localidade,  compreendendo o cenário econômico dos municípios. “A pesquisa foi feita pois existe a necessidade de entender o desenvolvimento das economias locais. Este é um tema muito importante na linha de pesquisa Políticas Públicas, Planejamento Urbano e Gestão do Território do nosso Programa,” afirma.

O Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Desenvolvimento Regional foi criado em 2002, com a oferta do curso de Mestrado, e em 2016 passou a contar com o curso de Doutorado. “O PPGDR da Unijuí é um excelente Programa que, desde sua implantação, mantém uma atenção especial para o desenvolvimento das comunidades locais. Para além, qualifica profissionalmente os gestores municipais, ampliando as políticas públicas”, salienta Karine.

Karine conta que realizou dois sonhos durante o Programa: fazer parte do PPGDR e se tornar mamãe. “Durante o primeiro ano do curso realizei o sonho de ser mãe. Apenas na última aula do segundo semestre de 2017 que nós não conseguimos acompanhar as aulas, porque ele precisava pulsar aqui fora, no mundo, meu amado filho Pietro Matuchevski Balzan. Ele foi eleito carinhosamente como mascote oficial da segunda turma do doutorado em Desenvolvimento Regional, ano 2017”, finaliza.

Gabriel R. Jaskulski, acadêmico de Jornalismo da Unijuí


Doutorando da Unijuí analisa o desenvolvimento da atividade industrial de Ijuí

Tese faz parte do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional

Intitulada de “Análise de situações de desenvolvimento: um estudo do processo de desenvolvimento da atividade industrial no município de Ijuí”, a tese de doutorado do acadêmico José Valdemir Muenchen, do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional, traz uma importante contribuição para o setor industrial do município de ijuí. A área de concentração da tese é “Planejamento e Gestão” e faz parte da linha de pesquisa “Políticas Públicas, Planejamento Urbano e Gestão do Território”. 

O estudante foi orientado pelo professor doutor Nelson José Thesing e fizeram parte da banca examinadora: o professor doutor Silvio Cezar Arend, da UNISC; o professor doutor Weimar Freire da Rocha Junior, da UNIOESTE; o professor doutor Daniel Knebel Baggio, do PPGDR da Unijuí; e o professor doutor Airton Adelar Mueller, do PPGDR da Unijuí. Também prestigiou a apresentação como convidado, o professor doutor David Basso que participou de parte da orientação de José, pelo PPGDR da Unijuí.

A tese se insere nas discussões sobre o desenvolvimento, especialmente às questões relativas à participação da indústria no desenvolvimento local. “As contribuições para a comunidade de Ijuí estão associadas à proposição de parâmetros teóricos e metodológicos para a leitura, análise e explicação da realidade local, bem como a formulação de estratégias que possam potencializar a participação da atividade industrial na dinâmica do desenvolvimento local. A metodologia permite a elaboração de um diagnóstico histórico e da situação atual da atividade industrial no município, por meio de diferentes leituras de paisagem e identificar e explicar os principais condicionantes que moldam o quadro atual da indústria local”, explica José.

Como principais contribuições, José destaca que a tese permite que outros lugares também possam utilizar das metodologias para propor estratégias de desenvolvimento para suas regiões ou municípios. “Como resultados temos a identificação de atividades industriais dinâmicas e que têm alto potencial para a produção de excedentes exportáveis para outras espacialidades e que, pelo volume de emprego e renda, são fundamentais para o desenvolvimento local”, destaca. 

“A tese identificou também segmentos industriais menos dinâmicos e que são importantes para o funcionamento da economia local, pelo efeito multiplicador. Estes segmentos, apesar de produzirem, individualmente, impactos menores sobre a atividade econômica, no seu conjunto são fundamentais para o desenvolvimento local, pois produzem um valor agregado significativo. Além disso, influencia nos níveis de emprego, de salários, de impostos, de juros e aluguéis, que impactam de forma muito positiva no desenvolvimento local”, finaliza José.


Alimentação escolar é tema de tese no PPG em Desenvolvimento Regional

Professora no curso de Nutrição da Unijuí, Eilamaria Libardoni Vieira apresentou sua tese de doutorado no último mês, encerrando a última etapa do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Desenvolvimento Regional da Unijuí. Sua tese, intitulada Qualidade dos alimentos adquiridos da agricultura familiar rural pelo Programa Nacional de Alimentação Escolar em municípios da Região Intermediária Ijuí-RS”, foi apresentada de forma online.

A banca ocorreu em 21 de outubro e foi composta pelos professores doutores Sandra Beatriz Vicenci Fernandes; Sérgio Luís Allebrandt; Nelson José Thesing e David Basso, da Unijuí. Além destes, participaram como avaliadores externos as professoras doutoras Suzi Barletto Cavalli, da UFSC; e Cidonea Machado Deponti, da Unisc. 

A temática escolhida por Eilamaria relaciona a Nutrição com uma das linhas de pesquisa do PPGDR. “Escolhi por ser um tema de relevância entre as políticas públicas na área da alimentação e pelas aproximações com a linha de pesquisa Políticas Públicas, Planejamento Urbano e Gestão do Território", explica.

Para elaboração do projeto, foram realizadas pesquisas nas Chamadas Públicas de aquisição de alimentos da Agricultura Familiar nos municípios de Ijuí, Santo Ângelo, Santa Rosa e Catuípe, entre 2010 e 2019. Além disso, foram entrevistados nutricionistas, gestores, profissionais da Emater-Ascar, Cooperativa Coopersol e agricultores familiares fornecedores de alimentos ao Programa Nacional de Alimentação (Pnae).

Dentre os resultados obtidos, está o fato de que o volume de compras de alimentos do grupo dos hortigranjeiros é variável nos municípios analisados, porém significativo, porque atende os objetivos do Pnae, que são garantir e incentivar a oferta de alimentos in natura e minimamente processados nos cardápios da alimentação escolar.

Segundo a doutoranda, os envolvidos no processo de aquisição de alimentos da agricultura familiar para a alimentação escolar defendem que o programa promove o desenvolvimento local e a segurança nutricional. “A produção familiar é considerada um espaço de socialização, que contribui para a construção de uma identidade regional e cultural, além de ser o local para articulações políticas de desenvolvimento”, afirma. 

A doutoranda afirma que é sempre bom estudar e que o PPGDR possui ótimos docentes, um dos diferentes do Programa. “Foi uma experiência na qual, além de novos conhecimentos, podemos agregar amizades, parcerias e novas construções de aprendizados. Temos professores de excelência, com diferentes formações, capacitados para nos fazer pensar e atuar no desenvolvimento regional”, comenta. 

Após concluir o doutorado, Eilamaria afirma que vai compartilhar os resultados e experiências com os municípios pesquisados, auxiliando, dessa forma, no melhoramento do Programa Nacional de Alimentação Escolar. "Além de contribuir para o fortalecimento do Pnae e da agricultura familiar, vou continuar estudando e construindo conhecimentos na área da alimentação, nutrição e desenvolvimento regional”, complementa.

Gabriel R. Jaskulski, acadêmico de Jornalismo da Unijuí




Desenvolvimento Territorial Sustentável é tema de palestra no Salão do Conhecimento

Nesta sexta-feira, 29 de outubro, último dia do Salão do Conhecimento 2021, ocorreu o debate sobre a  “Implementação local da Agenda 2030: desafios e perspectivas dos atores institucionais” em conjunto com o programa de Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional. O evento foi transmitido pelo canal da Unijuí no YouTube e contou com a participação dos professores Sérgio Luis Allebrandt e Valdir Roque Dallabrida. 

Inicialmente, o vice-reitor de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão da Unijuí, professor Fernando Jaime González, conduziu o bate-papo e enfatizou os quatro dias de evento, dando destaque a todos os trabalhos que foram apresentados.

O professor Valdir possui graduação em Geografia, especialização em Economia, mestrado e doutorado em Desenvolvimento Regional, com pós-doutorado no Instituto de Ciências Sociais (ICS) da Universidade de Lisboa (Portugal) e iniciou a conversa sobre “Agenda 2030 e o desenvolvimento territorial sustentável”. O professor fez sua exposição colocando como plano de fundo os argumentos que justificam relacionar a  sustentabilidade e o desenvolvimento com foco no território. Os argumentos levantados pelo professor possuem como base o livro “Paradigmas do planejamento territorial em debate”, da autora Carolina Simões Galvanese. 

Após, o convidado comentou sobre os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Organização das Nações Unidas (ODS/ONU). O professor comentou sobre a importância de entender o conceito de desenvolvimento sustentável e os caminhos pelos quais o Brasil está percorrendo nesse processo, atentando ao desmatamento. “Temos 10 milhões de hectares por ano de desmatamento no mundo e o Brasil tem uma significativa contribuição nesse sentido", comentou o professor. 

Outra questão levantada foi sobre a agricultura e algumas problemáticas em seu entorno, relacionando isso com as mudanças climáticas decorrentes de processos de produção. “Algumas mudanças no padrão de produção precisam ter um avanço intensificado, no sentido contrário ao que é considerado ‘pop’, principalmente no uso de agrotóxicos e do uso intensivo de recursos naturais”. Essas mudanças elencadas pelo professor possuem o objetivo de atingir as gerações futuras, sendo assim, ele alerta sobre a necessidade de que essas mudanças aconteçam no campo da agricultura.

Sobre a concepção de desenvolvimento, o professor aborda sobre a origem, que deriva da ideia de crescimento econômico, informando que apenas na década de 60 o desenvolvimento humano passou a ser incluso na dimensão de desenvolvimento. Ainda, comentou sobre outras dimensões dessa concepção, como o territorial. “O desenvolvimento territorial necessariamente inclui as diferentes dimensões: econômica, social, ambiental, político-cultural e geográfica na concepção de desenvolvimento.” Para entender a ideia de desenvolvimento territorial, Valdir comentou sobre ser preciso negar algumas perspectivas hegemônicas de desenvolvimento como, por exemplo, a ideia de que é sinônimo de crescimento econômico. Além disso, ele trouxe algumas bases para o pensamento do desenvolvimento sustentável. 

Ao final de sua fala, trouxe uma menção ao Projeto de Pesquisa “O patrimônio territorial como referência no processo de desenvolvimento de territórios ou regiões", iniciativa de um grupo de professores. O projeto de investigação possui como propósito repensar questões relacionadas a como fazer uma avaliação dos potenciais que um determinado território tem de uma forma integrada. Diversas universidades estão envolvidas nesse projeto, sendo uma delas a Unijuí, com os professores Airton Adelar Mueller, Anderson Vinicios Branco Lutzer, Nelson José Thesing, Pedro Luís Büttenbender e Sidinei Pithan da Silva. 

Por fim, o professor Valdir apresentou uma síntese sobre tudo o que foi exposto sobre a temática. O professor Sérgio abordou alguns pontos importantes sobre o tema e abriu para perguntas ao público conectado no evento.

Para conferir a discussão na íntegra, acesse:

Por Krislaine Baiotto, acadêmica de Jornalismo da Unijuí


Com a participação de professores da Unijuí, projeto internacional é submetido ao CNPq

O Projeto Patrimônio Territorial como Referência no Processo de Desenvolvimento Sustentável de Territórios ou Regiões (ProPAT) é um projeto internacional que tem por objetivo impulsionar o desenvolvimento de territórios, regiões ou municípios, tendo como referência a valorização de seu patrimônio territorial. A equipe de pesquisa do ProPAT é composta por 26 pesquisadores oriundos de 14 universidades argentinas, brasileiras, espanholas e portuguesas. 

Dentre as instituições situadas no Brasil, a Unijuí faz parte com três pesquisadores. Os professores doutores Airton Adelar Mueller e Pedro Luiz Büttenbender são coordenadores de áreas específicas do projeto, Dimensão Humana e Intelectual e Dimensão Produtiva, respectivamente. Além destes, o professor doutor Nelson José Thesing também é colaborador.

Segundo o professor doutor Pedro Luiz Büttenbender, o projeto é resultado de uma construção coletiva de pesquisadores de várias universidades brasileiras e do exterior. “É uma rede que vem caminhando há vários anos, colaborando com interações conjuntas de pesquisa e de eventos. Este projeto está vinculado ao Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Desenvolvimento Regional da Unijuí,” explica.

O ProPAT é liderado pelo professor doutor Valdir Roque Dallabrida, que atualmente está vinculado à Universidade Federal do Paraná (UFPR). Toda essa construção trata-se de reafirmar as especificidades do território com base no seu patrimônio territorial. Dessa forma, é encarregado ao projeto a concepção de patrimônio territorial como o conjunto de ativos e recursos, materiais e imateriais, genéricos e específicos, públicos e privados, de um determinado território, em suas seis dimensões: produtiva, natural, humana e intelectual; cultural, social e institucional.

A integração entre tantas instituições resultou na viabilização do projeto para sua submissão no edital de pesquisa universal do CNPq. O intuito é captar recursos necessários para financiar a pesquisa e a sequência de experimentações teórico-práticas da metodologia, que será aplicada nos territórios abrangidos pela UFPR e pela Unijuí. “Esses recursos serão decisivos para o cumprimento de todas as etapas e produtos projetados a serem produzidos a partir do ProPAT,” comenta o docente. 

O projeto potencializa e resulta em ações que constam no Plano de Desenvolvimento Individual da Unijuí. Entre esses objetivos estão a internacionalização e o fortalecimento de vínculos, com as ações colaborativas, com outras universidades brasileiras e de vários outros países latinoamericanos e europeus. Além disso, gera captação de recursos para o financiamento de outras pesquisas na Unijuí.

Gabriel R. Jaskulski, acadêmico de Jornalismo da Unijuí


Simpósio Iberoamericano de Desenvolvimento e Integração Regional acontece nesta semana

Nos dias 21 e 22 de outubro, acontece de forma virtual o X Simpósio Iberoamericano de Desenvolvimento e Integração Regional, promovido pela Rede de Cooperação Interuniversitária para o Desenvolvimento e a Integração Regional (RED Cidir), da qual a Unijuí é membro-fundadora, e será organizado, neste ano, de forma conjunta pelas universidades argentinas Universidad Nacional de Misiones (UNAM) e Universidad Gastón Dachary.

Criada em 15 de dezembro de 2006, a Rede se constitui em um sistema aberto de relações entre as universidades ibero-americanas, que tem como objetivo promover espaços de reflexão e construção coletiva, trocas de conhecimentos, promoção da educação e o desenvolvimento de articulação com organizações regionais, a fim de gerar instrumentos e desenvolver ações que contribuam para aumentar a impacto que as atividades universitárias têm no desenvolvimento de suas regiões. A Rede universitária surge como uma ferramenta para a melhoria da qualidade, relevância do ensino e pesquisa, bem como para o desenvolvimento institucional. Ela permite que as universidades regionais aumentem suas capacidades e reduzam riscos no desenvolvimento de ações voltadas à consolidação de programas conjuntos de pós-graduados existentes, além de planos de ações futuros a serem desenvolvidos, que permitam impactar positivamente na inovação, ciência, tecnologia e desenvolvimento regional.

O Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Desenvolvimento Regional (PPGDR) estará participando do evento, que é itinerante entre os países. Nesta edição, acontece com o tema “Desafios de paradigmas emergentes”, sendo realizado em Posadas, na Argentina.

A Unijuí, nestas nove edições, acumula o maior volume de estudos e pesquisas submetidos e apresentados dentre as Universidades participantes, abordando temas como administração e desenvolvimento regional e territorial, relações transfronteiriças, cooperativismo, inovação e empreendedorismo, integração, saúde, educação, cultura e meio ambiente, gestão universitária, entre outros.

Para o professor Pedro Luís Büttenbender, do Mestrado e Doutorado em Desenvolvimento Regional da Unijuí, membro fundador da Rede e seu ex-presidente, a Rede Cidir desenvolveu um espaço de cooperação entre as universidades, especialmente o ambiente transfronteiriço, promovendo o desenvolvimento científico,  tecnológico e territorial, contribuindo com a articulação de projetos estratégicos de cooperação,  intercâmbios acadêmicos e promoção do fortalecimento das instituições e da sua própria internacionalização. Segundo o professor, os avanços que ocorrem para cooperação interuniversitária latino-americana, com a Europa e outros continentes, em muito convergem com as prioridades do Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) da Unijuí e do PPGDR.

Inscrições e informações podem ser conferidas em www.redcidir.org/simposio2021/ ou solicitadas pelo e-mail cidirinformes@ugd.edu.ar.

 

 

 


Utilizamos cookies para garantir que será proporcionada a melhor experiência ao usuário enquanto visita o nosso site. Ao navegar pelo site, você autoriza a coleta destes dados e utilizá-los conforme descritos em nossa Política de Privacidade.