Mestrado e Doutorado

Mestrado em Atenção Integral à Saúde irá ofertar 22 vagas

Serão ofertadas 22 vagas. As inscrições podem ser realizadas de 02 de setembro a 11 de novembro de 2019

O Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Atenção Integral à Saúde publicou edital de seleção para a turma 2020 do Mestrado. As inscrições têm início no dia 02 de setembro. Para se inscrever é necessário acessar a página do programa, preencher as informações e entregar os seguintes documentos na Secretaria do Mestrado:

a)  Requerimento de Inscrição (disponível na página do programa); b) Uma fotografia 3x4; c) Intenção de projeto de pesquisa, d) Cópia do Diploma universitário ou atestado de conclusão de curso de graduação ou de provável formando; e) Cópia do Histórico Escolar da Graduação; f) Currículo modelo Lattes/CNPq, acompanhado de documentação comprobatória; g) Recibo de pagamento da taxa de inscrição.

A prova de seleção será realizada dia 30 de novembro de 2019 e as entrevista com os candidatos nos dias 04 e 05 de dezembro de 2019.

O edital completo, juntamente com o Material de Apoio para a Prova, está disponível na página do Programa, no Portal da Unijuí.

O Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Atenção Integral à Saúde é um projeto interinstitucional com característica interdisciplinar, em associação ampla entre a Universidade de Cruz Alta (Unicruz) e a Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (Unijuí).  O Programa dedica-se à pesquisa e à produção de conhecimento no campo da saúde, com ênfase em duas linhas: Processos saúde-doença-cuidado e Processos químicos e biológicos em saúde.

Mais informações pelo e-mail ppgais@unijui.edu.br ou pelo telefone (55) 3332.0522.


Mestrado em Sistemas Ambientais e Sustentabilidade entra na reta final de inscrições

O Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Sistemas Ambientais e Sustentabilidade da Unijuí encerra no dia 6 de dezembro, segunda-feira, as inscrições para o curso de Mestrado, que conta com a oferta de 25 vagas. Interessados podem se inscrever em unijui.edu.br/ppgsas, mediante o preenchimento de formulário eletrônico e entrega dos documentos necessários. 

O curso de Mestrado destina-se a profissionais graduados nas áreas de Ciências Ambientais, Agrárias, Biológicas, Saúde, Sociais, Química, Engenharias, Tecnológicas Aplicadas e/ou áreas correlatas. 

Os candidatos, ao se inscrever, podem optar por uma das duas de linhas de pesquisa do programa: Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, que busca apreender o processo de desenvolvimento a partir do espaço natural e do histórico de ocupação e uso; e Qualidade Ambiental em Sistemas Produtivos, que visa o aprofundamento científico na construção de processos inovadores voltados à prevenção e solução de problemas socioambientais.

Inscritos passam por duas etapas no processo seletivo, sendo a primeira análise do curriculum vitae ou lattes, e a segunda entrevista e discussão da intenção de pesquisa.

A documentação necessária e outras informações podem ser obtidas junto à Secretaria do Programa, pelo telefone 55 3332-0417, pelo e-mail ppgsas@unijui.edu.br ou pela página unijui.edu.br/ppgsas, onde consta o edital completo.


Contribuições das ciências ambientais na Agenda 2030 é tema de debate

No último dia do Salão do Conhecimento 2021, 29 de outubro, ocorreu o debate sobre a  “Implementação local da Agenda 2030: desafios e perspectivas dos atores institucionais”, em conjunto com o Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Sistemas Ambientais e Sustentabilidade. O evento foi o último da programação do Salão do Conhecimento e teve transmissão pelo canal da Unijuí no YouTube, contando com a participação dos professores José Antonio Gonzalez da Silva, Carlos Alberto Cioce Sampaio, Roberta Giraldi Romano e Roberto Carbonera.

Inicialmente houve uma apresentação curricular dos professores presentes pelo professor José. Após, o professor Roberto realizou uma breve fala sobre a importância da temática debatida. 

O professor doutor Carlos possui mestrado e doutorado em Planejamento e Gestão Organizacional para o Desenvolvimento Sustentável/UFSC, com estágio sanduíche em Economia Social/EHESS (França). Pós-doutorado em Ecossocioeconomia - UACH (Chile), Cooperativismo Empresarial - U.Mondragon (Espanha) e Ciências Ambientais - WSU (USA). Ele trouxe para debate o tema “Contribuições das ciências ambientais na Agenda 2030 da ONU”. 

A fala expositiva iniciou-se com a apresentação do tema da palestra, que foi baseada no artigo “Avanços da Pós-Graduação na incorporação dos ODS em suas agendas”. O professor comentou sobre a importância de programas relacionados aos sistemas ambientais e sustentabilidade. “Programas no interior representam um papel estratégico e eu poderia dizer que, pelo fato de ser estratégico para região, também se trata de um programa de excelência”. Para introduzir o assunto principal, ele apresentou alguns pontos que foram abordados, como a relação entre Instituições de Ensino Superior e desenvolvimento, a área de ciências ambientais, impacto e inserção na sociedade e o objetivo, sendo esse a contribuição de Programas de Pós-Graduação em Ciências Ambientais na sociedade. 

Como plano de fundo da apresentação, foi colocada uma ilustração com contribuições referentes ao seu livro “Impactos das Ciências Ambientais na Agenda 2030 da ONU”. O professor destacou a posição que a sociedade ocupa em relação aos Programas de Pós-Graduação, sendo ela a grande protagonista no impacto recebido. “Atualmente, o Sistema Nacional de Pós-Graduação tem sua ênfase na relevância dos processos que os programas ocasionam". Ainda, destacou que a relevância desses programas pode ser detectada pela sua eficiência, como também, pela sua eficácia. Sobre algumas características desses programas, ressaltou na eficiência os insumos, os talentos e os processos; na eficácia os talentos e os produtos; na efetividade o econômico, o social e o ambiental. 

“Para que um programa seja relevante ele tem que apresentar eficiência nas suas entradas, eficácia nos seus resultados, mas para que tenha impacto na sociedade, ele tem que ter efetividade”, afirmou o professor. A professora doutora Roberta comentou sobre o assunto e encorajou outras áreas do conhecimento, além das Ciências Ambientais, a produzirem materiais de pesquisa, projetos e sistematizações e, por conseguinte, publicá-los para a disseminação desse conhecimento e contabilização de impactos. 

Na sequência, o professor apresentou um quadro com um estudo que relaciona a Pós-Graduação com 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Organização das Nações Unidas (ODS/ONU). Esse estudo correlaciona as teses e dissertações dos Programas de Pós-Graduação com os descritores dos 17 ODS/ONU. As conclusões apresentadas sobre o estudo demonstraram que os ODS mais correlacionados foram os 6 - Água Potável e Saneamento e o 4 - Educação de Qualidade. Ainda, houve uma predominância da dimensão ambiental, em conjunto com a temática social. Um ponto destacado foi a importância de se formar talentos humanos capacitados e gerar conhecimento que produza impacto na sociedade em prol do desenvolvimento.

Em seguida, após o término da fala expositiva, foram realizados alguns questionamentos sobre a temática, feitos pelos professores e pelo público conectado ao evento. 

Por fim, houve o encerramento do Salão do Conhecimento 2021 com a fala do vice-reitor de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão da Unijuí, professor doutor Fernando Jaime González, que destacou o processo de integração dos ODS na Unijuí, como também a importância do evento e a sua relevância para a Instituição. Ainda, fez um agradecimento a todos aqueles que tornaram possível a realização do Salão do Conhecimento 2021.

Por Krislaine Baiotto, acadêmica de Jornalismo da Unijuí

Confira o debate na íntegra:


Mestranda em Sistemas Ambientais e Sustentabilidade realiza pesquisa no Lar Bom Abrigo

O Mestrado em Sistemas Ambientais e Sustentabilidade da Unijuí vem trabalhando em pesquisas nas mais diversas áreas do conhecimento, desafiando os estudantes a apresentarem suas inquietações, dada a multidisciplinaridade do Programa de Pós-Graduação. A demanda de determinação para acolhimento institucional é indicador das desigualdades sociais enfrentadas pela população. Assim, levando em conta a expertise profissional da mestranda Fabiana Pires Gonçalves, a pesquisa intitulada “A educação como proposta à melhoria no atendimento de crianças e adolescentes em medida excepcional de proteção no município de Ijuí” vem sendo desenvolvida, sob orientação da professora doutora Cleusa A M Bianchi Teixeira, buscando trazer subsídios para reduzir ao máximo os danos acarretados pela medida no período de acolhimento institucional. 

Na tarde do dia 14 de outubro,  a pesquisa foi apresentada à diretoria do serviço de alta complexidade Instituto Lar Bom Abrigo Gessy de Vlieger Ferreira, de Ijuí. A entidade, fundada em 29 de julho de 1962, é uma instituição filantrópica, sendo referência na modalidade de acolhimento institucional, casa lar, para crianças e adolescentes - sendo assim, foco da pesquisa. Estiveram presentes o presidente da entidade, Isaias da Silva, a diretora administrativa do serviço, Marli Gaspar da Silva, a mestranda Fabiana e a professora Cleusa.

Com o objetivo de analisar a origem da medida de proteção, o atendimento prestado às crianças e adolescentes, bem como a educação como um caminho para reduzir as desigualdades, com vistas à melhoria no atendimento prestado, a pesquisa foi imediatamente aceita pela diretoria do serviço. 

Marli Gaspar da Silva destacou a satisfação pela entidade ter sido escolhida para a pesquisa: “Há muito tempo almejamos este diagnóstico.” Tecendo boas recordações das estadas de estagiários e pesquisadores no serviço, disponibiliza o espaço aos acadêmicos. “Somos receptivos às mais diversas áreas de conhecimento.”

O presidente da entidade, Isaias da Silva, pastor presidente da mantenedora do serviço Igreja Assembleia de Deus, refere a importância do diagnóstico e de como as demandas institucionais acabam por trazer expressões da sociedade. “A igreja observa as dificuldades enfrentadas pela população”, afirma, parabenizando a ex-colaboradora, Fabiana Pires Gonçalves, pelo retorno social proposto pela pesquisa à entidade.

A pesquisa irá subsidiar com informações os envolvidos no serviço, visando ações preventivas quanto à violação de direitos, instrumentalizando teoricamente a equipe a fomentar atividades de educação, especialmente a ambiental, pautadas na sustentabilidade. O acolhimento institucional é um dos serviços de Proteção Social Especial de Alta Complexidade do Sistema Único de Assistência Social. Seu principal objetivo é promover o acolhimento de crianças e adolescentes, com vínculos familiares rompidos ou fragilizados, de forma a garantir sua proteção integral, encaminhados pelo Poder Judiciário. 

O coordenador do Mestrado em Sistemas Ambientais e Sustentabilidade, professor José Antonio Gonzalez da Silva, coorientador da pesquisa, ressalta a contribuição deste trabalho. “Sem dúvidas que trata-se de uma pesquisa que terá grande impacto devido à sua relevância social”, afirma, lembrando também o desejo da proximidade da academia com os mais diversos segmentos da sociedade. “As pesquisas desenvolvidas são propositivas às demandas observadas”, completa.

Para a mestranda, “evidencia-se a proximidade do profissional assistente social com a questão ambiental, especialmente na garantia de direitos, no trabalho crítico, provocando a população a questionar o modelo econômico posto, em que a qualidade de vida e o bem viver são ditados pela renda ou ausência dela.”


Parceria em projeto viabiliza a preservação e recuperação de nascentes

O Programa de Mestrado em Sistemas Ambientais e Sustentabilidade da Unijuí vem desenvolvendo junto aos parceiros Ceriluz, JS Florestal e famílias de agricultores o projeto  “Qualidade das águas de nascentes pertencentes à bacia hidrográfica do Rio Ijuí na área de atuação de Pequenas Centrais Hidrelétricas”. A pesquisa está sendo desenvolvida pela mestranda Márcia Sostmeyer Jung.

As nascentes são essenciais para a manutenção do equilíbrio do ciclo da água, por permitir seu afloramento dos lençóis freáticos para a superfície do solo. Desta forma, são responsáveis por formar e manter o fluxo de água em córregos, lagos e rios. Além disso, são fundamentais para a manutenção da biodiversidade nesses ambientes, o que é essencial para a sobrevivência humana; o desenvolvimento das atividades econômicas - seja na agricultura, pecuária ou indústria; e na geração de energia e manutenção da biodiversidade. Desta forma, para a sustentabilidade da vida na terra, é necessário de água em quantidade e qualidade suficiente para suprir as necessidades de todos os usuários. A manutenção da disponibilidade hídrica dos rios depende de forma direta de nascentes preservadas em toda a sua bacia de contribuição.

O projeto tem como grande objetivo identificar as nascentes e caracterizar o ambiente no entorno das fontes que abastecem o rio Ijuí, na microrregião de atuação de Pequenas Centrais Hidrelétricas; realizar a avaliação da qualidade da água e desenvolver um plano de monitoramento para fins de recuperação e preservação. Além disso, atuar junto à comunidade para atividades de educação ambiental na conscientização do uso racional da água e preservação de seus mananciais, valorizando o caráter socioambiental das instituições parceiras. Este projeto de pesquisa busca também a realização de atividades de Educação Ambiental junto às escolas do campo. 

Para além das atividades que vêm sendo realizadas, no dia 5 de outubro foi realizada a primeira Oficina de Educação Ambiental junto à Escola Estadual de Ensino Fundamental Giovana Margarita da Vila Floresta, interior de Ijuí. Nela, destaca-se a parceria com as famílias de agricultores onde estão sendo estudadas as nascentes e a própria escola. O educandário, através de sua diretora e professora Leila Jacoboski Denis, acolheu com grande entusiasmo a proposta de realização de ações de educação ambiental. A atividade ocorreu na propriedade do casal Celso e Jane Buzetto e envolveu professores e alunos da escola; diretor secretário da Ceriluz, Romeu de Jesus, e assessor de Comunicação, Vilson José Wagner; e o representante da empresa JS Florestal, Jorge Schirmer. A Unijuí esteve representada pela mestranda Márcia Sostmeyer Jung, bolsistas e alunos de graduação do curso de Ciências Biológicas da Unijuí,  Camila Morizzo Copetti e Rafael Schneider Costa.

Segundo o coordenador do Mestrado em Sistemas Ambientais e Sustentabilidade, professor doutor José Antonio Gonzalez da Silva, diante deste cenário, é possível a realização de atividades de Educação Ambiental nas escolas, com o desenvolvimento de práticas em meio à natureza, buscando sensibilizar as crianças a respeito da importância da água e das nascentes. “Além disso, agregar conhecimento quanto ao ciclo da água, matas ciliares, conservação e preservação de nascentes, biodiversidade e sustentabilidade. Portanto, todos ganham, fortalecendo a relação dos elementos da natureza com as disciplinas e o cotidiano de todos nós”, reforçou.

Segunda a mestranda Márcia Sostmeyer Jung, trata-se de um projeto interdisciplinar e inovador quanto às ferramentas utilizadas para a avaliação da qualidade da água das nascentes, aliando indicadores físicos, químicos e microbiológicos e de bioindicadores. O biomonitoramento é uma ferramenta consolidada em programas de monitoramento da qualidade da água e gestão ambiental de bacias hidrográficas em vários países. Além disso, o convênio técnico-científico entre a Unijuí, Ceriluz e JSFlorestal possibilitou desenvolver um trabalho diferenciado junto à comunidade, interligando o diagnóstico das condições ambientais das nascentes com ações de preservação e conservação. 

“Todas as ações visam água de qualidade e em quantidade suficiente para todos, garantindo desta forma a sustentabilidade da vida na terra para as presentes e futuras gerações. Esta ação de educação ambiental junto à direção, professores e alunos da Escola Giovana Margarita é fundamental por propiciar às crianças o aprendizado através do ver e sentir, permitindo relacionar com as temáticas abordadas em sala de aula pelos professores. Já a interação com a nascente preservada é fundamental para a compreensão de que todos nós somos integrantes do meio ambiente e que o equilíbrio da interação homem-ambiente é essencial para a sustentabilidade da vida", finaliza a mestranda.




Caps AD II recebe pesquisa de hortoterapia do PPG em Sistemas Ambientais e Sustentabilidade

A parceria entre a Unijuí, através da Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Sistemas Ambientais e Sustentabilidade, e o Hospital Bom Pastor está permitindo a inclusão da pesquisa “Hortoterapia como proposta de socialização e recuperação das pessoas com transtornos mentais” junto ao Centro de Atenção Psicossocial - Álcool e Drogas (Caps AD II) Vida com Dignidade, pelo período de 12 meses. 

O projeto conta com a presença da mestranda Daiana Souza de Quadros e demais estudantes do curso, que realizam, além do trabalho na hortoterapia, atividades de educação permanente em saúde, com temas ligados ao preparo de canteiros, capina, plantio, irrigação, adubação, colheita, gestão e manejo de uma horta, uso de adubos alternativos, orgânicos, posição solar, cultivo de hortaliças, plantas medicinais, chás e fitoterápicos. 

Além do reaproveitamento de insumos domésticos como arteterapia e alimentação saudável, serão trabalhados temas ligados ao meio ambiente e que influenciam diretamente nas questões de bem-estar, saúde física e mental. 

O espaço destinado para atividade de hortoterapia é de 81 metros quadrados, além do seu entorno, onde já se encontram em construção os canteiros e caixotes suspensos para hortaliças, o espiral de ervas e o relógio do corpo humano para o plantio das plantas medicinais.

Na manhã da última quarta-feira, 29 de setembro, o Caps AD II revitalizou o espaço destinado para hortoterapia. Segundo a coordenadora do serviço, Letícia Costa, a horta faz parte da Instituição desde 2014 e, neste ano, a partir de recurso do governo federal, foi possível revitalizar o local.

O coordenador do Mestrado em Sistemas Ambientais e Sustentabilidade, professor José Antonio Gonzalez da Silva, ressalta a contribuição deste trabalho, trazendo elementos da natureza e contando com o solo e planta como elementos de recuperação e terapia, reforçando o elevado nível de atuação dos projetos do Programa na proposta de resolução de problemas em distintas áreas de ação, tendo como centralidade a qualidade de vida, bem-estar e sustentabilidade.


Mestrado em Sistemas Ambientais e Sustentabilidade firma parceria com empresa Nutriplanta

A Fidene/Unijuí, por meio do Mestrado em Sistemas Ambientais e Sustentabilidade, firmou uma parceria com a empresa Nutriplanta para validação de produtos orgânicos em manejos mais qualificados à redução de agrotóxicos no cultivo da aveia. A Nutriplanta é uma empresa ijuiense, que atua há 30 anos no segmento de produtos agrícolas.

O Noroeste do Estado, região de excelência nacional na produção de alimentos, vem fortalecendo cada vez mais a pesquisa, buscando avanços científicos e tecnológicos para qualidade ambiental e segurança alimentar na cadeia de produção. 

A parceria vincula-se à pesquisa da mestranda Karin Coppetti, aluna do programa, que está desenvolvendo o projeto “Habilidade competitiva pela densidade de semeadura e regulador de crescimento organomineral: uma alternativa ao uso de agrotóxicos no controle de invasoras e uniformidade de colheita com redução do acamamento no cultivo da aveia”. 

Para Nadir Provenci, diretor proprietário da Nutriplanta e parceiro da Unijuí, a possibilidade de interagir com esse projeto é gratificante. "Isso porque na empresa buscamos o equilíbrio nutricional da planta, através do conhecimento e de tecnologias para uma agricultura cada vez mais moderna, rica, qualificada e em harmonia com o meio ambiente. Além de colaborar com o estudante em desenvolver suas habilidades e poder ajudar alunos, colegas e todo o segmento agro", disse.

Vários projetos vêm sendo desenvolvidos pelo Programa de Mestrado, trazendo a forte ligação Universidade-Empresa e problemas que estão diretamente ligados à cadeia de produção, buscando processos mais limpos e sustentáveis. Segundo o coordenador do Programa, professor José Antonio Gonzalez da Silva, considerando apenas os estudantes que ingressaram em 2021, mais de 50% têm bolsa e projetos financiados por empresas parceiras. Portanto, pesquisas que buscam  fortes avanços em todos os quesitos e trazem elementos de melhoria das técnicas de manejos, processos de maior cuidado do solo, água, ar e alimentos, redução de uso de agrotóxicos, segurança alimentar, geração e transformação de novos produtos e possibilidade de estudos aprofundados nas cadeias de produção buscando melhoria de eficiência e novas perspectivas. O coordenador comenta que esta relação Universidade-Empresa vem sendo cada vez mais fortalecida. Isto porque o rigor técnico-científico e a qualidade das pesquisas mostram o potencial de pesquisadores da Universidade na busca do aprofundamento dos problemas e geração de soluções. 

Hoje, setores público e privado percebem a Unijuí como uma Universidade diferenciada, capaz de trazer estreita relação da realidade e seus problemas regionais, tendo como foco o desenvolvimento socioambiental do Noroeste do Rio Grande do Sul.

O Mestrado em Sistemas Ambientais e Sustentabilidade tem como objetivo formar pesquisadores com visão sistêmica e multidisciplinar, capazes de compreender as inter-relações entre o ambiente, a sociedade e a tecnologia; participar de forma crítica e reflexiva no desenvolvimento regional, considerando os princípios e valores da sustentabilidade, gerando tecnologias apropriadas aos sistemas produtivos locais; promover a produção de conhecimentos na área do meio ambiente em geral, bem como, no campo do diagnóstico e da solução de problemas de interesse socioambiental.

O Programa está com edital aberto para seleção de novos estudantes para o curso de Mestrado. Estão sendo ofertadas 25 vagas. As inscrições podem ser realizadas pelo site unijui.edu.br/ppgsas, mediante preenchimento de formulário eletrônico e entrega dos documentos necessários, até o dia 6 de dezembro.


PPG em Sistemas Ambientais e Sustentabilidade abre inscrições para Mestrado

Nesta terça-feira, 21 de setembro, o Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Sistemas Ambientais e Sustentabilidade abriu processo seletivo para o curso de Mestrado. Estão sendo ofertadas 25 vagas. As inscrições podem ser realizadas pelo site unijui.edu.br/ppgsas, mediante preenchimento de formulário eletrônico e entrega dos documentos necessários, até o dia 6 de dezembro.

Recomendado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) na área de Ciências Ambientais, o programa possui duas linhas de pesquisa: Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, que busca apreender o processo de desenvolvimento a partir do espaço natural e do histórico de ocupação e uso; e Qualidade Ambiental em Sistemas Produtivos, que visa o aprofundamento científico na construção de processos inovadores voltados à prevenção e solução de problemas socioambientais.

O curso de Mestrado em Sistemas Ambientais e Sustentabilidade destina-se a profissionais graduados nas áreas de Ciências Ambientais, Agrárias, Biológicas, da Saúde, Sociais, Química, Engenharias, Tecnológicas Aplicadas e/ou áreas correlatas. Os candidatos passarão por duas etapas no processo seletivo, sendo a primeira análise do curriculum vitae ou lattes, e a segunda entrevista e discussão da intenção de pesquisa.

A documentação necessária e outras informações podem ser obtidas junto à Secretaria do Programa, pelo telefone 55 3332-0417, pelo e-mail ppgsas@unijui.edu.br ou pela página unijui.edu.br/ppgsas, onde consta o Edital completo.


“Ciências Ambientais e suas abordagens interdisciplinares” foi tema de debate

Na última sexta-feira, dia 10 de setembro, acadêmicos da disciplina de Seminários Interdisciplinares do Programa de Pós-Graduação em Sistemas Ambientais e Sustentabilidade (PPGSAS) da Unijuí contaram com a participação do professor doutor Jairo Schmitt, coordenador adjunto da área de Ciências Ambientais da Capes na Feevale, em Novo Hamburgo. No encontro foi abordado o tema “Ciências Ambientais e suas abordagens interdisciplinares”, tópico diretamente relacionado ao objetivo central que move as pesquisas realizadas pelos estudantes e professores pesquisadores ligados ao PPGSAS.

O professor Jairo, em sua apresentação, buscou explicar de forma detalhada todos os fatores envolvidos em um programa de pós-graduação, com ênfase àqueles voltados à integração das mais distintas áreas de conhecimento, ou seja, os programas de formação multidisciplinar. Isto porque o objetivo central do PPGSAS da Unijuí é a formação de pesquisadores com visão sistêmica e multidisciplinar, capazes de compreender as inter-relações entre o ambiente, a sociedade e a tecnologia. Além disso, busca contribuir para que estes pesquisadores possam participar de forma crítica e reflexiva no desenvolvimento regional, considerando os princípios e valores da sustentabilidade, gerando tecnologias apropriadas aos sistemas produtivos locais, promovendo a produção de conhecimentos na área do meio ambiente, bem como no campo do diagnóstico e da solução de problemas de interesse socioambiental.

Destaca-se como temática do encontro a abordagem interdisciplinar, condição que é essencial quando se busca agregar a análise do ponto de vista das mais distintas áreas do conhecimento, permitindo que as pesquisas desenvolvidas consigam resolver desde problemas mais simples até os mais complexos. Segundo Jairo, “esse tipo de abordagem faz essa análise dos sistemas ecológicos interconectados com os sistemas naturais, que é a chave para a sustentabilidade”. A discussão voltada a esse tema foi essencial como forma de aprofundar ainda mais o entendimento dos acadêmicos quanto à importância de estarem inseridos em um programa de pós-graduação que promove este tipo de abordagem. Sabe-se que as mudanças provocadas ao longo dos anos têm levado à necessidade de formação de pesquisadores com uma visão mais ampla, capazes de resolverem problemas mais complexos. Esta condição leva a uma maior inserção na sociedade, junto a melhores oportunidades no campo profissional. O professor Jairo destacou, ainda, que o conhecimento disciplinar adquirido durante a graduação também é essencial e a busca pela interdisciplinaridade na pós-graduação prepara o profissional para obter êxito na solução dos problemas mais complexos.

Durante o encontro, o convidado buscou apresentar uma contextualização do crescimento do número de programas de pós-graduação voltados à área de Ciências Ambientais. Em 2011, havia em torno de 56 programas com foco na área das Ciências Ambientais, enquanto em 2019 este número passou para 137. Este resultado deixa clara a maior demanda aos programas voltados à interdisciplinaridade das Ciência Ambientais e como os resultados são promissores em vista da criação destes novos programas.

Outro fator chave é a necessidade de divulgação dos resultados obtidos através das pesquisas desenvolvidas. Este fato colabora para que os problemas encontrados ou demandados pela sociedade sejam realmente solucionados, podendo também haver a utilização de outros meios de divulgação. Conforme frisou Jairo, a Unijuí é uma universidade comunitária, condição que demostra a ligação e comprometimento que a instituição tem com a sociedade como um todo, sendo de extrema importância para a região em que está inserida. Isso se baseia no incentivo que a universidade proporciona para que sempre seja possível a ligação entre a pesquisa e a extensão. Esta realidade é que tem permitido o desenvolvimento de pesquisas sérias e que trazem resultados reais a todos os membros da sociedade. Destaca-se que o sucesso no desenvolvimento das pesquisas, bem como a apresentação de resultados promissores, só é possível devido à complexidade envolvida nos programas de pós-graduação com objetivo interdisciplinar. Aliado a isso, a participação de professores das distintas áreas do conhecimento é condição indispensável para o sucesso da construção de pesquisas voltadas à interdisciplinaridade.

Ao final da apresentação, abriu-se uma discussão. O debate contou com a participação dos estudantes, que relataram suas experiências e visão por estarem inseridos no Programa de Pós-Graduação em Sistemas Ambientais e Sustentabilidade. “É muito interessante a convivência que a gente tem com colegas de outras formações, de outras áreas.  Juntos conseguimos construir projetos que são incríveis, apresentando os resultados encontrados à sociedade”, relatou uma das estudantes que está matriculada na disciplina. 

A visão ecossistêmica presente durante o debate ocorrido ao final da apresentação do professor Jairo faz parte das características e aspectos para fortalecer o planejamento e gestão dos programas de pós-graduação visando a inserção do tema sustentabilidade. Aliado a isso, como considerações finais, o professor destacou a necessidade de se considerar temas emergentes, a interdisciplinaridade, a transparência e a construção de projetos coletivos, condições indispensáveis à manutenção dos programas de pós-graduação com foco na multidisciplinariedade.

A atividade fez parte da disciplina de Seminários Interdisciplinares, coordenada pelos professores Roberto Carbonera e José Antônio Gonzalez da Silva. A mesma contou com as presenças da professora Sandra Beatriz Vicenci Fernandes e do professor Daniel Rubens Cenci, que são do quadro de professores permanentes do programa.

Por Natiane Ferrari Basso, estudante do PPGSAS


3º Dia de Campo da Aveia Branca apresentará novidades no mês de setembro

A Unijuí, em parceria com a empresa Dubai Sementes, realizará no dia 9 de setembro o 3º Dia de Campo da Aveia Branca - Inovações tecnológicas para boas práticas de cultivo. O evento ocorrerá no Instituto Regional de Desenvolvimento Rural (IRDeR), no município de Augusto Pestana, a partir das 8h15.

Segundo Claudia Argenta, engenheira agrônoma egressa da Unijuí e uma das organizadoras do evento, o intuito é que os estudantes presenciem a prática e entendam a importância desse cereal na nossa região. “Através do Dia de Campo, os acadêmicos conseguem interagir com os produtores e aumentam o contato com a área em estudo,” comenta.

Os participantes serão os acadêmicos dos cursos de Agronomia e Medicina Veterinária, além dos estudantes dos Programas de Pós-graduação Stricto Sensu em Modelagem Matemática e Computacional e Sistemas Ambientais e Sustentabilidade. O evento será dividido em estações, para que todos os participantes tenham a oportunidade de visitar as experiências e trabalhos dos outros acadêmicos. 

A Estação 1 trabalha o tema “Zoneamento e indutor de resistência: produtividade e redução de fungicida”. As Estações 2, 3 e 4 trazem os temas “Desempenho agronômico de cultivares de aveia”; “Manejo da densidade de semeadura'' e “Manejo do nitrogênio”, respectivamente. Na Estação 5, será apresentada a “Biofortificação agronômica via foliar”; na Estação 6, o “Programa de melhoramento genético da aveia/Unijuí'' e, na última, a “Viabilidade e o manejo da Aveia orgânica”.

“Visto a importância da aveia branca, um dos principais objetivos é informar o produtor rural, além de apresentar novas técnicas de manejo testadas em campo, novas cultivares e novos experimentos que visam reduzir o uso de fungicidas, inseticidas e herbicidas, a fim de obter maior produtividade com sustentabilidade”, finaliza Claudia.

Gabriel R. Jaskulski, estagiário de Jornalismo da Unijuí